História Insane Love - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adelaide Kane, Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Justin Bieber
Exibições 29
Palavras 2.952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Um pouco demais.


Já se faziam uma semana desde o que aconteceu no meu quarto. Ele me beijou. Justin havia mesmo me beijado e só de lembrar aqueles lábios tocando os meus eu já sentia meu rosto esquentar.

Flashback

Justin havia me beijado e eu estava estática enquanto ele tentava enfiar a língua na minha boca.

Empurrei ele que ficou tão surpreso com a reação que não sabia o que falar.

- Justin o que você fez? Você não pode fazer isso!

- Louise eu quero te beijar desde que te vi na minha casa pela primeira vez. Eu não posso mais conter meu desejo.

Eu queria beija-lo também, sua boca era macia e o que havia acabado de acontecer foi pouco para mim. Fui até ele novamente e o beijei dessa vez, deixando sua língua adentrar na minha boca. Ela acariciava a minha como se ordenasse que eu fizesse o mesmo. Chupei seu lábio levemente me separando dele e logo atacando sua boca novamente.

- Você beija fodidamente bem – Ele agarrou minha cintura e desceu uma de suas mãos até as minhas pernas me dando impulso para subir no seu colo. Senti minhas costas caírem em algo macio deduzindo ser a cama. Nós não nos paramos o beijo em momento algum. Suas mãos passavam pelo meu corpo de uma forma desesperada e logo seus beijos desceram para o meu pescoço e suas mãos ágeis foram direto para as alças do meu vestido. Ele olhava para mim como se esperasse a minha aprovação, mas eu empurrei seu braço e desci as mesmas por conta própria.

Ele me olhava como se estivesse vendo a coisa mais incrível do mundo. Subi em cima dele puxando sua camisa para fora de seu corpo quando bateram três vezes seguidas na porta me despertando do desejo.

- Louise? Você está bem?

Droga era Andrew. Eu estava em pânico agora e se ele entrasse e me encontrasse aqui seminua com o irmão dele? Ele ia pensar que eu era uma vadia. Justin sussurrou no meu ouvido “responda ele” me acordando do meu transe.

- Sim Andrew eu estou bem, preciso dormir um pouco estarei melhor amanhã.

- Tudo bem, qualquer coisa me chame.

Justin levantou da minha cama e eu recoloquei o meu vestido. Ele me olhava com raiva e eu não sabia o porquê.

- Qual o seu problema Justin?

- Você está transando com o meu irmão também?

- O-o que? Justin eu sou virgem! V I R G E M – soletrei para ele, eu não acredito que depois do que tinha acabado de acontecer ele ainda me acusava dessa forma – Você não foi o único cara com quem eu já me deitei dessa forma, mas eu nunca transei com o seu irmão. E ele não gosta de mim desse jeito. Vai embora daqui.

Ele se virou, mas antes de sair disse:

- E-eu só... por favor Louise não vai embora.
Ele saiu do meu quarto e eu fiquei encarando a porta tentando entender qual era a porra do problema dele. Não tive muito tempo para pensar pois logo o sono me pegou e eu acabei dormindo.

Flashback off

 

Depois do que aconteceu eu não vi mais Justin. Ele sumiu da casa e eu não ouvia mais nenhum som, nem quando eu ia embora nem quando eu voltava. As memorias do ocorrido não saiam da minha cabeça e eu sempre me pegava pensando em como seu beijo era bom e sua pegada melhor ainda. Me levantei da cadeira na cozinha e fui para fora. Eu ainda tinha um dia cheio.

 

POV Justin

Abri meus olhos lentamente me acostumando com a claridade do local. Tentei me ajeitar no sofá em que eu tinha ficado nesses últimos dias, mas mesmo ele sendo grande ainda era um pouco desconfortável dormir nele.

- Bom dia Bieber, pensei que você não ia acordar hoje. Aliás você precisa ir embora. Já ficou uma semana aqui e logo o meu pai vai voltar e você sabe que ele não gosta muito de você desde nos pegou juntos.

- Bom dia para você também Giovanna – Disse me espreguiçando – Não se preocupe eu vou embora hoje eu só precisava de um tempo para pensar.

