História Insano - Psicose - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Do Kyungsoo, Exo, Hentai, Hospital, Kyung Soo, Masoquismo, Psicopata, Psicose, Sadomasoquismo, Sexo
Exibições 324
Palavras 1.302
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores! 🌸🌸

Brotei e já postando mais um cap aqui na fic!
Espero que gostem!

Capítulo 3 - Capítulo Três


Fanfic / Fanfiction Insano - Psicose - Capítulo 3 - Capítulo Três

Após muito pensar e refletir sobre tudo — e esse tudo se resumia a aquela presença que apesar de recente, já me dominava de uma forma que me assustava, e como assustava. — decidi voltar ao meu trabalho e após algumas consultas com pacientes e seus acompanhantes.

Voltei a minha sala já tendo em conta que havia ultrapassado um pouco do meu horário de descanso, mas tudo bem já que eu não estava com fome e tinha bastante tempo ainda, já que, ao menos até agora, não havia tido problemas muito graves esse dia.

Ao girar a maçaneta e adentrar a minha sala me surpreendi quando uma presença a mais estava na mesma, uma pessoa que eu conhecia muito bem, digamos assim, intimamente, mais do que os outros sabiam.

Ah, Jongin!

Demorou, doutora Steele. — falou o mesmo e eu sorri sem graça. — Mas então, o que a doutora deseja de um pobre enfermeiro como eu? — perguntou em um falso tom de inocência.

Ah, Jongin. — fui me aproximando a passos pequenos e sedutores. — Primeiro, nós dois sabemos que de pobre, você não tem nada. — ele sorriu e já estávamos com os corpos colados enquanto ele estava encostado na minha mesa. Passei meus dedos por seu abdômen coberto sem desviar meus olhos do seu. — E segundo, — sussurrei — você já sabe muito bem o que eu quero.

Só deu tempo de mais um sorriso sair de seus lindos lábios que revelaram a sua fileira de dentes brancos e perfeitos, para que eu quebrasse a distância entre nossas bocas em um beijo forte e quente.

Obviamente, não demorou muito para que ele tomasse o controle do nosso osculo e começasse a ditar seus próprios movimentos, eu o acompanhava e assim nossas línguas estavam travando uma guerra de dança da qual não teria vencedor.

A boca desse homem para mim era como o paraíso fazia esquecer de tudo e todos ao nosso redor e era de exatamente isso que eu estava precisando, relaxar, e não tem ninguém melhor pra me ajudar nesse momento do que esse pedaço de mal caminho.

Ele começava a dar mordidas de leve e chupões no meu lábio inferior e assim me fazendo arfar, repetia o ato no mesmo e assim fazendo barulhos e estalos molhados causados pelas nossas línguas.

Mas, quando o ar se fez presente, e um fogo se incendiou — mais do que já estava — dentro de mim, eu sorri e não precisei dizer mais nada.

Apenas pisquei pro Jongin que entendeu muito bem o que eu quis dizer e logo após me roubar mais um selo, saiu da sala retomando a sua postura anterior.

Encostei-me na mesa apoiando minhas mãos sobre a mesma e respirei fundo tentando me recuperar do osculo. Meus lábios estavam um pouco inchados, me ajeitei e após alguns minutos depois da partida do outro, saí em direção ao meu destino.

Havia deixado meu jaleco na minha sala, como já era de costume, e agora apenas trajava uma calça preta, nem tão apertada nem tão solta, e uma blusa social bordo com um botão em cima aberto.

Parei em frente ao local de costume — um motel três estrelas próximo ao hospital — e adentrei o mesmo. Nem precisei falar na recepção pois eu sou cliente VIP e já tenho a minha chave.

Adentrei no quarto da cobertura  — que era meu — e logo sorri quando fui abraçada por trás por braços fortes e conhecidos por mim e pelo meu corpo.

O mesmo afastou meus cabelos para um lado e começou a mordiscar e chupar o meu pescoço me fazendo arfar — um dos meus lugares sensíveis — e quando um chupão forte e um contorno com a língua foi depositado em seguida, o primeiro gemido da noite escapou por meus lábios.

