História (In)separáveis - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, Vhope
Exibições 54
Palavras 1.562
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Magia, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gente, essa historia é linda!!!!!
serio vocês vão morrer de fofura.
de tristeza, dor, e saudade.
mostra como é a vida ser alguém que amamos!!
não me matem!!!
espero que gostem!!!
por que eu amei escrever!!!!

Capítulo 1 - Meu pequeno milagre


Fanfic / Fanfiction (In)separáveis - Capítulo 1 - Meu pequeno milagre

Por Namjoom

O sorriso dele, tenho certeza que pode acabar com grandes guerras, sua voz pode amansar a pior das feras, seu corpo pode enlouquecer todos os alfas e betas do mundo.

Eu acredito que em algum momento da nossa vida, algum milagre acontece na vida de cada um de nós, algo de que te faça se sentir a pessoa mais importante do mundo, algo que te faça especial.

Jin é o meu pequeno milagre.

Sorrio besta, enquanto finjo que leio, mas na verdade eu o encaro, pela janela do meu quarto, ele sorri enquanto fala ao telefone, sobre alguma coisa boba, mas o seu sorriso me faz aquentar o resto do meu dia insuportável.

Já era onze da noite quando minha mãe, me chama em seu quarto, ela pede que eu me sente, respira fundo, uma, duas vezes, tenho certeza que ela chorou muito, eu já imagino o que seja, sem pensar eu a abraço, a apertado em meus braços, ela desmorona.

 – você não pode ir!!! V-voce não pode me deixar!!!!! Ela me pede entre soluços.

– mãe nós dois sabíamos que este dia chegaria!!! Eu tento a acalmar.

– uma mãe nunca está pronta para deixar o seu filho ir para a guerra!! Ela murmura.

– mãe eu vou servir o meu país, vou lutar por nós!!! Você deveria ficar orgulhosa!!! Digo triste.

– dane-se o país!! Eu quero o meu filho aqui comigo!!! Ela reclama.

– quando eles vem me pegar? Perguntei com medo.

– semana que vem, quando o seu cio acabar!!! Ela diz enquanto se solta de mim.

Não consigo dormir pensando, que daqui uma semana, não estarei mais aqui, não verei mais a minha omma, meus amigos, não verei mais Jin, tudo por causa de uma guerra idiota que eu nem mesmo comecei, entre a coreia do sul e a do norte, como diz a lei todo alfa de 19 anos é chamado ou obrigado a servir a nossa pátria.

Olho para o quarto de Jin, ele como toda vez esqueceu de fechar a janela, dorme tranquilamente abraçando seu travesseiro, eu tento guardar cada pedacinho dele em minha memória, até que sou vencido pelo cansaço.

Por Jin

Namjoom entrou de novo em seu cio, nunca amei e odiei ser vizinho dele como agora, sou acordado pelo seu cheio forte, amadeirado, gostoso, perigoso e selvagem.

Logo me invade a vontade de pular as nossas janelas, entrar em seu quarto e servi-lo, sonho com isso quase todo o dia, mesmo não querendo eu me levando e me visto ainda meio entorpecido pelo seu cheio.

Contra a minha vontade vou para a escola, no caminho penso em namjoom na dor que ele teve esta sentido agora, uma vez eu pergunte o que doía mais no cio, ele riu e disse que a solidão de telo que passar sozinho.

Eu nem entro pelo portão, mas já sinto um pequeno ser me abraçar apertado, acaricio seu cabelo.

– bom dia, Hyung!! Diz Jimin animado.

– bom dia, Jimin!! Respondi desanimado.

– Namjoom Hyung, entrou no cio de novo? Pergunta ele preocupado.

– como sabe? Perguntei o olhando desconfiado.

 – toda vez é assim!! Ele entra no cio, você fica triste!!! Ele joga na minha cara.

– não sei do que você está falando!! Minto, mas todo mundo sabe que eu não sei mentir, principalmente jimin.

– por que você não invade logo o quarto dele? ele te marcaria na hora, ai vocês seriam minha omma e meu appa!!! Ele grita animado, inocente, Jimin é filho da minha mãe só que de um caso fora do casamento, meu pai não aceitou, mamãe morreu no parto, então Jimin, vive com a avó, mas ela o mal trata o faz de escravo, o humilha, sonho com o dia que poderei adota-lo.

- você sabe que não é assim!! Digo triste por desmanchar o seu lindo sorriso.

Dois dias depois

Ao abrir os olhos aquele cheiro me invade mas de modo diferente, meu corpo não reage normalmente, o cheiro dele me faz gemer alto, meu corpo treme, fica difícil respirar, tudo complica quando, ouço um rugido alto vindo da janela de Namjoom, meu corpo logo responde como outro gemido alto, mais rugidos, meu corpo esquenta de uma forma quase assustadora, pigarreio pedindo alivio....

Alivio....

Alivio....

Isso não pode estar acontecendo, isso nunca aconteceu, eu não posso entrar no cio... não com Namjoom, do outro lado da janela, em seu cio.... não sem meu pai em casa, ouço meu despertador soar alto pelo quarto, tento sem sucesso controlar meus instintos, mas minha pouca sanidade vai para o espaço quando ouço um gemido de alivio Jin!! ele me chama.

Jin... ele respira fundo Jin.... Jin

Ele está de aliviando me chamando.

Por Namjoom.

