História Inside X-men - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias X-Men
Personagens Anna Marie (Vampira), Dr. Henry "Hank" McCoy (Fera), Erik Lehnsherr (Magneto), James "Logan" Howlett (Wolverine), Katherine "Kitty" Pride (Lince Negra), Kurt Wagner (Noturno), Pietro Maximoff (Mercúrio), Professor Charles Xavier, Raven Darkhölme (Mística), Robert "Bobby" Drake (Homem de Gelo)
Tags Charles, Evan Peters, James Mcavoy, Mercurio, Quicksilver, Xavier, X-men
Exibições 83
Palavras 2.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Escolar, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um cap com 2.000 palavras pra vcs, aproveitem ♡

Capítulo 31 - Energias Afetadas


Fanfic / Fanfiction Inside X-men - Capítulo 31 - Energias Afetadas

Fui pra aula.

- Hoje vamos falar sobre as manchas solares. Elas estão ocorrendo exatamente nesta época e... - eu escutava meio ao fundo, o professor de física explicar a materia. Eu estava meio distraida. - podem e provavelmente irão afetar os tipos de radioatividade na terra, as energias, estática, e muitas outras coisas. Além de ser perigoso também para a pele, correndo risco de causar câncer mais facilmente. As manchas solares surgem como...

O professor continuava explicando, mas eu estava muito dispersa nesse dia. Além de pensar no meu passeio com Peter ontem na montanha, mais uma vez, eu também pensava no que tinha acontecido hoje de manhã.

De tarde saí um pouco no jardim, com Peter. Fiquei um tempo lá fora, até que comecei a sentir minhas mãos formigarem. Achei estranho, mas ignorei. Pensei que ia passar, mas logo quase meu corpo inteiro estava assim.
Eu
- Peter, vamos entrar?

Peter
- Ta, vamos. Mas porque? Ta tudo bem? - ele percebeu que minha expressão mudou.

Eu
- Não é nada demais, só uma sensação estranha. Já vai passar.

Peter
- Nada demais mesmo? Não quer passar na infermaria?

Eu
- Não, não precisa. Só vamos entrar e eu vou deitar um pouco.

Peter
- Ok.

Nós entramos, e eu fiquei no quarto, e Peter ficou me fazendo companhia. Depois de um tempo eu melhorei, então fui com Peter tomar o lanche da tarde.

Depois disso não teve nada demais, a não ser o chuveiro, que quando tomei banho, trocou de temperatura várias vezes. Mas deve ser algum problema no chuveiro.
-----

Eu acordei no dia seguinte, sentindo tudo ao meu redor, de alguma forma, atraído por mim, digamos estaticamente.

Olhei no espelho, e fiquei mais surpresa ainda. Meu cabelo, estava muito rebelde. Parecia também ser alguma coisa estática. Foi difícil fazer ele ficar normal de novo.
A partir daí, eu tinha quase certeza de que tinha alguma coisa acontecendo comigo e com meus poderes.

Resolvi testar meus poderes. Olhei para a lâmpada, e antes que eu terminasse de levantar minha mão em direção à ela, ela piscou, e o resto dos aparelhos eletrônicos do quarto reagiram também, inclusive piscaram os abajures. Me assustei. Mas quis continuar testando, pra entender o que estava acontecendo.
Fechei os olhos, e me concentrei. Logo comecei a escutar barulho das coisas se mechendo, e me assustei quando senti alguma coisa grudar em mim. Abri os olhos assustada, e como um imã, tinha algumas coisas grudadas em mim, praticamente tudo que envolvia energia e energia estática. Fiquei assustada, e isso fez com que tudo se soltasse de mim de repente, sendo lançado. Me assustei mais ainda. Tinha realmente alguma coisa errada. Nunca foi assim antes, nunca aconteceu isso.

Mas eu não quero preocupar ninguém, talvez passe logo. Mas, se eu ver mais algum avanço significativo, eu falo com o professor Xavier.
----

Fui pra aula, nada de novo. Depois fui para o treinamento.
Estava tudo bem, até eu ter que usar meus poderes para completar uma missão maior. Foi então que perdi o controle, de alguma forma, e dei um curto nas máquinas que faziam parte da realidade virtual da sala de treinamento. Isso fez com que parasse o treinamento na mesma hora.
Eu tive uma pequena queda, apoiando minhas mãos no chão, sentindo uma dor na cabeça, uma tontura, e a mesma sensação de formigamento no corpo.

Peter
- O que aconteceu? - Peter veio me segurar, me ajudando a levantar.

Eu
- A..Ai.. minha cabeça..

Vampira
- Ela tá pálida! - Vampira disse se aproximando.

Peter me pegou no colo, e me levou pra emergência.

