História Insensível - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 4
Palavras 1.367
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 7 - VII- Namorado?


Fanfic / Fanfiction Insensível - Capítulo 7 - VII- Namorado?

Acordei com alguém batendo na porta.

- Pode entrar - disse me enrolando na coberta pois havia tirado o shorts e estava apenas de cueca.

- Filho, o seu amigo está aqui.

Dito isso ela termina de abrir a porta e ele entra.
Eu sento na cama, e minha mãe sai. Ele fecha a porta e senta na minha cama.

- Eai, ta melhor? - ele pergunta, ele parece estar bem cansado e com algumas olheiras fundas nos olhos.

- Tô sim, e você? Parece exausto.

- Ah, tô bem. Eu só precisava conversar com você, por isso resolvi vir aqui. Queria um conselho - ele disse calmamente e sempre dava uma parada. Eu o observava, ele estava muito mal.

- tá claro, pode me dizer.

Ele começou a perceber que estava apenas de cueca, e ficou com vergonha.

- Quer por um shorts primeiro? - ele perguntou. - Eu te dou licença.

- Obrigado, não precisa sair é só se virar.

Ele se virou, eu levantei e fui pegar um shorts no meu guarda roupa. Eu peguei e me vesti.

- Pronto, pode me contar o que está te deixando tão mal. - pedi me sentando novamente na cama. Ele se vira.

- É que... - ele para e toma fôlego - meu ex vai ficar um tempo na minha casa. Ele pediu para minha mãe, e minha mãe gosta muito dele, e eu não quero olhar mais na cara dele, o que eu faço?

Ele diz tudo muito rápido, talvez seja para não ter arrependimento.

- Conversa com sua mãe, fala que não é uma boa idéia. - aconselho.

- Minha mãe acha que é só na amizade essa vinda dele. Mas minha mãe não sabe que ele era muito agressivo comigo, possessivo é muito ciumento.

- Já que é assim. - tive uma idéia, que pode ajudar ele - Fica na minha casa.

- Oi? Como assim? - ele pergunta confuso.

- É, fica na minha casa. Quando que ele vai embora? - pergunto.

- Ele pegou apenas uma semana de licença do serviço.

- Tá feito então. Você pode ficar aqui na minha casa essa semana então.

Ele parece olhar para mim com um pouco se confusão.

- Por que você está fazendo isso? - ele pergunta.

- Isso oque?

- Isso, tudo?

- Não sei. Confesso que não sei. Me desculpa pela forma que vou me expressar, mas, você me excita.

Ele arregalou os olhos e abriu a boca, e ficou muito vermelho. Eu fiquei um pouco envergonhado pelo que eu disse, mas já foi.

- Você me disse que não era gay. 

- E não era. Bem.... Eu não sei se sou. - digo um pouco sem jeito.

- Acho que não é uma boa idéia eu ficar aqui - ele disse parecendo estar assustado.

- Calma. Eu não vou fazer nada com você. Nada que não queira - acabei dando um sorriso desajeitado e torto.

Ele ficou quieto. Talvez esteja pensando o que fazer, não o culpo de não querer ficar na minha casa, eu não confiaria em mim. Eu já não sabia  o que dizer a ele, estava meio emcabulado pelas coisas que disse, jamais pensei que diria umas coisas dessa.

- Tá. Okay.

Descemos para a sala e ficamos conversando sobre a escola. Ele me disse as coisas que perdi, nada muito importante.
Meu irmão aparece e chama o Maw para jogar com ele, eu os deixo jogando e vou falar com minha mãe.
Subo até seu quarto e bato na porta.

- Pode entrar.

- Mãe. Preciso conversar com a senhora.

- Pode fala - ela disse mas sem olhar para mim. Ela estava assistindo.

- O Maw pode ficar em casa essa semana. 

- Por que? Aconteceu alguma coisa? - dessa vez ela tira sua atenção da televisão e seus olhos são voltados a mim.

- É que.... Vai ir uma pessoa indesejada na sua casa. E ele não queria ficar lá.

- Tá, pode. Mas ele vai para a escola direitinho né?

- Vai sim.

Eu ri e fechei a porta, antes que eu desse um passo ela me chama. E eu abro a porta.

- Só não se esqueça que seu pai chega amanhã.

- Ele não ia vir final de semana? - pergunto irritado.  

