História Insônia - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Exibições 17
Palavras 1.473
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo O/// ESPERO QUE GOSTEM <3

Capítulo 3 - III


Fanfic / Fanfiction Insônia - Capítulo 3 - III

Quando eu joguei The sims pela primeira vez, eu pensei em uma garota para ser a minha garota perfeita no jogo, sabe aquela garota que você coloca todas as qualidades que você gosta, bem, nesse momento era isso que eu estava vendo na minha frente quando ela me encarou, seus olhos de um verde mais bonito que eu já vi em minha vida me encarava atentamente.

Ela estava seria e seu olhar parecia que poderia me desmontar em alguns minutos, a mesma estava com os cabelos amarrados mas dava para ver que era de um ruivo diferente, nada que eu já tinha visto na minha escola, mas também parecia o mesmo que eu tinha colocado no jogo, merda, essa hora não é hora para pensar em jogo.

“Também não é hora para você ficar encarando ela como um doido, o que ela vai pensar de você? Que você é um maluco.” – Os meus pensamentos gritaram e tento reprimir um suspiro triste, uma mulher como ela nunca se interessaria por mim.

– Filho... Está tudo bem? – O meu pai me perguntou e acabei por desviar os meus olhos para observa-lo, o mesmo me encarava com um sorriso descontraído e reprimo a vontade de sair correndo.

1°: Eu acabei de pagar o maior mico da minha vida.

2°: Ela pode pensar que eu sou doido por ficar encarando ela daquele jeito.

3°: Ela poderia ser alguma namorada do meu pai.

Eca, com certeza não era, eu saberia se meu pai tivesse namorando alguém, certo? Ele não me esconderia algo tão importante assim, podemos não conversar tanto assim, mas algo que eu tenho certeza é que ele ainda sente falta da minha mãe e mesmo ele não me contanto o que aconteceu com ela... Ele sentia falta dela.

– Estou ótimo. – Sussurrei em um tom baixo, mesmo eu sabendo que tinha demorado muito para falar alguma coisa e encarando o meu pai atentamente, não desviando nenhum momento os meus olhos dele.

Admito que estava com vontade de encara-la mais um pouco, para tentar ver melhor seu rosto e seus olhos que pareciam querer me levar para outra dimensão, com certeza os olhos dela é mais interessante que um jogo de videogame e eu nunca pensei que poderia pensar algo assim, se eu falar isso para o Scott ele nunca iria acreditar.

– Que bom que você chegou rápido. – Ele falou novamente em seu tom calmo e eu concordei brevemente, pois eu sabia que não conseguiria falar, como se agir na frente da garota que parece que venho de outro mundo? Ela era a garota mais linda que eu tinha visto. – Então... Eu queria te apresentar a policial Martin, ela que vai cuidar de te proteger caso essas pessoas tentam fazer algo.

Então ela seria a policial que iria cuidar de mim? Ela iria ficar todos os dias do meu lado? Ela teria que me observar na escola ou nas ruas? Merda, como eu iria conseguir agir normalmente sabendo que qualquer constrangimento que eu passasse ela iria ver e provavelmente iria rir de como eu sou desastrado ou como eu não tenho muitos amigos.

– Oh, entendi. – Falei novamente em um sussurro, eu conseguia sentir ela me encarando, mas eu não tive coragem para encara-la, o Scott estava mentindo, jogar The Sims não me ajudou em nada, acho que vou ter que comprar um livro para me ajudar, será que eu encontro alguns bons?

– Então eu terei que proteger você? – Ouço a voz da garota falar e tento prender o suspiro que queria vir, merda, ela tinha que ter uma voz bonita também? Isso não poderia ser possível, agora eu tenho que olha-la, mas porque ela tinha que falar comigo, eu estava tão bem aqui, tentando me esconder dela, bem, como se isso posse possível.

– Uhurum, sou eu. – Disse em um tom baixo, eu admito que nunca me senti tão constrangido naquele momento, ela me encarava como se estivesse me desvendando e eu me sentia pelado na frende dela, e eu odiava me sentir assim. – Posso subir agora, tenho que fazer uma lição da escola. – Falei encarando meu pai novamente.

Ao ver ele concordando, saio rapidamente pela porta, sem esperar ele falar alguma coisa e sem me despedir da garota, se eu ficasse mais alguns minutos perto dela, eu provavelmente começaria a gaguejar ou quem sabe fazer pior, era melhor não arriscar.

