História Insanus - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol
Exibições 60
Palavras 1.153
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tenham uma boa leitura
Deixarei o link da música do capítulo nas notas finais ;)

Capítulo 1 - Chapitre Un


 

“Eu não pertenço a você
Eu não sou mais um de seus brinquedos.”

 

            Sentia o estômago embrulhar dentro da barriga. Chanyeol me encarava com aquele belo par de olhos escuros e frios, cujo sentimento algum transparecia. Um belo espelho de uma alma vazia. Sequer tocava no prato à sua frente, analisava cada gesto meu, cada detalhe dos meus movimentos, e tudo o que eu conseguia fazer era sorver rapidamente meu jantar para sair o quanto antes daquela mesa e me trancar em meu quarto, onde teria paz pelo resto da noite.

            Meu pai engatou numa conversa sobre negócios com ele, e suspirei em alivio quando seus olhos voltaram para o homem ao seu lado. Até pensei em me retirar mais cedo, mas minha mãe me impediu com aquele seu olhar “se você ousar levantar a bunda dessa cadeira eu te parto no meio”, só suspirei e aceitei a sobremesa que veio logo após terminarmos nossa refeição. Não conseguia sentir o gosto do doce que ia a minha boca, pois estava mais preocupado com aquele par de olhos direcionados a mim. Porque me olha tanto? Pensei, enquanto com toda calma e polidez que me fora ensinado desde a infância, comia da sobremesa.

            Park Chanyeol, nada mais que nada menos o meu noivo. Até eu fiquei surpreso e com muita raiva quando meus pais vieram com esse assunto para cima de mim, e eu nada pude fazer para impedir. Nem sequer um amigo para me ajudar a fingir que eu já estava comprometido eu tinha. Culpa minha. Eu era muito antissocial, não conseguia me enturmar com as outras pessoas da minha idade, isso desde pequeno. Até agora, tenho apenas um amigo, Luhan, filho da minha criada. Como fomos criados juntos eu o tenho mais como um irmão que nunca tive do que como um amigo.

            Esqueci de me apresentar.

            Sou Byun Baekhyun, o mestiço. Sou chamado assim porque meu pai é americano e minha mãe coreana. Então minha linhagem física é mestiça. Muitos dizem que sou mais belo que muitos garotos e garotas que conhece. Não vejo que sou tudo isso como dizem. Meus pais são donos da maior empresa internacional multifuncional de beleza e como daqui alguns anos eu iria pegar o posto do meu pai – contragosto - para eu ser herdeiro de tudo isso eu tinha que me casar. O que resultou: meu pai interesseiro se juntar com outro interesseiro e eu totalmente fodido. Confesso que já tentei até fugir para não ter que me entregar ao um homem que nem sequer conheço, mas fui pego em flagrante pela minha mãe. E ela, bom, quase me partiu ao meio.

            Afundei-me mais ainda naquela cadeira. Eu estava entediado e sufocando. Não conseguia aguentar mais nem um segundo ali; ouvindo as conversas chatas do meu pai com seu “genro” e sendo foco daqueles olhos. E com o impulso e a coragem que veio não sei de onde – do meu cu – arrastei delicadamente a cadeira e pedi licença em voz alta, chamando a atenção dos que estavam ali, e me retirei a passos apressados. Podia sentir o peso, não só de um, mas de três pares de olhos sobre minhas costas.

 

XXX

 

            Luhan acariciava meus cabelos e isso me deu um puta sono, mas não podia ter esse privilégio por agora. O silêncio entre nós dois era tão desconfortante, eu sentia que sufocaria a qualquer momento com todo aquele silêncio entre nós dois.

            - Não sei ele sempre fica me olhando daquela maneira. – falei quebrando o silêncio. – Eu sempre fico sem graça. Nós dois não trocamos sequer uma palavra... ele é tão estranho. – Virei-me na cama, ficando defronte para Luhan que me encarava.

            Ele torceu os lábios.

            Mas antes que ele pudesse abrir a boca para dizer alguma coisa alguns batimentos na porta nos chamaram a atenção. Me sentei na cama e Luhan, rapidamente ficou de pé ao lado dela. Meus pais não poderiam ver que eu estava dando privilégio para o filho de uma empregada. 

            - Quem é? – perguntei.

            - Chanyeol. – gelei. Minha respiração ficou acelerada eu ia ter um troço, não sei por que tudo isso. Olhei para o Luhan e ele me olhou, ele estava mais assustado do que eu. – Posso entrar? – deixando um suspiro audível escapar por entre meus lábios, levantei-me e seguir até a porta, abrindo-a e dando de cara com a imensidão escura que eram seus olhos.

            Então, ele sorriu.

            Puta que pariu! Comecei a sentir uns coisos e quase gemi com aquilo.

            O que estava acontecendo comigo?

            Não sei, colega. Simplesmente eu não sei o que eu tenho.

             - Podemos conversar... – ele franziu o cenho quando viu meu amigo parado igual estátua no canto do quarto. – a sós?

            Demorei um tempinho para lhe responder. Olhei para trás, implorando a Luhan com os olhos para que ele me ajudasse, mas o pobre estava paralisado de medo. Ele sempre ficava assim quando outra pessoa além de mim aparecia. Soltando um suspiro demorado sair do quarto e fechei a porta atrás de mim. Ele não se afastou, então, por alguns segundos, fiquei com meu corpo colado ao seu, sentindo o cheiro amadeirado do seu perfume até decidir me afastar, completamente nervoso.

            Eu estava com medo.

            Ele nunca tinha feito isso. Chegar no meu quarto para querer falar comigo.

 

XXX

 

            Sentado em uma das cadeiras na varanda, com as pernas encolhidas e os braços em volta delas, enquanto observava o homem a minha frente fumar um cigarro em toda sua altivez aristocrática e arrogância. Ele me olhava de volta. Nenhuma palavra sequer fora pronunciada, e por incrível que pareça aquele silêncio entre nós dois não era tão constrangedor e sufocante como quando é com o Luhan.

            Seus fios negros balançavam levemente por causa do vento fraco e insistente, eu me encolhia mais na cadeira e tentava inutilmente me esquentar esfregando minhas mãos em minhas pernas. Ele percebendo, retirou o casaco que usava e jogou em cima de mim.

            Gentil igual coice de mula.

            Mas como sou bem educado, o agradeci e vesti o casaco. Me senti mais aquecido.

            Ele ergueu a cabeça e soprou a fumaça. A nuvem branca que saía por entre seus lábios poderia ser comparada ao frio em dias de inverno rigoroso. Ele é lindo. Pensei. Seu rosto, seu perfil e o formato dos seus lábios, não podia negar, tudo nele era doce e gentil. Tudo nele gritava que ele nascera para o amor e não para ser um daqueles que aceita tudo por dinheiro... Tudo por dinheiro, ele iria se casar comigo por dinheiro. Assim como eu, ele também não sentia nada por mim, atração só pelo o dinheiro que irá ganhar estando casado e dono da metade da empresa dos meus pais.

            - Chanyeol. – chamei-o e seus olhos se voltaram para mim. – Eu não quero me casar com você. Se é dinheiro que quer então me diga o seu preço. – ele negou. – O que você quer?

            - Você.

 

 

 

 

            


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo
Me perdoem se houver algum erro, juro que revisei umas três vezes, mas sempre passa aquele errinho despercebido
O link da música: https://www.youtube.com/watch?v=8SeRU_ZPDkE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...