 – MAE!! MAE!! MAE!! MAE!! Grito desesperado com medo desse pequeno momento de lucides acabe.

– Namjoom, está tudo bem? Minha mãe grita, do outro lado da porta.

– ele... ele entrou... cio!! Eu gaguejo tentando não me entregar.

 – eu sei, você esteve chamando ele o dia inteiro, ele responde com gemidos!! Ela diz baixinho.

– mãe dá um jeito de tira-lo... - respiro fundo, sentido a lucides se esvaindo - ....de perto de mim!!! Eu não consigo mais me controlar!!! Respiro fundo, grande erro, seu cheiro me invade sem permissão, fecho os olhos com força tentando fazer uma barreira, inútil assim meus sentidos se apuram, minha boca seca, meu corpo se arrepia.

 – você sabe que não dá!! Nam, o que esta escrito, está escrito não podemos mudar, enquanto se é para acontece, aconteceram!! Minha mãe grita, isso é a última coisa que eu ouço depois de uma grande onda do cheiro dele me atingir em cheio, me viro para a janela dele, que agora está aberta, a minha também, nós olhamos, eu nu, ele coberto, nós devoramos lentamente, estudando o corpo um do outro, sem respirar vejo ele pular para dentro da minha janela, eu não aprendido acho ser uma miragem, uma ilusão, doce ilusão.

Quanto finalmente percebe ser real, fico o mais longe possível dele, nós encaramos, nós torturamos.

 – você... não... devia esta ....aqui!!! digo gaguejando olhando para o chão.

 – não consegui ficar longe!! Ele diz firme, manhoso, gostoso, maravilhoso, cheiroso....

Luto comigo mesmo.

– p-por f-favor Nam... me ajuda!! Ele pede, meu corpo grita que eu o ajude.

– droga, pequeno, você não sabe o quando eu esperei para ouvir isso mmais...

Sou interrompido por seus braços.

– nós não vamos mmais sofrer, você não vai ficar sozinho!!! Dito isso eu coração aperta, minha lucides some, meu corpo age.

Por Jin

Rapidamente tiro minhas roupas, com medo que Namjoon desista, gemo satisfeito por não ter nada cobrindo meu corpo, a única que eu quero sobre mim é Nam.  

Namjoon atingiu o clímax antes que eu sequer chegar à cama, o alfa se arqueando para o alto e gemendo com a cabeça contra o travesseiro fino, e os quadris elevados. Como se ver Jin nu fosse demais para ele.

Melhor. Elogio. De. Todos. Os. Tempos.

O pouco de sanidade que eu tinha desaparece, lançando-se sobre nam, encontrando aquela boca aveludada, ele assumiu o controle.

 Estavamos pele a pele. Nada nós separava. Enquanto se retorciam um contra o outro, eu tive certeza do que queria. E estava desesperado e faminto demais para pedir com educação. Tudo o que consegui fazer foi se afastar daquela boca, rolar para longe dele… esticar o braço para trás e puxar o alfa para cima dele. namjoom ri malicioso, com a minha ansiedade.

–calma pequeno!! Me deixe te tocar!!

As mãos dele passeiam por meu corpo, me torturado, me levando a loucura, gemo quando ele maltrata meu pescoço com beijos e mordidas.

 –nam...!!! eu gemo alto, ele parece gostar, por que faz uma trilha de beijos descendo lentamente pela minha barriga, sussurrando coisas sujas.

– Nam... por favor...!!! eu imploro, meu cheiro ficar mais forte, fazer que ele gemesse alto, necessitado, uma onda de seu cheiro me atinge, forte, amadeirado, selvagem, incontrolavelmente irresistível.

 Nam me posiciona – e, sem nem se dar conta, estava ajoelhado, o rosto no colchão, a respiração saindo com dificuldade pela boca. Tudo aquilo era muito desconhecido, deixar alguém assumir o controle de seu corpo, de seu mundo, por que neste momento só existe ele e eu.

– Ai, cacete! – eu grito ao ser possuído, as sensações de dor e de prazer, de alongamento e de acomodação, misturando-se num coquetel que o deixou tão excitado a ponto de ver estrelas. Em seguida, nam começou a se movimentar.

Me apoie sobre os braços e empurro para trás, querendo mais contado. Ah, caramba, aquilo era insano e maravilhoso, nam era um alfa que estava em seu cio mais ainda sim é carioso. Enquanto o braço dele passava por baixo do seu peito e o abraçava, o ângulo mudou, as penetrações ficaram mais profundas, mais rápidas, a cama começou a balançar ao encontro da parede…

Nunca senti tanto prazer, o clímax não só do seu orgasmo, mas do dele, segurando-o por toda parte, as coxas unidas, as pélvis inclinadas para receber, os braços grandes segurando a ambos…

Seu nó se forma, não deixo de gemer baixinho, me sentindo bem e verdadeiramente possuído pela primeira vez na vida. Aquilo foi… nada menos que um milagre, eu ainda temia que tudo aquilo não passasse de um sonho.

Só acreditei que não era um sonho quando sentir ele me marcar, fundo, seus dentes entrando em minha carne, sua alma se ligando a minha, nós tornando um só.

Eu sou seu...

Ele é meu...


Notas Finais


DIGAM SE GOSTARAM!!!!!!
ME DIGAM IDEIAS!!!!
DEVO CONTINUAR???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...