História Insensível - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 1.308
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 11 - XI - Ciúmes?


Fanfic / Fanfiction Insensível - Capítulo 11 - XI - Ciúmes?

Acordei cedo, em pleno sábado. Me levantei e fui tomar um banho. Desci tomar café e tive o prazer de não encontrar o Carlos.

- Cadê o pessoal? - pergunto para a Nath.

- O pai foi ver a casa aqui perto, - não pude deixar de revirar os olhos, - a mãe teve que ir no trabalho dela, parece que o patrão teve que ficar no hospital de plantão.

- E o Gael? - perguntei.

- Foi junto com o pai.

- Hum...

Terminei meu café da manhã, subi para pegar meu celular, e havia mensagem do Maw.

Maw: Bom dia

Aproveitei e mandei mensagem para ele.

Eu: Bom dia lindo.

Maw: Dormiu bem?

Eu: Dormi sim, e você?

Maw: Bem melhor, só de pensar que meu ex foi embora.

Eu: Sim. E você ainda não me contou o que você conversou com ele.

Maw: Depois eu te conto.

Escutei barulho do carro da minha mãe. Logo depois barulho de alguém subindo as escadas. Minha mãe abre a porta.

- Oi filho. - diz ela na pequena fresta da porta.

- Oi mãe. - ela estava com uma cara diferente. - O que foi?

- O Rafael está aqui. Eu o convidei para vir aqui em casa, já que o pai dele vai chegar só de noite.

Ela termina de abrir a porta e ele entra com um sorriso lindo.

- Oi Andy - diz ele se sentando na minha cama, que aliás, ainda estava bagunçada. Minha mãe saí e fecha a porta. - Não apareceu em casa. Por quê?

- Por causa da escola, e de umas coisas aí - digo, e sinto meu celular vibrar.

Maw : Quem é que está aí?
Eu : O filho do patrão da minha mãe. E como sabe que tem gente aqui? Kkkk
Maw: Eu tô vendo pela janela kkkk desculpa.
Eu: Dboa, vem aqui.

- Que coisas? É algo sério? - ele pergunta olhando para os meus pôsteres.

- Nada sério... - mordo os lábios, mas eu tinha que contar a ele sobre o Maw - É que... Eu estou.... Namorando.

- Sério? - ele perguntava meio sem acreditar, mas tenta disfarçar. - Legal cara, e como é o nome dela?

- É que... - eu dou uma parada. - É meio complicado.

- Pode falar. - ele estava com uma cara de quem não entendia nada do que estava acontecendo ou onde estava.

- Eu...

O Maw entra sem bater, talvez esperasse que pegasse algo no flagra.

- Oi Andy.

- Oi amor - digo, a expressão de Rafael foi como se ele estivesse entendendo onde estava, ou oque estava acontecendo. Não pude deixar de rir. - Rafael, esse é o Maurício, meu namorado. Maw esse é o Rafael, o filho do patrão da minha mãe.

- Oi Rafael - disse o Maw estendendo a mão. Achei muito estranho, já que o Maw é muito vergonhoso, e quando eu estendi minha mão pela primeira vez para ele, ele ficou morrendo de vergonha.

- Oi Maw- disse o Rafael comprimentando-o, ele parecia desapontado, ou talvez triste. Não pude diferenciar ao certo. - Andy... Eu não sabia que você.... Curtia....

- Homens? Pois é, nem eu. - disse rindo. - Eu comecei a sentir uma coisa diferente pelo Maw. E tive a certeza que era amor.

O Maw nessa hora se senta ao meu lado na cama e me abraça, e me beijar na bochecha. Pude ver que o Rafael vira a cara para não ver. Talvez ele não goste muito dessa situação, dois homens se beijando.

- Vamos descer? - pergunto.

- Vamos. - disse o Rafael - eu não vou poder ficar muito tempo aqui mesmo.

- Por quê? - pergunta Maw.

- Por causa do meu pai. Quero que ele chegue e eu já esteja em casa.

- Hum, Mas voce vai almoçar aqui né? - pergunto.