Ele me colocou deitada numa das camas, e logo queriam colocar aparelhos em mim.

Eu
- Não! - todos os eletrônicos na sala reagiram. Tentei me acalmar. - Não precisa, eu já tô melhorando. Só me deixem descansar.

Então acabaram deixando. Eu fiquei em observação. Peter não saiu de perto de mim.
Charles veio me ver.

Charles
- Paulline! Está melhor? Me falaram o que aconteceu na sala de treinamento, e eu vim te ver.

Eu
- Eu tô...

Peter
- Ela ainda não está muito bem não professor. - Peter me interrompeu, e eu não estava conseguindo falar muito mesmo - e pelo que parece os poderes dela.. estão diferentes.

Charles
- Desde quando tem notado uma mudança Paulline?

Eu
- Desde antes de ontem. - respondi com a voz fraca.

Charles
- E porque não foi me procurar pra dizer o que estava acontecendo?

Eu
- Não quis que ninguém se preocupasse. - disse ainda com a voz fraca.

Peter
- Você não disse nem pra mim..

Eu
- Não era nada demais. Agora que começou a piorar.

Charles
- O que você andou sentindo?

A médica chegou e interrompeu.

- Sinto muito mas vocês vão ter que deixar Paulline descansar.

Charles
- Mas preciso saber o que ela estava sentindo e...

- Eu preciso fazer alguns exames pra saber o que ela tem, Professor. Me desculpe, mas vocês vão ter que me dar licença.

Peter
- Vamos professor, é melhor deixar ela fazer os exames pra saber o que é, logo.

Charles
- ... Ta, tudo bem. - Charles saiu da sala, não muito conformado, e Peter também.

Eu
- Doutora.. que tipos de exame vai fazer?

- Os normais, que médicos fazem.

Eu
- De sangue?

- Não. Por enquanto não vai ser necessário.

Eu
- Ah sim. Não gosto muito de levar picada de agulha.

- Acho que talvez não vamos precisar.

Ela fez aqueles exames normais, de escutar respiração, olhar o ouvido com aquele aparelho diferente, e ver quantos estava minha pressão.

Não deu nada demais, então a médica preferiu me deixar em observação, por algumas horas. E então se necessário fazer exames mais complexos.

Peter voltou e ficou comigo. Charles não pode voltar, mas depois passaria ali pra conversar comigo, segundo o que Peter disse.

Eu fiquei conversando um pouco com Peter, depois me deu um sono, fora de hora, e eu adormeci, calmamente.

~ POV. Peter ~
Ela adormeceu. Um pouco depois comecei a acariciar seus cabelos, olhando ela dormir. Era ainda mais linda dormindo.
Depois parei, e simplesmente fiquei ali do seu lado, esperando que acordasse. Me distraí um pouco. Olhando as coisas ali da sala de emergência, e quando me virei para ela, fiquei assustado. Ela estava tremendo, parece que de frio. Cheguei mais perto e quando coloquei a não em sua testa percebi que estava suando um pouco, e estava quente, com febre. Fui logo chamar a médica, que veio bem rápido. A médica começou os procedimentos, para aplicar um soro nela, mas ela de repente abriu os olhos, e parou de tremer de frio. Então se levantou, e saiu do quarto, não correndo, mas rápido.
Fui atrás dela, sem usar meus poderes.

- Paulline, o que tá acontecendo?

- Minha cabeça Peter! - Ela de repente colocou as mãos na cabeça, e começou a andar mais rápido ainda. - Ta doendo minha cabeça, e todo meu corpo está formigando, como se houvesse uma energia estática grande de mais em volta dele. - ela estava com uma voz e expressão de assustada.