“Esta comprovado, vou ter que comprar um livro.” – Pensei com certo humor ao sair correndo em direção ao meu quarto, entro no mesmo que ainda continuava bagunçado e solto um breve suspiro me jogando na cama, nesse momento eu queria poder voltar no tempo e tentar aprender alguma coisa.

– Eu não queria ficar constrangido na frente de garotas bonitas. – Sussurrei em um tom baixo e acabo por ligar o videogame, precisava me distrair e nesse momento era somente isso que faria eu ficar entretido.

Coloco o jogo que eu tinha pegado do menino e acabo por abrir um sorriso divertido ao me lembrar o que eu tinha feito naquele dia, começo a jogar e passar de tela rapidamente, o bom desse mundo é que se você morrer ou fazer algo de errado pode voltar na parte que você quer concertar e fazer tudo de novo, de um jeito melhor e sem falhas... Até você conseguir chegar a sua perfeição, mas na vida real não é assim, se você cometer um erro, você não pode arrumar ou apagar o que aconteceu.

E eu tenho medo disso, tenho medo de me arriscar, tentar ser algo mais, tenho medo de sair do meu mundo... São tantos medos que eu tenho que eu não poderia colocar em uma lista, isso é normal? Não sei, provavelmente nunca vou saber, mas as  vezes eu queria mudar, queria me arriscar e ser corajoso, mas nunca tenho coragem suficiente para isso.

Ouço um barulho de alguém batendo na porta e meus olhos foram em direção ao meu pai, que me encarava com um semblante sério, continuo jogando ao mesmo tempo em que esperava ele falar alguma coisa. – Você não gostou dela? Se quiser eu posso pedir para colocarem outra no lugar. – O meu pai com seu tom calmo e pacifico disse. 

– Não é isso, ela parece ser legal. – Comentei.

Então era isso que tinham achado? Que eu não tinha gostado dela? Pelo menos não é a verdade, que eu sai correndo daquele local porque eu tinha achado ela linda, mas agora ela deve pensar que eu sou um maluco, que não gosta das pessoas, merda, só faço besteira.

– Ela vai começar amanhã, mas ela disse que não vai se aproximar se você não quiser. – Ele falava e eu somente continuava a prestar atenção no jogo. – Ela também falou que deve ser difícil para você, ter alguém seguindo tudo o que você faz, ela pareceu ser bem compreensiva.

– Pareceu mesmo... Ela deve ter me achado um maluco por ter saído daquele jeito, né? – Perguntei.

– Eu não sei, se achou ela não comentou nada.

– Ela não iria comentar com você. – Falei em um tom cansado.

– Não pensa tanto nisso, ela deve ter gostado de você... Quem não gosta? – Meu pai falava em um tom brincalhão e eu reviro os olhos.

– Obrigado pai, muito gentil. – Falei em um tom sarcástico e acabo por soltar uma risada.

Depois ele ficou me observando jogar e logo foi embora, acabo por jogar mais um pouco e ouço meu celular apitar, solto um suspiro cansado ao lembrar que tinha esquecido de mandar uma mensagem para o Scott e provavelmente ele estaria curioso para saber o que tinha acontecido.

“Você ainda está vivo? O cara deve ser chato e velho, aqueles que não gosta de fazer nada e só sabe falar de armar e missão, né?” – Scott

“Não, na verdade eu estou surpreso, cara.”

“O que aconteceu? Ele é tão ruim assim?” – Scott

“Não é um homem U.U”

“São dois que vão ficar te perseguindo o dia inteiro? Que azar.” – Scott

“Não, não é isso.”

“Não estou entendo, explica logo babaca.” – Scott

“Muito educado você... É uma mulher.”

“COMO ASSIM UMA MULHER? Como ela é? Ela é legal? Bonita?” – Scott

“Muitas perguntas hein... Lembra a garota que eu criei no The sims uma vez? Que você ficou me zoando?”

“Lembro sim, eu falei que você nunca iria achar alguém daquele jeito. :D Não tenta mudar de assunto, mano.” – Scott

“Não estou mudando de assunto, ela é igualzinha a garota do jogo, mas mil vezes mais linda... Ainda não acredito.”

“Não acredito, só vendo com os meus próprios olhos.” – Scott

Acabo por revirar os olhos e soltar uma gargalhada baixa, sabia que o Scott nunca iria acreditar e resolvo não responder mais ele, que ele visse com os seus próprios olhos amanhã então, ele iria ver que eu não estou exagerando, só espero que ele não resolva dar em cima dela, mas quem não iria dar?


Notas Finais


Quem quiser me seguir no twitter é - > poxamicheele


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...