História Inside X-men - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias X-Men
Personagens Anna Marie (Vampira), Dr. Henry "Hank" McCoy (Fera), Erik Lehnsherr (Magneto), James "Logan" Howlett (Wolverine), Katherine "Kitty" Pride (Lince Negra), Kurt Wagner (Noturno), Pietro Maximoff (Mercúrio), Professor Charles Xavier, Raven Darkhölme (Mística), Robert "Bobby" Drake (Homem de Gelo)
Tags Charles, Evan Peters, James Mcavoy, Mercurio, Quicksilver, Xavier, X-men
Exibições 80
Palavras 2.036
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Escolar, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Pressinto leitores e leitoras na bad..

Capítulo 36 - Magoado e Incompreendida


Fanfic / Fanfiction Inside X-men - Capítulo 36 - Magoado e Incompreendida

~POV. Peter~
Saí para procura-la mais uma vez. Já era de noite, por volta das 8 horas. Se não encontrassemos ela essa noite, amanhã, as autoridades seriam avisadas.

Andei pelas ruas da cidade, por vários lugares, procurando. Ainda não havia nada, nem pistas.
Dei uma pausa, e estava indo até uma loja de conveniência, de um ponto que gasolina. Não tinha mais forças pra ir correndo toda hora. Então eu estava indo devagar.
~~~

Fui até uma loja de conveniência de um posto de gasolina, pra comprar mais coisas pra eu comer, enquanto eu ficava naquela montanha distante, sem me decidir se ia voltar já, ou não.

Comprei algumas coisas, e então estava saindo da loja de conveniência, quando uns caras estavam vindo. Vinham cheios de marra, olhando pra mim, e cochichando uns com os outros. Eram 3 caras.
Pararam na minha frente, me impedindo de seguir.

- Calma ai gatinha!

- Onde vai sozinha?

- É linda demais pra andar à essas horas sem ninguém.

Eu
- Me deixem em paz! - eu disse, tentando sair dali.

Me seguraram no meu braço, me impedindo mais uma vez.

- Resposta errada princesa.

Os outros dois riram. Vieram pra cima de mim, mas antes que chegassem, escutei a voz familiar de alguém.

~POV. Peter~
Estava à uma distância do posto de gasolina, estava com as mãos nos bolsos da minha calça, andando cabisbaixo, quando escutei voz de alguém falando. Involuntariamente olhei pra frente. Vi 3 caras, aparentemente gangsters, em volta de uma garota, que não me era estranha, e logo olhei melhor e vi, era Paulline. Eles já estavam indo pra cima dela, quando tomei uma atitude.

- Deixem ela em paz! - Gritei.
~~~

Me virei para a direção que veio a voz.
Era Peter, que veio rapidamente, e socou a cara dos 3, que antes que percebessem estavam no chão.

Peter
- Paulline! - ele disse num suspiro aliviado, me abraçando bem forte.

Retribui abraçando ele também.

Eu
- Peter! - comecei a chorar.

Quando nos soltamos do longo abraço, Peter enxugou o rosto bem rápido, acho que não queria mostrar que estava chorando. Ele estava com olheiras, e bem abatido. Me senti péssima, quando percebi que fui eu que fiz isso com ele.

Peter
- O que aconteceu? Porque você desapareceu assim? Foi alguma coisa que eu fiz?

Eu
- Não! Peter, você é perfeito. A culpada sou eu. - Peter tinha medo de amar, e de dizer eu te amo, por causa do pai. Ele tinha medo que as pessoas o deixassem como o pai fez. Eu sou muito idiota, eu fiz a mesma coisa que o pai dele, e eu prometi que nunca iria deixar ele assim. Isso fez eu me senti ainda pior, então eu cai em prantos.

Peter
- Não, não chora por favor. - ele segurou meus braços - Me diz meu amor, o que tá acontecendo?

A pergunta dele me fez chorar mais ainda. Peter me abraçou, tentando me acalmar.

Charles e Vampira chegaram, na X-van, descendo bem rápido.

Vampira
- Paulline! - Peter me soltou, pra que ela pudesse me abraçar. Abracei bem forte a minha amiga.

Charles
- Não acredito, até que enfim! - Charles me abraçou - Você está bem? - ele disse me olhando inteira.

Eu
- Sim. - fui interrompida pelos caras que vi que estavam levantando. Dei um leve choque neles, fazendo eles apenas cairem de novo, reclamando de dor.

Charles
- Vem! Vamos embora!