Giovanna era uma amiga minha que morava em Destin e depois do que aconteceu na festa da April eu fui direto para lá. Eu precisava pensar nas coisas que eu estava fazendo e se iria continuar com elas. O que aconteceu com Louise mexeu comigo. Droga... eu havia prometido a April que não faria nada, sabendo quem era ela, mas só que foi impossível. O corpo de Louise era lindo e quando eu vi seus seios tive a certeza que o resto deveria ser melhor ainda. Destin não era tão longe de Rosemary então sai da festa com uma mala de roupas e vim para cá com a sorte de Giovanna me receber mesmo sabendo que seu pai mataria nós dois.

- O que a April fez para você precisar sair da cidade e me procurar? Deve ter sido algo sério e você não falou nada desde que chegou – Ela disse me entregando uma caneca com café.

- Não foi a April... foi a filha do Patt.. Ela apareceu e está ficando na minha casa enquanto aquele aproveitador de merda está nas Bahamas com a minha mãe.

- Espera filha do Patt, você quer dizer a... AI MEU DEUS JUSTIN! – Giovanna gritou – Eu não acredito que a... meu deus April deve estar fazendo da vida dela um verdadeiro inferno.

- Ela está, acredite – disse bebendo um gole da bebida quente – mas não é esse o problema. O problema é que ela é gostosa e eu prometi que não faria nada com ela, mas na festa de aniversário da April eu... nós quase transamos se o Andrew não tivesse aparecido – Eu ainda ia falar com ele sobre o fato dele ter empatado a minha foda – Eu sai de lá porque ela me expulsou do quarto e eu também precisava pensar um pouco eu nunca fiquei em dúvida se pegava uma mulher ou não mas ela... se acontecer qualquer coisa e ela descobrir o que todo mundo já sabe... só não quero machuca-la.

- Uhum, eu te entendo e é um pouco cômico te ver preocupado com uma garota, mas você deve continuar sua vida e sei lá, já que você não pretende expulsa-la da sua casa então transe com outras. Faz o que você faz de melhor saia pegando todas e quando o Ralph voltar ele vai resolver todos os seus problemas.

Ela estava certa. Eu não vou transar com ela, ou pelo menos eu posso tentar não fazer isso, vou continuar com a minha vida e com o meu cotidiano de sempre até porque eu vou voltar para a minha rotina dentro de alguns meses.

- Gio, você sempre me ajuda quando eu preciso. Agora... – Disse agarrando ela – Eu preciso da sua ajuda para uma outra coisa – Beijei o pescoço dela.

- Uma pena que eu namoro agora – Ela me empurrou dando risada – Não é que eu não goste de você é só que eu sou muito fiel para cair nas suas tentações Bieber. Agora levanta e vai se trocar o meu pai vai chegar logo.

Me levantei e fui para o banheiro. O caminho de volta para Rosemary seria um pouco longo.

 

POV Louise

Estava subindo as escadas pela porta da frente do clube pronta para mais um dia de trabalho. Entrei na sala onde as chaves dos carrinhos de golfe ficavam quando ouvi gritos. Fui um pouco mais adentro e vi Lucy e uma outra funcionaria discutindo.

- Você não pode sair com os sócios. Meu deus, eu te dei um emprego para que você conseguisse dinheiro o suficiente para comprar o seu próprio apartamento não para transar com os sócios do clube atrás das moitas. Não tenho muitas funcionárias então se você ainda quer ficar aqui esse é o último aviso que eu te darei. Entendeu?

- Sim tia Lucy. Eu sinto muito isso não irá mais se repetir eu prometo.

Oh, eu não sabia que a sobrinha de Lucy trabalhava aqui. E olhando elas de perfil eram bem parecidas, tirando o fato de que a garota era um pouco mais baixinha, e tinha o cabelo longo loiro com mechas. Interessante.

Lucy olhou para o lado me pegando bisbilhotando a conversa das duas, mas ela não pareceu ter ficado brava com isso.

- Louise que bom que você apareceu, quero te apresentar minha sobrinha Brooke. Vou deixar ela sobre os seus cuidados por algumas semanas, fique de olho nela. Eu não quero que o senhor Chestey e seu filho me enviem mais reclamações sobre ela praticando atos sexuais com sócios do campo caso contrário terei que demiti-la. Estamos de acordo Brooke Mendes?

- Sim tia nós estamos – A garota revirou os olhos e pegou uma das chaves que estavam penduradas.

