História Insano - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, J-hope, Jimin, Jin, Joo Heon, Jungkook, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Rap Monster, Show Nu, Suga, V, Won Ho
Tags Amor, Army, Bangtan Boys, Bias, Bts, Insanidade, Loucura, Monbebe, Monsta X, Romance
Exibições 14
Palavras 1.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Steampunk, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii, boa leitura!

Capítulo 13 - Máscara


Fanfic / Fanfiction Insano - Capítulo 13 - Máscara

Lee Bora Pov's On: (3 anos atrás)

9 de julho de 2013, Seoul

-Você está pronta, Jagiya? - Shownu perguntava enquanto afagava meus cabelos com uma mão, enquanto na outra ele segurava sua máscara branca, cortada nos olhos e na boca em forma de circulo, em cima do volante do carro, seu olhar transmitia um pouco de segurança, apertei a outra máscara em minhas mãos segurando o choro.

-Nunca estarei Honi - disse e logo depois coloquei minha máscara, engatilhei minhas duas pistolas e as escondi no shorts.

Eu e Shownu saímos do carro, entrando direto na loja de conveniência, estava quase vazia com apenas um casal de idosos comprando comida e o nosso alvo, o senhor do caixa, eu e ele apontamos as armas e anunciamos o assalto, o casal rapidamente nos entregou o pouco dinheiro que tinham e finalmente chegamos no caixa. O senhor empalideceu e suas mãos ficaram trêmulas, ele nos entregou todo o seu dinheiro sem hesitar, ele não tinha culpa de nada, mas o seu filho tinha que pagar pelo que me fez. Apontei a arma para a cabeça do senhor e depois de engrossar muito a minha voz, admiti quem era o alvo.

-Avise para o Dak-ho que ele irá pagar por tudo, tudo que vez! - saí deixando o senhor chorando e já correndo atrás de Shownu que já estava de volta ao nosso carro roubado e só me esperando para sair, acelerou tudo que podia e fugimos, depois de termos certeza que estávamos seguros novamente tiramos as máscaras.

-Você tá bem? Digo, em relação ao que aconteceu com o Dak-ho - Shownu podia não olhar para mim, mas a sua voz mostrava sua preocupação.

-Shownu só vou estar bem depois de ver o cara ajoelhado aos meus pés pedindo perdão! - Disse cruzando os braços e me recostando mais ao banco.

Dak-ho era um antigo colega do No Mercy, mas um dia ele chegou no meu quarto, estando sóbrio e quase abusou de mim, para minha sorte os meninos do Monsta X chegaram bem na hora e evitaram que eu fosse estuprada. Desde então guardei uma grande mágoa dele e infelizmente eu nunca fui de matar, matei apenas por necessidade de vida ou morte, mas sempre odiei. Na mesma hora Minhyuk, Wonho e o jovem Changkyun foram queimar a casa dele, eu e Shownu fomos logo depois e assim que chegamos encontrei Changkyun na porta nos esperando, Shownu ficou com ele na porta enquanto eu entrei e encontrei uma cena deplorável, Minhyuk encostado na parede girando a arma em sua mão e Wonho com a mão cheia de sangue depois de socar tanto a cara de Dak-ho que a desfigurou quase que por completo, fiquei nas sombras ouvindo a conversa deles só esperando minha deixa para entrar.

-Você é um merda, além de idiota claro. Achou mesmo que ficar numa casa isolada da cidade sabendo que viríamos atrás de você era uma boa? - Wonho tinha uma vontade de mata-lo intensa, só de olhar para ele era possível perceber, afinal além de tentar me abusar ele também matou a namorada do Wonho, esse cara vai morrer.

-E você acha que eu tenho medo? Vocês covardes e a sua amiga vadia não me assustam, são todos crianças imaturas e despreparadas, ela seria incapaz de matar uma mosca. Vocês se acham mas são só uns bostinhas e a sua amiga, imagino o quão bom deve ser meter nela enquanto ela grita de dor e chora para fugir, mas ela gosta disso, afinal ela é uma VADIA! - me descontrolei quando Dak-ho disse isso, peguei a arma da mão de Minhyuk, engatilhei a arma, contra todos os meus princípios e fui até ele, coloquei a arma na cabeça dele, pronta para ir ao extremo do ódio.

-Você é o pior dos merdas e babacas e idiotas do mundo. Se você morresse todos iriam agradecer, inclusive a sua mãe ia ficar feliz se você morresse - falei com a arma tremula na minha mão, parte de mim ainda tinha consciência de que era errado, mas a outra estava cagando para certo e errado.

-Você é uma vagabunda fraca! Nunca me mataria! - ele ria descontroladamente e mesmo preso ficava ameaçando se soltar. Fui completamente devorada pela raiva.

-Então Adeus OTÁRIO! - e atirei bem na parte de cima da cabeça dele...

A cabeça dele estourou em vários pedaços, o sangue espirrou em nós três e tanto Minhyuk quanto Wonho me olharam surpresos, assim como Shownu e Changkyun que entraram com os barulhos de tiros, olhei para todos eles e deixei a arma cair no chão, junto do meu corpo fraco que só não caiu com tudo por que Shownu me pegou antes, lágrimas de desgosto caíam sobre o meu rosto e arrependimento me consumia, não por ser o Dak-ho e sim por eu ter ido contra meus próprios princípios e ter tirado uma vida. Shownu me pegou no colo e me levou para o carro e lá de dentro eu pude ver quando eles colocaram fogo na casa dele, meu coração doía e assim que os outros entraram no carro comigo, Changkyun olhou para mim entrelaçou nossas mãos e disse o tão esperado "Acabou", eu apenas funguei e apoiei minha cabeça em seu ombro e ele apoiou sua cabeça na minha.

O caminho de volta foi pesado já que ninguém dizia nada e eu só chorava quando chegamos o resto dos meninos se juntaram a mim, Kihyun fez biscoitos para mim, assistimos filmes e ficamos conversando enquanto ele me consolaram a noite toda. Neste mesmo momento eu percebi que finalmente havíamos nos tornado uma família, podia não ser de sangue mas éramos uma família. A família MonstaX.

Outubro de 2016:

Ainda tenho pesadelos com esse dia, as marcas ainda estão em mim. Mas agora eu sei lidar e evitar este tipo de situação e é isso que eu farei para defender a Min e o Monsta X para sempre, mas se for necessário, mortes não poderão ser evitadas mais.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...