Fomos para a X-van, antes que eles se levantassem.

Peter tirou a jaqueta dele, e me cobriu. Eu estava com roupas não muito quentes, e estava com frio. Ele ficou abraçado comigo o tempo todo.
Fiquei o tempo todo em silêncio. Peter não me fez perguntas.

Quando cheguei, todos estavam me esperando.
Vi rostos surpresos, e escutei perguntas de todos os lados. Não respondi nenhuma. Charles mandou todos irem pro quarto, e me deixarem descansar. Tomei um banho, e vesti a camisa do Pink Floyd do Peter, que ele insistiu pra que eu vestisse. Ficamos só eu e Peter, que dormiu comigo no meu quarto. Vampira dormiu no quarto de da tempestade de novo. Eu queria começar a falar para Peter, mas depois do meu banho eu estava exausta, e Peter insistiu pra que eu descansasse e só falasse no outro dia. Ele dormiu abraçado comigo.

~ POV. Peter~
Acordamos 9:00. Finalmente pude descansar. Sentir ela dormindo em meus braços, foi a melhor sensação. Era muito bom ter ela de volta.
~~~

Peter
- Bom dia minha princesa. É muito bom te ter de volta! - ele abriu um sorriso, e deu um beijo na minha testa.

Eu
- Bom dia Peter. - eu sorri. Mas me lembrei do que eu tinha que falar.

Peter
- Dormiu bem aventureira?

Eu
- Sim. Com você do meu lado.

Peter
- Acho que hoje você pode me explicar o porquê disso tudo não é?

Eu
- Sim.

Ele passou atrás de mim, e colocou a jaqueta dele sobre mim, mais uma vez. Dessa vez sobre a camisa dele, do Pink Floyd que eu estava usando.

Peter
- Você fica linda com ela! Até mais do que eu. - ele ficou olhando para mim com a jaqueta, admirado. - e com a minha camisa do Pink Floyd mais ainda.

Ele me olhava sorrindo. Alguns segundos depois eu falei.

Eu
- Peter..eu preciso te contar uma coisa..

Peter
- O que? - Peter fez uma cara de preocupado.

Eu
- Toma, isso é seu. - tirei a jaqueta e entreguei na mão dele, ele pegou de volta sem entender. - O motivo que me fez fugir, não foi culpa sua. Foi meu remorso.

Peter
- Remorso?

Eu
- Sim. Eu não sabia se devia te falar ou não. Eu não queria te magoar, mas minha consciência não me deixava em paz. Por isso que eu tenho que te contar de uma vez por todas. Tem a ver com meu passado antes de você chegar.

Peter
- O que é? Fala. - ele colocou a jaqueta - Você tá me deixando preocupado, não deve ser tão grave assim. É algum ex? Um relacionamento do passado? Não tem nada demais! Eu não posso querer que você não tenha tido ninguém antes de mim.

Eu
- Não sei se você vai pensar assim, quando souber quem foi o alguém..

Peter
- Me fala então. Você tá me deixando cada vez mais nervoso..

Eu
- Peter. O que eu vou te contar, eu peço que você não conte à ninguém. Mas você precisa saber, porque tenho que ser sincera com você. - respirei fundo - Eu tive um caso, com o professor.. professor Xavier..

Peter ficou me olhando alguns segundos, sem reação, com uma expressão de incredulidade.

Peter
- O que?

Eu
- Peter, isso foi antes, bem antes de você chega..- coloquei as mãos nos braços dele, ele se afastou, e me interrompeu.

Peter
- Isso..Isso não pode ser..

Eu
- Peter, por favor..- eu tentava acalmar ele. Era em vão.

Peter
- Você.. teve um caso.. com o professor Xavier? Com o professor? Ele teve um caso com você? Vocês dois.. vocês transaram.. eu não... - ele parou e olhou pra mim, fechando a expressão - foi ele... ele que foi seu primeiro não é?

Fiquei alguns segundos, sem saber o que falar.

Eu
- Peter..

Peter
- Me fala! - ele me interrompeu, aumentando a voz.

Eu
- Sim. Foi ele.

Ele respirava fundo, sem falar mais nada, com a cara fechada. Claramente chocado.

Eu
- Eu fui apaixonada por ele, quando cheguei aqui, mas depois acabou, foi passageiro, passou. E depois você apareceu..

Peter
- E então ele cedeu, ele passou noite com você? Noites?

Eu
- Foi..mais de uma vez.. mas..

Peter
- O professor, que parecia a pessoa mais prudente e confiante que eu conhecia..

Eu
- Ele sentia alguma coisa também e..

Peter
