História Insano - Psicose - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Do Kyungsoo, Exo, Hentai, Hospital, Kyung Soo, Masoquismo, Psicopata, Psicose, Sadomasoquismo, Sexo
Exibições 99
Palavras 1.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Amoresssssss!
Estou de volta! ^_^
Ói eu aqui!
Meus príncipes, e minhas princesas!
Ceis tão ligado no bagulho aue deu uma saudades aqui no peito,
Saudades de vocês! ^_^ ❤❤❤❤❤❤
Eu matei um pouco da saudade doa meus leitores com um cap de Obcession ontem, e hoje eu quero matar com vocês!
Desculpem pela demora!
Leiam aw notas finais!

Capítulo 19 - Capítulo dezenove


                                                    Narradora

K-Kai? O que...? — a fala dela foi cortada por ele que me levantou com tudo puxando pelo braço. — Me solta!

Ela pediu, já estava ficando assustada, sua mãos apertaram com ainda mais força o braço da mais velha, estava começando a ficar marcado.

Me solta! Está machucando! — pediu, ele apenas continuou e ainda por cima segurou seu outro braço me chacoalhando em sua direção.

Eu perguntei, QUE PORRA ESTÁ ACONTENCENDO AQUI! — Ele gritou e a cacheada grunhiu de medo e de dor.

Esse não é o Kai que ela conhecia.

E isso estava a assustando até as tampas.

— Ei cara, solta ela! Está machucando! — Sehun se pronunciou pela primeira vez, levantando, jà de cueca, e vindo em nossa direção.

Kai praticamente rosnou em sua direção e o olhou com fogo nos olhos, ele parecia uma besta louca pra atacar uma presa sangrenta.

CALA A BOCA! NÃO ESTOU FALANDO COM VOCÊ!

O aperto no braço se intensificou, ela gemi de dor e tentou puxar seus braços, mas estes foram presos com mais força.

Para com isso Kai! Está me assustando! — Falou baixo e arrastado, de fato, eu estava assustada, esse não era o Jongin que eu conhecia.

Vai defender esse merdinha agora?! — ele esbravejou indignado.

Eu não estou defendendo ninguém! que merda você está fazendo?

Eu já disse, você. É minha! — Ele quase gritou e ela quase se encolheu pelo seu tom assustador. — E eu vou acabar com qualquer um que tentar te tirar de mim!

CALA A BOCA SEU IMBECIL! VOCÊ SABE MUITO BEM QUE NÃO É ASSIM! EU NÃO TE AMO! — Ela gritei.

Era algo muito doloroso pra se dizer? Era. Mas a situação não era das melhores pra que ela pensasse nisso.

MAS EU TE AMO! E É ISSO QUE IMPORTA!

Sehun. Sai daqui por favor. — Pediu, ainda olhando nos olhos do Kai, mas a fala foi direcionada pra o mais novo. Este que a olhou e negou.

Eu não vou sair, sabe se lá o que esse doente pode fazer com você! — Ele esbravejou e ela apertou os olhos com força.

Aquilo, por mais que ela não fizesse ideia do por que estava acontecendo, era pra ser resolvido entre ela e o moreno.

Mas Sehun não podia nem queria deixar ela sozinha juntamente com esse cara descontrolado. Mesmo que ele não fizesse a mínima ideia do que realmente acontecia ali.

De súbito, ela sentiu o aperto em seu braço afrouxar e se tornar nulo rapidamente e assim que eu abri os olhos assustada, seus olhos se arregalaram e eu coloquei a mão na boca pra evitar o grito de susto ao ver o Jongin esmurrar o Sehun.

Jongin era totalmente contra a violência — Pelo menos, era o que demostrava — E ela jamais imaginou que o outro iria agir dessa forma.

Correu atè eles, mas quando ia se jogar no chão pra ajudar o Sehun — que já cuspia sangue — Kai a puxou e segurou meu pulso, apertando e me levando pra trás de si.

E então, ele a soltou, lhe jogando pra longe de si com força, a morena gemeu de dor quando senti a parede se chocar contra suas costas e cair no chão gemendo de dor.

Kai... — Gemeu baixo e ele nem olhou. Seus olhos estavam vidrados no outro que tentava se levantar, seus olhos estavam negros.

Foi impossível não lembrar do “sonho” que teve com ele a algumas noites atrás, seus olhos, eram os mesmos.

Seu olhar parecia que queria matar alguém... E nesse caso, era Sehun.

PARA COM ISSO! LARGA ELE! JONGIN!

Foi despertada bruscamente de meus pensamentos arrepiantes quando vi Sehun urrar de dor com um Jongin o espancando.

QUEM É O DOENTE AQUI?! HEIN? SEU DESGRAÇADO!

Kai estava sentado em cima do mesmo o esmurrando e chutando, enquanto ele tentava desviar mas, além de ser mais novo, estava sob efeito da bebida e acabou apanhando de mais.

Correu até eles e tentou puxar o mais velho de cima do outro, era inútil. Sehun era mais fraco por ser mais novo e já estava quase desmaiando. Seu corpo todo machucado e sangue espirrando.

Para! Para! Para! Para! — seus olhos lacrimejavam. — Kai... Para! — Sussurrou com a voz baixa e chorosa abraçando ele por trás.

