História Inside my mind - JOSHLER - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Twenty One Pilots
Personagens Josh Dun, Personagens Originais, Tyler Joseph
Tags Banda, Josh Dun, Joshler, Love, Top, Twenty One Pilots, Tyler Joseph
Exibições 54
Palavras 1.883
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi,bom dia,boa tarde,boa noite.

Capítulo 8 - Away from my mind


Aquela coisa que faz sua barriga se corroer por dentro,seu estomago embrulhar e desembrulhar tantas vezes que você não sabe se vai vomitar ou se seu coração vai explodir em mil pedacinhos,essa coisa chamada medo que traz a ansiedade carregada nas costas,pra desabar em cima de nós quando mais precisarmos de força e coragem,e inacreditável como eu ainda fico com medo do Blurryface não voltar mais pra min,ele sumiu desde o dia em que nos pegamos e eu rejeitei ele.

Pois bem,ele e meu amigo imaginário,não conseguiria ver ele com outros olhos nem se eu insistisse, é além do mais eu não sou Gay só pra enfatizar mais ainda EU SOU APENAS TYLER JOSEPH. 

-Talvez se ele não voltar..- Suspirei e olhei pra Josh.- Eu fique melhor.

-Não disse que sentiria a falta dele?- Josh franziu a sobrancelha e eu assenti.- Esse tal de Blurryface fez alguma coisa pra você?

-Não.- Segurei a respiração.- Porque? O que você acha que houve?- Soltei o ar nervoso e entrelacei minhas duas mãos em cima do meu joelho.

-Nada.- Ele riu percebendo meu nervosismo.- Você parece ancioso quando fala dele,e como se estivesse com medo é ancioso pra que ele voltasse.

-É..talvez tenham acontecido algumas coisas meio que enbaraçosas.

-Que tipo de coisas?- Ele se virou interessado na conversa,me senti corar e ele me olhou mais firme ainda atrás de uma resposta.- Fala,Ty.

-Seria estranho se eu dissesse que....- Respirei fundo.- Eu e o Blurry nos pegamos a uns três dias.

-O que?- Ele me encarou serio.- Oh,tyler...sinto muito.

-Eu não sou louco,Okay?- Retruquei e Josh assentiu.- Ele e muito real as vezes, é eu sei que e como se eu estivesse me beijando e me tocando aos seus olhos,mas o que eu me lembro é só o Blurryface me atacando,querendo me pegar de qualquer jeito é eu vacilando e deixando ele ele fazer aquilo.

-Você gostou?

-Não vou dizer que foi ruim.- Olhei para a estante envergonhado.- Mas também não vou dizer que foi bom,porque mesmo que ele não esteja aqui pra que eu possa vê-lo,eu ainda sinto ele na minha cabeça,ele escuta e assiste tudo isso,é não quero ele me enchendo com isso quando reaparecer.

-Bom,pelo menos você teve alguns segundos de diversão.- Ele sorriu de lado,era tão bom,o fato dele não me mandar pro psicologo ou me chamar de louco de uma forma maldosa,ele e bom pra min de certa forma,ele fala comigo como se Blurryface realmente existisse - Eu não transo há meses e não fico com ninguém há meses também.

-Bom,Blurryface adoraria passear pela mente de um cara tão bonito quanto você...- Minha maldita mania de perceber as merdas que falo só depois de ditas,oh meu deus.- Eu quis dizer...

-Eu sei que sou Bonito.- Ele fez uma careta fofa- Sou uma boniteza em pessoa.

Rimos.

-Josh..e o lance da apresentação?

-Ainda não arrumei um lugar mas vou,eu juro!- Ele me olhou serio.

-Não importa o quanto demore,eu só quero cantar.- Disse coçando as pernas.- Nada mais me importa além disso.

-Eu gosto disso em você.

-O que?- Me encostei no sofá e pus minha mão na cabeça para ficar apoiada enquanto observava Josh que estava na mesma posição,mas do lado contrario.

-Sua paixão pela música.- Ele sorriu de lado.- Eu amo a sua paixão pela música.

-É eu amo a sua paixão pelas baterias.

-Obrigado,eu sempre tento melhorar,sabe,sempre indo atrás de modernizar o meu som e trazer coisas novas.- Ele continuou.- Em pensar que tudo isso começou por causa do conservadorismo dos meus pais que não me deixavam escutar músicas que não fossem evangelicas,oh deus.- Ele suspirou frustrado.- Eu fugia de casa é ia até lojas de músicas,um dia minha mãe encontrou um vínil do Green Day por debaixo da minha cama e me fez escutar música evangelica o dia todo,digamos que eu me revoltei e virei um emo.

