História Inside X-men - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias X-Men
Personagens Anna Marie (Vampira), Dr. Henry "Hank" McCoy (Fera), Erik Lehnsherr (Magneto), James "Logan" Howlett (Wolverine), Katherine "Kitty" Pride (Lince Negra), Kurt Wagner (Noturno), Pietro Maximoff (Mercúrio), Professor Charles Xavier, Raven Darkhölme (Mística), Robert "Bobby" Drake (Homem de Gelo)
Tags Charles, Evan Peters, James Mcavoy, Mercurio, Quicksilver, Xavier, X-men
Exibições 66
Palavras 1.398
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Escolar, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Preparem o core para as emoções! Os próximos dois caps (incluindo esse), serão beem emotivos!

Capítulo 34 - Fugitiva


Fanfic / Fanfiction Inside X-men - Capítulo 34 - Fugitiva

Era meu último teste com os poderes, as manchas solares acabaram ontem, e hoje só estou fazendo o último teste só para garantir.

Estava tudo como sempre estava sendo esses dias de teste, até que eu quase caí em uma parte do treino, e Charles me segurou, fazendo a gente ficar meio próximos - eu estava rindo pelo fato de quase ter caído - e isso deixou um clima estranho no ar. Ficou alguns segundos nisso, ele olhando pra mim e eu olhando pra ele, então eu me afastei, interrompendo. Ele notou que fiquei meio estranha por isso.

Charles
- Ta tudo bem?

Eu
- Hum..Uhum.

Charles
- Não, não tá não. Te conheço. Não me faça ler sua mente pra saber. Eu to preocupado, quero te ajudar.

Eu
- É.. sobre o Peter.

Charles
- Ele fez alguma coisa?

Eu
- Não. É que, outro dia ele ficou com um pouco de ciúme de mim com você. - eu virei de costas, e dei uns 3 passos.

Charles
- Isso é bobagem. A gente não tem nada..

Eu
- Eu sei. Por isso, eu gostaria de dizer, até pra mim mesma, que não tem motivo pra ele ter ciúme. Mas.. tem..

Charles
- Porque? - ele deu dois passos a frente, se aproximando, mas não tanto, atrás de mim.

Eu
- A gente já teve alguma coisa, não é? Então, isso faz eu me sentir culpada. Culpada por guardar segredo do Peter. Culpada porque ele nem deve imaginar que eu tive um caso com meu professor, e mais ainda que esse professor é você.

Charles
- Olha, é meio complicado você contar pra ele..

Eu
- Eu sei, até porque isso envolve você. Não sei como Peter vai reagir. Não sei se ele vai se magoar, se chatear, ficar com raiva e gritar pra todo mundo o que você fez. Ou se ele vai compreender, que já passou. Eu não sei.. Não sei! É muito complicado tudo isso!

Charles
- Você quer que eu apague isso da sua mente?

Eu
- O que? Não! Não Charles. Isso é uma parte da minha vida. Você não pode tirar de mim.

Charles ficou alguns segundos pensativo.

Charles
- É. Você tem razão. Me desculpa. Só tava tentando te arranjar uma solução.

Eu
- Eu..preciso pensar no que vou fazer. Você, não se importa, se eu tiver que falar pra ele, não é?

Charles
- Se for o melhor a se fazer. Tudo bem. Sei que você gosta dele de verdade.

Me virei pra ele, dei um meio sorriso. Ele colocou a mão no meu cabelo, e me deu um beijo na testa, dei um abraço rápido nele, me despedi e saí da sala.
----

Mais tarde, eu estava com Peter, na sala de laser. Estávamos sentados perto da janela. Peter sentado encostado na parede, perto do vidro da janela, e eu encostada em Peter, entre as pernas dele.

Estavamos quietos, olhando a paisagem de lá de fora, pela janela.
Eu estava meio dispersa, pensando sobre o que eu deveria ou não contar para Peter.
Então comecei a puxar assunto.

Eu
- Peter..

Peter
- Sim?

Eu
- O que você pensa sobre mim? O que acha que eu era, antes de você chegar?

Peter
- Que tipo de pergunta é essa agora? - ele disse rindo.

Eu
- Não sei. - eu não ri. Ainda estava pensativa.

Depois de alguns segundos, ele continuou.

Peter
- Bem.. Você tem carinha de santa, um pouco sabe? - ele riu um pouco. - Mas aquelas "santinhas" marrentas, que é rebelde defensora da causa de ser diferente das outras?! Então, é isso.

Eu
- É isso?