Ela não conseguia acreditar que seu melhor amigo, o cara em quem ela confiou, estava quase se tornando um assassino.

No fundo, desejava que tudo aquilo fosse apenas um sonho, ou que, ao menos, fosse tudo um pesadelo.

Ele parou e se levantou, tentou a tirar de suas costas, mas ela cravei suas mãos ao redor de sua cintura, temia que ele se tornasse um monstro.

Mesmo que algo dentro de si insistisse em dizer que ele jà era um.

E de fato, em parte, ele realmente era.

Me solta. — Sua voz saiu baixa, porém fria. Porém ele suspirou irritado e massageou as têmporas. — Me solta.

Ela o soltou.

Receosa e com medo.

Q-Quem... É você... Kai...?

Sua voz saiu embargada e rouca, devido as lágrimas que insistiam em sair, sentiu os músculos alheios pesarem, e ele se virou de súbito tentando se aproximar.

O outro acabara de perceber a burrada qur havia feito. Por mais que estivesse louco de ciúmes por ter alguém tocando o que era seu, jamais iria se perdoar por ter se revelado pra ela.

Pior, por tê-la machucado.

Afinal, mesmo que de uma forma louca, obsessiva e insana, ainda assim, a amava.

N-Não! Não venha! — Ela disse. Estava com medo.

Eu não conheço essa pessoa. Ele não é o Kai que eu conheço.”

Por favor... Eu... — Ele tentava se aproximar, a mesma se afastava.

Confusa, assustada e amedrontada.

Me desculpe... Eu... Eu não consegui me controlar... — Pediu.

Seus olhos transmitiam dor, tristeza e arrependimento.

Mesmo que esse último, ele não o tivesse por ter feito o que fez, mas sim por ter se deixado levar e, pior, na frente dela.

Não... Você não é o Jongin que eu conheço... Quem é você, de verdade? — Sua voz saia como um sussurro. As lágrimas jà desenhavam a moldura de seu rosto, e os soluços a dominando.

Ele se aproximou, ela se afastou.

Querida... Me desculpe... Por favor... Eu te amo, você sabe disso! Eu só... Não suporto te ver com outros... Eu não suporto saber que não sou o suficiente... Me perdoe, por favor...

A essa altura, as lágrimas já inundavam o seu rosto, e ele se ajoelhou ao seus pés, chorando e pedindo perdão.

E isso, subitamente fez o coração da mais velha se apertar.

Ele sempre se demostrou forte, era sempre ele que lhe dava apoio, e pela primeira vez, o via chorar, pela primeira vez, o via se demostrar frágil.

E foi pensando nisso, e esquecendo todo o resto, que o abraçou.

Um abraço que transmitia conforto, amizade e perdão.

Choraram juntos essa noite, e mesmo que ela houvesse o perdoado pelo que acabara de fazer, o relacionamento entre os dois, jamais seria o mesmo.

O que ela não sabia, era que por trás de suas costas, um sorriso satisfeito e nem um pouco arrependido brotava nos lábios de Jongin.

Ao mesmo tempo em que ele encarava o seu velho companheiro de manicômio — o qual costumava frequentar antes de ser adotado — o mesmo cara que estava do outro lado do corredor, parado no meio de todas aquelas outras pessoas que dançavam, alheias a tudo que acontecia ali.

O cara que lhe olhava com ódio, os punhos fechados, os olhos negros e sombrios transmitindo a sua vontade insana por sangue, pelo sangue sendo jorrado do corpo do moreno que desejava deixar sem vida.

Aquele que costumava ser seu melhor e único amigo.

E agora sua maior ameaça, seu principal inimigo.

Os ex-melhores amigos, dois insanos, dois apaixonados pela mesma garota, dois psicopatas.

Kim Jongin e... Do KyungSoo.


 

   
[Leiam as notas finais]


Notas Finais


...
...
Mano, mano!
O bagulho tá ficando pesado!
Ahusjaushajshauhsuahsushsuhsa

Bom, eu só quero avisar a vocês (Os que não me acompanham na outra fic) que eu postei uma oneshot a pouco tempo, uma Taoris.

Ela é ABO e yaoi, portanto só leiam quem gosta de lemon!
Ahsuahsuahushaushsushuahsuahs

https://spiritfanfics.com/historia/love-or-sex-7133088

E tbm, que eu comecei a ler uma fanfic da hora yaoi Chanbaek, só que ela está em um site que eu não conhecia antes e é em espanhol.

Portanto, eu estava traduzindo ela pra mim ler direitinho (Já tenho quase setenta páginas traduzidas) e resolvi re-postar ela aqui no site, mas claro dando todos os créditos da história a autora original.

É baseada no MV de love me right, Chanyeol é um chefe da maior máfia de Seul e Baekhyun não quer fazer parte dela, mas é filho de uma das mulheres mais prestigiadas dessa gang, e então, quando ele é "Promovido" de seu emprrgo, acaba que ele vira gerente do bar que pertence a essa mafia, e quando Chanyeol põe os olhos nele, não vai descansar até poder foder ele!

Ahsuahsuahushaushushsuahsuha

Eu já postei no site, em breve vou enviar o primeiro cap! ^_^

https://spiritfanfics.com/historia/o-garoto-do-chefe-7177093

Kissus e até Quinta! ^_^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...