- Opa. Não perco a comida da sua mãe. - ele ri.

Descemos as escadas até a cozinha. O Maw não desgrudava de mim. Até que eu estava curtindo esse ciúmes dele. Já o Rafael, quem não desgrudava dele era Nath.

- Você namora Fael? - pergunta minha irmã.

- Não. - ele disse, só faltava minha irmã sentar no colo dele.

Não estava gostando de ouvir minha irmã dando em cima dele. Sei lá, era nojento ver o quão ela é atirada. Nunca havia visto este lado da minha irmã. Eu só estava preocupado com o Maw, eu estava tão feliz por ele estar ali comigo, eu estava me sentindo bem só de estar tocando em quem me faz bem. Faz muito tempo que não sabia oque era isso. O toque dele me fazia bem, e o que várias garotas não conseguia, ele consegue, que é me deixar excitado.

Minha mãe logo fez o almoço, fomos até a cozinha almocar. O Carlos chegou e foi almoçar na sala, pois não havia espaço na mesa. No almoço foi normal, com toda aquela banalidade ditas na mesa. Terminamos o almoço e fomos nos sentar na sala.

- Eu vou ter que ir - disse o Maw. - Minha mãe me mandou mensagem falando que precisa de mim.

- Quer que eu vou com você lá? - pergunto, pois de certa forma pode ser algo sério.

- Não, melhor não. Voce tem visita - o Maw disse de uma confiante. Pensei que ele pode ter dito isso com ironia, mas não era o caso. - Depois venho aqui, tá?

- Ta bem, você que sabe.

O Maw saiu e foi em direção até sua casa. O Fael estava mais apreensivo. Prestava mais atenção no que eu dizia.
Minha mãe deixou claro para ele que quando quisesse ir, era só avisar que ela levava ele. Subimos para o meu quarto.

- Eu estava pensando em sairmos no meu aniversário. Eu, você e o Maw. Topa?- perguntou o Rafael.

- Claro, pode ser.

- Tanto é que vocês são meus únicos amigos. - Disse o Rafael. - Eu não esperava aquilo do seu namorado. Pensei que ele fosse ficar com ciúmes de mim.

- Pois é, no começo eu percebi que ele ficou, mas depois ele viu que somos apenas amigos. - dito isso, o Rafael abaixa a sua cabeça.

- Posso te contar uma coisa? - pergunta o Rafael.

- Claro, pode sim.

- É que... - ele gageja - eu amo ser seu amigo, e não quero acabar com nossa amizade. Mas desde o dia em que você foi lá na minha casa, eu senti uma coisa diferente. Entende?

Eu fiquei um pouco sem reação, ele simplesmente disse isso na lata. Eu de certa forma entendo ele, eu estava assim em relação ao Maw.
Eu sou um pouco lento, mas estava na cara que o Rafael estava afim de mim.

- Entendo - disse, mas não sabia bem o que dizer. Então abaixei a cabeça.

- Não quero nada de você - ele disse, entendendo em que situação eu me encontrava - somos amigos, e eu sei que está namorando, e jamais eu te pediria para escolher eu ao invés do Maw, tanto é que você o ama. - ele abaixa a cabeça, toma fôlego e olha nos meus olhos - Não quero estragar nossa amizade, e eu só precisava esclarecer o que sinto, por que senão eu enlouqueceria.

Ele deu um sorriso torto no canto da boca, não posso deixar de ver o quão belo ele é, mas eu não sinto nada por ele, além de desejo.

- Eu te entendo, e não podemos ser nada, além de amigos, okay? - pergunto.

- Okay. - dito isso eu dou um abraço nele.

- Você já havia sentido isso antes? - pergunto.

- Só por meninas.

- Hum...

Ficamos pouco tempo conversando, ele falou para a minha mãe que queria ir embora.
Logo que ele foi embora, mandei mensagem para o Maw, para saber onde ele estava e como estava as coisas. Mas ele apenas tinha ido no Supermercado com sua mãe. Fiquei um pouco mais aliviado, pois as coisas para ele estavam ficando boas, mas já Carlos não parava de me encher o saco.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...