-Uau.- Ri- É como começou com as baterias?

-Quando fiquei maior de idade fiz três anos de bateria,terminei há pouco tempo,e você? Como começou com isso de cantar?

-Eu não cantava quando era pequeno e nem sonhava em virar cantor,eu jogava basquete na escola e ia a bailes,mas um dia deu uma coisa na minha cabeça tipo "quero cantar" e foi o que eu fiz.

-Nada de revoltas,nem fugas,nem mudanças...- Josh disse.

-Não,nada emocionante.

-Minha irmã Abby sabe fazer ótimos Taco Bell's.- Ele mudou totalmente de assunto.- São deliciosos.

-Vou querer provar um dia,amo Taco Bell.

-Claro que ama,senhor Taco Bell.- Ele brincou.- Alias,você esta bem,cara? Sobre o lance das drogas.

-Hum...acho que estou.

-Eu pesquisei na internet e vi que pessoas depêndentes de drogas acabam sofrendo por falta da substância no organismo.

-Que tipo de drogas?

-Maconha,heroina,LSD,essas coisas.

-Josh,eu nunca usei essas drogas na minha vida.- Proclamei.- Eu só usava remédios pra me dopar,eles já me fizeram botar tudo pra fora no hospítal.

-Mas e se seu corpo pedir?

-Ele já esta, acredite.- Afirmei.- Mas logo passa.

-É muito ruim?- Ele franziu o cenho.

-Demais.- Respondi.- Mas eu tô levando,sabe como é.

-Você esta sendo forte.- Ele entrelaçou suas mãos com a minha,aquilo parecia tão normal pra nós agora.-Permaneça vivo por min e eu permanecerei vivo por você.

-Pode deixar,senhor dramatico.- Separei nossas mãos.- A proposito eu quero muito mesmo conhecer essa sua irmã- Ele me fitou repreensivo.- Sem segundas intenções,só quero os Taco Bell's dela.

-Portanto,um dia eu te levo lá na casa dos meus pais pra você conhecer eles e os meus irmãos.- Ele sorriu ao ver que que eu fiquei sem graça.- Calma,não é como se eu fosse apresentar um namorado pra eles.

-Ah,claro.- Ri nervoso.- Claro que não,somos colegas de quarto.

-Somos mais que colegas de quarto.- Sua voz soou rígida.- Somos amigos.

Nossos olhares se cruzaram por um tempo e por mais que que aquilo parecesse estranho e por falta de expressão melhor Gay; eu gostava daquela sensação de que mesmo não conhecendo Josh por tanto tempo eu estava protegido e salvo com ele,uma onda de paz se encheu dentro do meu peio junto com um formigamento nos pés e uma leve pontada na cabeça que logo passará.

-O que acha de irmos a um parque?- Sugeri.- Só eu e você.

-Claro.

Pelo fato de serem ferias de verão é  as crianças estarem de ferias muitos parques abrem,digo MUITOS mesmo é acabam sobrando várias opções,mas o meu preferido desde os meus dezesseis anos e o Adult Park  não é o tipo de parque que uma criança gostaria de ir,mas e o tipo de parque que eu sempre levei minhas garotas ou meus amigos e o parque mais irado que existe em Columbos,Ohio.

***

Josh estava tão animado quanto eu pra ir nos brinquedos desse parque,segundo ele a existencia desse parque nunca passou pela cabeça dele e que agora passaria a frequentar sempre.

Rodamos todos os tipos de brinquedo,os que voam,saltam,pulam,giram,rodam e fazem pessoas vomitarem e Josh se divertiu em cada um deles.

O último era um brinquedo novo,apenas quatro pessoas eram permitidas por rodada,havia um enorme telão nele que gravava as cadeiras,um rapaz e uma moça se sentaram do outro lado e eu e Josh sentamos juntos,era um tipo de cadeira pra dois,eles passaram um cinto por min e por Josh e nos prenderam a cadeira,Josh sorriu feito um bobo e eu sorri ao vê-lo daquele jeito,um frio passou pela minha barriga como em todos os brinquedos.

Quando as cadeiras começaram a subir o casal do lado estavam se beijando e eu não entendia o porquê,esse não e o tipo de brinquedo romântico,o telão deles exibia o beijo dos dois,enquanto isso o meu telão exibia apenas a minha imagem escarrada e a do Josh pra todos ali no parque verem.

-Sera que eles se conhecem?- Comentei em relação ao casal e Josh deu de ombros.- Que estranho.