- Fica calma, eu to aqui! - entrei na frente dela, segurando suas mãos.
~~~

Eu
- Não dá Peter! - eu disse quase chorando soltando as mãos dele, fazendo as luzes piscarem no corredor onde estavamos, e algumas faíscas sairem de mim, para os lados. Então saí correndo, logo chegando na sala principal, antes que Peter pensasse em usar seus poderes pra me alcançar. Mas então logo depois ele chegou na sala principal também.

Peter
- Pa, me escuta.. - ele entrou na minha frente, segurando meus braços. Tentei focar nele. - Respira fundo, se acalma.. - mas deu uma pontada na minha cabeça, e meu corpo formigou mais.

Eu
- Ai! - gritei com a dor, quase caindo. Peter me segurou.

Peter
- Eu preciso de ajuda! Alguém chama o professor! - ele disse pra alguns alunos que estavam ali.

Eu
- Aaah! - gritei. Comecei a erradiar pelo corpo todo, involuntariamente.

Mais pessoas chegaram, assistindo tudo o que estava acontecendo comigo.
Peter tentou me ajudar mais uma vez. Mas quando tocou em mim, mesmo que só na mão, ele levou um choque.
Comecei a levitar. E antes que percebesse eu estava muito perto do teto da enorme sala principal, que tinha a grande escada que subia para os quartos. Eu fiquei por um tempo assim, com os olhos fechados por causa da dor de cabeça, então demorei a ver o que estava fazendo.

- Paulline! - escutei a voz do Charles.

Me esforcei pra abrir meus olhos, procurando ele, e logo o vendo. Então também vi o que eu estava fazendo. Faíscas, bem maiores e mais fortes do que o comum, saíam de mim, enquanto eu erradiava inteira. As faíscas não atingiam as pessoas, só estavam ligadas à qualquer coisa ali que conduzisse energia. Mas mesmo assim, os alunos assistiam tudo escondidos, com medo de serem atingidos.

Eu
- Professor, me ajuda!

Charles
- Calma, se concentra em mim.

A dor voltou, então me desconcentrei, fechando os olhos firmemente.

Eu
- Não dá! - eu disse, e depois eu gritava.

Charles
- Dá sim! Abra sua mente, me deixe te ajudar a liberar os poderes! - ele gritava pra que eu pudesse escutar, ja que o som das faíscas não deixariam escutar.

Me esforcei, demorou um pouco, não foi nada fácil.

~ POV. Peter~
O professor fechou os olhos, colocando os dois dedos na cabeça, na fonte, aquele sinal que ele faz quando se concentra. Depois ele fez uma expressão aparentemente de dor, provavelmente por se concentrar em liberar os poderes dela. Ao mesmo tempo Paulline gritou mais alto, inclinando a cabeça para trás, e seus poderes aumentaram, ficando assim por alguns segundos, até que tudo parou de vez, e ela caiu. Rapidamente, fui segurar ela. Peguei ela no colo e a abracei, bem forte. Eu tive tanto medo de perder ela.
~~~

Senti que quase perdi totalmente meus sentidos, e cai. Peter me pegou no colo, e caiu, ficando sentado no chão, me abraçando forte, ainda preocupado.
Olhei para Charles, que estava me olhando, ainda se recuperando também. Olhei pra ele, e eu queria abraça-lo, agradecer. Mais uma vez ele foi um herói pra mim. Mas Peter estava me abraçando, e me abraçando tão forte, que eu podia sentir tudo o que ele sentia por mim, e percebi que parecia que ele teve medo de alguma coisa pior me acontecer. Eu não poderia solta-lo agora. Então, ainda olhando para Charles que também me olhava, eu retribui o abraço de Peter, ainda fraca para abraça-lo forte também. Então fechei os olhos, ficando abraçada com ele por alguns segundos.
Mas quando abri os olhos, e vi que Charles ia sair da sala, me soltei de Peter, me levantando, com a ajuda dele, porque quase caí. Então fui na direção dele.

Eu
- Ch..Professor!

Ele se virou, e veio até mim, diminuindo meu caminho até ele.
Eu o abracei, e ele me abraçou de volta.

~POV. Charles~
Escutei ela me chamar, então me virei para trás e ela estava de pé, mesmo fraca, vindo até mim. Então eu fui até ela. Ela estava me olhando, quando caiu, e Peter a abraçou. Ela me olhava como se quisesse falar comigo, me abraçar, mas não podia soltar de Peter, que a abraçava forte. Fico feliz porque, pelo que parece ele realmente gosta dela, e não apenas irá brincar com ela, como eu pensei que poderia ser, pelo jeito que ele é, e porque ele poderia ser igual o pai dele. Erick era um mulherengo. Eu fui até ela que me abraçou, e eu a abracei de volta. Olhei para Peter, que estava logo atrás dela. Ele olhava ela me abraçando, com um olhar normal, sem desconfiar de nada, sem saber do que um dia já aconteceu. Desviei o olhar, olhando pra baixo. Paulline me soltou, e olhando em meus olhos me agradeceu.
~~~

Eu
- Obrigada professor. - eu disse olhando nos olhos dele. E sorri. "Mais uma vez você foi meu herói, Charles" - Eu pensei, sabendo que ele ainda poderia ler meus pensamentos, já que esteve na minha mente agora pouco.

Charles
- Por nada..- ele sorriu pra mim. "Você sabe, que eu sempre vou estar aqui por você, pra você". - Ele disse na minha mente.

Terminei sorrindo pra ele, e ele pra mim, e assim me retirei da sala.
Fui pro meu quarto, ainda fraca, com Peter me ajudando, fui descansar um pouco, pra me recuperar.


Notas Finais


Um capítulo com conflitos, e visões da parte de Peter e Charles. Gostei, espero q tenham gostado.
Bjoss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...