- Vamos trabalhar então Louise?

- Ah... vamos!

Nos direcionamos para fora do clube indo em direção ao carrinho enquanto Brooke brincava de girar as chaves.

- Você trabalha aqui a muito tempo? – Perguntei para quebrar o gelo.

- Um pouco, mas do que você, a famosa Louise Patt. Acredite ou não você é muito falada pelo clube – Ela disse de uma forma sorridente, não estava sendo irônica nem nada do tipo – Desculpe pelo o que você ouviu lá dentro, minha tia costuma pegar pesado demais comigo ás vezes.

Ela parecia ser legal, ao contrário da maioria das pessoas daquela cidade. Riquinhos mimados e idiotas.

- Tudo bem, mas me diga porque sou tão falada por aqui?

- Fala sério? Os rapazes falam muito de você por aqui. Principalmente Jacob. Ele gosta de você. E depois dele ter defendido você na festa de April, a piranha da cidade você ficou mais falada ainda.

Eu sabia que Jacob havia ficado discutido com as meninas, mas ele me defendeu. Precisava agradece-lo depois. Entramos no carrinho enquanto eu dirigia até o campo.

- Eu fui a festa porque moro lá, mas me arrependi minutos depois, pensei até em ir embora.

- É eu sei, as notícias correm rápido por aqui sabia? Eu não fui porque aparentemente empregados ficam de fora dessa mas sei que o Bieber foi te procurar depois e saiu do seu quarto aparentemente perturbado? Me diz, o que você fez com ele?

- Quem é Bieber?

 - Justin, Justin Bieber. Filho de Jeremy Bieber com Sophie Turner, herdeiro da Bieber’s Enterprise uma das maiores empresas globais que existem. Vai dizer que você não sabia quem ele era?

Eu realmente não sabia que Justin era filho de Jeremy Bieber, eu não cheguei nem a perguntar seu sobrenome. Que péssima hospede eu sou.

- Para falar a verdade não. Mas não aconteceu nada dentro do quarto – menti – Ele só me perguntou o que havia acontecido e porque eu chorava e eu disse o motivo. Depois disso ele saiu do quarto, não sei porque ele estava bravo – Ela podia ser legal, mas não iria sair contando o que havia ocorrido de verdade lá dentro.

- Não te culpo por ter ficado desse jeito, a April falou muita coisa má sobre você ela é uma piranha, nós já brigamos também se você quer saber, mas ela me deixou em paz depois. Jessie disse que Justin brigou com April por sua causa.

 - Justin não tem nenhum interesse por mim e nem eu nele.

Brooke suspirou alto.

- Ser pobre é uma merda né? Os caras ricos e gatos só querem sair com você para te comer. Nunca nos levam a sério. Olha só para mim, transei com os riquinhos e quase fui demitida e eles continuam nem aí pra mim – Ela fez uma cara emburrada.

- Você é linda Brooke e se os caras ricos não querem nada além de sexo você deveria parar de ir atrás deles, quer dizer tente ir em um lugar onde tenham pessoas normais não apenas ricos que só querem você para o sexo.

- É... você pode ter razão. Eu entendo porque os rapazes daqui estão apaixonados por você – Precisei rir do seu comentário mesmo sendo verdadeiro. Eles disseram mais de uma vez que estavam apaixonados por mim.

De manhã o expediente foi tranquilo, não tive que ficar atenta a Brooke já que eu duvido que ela daria em cima dos idosos que eram sócios. Depois do almoço nós voltamos para os buracos e continuava tranquilo, Brooke era muito agradável e fácil de conversar pelo menos agora eu tinha alguém para fazer isso. No fim da tarde avistamos Jacob e seus amigos no buraco 14 fomos até eles e pude ver Brooke ficar inquieta no seu banco.

- Brooke lembre-se. Se controle estamos em serviço ainda.

- Eu sei mas... Olha o Jessie ele é tão gatinho e.. Eu quero ele de novo.

Paramos com o carrinho e Jacob nos olhou espantado.

- O que a Brooke está fazendo com você Lou?

- Ela está me impedindo de sair transando com os seus amigos gatos já que aparentemente me deduraram. Porque fez isso Jac? Pensei que tinha gostado da nossa última vez. – Brooke fez biquinho e eu fiquei vermelha. Além dela ter dormido com Jacob ela ainda dormiu com seus amigos.