Ignorei os dois e o brinquedo começou a rodar e descer e quando ele estava subindo de novo um Flash de luz pairou sob o meu rosto e o de Josh tentei cobrir com as mãos mas aquilo continuava.

Josh estendeu um bilhete acima de vários outros bem organizados e revirou os olhos ao ler o que estava escrito,ele me entregou o papel é eu li tudo,logo um surto tomou conta de min,eu não entraria aqui se soubesse que era um brinquedo de pegação e com regras de pegação.

"Beije a pessoa do seu lado,com vontade."

-Não precisamos disso.- Ele afirmou.- Você não e obrigado a fazer nada.

-Sim.- Minhas mãos começaram a formigar e eu olhei pro Flash ainda apontado pra nos daquela altura gigantesca e o telão atrás que mostrará meu rosto covarde para todas aquelas várias pessoas que estavam nós assistindo.- Isso e doentil,por quanto tempo teremos que ficar aqui?

-Diz aqui...- Ele leu atrás do papel.- Que o brinquedo só desce tanto pra nós tanto pros outros dois na outra cadeira se cumprirmos com o que pedem.

Agora sim eu estava literalmente em pânico,eu podia ver a falta de paciência do casal do lado e todos lá no chão de braços cruzados esperando que o ato fosse feito.

-Eu não gosto de homens.- Suspirei e Josh me fitou com seriedade.- Se eu te beijar,não vai acontecer nada.

-Você não precisa..se não quiser Ty..

-Eu já me sinto um covarde,minha família acha que sou um covarde,não quero parecer covarde pra essas pessoas que eu nem conheço.

-Okay.- Ele assentiu.- Você começa ou...

-Você.

Ele assentiu e aproximou lentamente seu rosto do meu,nossos olhos não paravam de se fitar em nenhum momento,ele tentou se virar pra min o máximo que podia na cadeira e pos uma de suas mãos na minha cintura e a outra na minha perna,eu permaneci estático,ele mordeu os lábios e juntou nossas testas,tentou aproximar sua boca da minha na primeira vez e eu hesitei então na segunda vez eu me entreguei ao beijo.

Ele adentrou a minha boca com a sua lingua e eu fiz o mesmo,sem entender o porque eu estava gostando daquilo,mordi o lábio dele puxei e soltei,ele sorriu entre o beijo e separou nossos rostos,nos olhamos de uma forma estranha depois disso,ele franziu a sobrancelha e se concertou na cadeira.

Felizmente ou infelizmente passamos tanto tempo decidindo se beijavamos ou não que não deu tempo de continuar pois os cinco minutos já haviam passado e o brinquedo desceu.

***

Sabe como fazer Josh Dun calar a boca? Obviamente beije-o,ele ficou calado pelo resto do caminho e eu também,porque...caralho eu gostei do beijo e estou morrendo de vergonha,toda vez que eu sentia ele olhar pra min me sentia corar.

E um absurdo como possa existir brinquedos como esse que obrigam pessoas á se beijarem,não que tenha sido tãããão ruim,mas..de qualquer maneira e errado.

Quando chegamos em casa me joguei no sofá sentado e Josh fez o mesmo se sentando ao meu lado,viramos nossos rostos cuidadosamente um pro outro.

-Me desculpa.- Ele pediu.- Eu fiquei todo animadinho pra ir naquilo e nem vi que era um brinquedo de pegação.

-Não precisa se desculpar pra min,Josh!- Assegurei.- Foi só um beijo.

-Foi.- Afirmou.- Só um beijo.

-Continuamos amigos como antes,certo?

-Sim.

Aquele "Sim" ecoou pela minha cabeça várias vezes,até eu me sentir tonto e um pouco cansado,esfreguei meus olhos e os abri,Josh estava do meu lado com um leque de papel tentando me ventilar.

-O que...aconteceu?

-Você desmaiou do nada.- Ele disse rápido assim que me  viu acordar.- Foram só alguns segundos,você perguntou se eu queria ir no parque e eu disse que sim,e aí você desmaiou.

-Serio? - Franzi o cenho.- Droga..

-Isso e por causa da falta dos remédios?

-Talvez,ou também pode ser o desgraçado do Blurryface pregando peças em min e na minha mente.

-Ele pode?

-Pode,ele esta no meu subconsciênte,ele pode tudo!

-Bom,esse Blurryface e um baita de um filho da puta.- Josh parou de me abanar.- Ainda quer ir ao parque?

-Vamos deixar pra outro dia.



Notas Finais


Então o quê acharam? Hahaha
Esse beijo era pra acontecer daqui a uns 3 caps,mas aí surgiu essa ideia louca e eu gostei.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...