- E amanhã já não é sexta. Ele chega de noite.

Fecho a porta e desço meio avoado.
Chego e vejo o Maw perdendo para o meu irmão.

- Nesse jogo você é muito ruim Maw. - disse meu irmão debochando de sua derrota.

- Se fosse futebol eu ia ganhar.

Maw para de jogar e fica olhando para mim. Eu falo para ele que minha mãe concordou dele ficar.

- Se não fosse pelo seu ex. Eu que ia ficar na sua casa - digo sem nenhuma expressão. 

- Por que? - ele pergunta emcabulado. 

- Porque meu pai chega amanhã. E você sabe que eu não o suporto.

Fomos até a casa dele. Ele disse que avisaria sua mãe, e ela não ligaria. Ele falou e foi pegar suas coisas. Subimos até o seu quarto.
O quarto dele é do mesmo tamanho que o meu, só que ele tem um quarto mais organizado. Ele pega algumas roupas e a mochila para ir para a escola.

- Mãe, já estou indo - o mau disse para a sua mãe Vanessa.

Ela aparece até onde estávamos.

- Filho, seria tão bom se vocês se reconciliasse, eu gosto tanto dele. 

- Mãe, nos já conversamos. E eu te disse que não o quero ver nem pintado de ouro. 

- Antes de ir tem uma coisa para você lá na cozinha.

O Maw sem entender foi até a cozinha. A sua mãe ficou com uma cara de empolgação. Eu ameacei de ir até a cozinha mas a mãe dele me barrou.

- Acho melhor deixa-los sozinhos um pouco.

- Como assim? Ele já chegou? - pergunto e sinto uma dor forte no peito.

- Entenda uma coisa. Eles eram muito felizes juntos, hoje meu filho sofre por uma pessoa que nem o nota. 

- Como assim? - pergunto mas com medo de já saber a resposta.

Ela morde os lábios com receio de falar. Mas ela parece se lembrar de algo que a fez ter coragem de falar.

- Ele gosta muito de você. Mas você gosta de mulher e nem por isso ele força a barra com você.

Fiquei sem reação apesar de imaginar isso. Ele de certa forma não queria ficar longe de mim, mas nem eu queria.

Ele aparece chorando e o garoto aparece do lado dele. Me fujila com os olhos.

- Andy, eu vou ficar aqui.

- Por que você está chorando? - pergunto muito preocupado.

- É que... Eu gosto muito dele. E reatamos o namoro.

Fiquei boqueaberto a mãe dele pulava de alegria. Mas justo agora que estava disposto a me declarar.

- Nossa.... - tentei não gagejar mas foi em vão - is-so é ó-ti-mo.

- Pois é, ele viu que eu ainda o amo - disse o garoto com um sorriso de deboche, como se ele tivesse ganho uma competição, e o Maw era o prêmio.

Estava muito estranho tudo aquilo. Mas simplesmente desejei tudo de bom e saí.
Cheguei em casa e falei para minha mãe que não seria mais necessário ele posar em casa. Ela nem se quer perguntou o que havia acontecido, mas foi melhor assim.

Subi no meu quarto e me sentei na cama, e dei de cara com a cena do namorado do Maw tentando o beijar e ele o empurrando. Ele fala alguma coisa para Maw que ele simplesmente o beija.
Eu estou achando essa história muito mal contada.
Mando mensagem para o Rafa e ele logo responde.

Rafa: Eai, oque conta?

Eu: Nada, só estava me sentindo sozinho. Aí resolvi mandar mensagem.

Rafa: Então eu sou a sua segunda opção. Hahaha.

Eu: Claro que não

Rafa: Vou te mandar uma música


Ele me mandou uma música da Pabllo Vittar. Eu sou um VittarLove e amo muitas músicas dela. Mas a que ele me mandou eu nunca havia escutado. Talvez seja nova. Ela se chama Indestrutível.

Eu me apaixonei por essa música e fiquei escutando ela até cair no choro... Eu já não sabia oque fazer. Eu estava amando o Maw, mas só agora que o perdi sinto a verdadeira falta.

"Como eu perdi uma coisa que nunca tive?"

Eu desci e jantei..
Só comi por que minha mãe me obrigou pois já não tinha comido nada no dia anterior.
Voltei a deitar e caí no sono.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...