Peter
- É. Maas..Pela minha experiência, que tenho com você, sei que você não é nada santinha. - ele riu, fazendo cosquinha na minha barriga, fazendo eu rir por alguns segundos. - não no particular. E.. Não sei se você já foi assim com algum cara antes de mim. Pensar nisso me faz ficar com ciúmes, admito. Ou se foi o efeito Peter que fez você ficar assim. - ele riu.

Forcei um sorriso.

Eu
- É. Quem sabe..

Peter
- Você.. Não perdeu a virgindade comigo não é? - ele riu. - Quer dizer.. eu não sei perceber isso, sabe..

Eu
- É, não foi com você..

Peter
- Olha que horrível Senhora Carter. Pensei que tinha me casado com uma moça pura. Não posso acreditar que você era stripper. - ele riu, sendo irônico e sarcástico.

Eu só dei um sorrisinho, queria rir, mas a pressão na minha cabeça não deixava.

Eu
- Engraçadinho. Mas e você, com certeza não era virgem né?

Peter
- Não. - ele riu. - deu pra perceber é?

Eu
- Sim. Acho que nenhum virgem pegaria bem assim, ou teria ao menos uma atitude.

Ele riu.

Peter
- Pois é.

Eu
- Seu passado te condena Peter Maximoff? Pegava 5 por dia?

Peter
- Que? 5? Não!

Eu
- Não, é?

Peter
- Não. Era umas 10 por dia.

Eu
- Como é?

Ele riu.

Peter
- Claro que não. Eu..olha não sei se vai ficar brava mas.. eu já transei algumas vezes com meninas na balada, mas foram só 3, e em dias diferentes, e baladas diferentes.

Eu
- Olha que safado! Pevertido! - dei um tapa na perna dele. Ele riu. - Quer dizer que você era um galinha então?

Peter
- Ah.. Não era assim também. Eu era seguro de mim, e pegava garotas. Não dá pra ser um banana e não pegar ninguém também né?

Eu
- É, mas.. continua pensando assim? Se não tivesse eu, estaria pegando garotas por ai?

Peter
- Sua boba! Eu não me imagino mais sem você! Se eu não tivesse você, provavelmente estaria perdido por aí, pegando garotas que não significariam nada pra mim, além de alguém pra beijar, e inconscientemente estaria esperando pra te encontrar, te procurando de alguma forma.

Eu
- Nossa, isso foi bem poético..

Peter
- E sincero. - ele me deu um beijo no ombro. - eu te amo bobinha.

Eu dei um sorriso leve.
Não pude continuar o assunto.
----

Eu acho que eu realmente deveria falar para Peter, mas.. e se ele se revoltar e contar pra todo mundo sobre o professor? Também, se ele fizer isso, ele não era exatamente como eu pensava. O que eu faço? Tá tudo muito confuso. Eu só preciso tirar essa culpa de mim, mas, tenho tanto medo de perder Peter, e, causar problemas ao Charles. Isso é complicado demais!
----

~POV. Vampira~
Acordei no horário normal que acordo todo dia pra ir para a aula. Me levantei, e vi que Paulline não estava em sua cama, que estava desarrumada. "Ela deve ter levantado mais cedo hoje" - pensei. No banheiro ela não estava, então pensei: "Ela deve ter ido pro quarto do Peter ou algo assim, ou então já se arrumou mais cedo hoje, e já está tomando café." Então terminei de me arrumar, e fui pro refeitório.

~POV. Peter~
Era hora do café da manhã. Paulline estava atrasada, e Vampira e nossos outros amigos ainda não tinham chegado no refeitório. Então Vampira chegou. Logo perguntei.

- Cadê a Paulline?

- Não sei. Ela não estava no quarto quando acordei hoje de manhã. Pensei que ela estava com você, ou que tinha acordado mais cedo e veio tomar café. - ela respondeu.

- Não, não vejo ela desde ontem.

- Sério? Que estranho. A última vez que vi ela, foi na hora de dormir. Eu me deitei e ela também.

- Isso tá muito estranho. - comecei a ficar preocupado.

Comecei a procura-la por toda a escola. Foi então que comecei a ficar mais preocupado ainda. Ela não estava em lugar nenhum na escola. E eu sou rápido o bastante pra ter visto ela antes que ela mudasse de lugar.

Achei melhor comunicar o professor Xavier.

~POV. Charles~
Eu estava sentado na cadeira na sala de aula, preparando minha aula, alguns minutos antes da aula começar. Quando Peter entrou na sala, rapidamente como de costume.

- Professor!

- O que aconteceu Peter?

- A Paulline sumiu!

- O que? Como assim? - eu me levantei.

- Ela não está em lugar nenhum aqui na escola. Eu não vejo ela desde ontem a noite. Vampira não a vê desde ontem a noite, quando dormiram. Ela sumiu!


Notas Finais


Vish!
E agora? Onde ela está?

Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...