História Inside X-men - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias X-Men
Personagens Anna Marie (Vampira), Dr. Henry "Hank" McCoy (Fera), Erik Lehnsherr (Magneto), James "Logan" Howlett (Wolverine), Katherine "Kitty" Pride (Lince Negra), Kurt Wagner (Noturno), Pietro Maximoff (Mercúrio), Professor Charles Xavier, Raven Darkhölme (Mística), Robert "Bobby" Drake (Homem de Gelo)
Tags Charles, Evan Peters, James Mcavoy, Mercurio, Quicksilver, Xavier, X-men
Exibições 83
Palavras 1.529
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Escolar, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Cap menor gente, mas pra manter o suspense. Vem mais coisas por ai..

Capítulo 32 - Eu te amo


Fanfic / Fanfiction Inside X-men - Capítulo 32 - Eu te amo

Peter foi para o meu quarto comigo.
Me deitei na minha cama, e Peter se deitou comigo.
Ele me abraçou, ficando com a cabeça acima da minha, colocando uma mão no meu cabelo e fazendo carinho, e a outra mão acima da minha cintura. Ele me abraçou forte, e deu um beijo na minha testa. Olhei nos olhos dele, e vi que ele estava com olhar de preocupado quando fez isso, e me olhou de volta nos olhos quando olhei pra ele. Ele me olhou e sorriu, um sorriso bem leve, com cara de que ainda estava meio preocupado.

Eu
- O que foi Peter?

Ele ficou me olhando por alguns segundos, acariciando meu cabelo, e depois meu rosto com um polegar, sorrindo aquele sorriso leve mais uma vez.

Peter
- Eu te amo..

Fiquei olhando pra ele impressionada. Ele disse com um tom meio triste, mas não podia ser mais sincero aquelas palavras.

Eu
- Mas...porque disse isso triste assim?..

Peter
- Eu não tenho mais como fugir, nem negar pra mim mesmo ou pra qualquer pessoa. Eu te amo! Eu tive tanto medo de te perder hoje, e só assim percebi..que eu já te amo. Não sei quanto tempo leva pra perceber isso, e sei que não são nem meses que estamos juntos, mas eu gosto de estar com você, e toda hora só penso em você e que queria estar sempre perto, e eu gosto de cuidar de você, e gosto de como você cuida de mim. E hoje tive tanto medo de te perder, que tive certeza que não tem como eu sequer me imaginar sem você comigo. Sei que falei muita coisa mas..É simplesmente pra explicar, que eu te amo!

Eu fiquei olhando ainda surpresa pra ele, e então sorri. Era tão lindo, cada palavra que ele disse, e a sinceridade no olhar dele, que se encheu de lágrimas quando falou no medo de me perder. Eu não sabia o que dizer. Só podia dizer, o que eu já sabia sobre mim a respeito dele, mas eu tinha medo de falar pra ele e ele não sentir o mesmo.

Eu
- Eu te amo Peter! - disse olhando nos olhos dele, sorrindo, sem medo. - e não demorei muito pra entender isso. Eu compreendi, desde que percebi que não conseguia mais ficar longe de você, e que cuidar de você era minha prioridade.

Ele olhou pra mim sorrindo, com o sorriso lindo e mais sincero.

Então ele me beijou. Foi um beijo lento, muito intenso e apaixonado.
Quando paramos o beijo, ele ficou me olhando, meio ofegante. Eu também estava.

Eu
- Eu ainda tô me recuperando. Não vamos poder transar essa noite, você sabe. - eu ri, e ele também.

Peter
- É uma pena. Depois de um eu te amo correspondido, era merecido.

Eu
- Sim, mas amanhã já estou melhor. - sorri de lado.

Peter
- Então ta bom. - ele sorriu. - Amanhã eu venho. - ele me deu um selinho - Mas hoje vou dormir com você. Acho que Vampira não vai se importar.

Eu
- É, acho que não. A gente vai dormir mesmo. - eu ri.

Vampira chegou depois, no horário realmente certo de dormir, e então quando perguntamos ela deixou Peter dormir ali comigo, no nosso quarto. Mas antes ela perguntou "Vão dormir mesmo né?" Nós rimos e dissemos que sim, então ela deixou.
----

No dia seguinte, Charles achou melhor que eu não fosse na aula, e ficasse no quarto repousando. Mas eu fui teimosa, e saí do quarto um tempo depois de acordar.
Fui pra cozinha, comer alguma coisa. Quando cheguei na cozinha Peter estava preparando um lanche.
Se virou e viu que eu entrei na cozinha. Veio rapidamente do meu lado.

Peter
- O que tá fazendo? Não era pra você estar no quarto descansando? - ele me segurou, com medo de eu ainda estar fraca.

Eu
- Era, mas eu já estou bem. Vim comer alguma coisa, tava com fome deitada naquele quarto tedioso.

Peter
- O professor me liberou pra fazer um lanche pra você. Mas era pra eu voltar logo pra aula.

Eu
- Então, nem precisa mais. Eu já to bem. Dava pra eu ter ido na aula.

Peter
- Você é teimosa mesmo hein..- ele sorriu de lado.