- Ótimo, você diz que passou. Pra você, mas, e como vou saber se acabou pra ele também?

Eu
- Ele já me disse que passou, e a gente ficou sem se aproximar por meses antes de você chegar. Não tem mais nada!

Peter
- Eu realmente tinha razão em sentir ciúmes de você com ele. Eu sabia! Vocês ainda são próximos! Eu cheguei nos seus testes e vocês estavam lá, rindo, se abraçando. Como vou saber que não tem mais nenhum sentimento entre vocês?

Eu
- Peter, depois de tudo o que a gente viveu até agora, você não acredita que eu te amo? - perguntei revoltada.

Peter
- Eu acredito! - ele gritou - eu acredito sim! - ele foi abaixando o tom de voz. - Mas talvez você ame ele também!

Eu
- O que tem entre mim e Charles é só um carinho muito grande! Eu sei do que eu sinto, e eu amo você Peter!

Peter
- Eu sinto muito Paulline - ele disse quase me interrompendo - Mas isso muda muito entre nós. - ele disse baixo, com um tom chateado, se afastando de mim, quando eu estava segurando nos braços dele.

Eu
- Não Peter.. Não faz isso, por favor.. - tentei me aproximar de novo. As lágrimas vieram.

Peter
- É complicado demais pra assimilar..

Eu
- Peter eu te amo! É você que eu amo.. - eu já estava chorando muito.

Peter
- Me deixa! - ele gritou. - Você entende? Entende como eu tô me sentindo? - ele já estava chorando também - Eu..parece que eu fui feito de bobo! Parece que você escondia algo de mim na minha frente.. como uma mentira..uma traição..

Eu
- Peter, não é nada disso! Eu não te disse porque não tinha importância, porque não tem mais sentimento de paixão nenhum! Porque é de você que eu gosto, é você que eu a..

Peter
- Não adianta você falar isso agora! - ele gritou. - eu não entendo.. Não consigo entender! - ele enxugou o rosto, fechou a cara, muito bravo, e foi em direção à porta pra sair da sala.

Eu
- Peter, onde você vai?

Peter
- Vou fazer o que tiver que fazer! - ele bateu a porta.

Sai atrás dele, mesmo sabendo que não ia alcança-lo.

Eu
- Peter! Peter! - saí gritando ele pelo corredor.

Ele usou os poderes dele, e eu o perdi de vista. Virei para trás, desolada, e voltei pro meu quarto, sentei no chão perto da minha cama, e chorei muito.

~POV. Peter~
Eu nunca poderia imaginar, que ela e o professor Xavier tiveram um caso. Eu poderia entender que ela tivesse um relacionamento antes de mim, que já se apaixonou antes de mim. Mas, o professor Xavier? É muito difícil pra mim assimilar. O professor Xavier é o último professor que eu imaginava tendo um caso com uma aluna. Ele é tão ético e prudente. Posso entender que ela tenha sido apaixonada por ele, mas é muito complicado, lembrar deles próximos, sabendo agora que eles ja..tiveram um romance juntos.

Eu não posso mais ficar aqui agora, não vou poder perdoar a Paulline, não vou poder aguentar tudo quieto sem contar pros nossos amigos o que aconteceu, não vou poder olhar pra cara do professor todos os dias sem ter vontade de socar a cara dele, por ciúmes, raiva.. ta, eu sei que não tá certo talvez, ele não ficou com ela enquanto estávamos namorando, mas, só de ele estar próximo dela, já me deixa muito nervoso.

Entrei no meu quarto, peguei minha mala, e coloquei o máximo de coisas possíveis. Saí dali, andando na velocidade normal, e alguns passos à frente no corredor, eu encontrei com o professor.

- Peter? Onde você vai? - ele disse, vendo a mala que eu estava carregando.

Parei alguns segundos, olhando pra cara dele, ainda sem acreditar. Eu não vou discutir, nem tenho forças pra isso, e talvez eu acabasse dando um soco no professor, e eu não queria fazer isso. Ainda não tinha saído da minha mente tudo de bom que eu já vi ele ser, e fazer. Eu simplesmente vou embora.

- Muito ético! - foi só o que eu disse. Usei os meus poderes, e fui embora bem rápido.
~~~


Notas Finais


Sinto muito quebrar seus coraçõezinhos :'( Mas caalma, q tem muito pela frente ainda.
Bjoss

Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...