Virei-me de frente pra ele e me afastei sem tirar os olhos do mesmo, ele me olhava faminto e mordendo os lábios grossos, toquei no botão da minha blusa e retirei um por um lentamente e mordendo meus lábios com força.

Após todos já estarem abertos, Jongin fez menção de se aproximar mas eu recuei um passo e o mesmo sorriu de lado logo retomando a sua expressão impaciente, eu também estava, mas eu gosto de brincar com a sanidade dele.

Toquei no botão da minha calça e brinquei um pouco com o mesmo, quando ele se irritou e fez menção de vir retirar ele mesmo, abri e desci o zíper logo me livrando da tal peça.

Estando agora apenas com uma lingerie pude perceber os olhares do homem a minha frente, sorri e o puxei pelo cós de sua calça — já que o mesmo já se encontrava sem camisa — e o joguei sentado no meio da cama.

Ele sorriu e me olhou, eu fiz carinha de inocente mordendo o lábio inferior enquanto abria o zíper de sua calça sem tirar meus olhos dos seus impacientes.

Sem mais delongas, tirei pra fora o membro dele e sua cabecinha rosada já esbanjava liquido e estava inchada enquanto todo o seu comprimento pulsava em minha mão.

O olhei enquanto passei a língua na cabecinha e vi ele jogar a cabeça pra trás e impulsionar o quadril pra perto de mim.

Passei a língua por todo o comprimento e vi o mesmo me olhar com fúria pela minha enrolação, segurou meus cabelos entre seus dedos e impulsionou minha cabeça pra baixo.

Apoiei minhas mãos em suas coxas fartas e olhei para o seu pau tocando como se fosse uma coisa de outro mundo e sentindo seu olhar queimar sobre mim.

O que devo fazer, Jongin? — gemi rouco e ele sorriu.

Quero que me chupe, Kate. — respondeu sem delongas. Sorri.

Obedeci prontamente ao seu pedido e sem aviso prévio coloquei tudo na boca, me engasgando um pouco mas já estava acostumada, Jongin não é muito paciente, então, não provoquei muito.

Em meio a todos aqueles movimentos de vai e vem e gemidos e arfares roucos do homem ali que preenchia o quarto e minha mente, ele gozou despejando todo o seu liquido na minha boca. Engoli sem delongas.

Antes que eu pudesse raciocinar, senti meu corpo ser jogado em cima da cama e assim, minha calcinha ser rasgada — resmunguei e ele ignorou — e logo — após vestir a camisinha — o mesmo me invadiu devagar, mordi os lábios e apertei o travesseiro deixando um gemido rouco escapar por meus lábios quando ele esteve completamente dentro.

Ah... J-Jongin...

Sem pedir permissão ou esperar reação minha, começou suas estocadas fortes e rápidas, apoiou suas mãos em minha cintura para acelerar seus movimentos e assim o quarto foi preenchido pelos sons molhados dos nossos corpos, gemidos e arfares de ambos.

Assim, não demorou muito para que chegássemos ao ápice juntos e ele logo caiu ao meu lado se desfazendo da camisinha.

Sorrimos cúmplices e encaramos o teto enquanto esperávamos nossas respirações se regularem.

Mas em minha mente apenas uma pessoa e um pensamento me rodeava, as palavras que ouvi a algumas horas atrás.

Estou pensando em como seria te foder com força e te fazer sangrar em meus braços.”

Jongin é ótimo e perfeito, mas pra mim sempre era como se faltasse algo, mas apesar de saber exatamente o porque e o que seria esse “algo” eu jamais deixaria alguém saber.

A verdade é que, eu havia ficado realmente excitada com as palavras profeciadas pelo meu tentador paciente. Mas isso era algo que eu jamais haveria de admitir em voz alta.

Pois admitir isso, seria o mesmo que admitir o meu problema, e este jamais poderá saber, ninguém deve saber do meu lado masoquista.

                                              “Há curiosidade em seus olhos,
                                             Você já está apaixonada por mim...”


Notas Finais


E então? Gostaram do cap e do hot?

Só avisando que amanhã tem mais! ^_^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...