Eu
- Sou mesmo. - sorri também.

Ele terminou de fazer o lanche, e deixou no balcão pra mim.

Eu
- Obrigada. - dei um selinho nele. - pode voltar pra aula agora. - eu sorri, sendo exigente.

Peter
- Ah não, dá pra eu ficar aqui mais um pouco. - ele sorriu.

Eu
- Você vai perder aula Peter Maximoff..

Peter
- Eu não ligo. To cuidando de você.

Foi então que Charles entrou na cozinha.

Charles
- Você deveria estar descansando. O que faz aqui Paulline? - ele abriu a geladeira, e pegou uma água.

Eu
- Eu já estou bem, professor. Tava no tédio naquele quarto, e com fome, então vim comer alguma coisa. Cheguei aqui, e Peter tava preparando um lanche pra mim.

Peter
- Eu ia fazer e levar pra ela, mas ela chegou aqui antes.

Charles
- Pois é. Eu liberei Peter, pra que te levasse um lanche, bem rápido. - ele olhou para Peter. - Mas você tem certeza que está melhor?

Eu
- Sim professor. Já poderia ter ido na aula. E não aguento mais ficar naquele quarto.

Charles
- Entendo. Mas de qualquer forma é melhor você ficar a tarde repousando também. É melhor ter total certeza que está bem. Mais tarde vou pedir para a doutora ir no seu quarto te examinar.

Suspirei insatisfeita. Não era preciso, mas concordei.

Charles
- E já sei porque você ficou assim, porque aconteceu isso com seus poderes..

Eu
- Porque?

Charles
- Manchas solares. Não sei se você prestou atenção nas aulas de física, o professor já deve ter falado.

Eu
- É..acho que me lembro um pouco de uma aula que ele falou sobre isso. Mas eu não ia imaginar que isso teria a ver com mutantes, que isso afetaria meus poderes.

Charles
- Sim, afetou. Ia mexer com as energias na Terra, e inclusive seus poderes, deixando você sem controle sobre eles, pois eles aumentaram muito em um intervalo pequeno de tempo.

Eu
- Mas então, isso vai acontecer de novo? Vai piorar?

Charles
- Não. Eu já liberei seus poderes. Mas seria bom se você testasse eles todos os dias, pra liberar. Pode usar a sala de treinamento, e levar alguns aparelhos que conduzam energia. Melhor levar metal, e não muitos aparelhos eletrônicos do instituto.

Peter
- É, já basta os que vão ter que concertar. - Peter olhou pra mim sorrindo debochado. Eu ri.

Eu
- Engraçado Peter. Eu deveria usar você pra testar meus poderes.

Peter
- Não não,  obrigada. Pode usar a Tv da sala mesmo.

Charles
- Não, a Tv também não. - Charles riu também. - mas alguns outros aparelhos.

Eu
- Não se preocupe professor, vou levar os que precisam serem consertados, e eu mesma vou consertar, Okay Peter? - me virei para Peter, com um sorriso sarcástico. Ele riu.

Charles
- Tudo bem. Com licença crianças. - ele parou antes de sair, olhando para Peter. - Peter, você já pode ir pra sala.

Peter
- Ah professor, mas eu acho que ela precisa de alguém aqui perto dela e..

Eu
- Peter, vai pra aula mocinho.

Peter
- Af..- ele me deu um selinho, e saiu, ele e Charles.

Era estranho, ver os dois homens que fui/sou apaixonada, um do lado do outro, por mim, pra me ajudar. Só que Peter não sabe.. É, Peter não sabe de quem eu fui, o que eu fiz, antes dele chegar. Isso me faz me sentir um pouco mal. Mas acho que não importa, afinal já passou.
----

Voltei pro meu quarto, e fiquei escutando música.

Escutei Clearest Blue, que mais me fazia pensar no Peter, pensar em nós dois, nos nossos momentos bons, e em como tudo era tão lindo, e me fazia tão bem.
Era estranho, mas as músicas que me faziam pensar no Peter, eram mais por causa do ritmo, que me envolvia. Acho que Peter me envolve, como o ritmo de uma música.
Depois escutei Sweet Dreams, que era a música do Peter, como ele dizia. Me fazia lembrar do dia em que ele chegou e salvou as pessoas da explosão, como ele chegou todo incrível, fazendo "pose de herói".

Escutei também Streets of gold do Needtobreathe, que parecia ser a trilha de toda essa história no instituto, com os X-men, também pelo ritmo.
In my veins do Andrew Belle, que me fazia lembrar dos meus momentos com Peter também, e fazia tudo parecer um filme romântico, além de me lembrar do dia do nosso primeiro beijo, em que dançamos juntos essa música.

Depois ironicamente começou a tocar My sacrifice do Creed na minha playlist, que me fazia indiscutivelmente lembrar do Charles, do que ele significa pra mim, e também, do que tivemos. Foi ai que mudei rapidamente a música.
Será que estou meio confusa? Ou será só paranóia da minha cabeça?


Notas Finais


Entenderam a referência? "Pose de herói" kkkkk
Obgda por ler ♡
Até o próximo
Bjoss

Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...