- Não falei para ela brigar com você, falei para ela colocar Lou no restaurante, mas foda-se. Se não quer ser demitida pare de foder com todos os sócios.

- Não são todos Jacob – ela o repreendeu – Só transei com você e o Jessie. Tentei alguma coisa com Justin mas ele não me quis então não conta. E se você for mandar Louise para o restaurante quem vai tomar conta de mim? – Ela disse com um dedo na boca e olhando para Jessie que mantinha um sorriso no rosto.

- De novo, foda-se Brooke. Vou falar com Lucy depois, agora eu quero a minha bebida.

Entregamos as bebidas aos rapazes e discretamente agradeci ao Jacob por ter me defendido. Ele piscou para mim e depois eu fui embora com Brooke.

- Aí eu acho que vou voltar até Jessie. Eu o quero tanto. – Ela estava dando a volta com o carrinho quando eu a parei e a olhei sério.

- Brooke por favor pare. Escute, sua folga é na sexta também? – Perguntei e ela assentiu – ótimo, então na sexta-feira nós vamos a algum lugar onde você possa encontrar caras que vão fazer mais do que transar com você. Te prometo.

- Você está falando sério? Você sairia comigo atrás de caras? Em um território totalmente desconhecido por você?

- Sim eu faria isso se você não parar agora e ir para o próximo buraco. Você está sendo uma das únicas pessoas que foi legal de verdade comigo e eu não quero que você perca o seu emprego por causa de um cara que vai te comer e de dispensar depois.

- Fechado espero que você esteja pronta mocinha porque nós vamos azarar sexta-feira. – Ela disse com um sorriso e indo em direção ao próximo buraco.

No fim do expediente estávamos passando pelas quadras com o carrinho quando ouvi Brooke balbuciar um “aí merda” e então avistei um pouco mais longe April com Andrew, ambos jogando tênis. Pensei em deixar ela sozinha com o carrinho, mas eu estava no meu ambiente de trabalho. Fomos até lá e logo pude ouvir a sonora risada de April.

- Está de brincadeira. Não sabia que Jacob era tão burro a ponto de contratar essa daí para trabalhar no clube. O lugar baixou o nível mesmo.

- April não comece peça sua bebida e vamos continuar o jogo.

- Tudo bem, quero uma agua com gás.

- Eu quero uma Corona meninas.

Brooke pegou as bebidas e ás deu para os dois enquanto esperava o dinheiro

- Louise, fico feliz que você saiba o seu lugar apesar de a sua amiguinha aqui não saber. Provavelmente deve ser porque ela sai abrindo as pernas pra Deus sabe quem e se acha no mesmo nível que nós – April riu novamente e meu deus como eu odeio sua voz. Andrew e Brooke iam falar alguma coisa, mas a minha voz foi confiante o suficiente para interromper os dois.

- Sim April eu sei o meu lugar, e eu tenho certeza que você tem coisas melhores a fazer como viver sua vida do que ficar importunando os funcionários do clube que você frequenta.

- Que seja, agora vocês podem sair meu irmão já pagou vocês – Ela se virou e voltou à quadra enquanto Andrew me olhava impressionado e Brooke com um sorriso no rosto. Ela voltou para o carrinho e nós saímos de lá.

- Caramba você respondeu um sócio! Não é só porque você é a funcionaria mais querida daqui que pode fazer isso ela vai contar tudo para o Jacob depois.

- Eu posso me acertar com ele mais tarde. Me diga, o Justin não frequenta o clube como os irmãos dele?

- Sim ele vem, mas não com a frequência de Andrew ou April, não se preocupe ele vai aparecer aqui logo tenho certeza.

Chegando em frente à casa de Justin notei alguns carros parados. Será que ele havia chegado? Eu respirei fundo abrindo a porta encontrando boa parte das luzes da casa apagadas. Vou em direção a cozinha e quando entro lá me deparo com uma mulher nua sentada bancada e Justin entre suas pernas, beijando sua boca ferozmente. Eu fico calada e vou correndo para o meu quarto trancando a porta e soltando um soluço alto. Começo a chorar só de pensar naquela cena e saber que ele quase havia feito o mesmo comigo semana passada. Justin Bieber não queria nada de mim além de sexo e eu quase cedi a ele.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...