História Instinto de Gato - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Amizade, Baseball, Comedia, Drama, Escolar, Fantasia, Ficçaocientifica, Gato, Instintodegato, Lancaster, Mistério, Neo, Romance, Saya, Slice Of Life
Visualizações 5
Palavras 3.111
Terminada Não
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - Leo Landcaster


Neo estava com muito sono, porém antes de dormir, gastou suas últimas energias para verificar melhor a bolsa que Karine havia-lhe dado. Dentro da bolsa, além dos materiais escolares, tinha também um pijama para o frio da cor azul marinho com várias patinhas de gato com cor branca espalhadas pelo pijama, ele sorriu vendo aquilo que estava em suas mãos. Revirando mais um pouco ele achou uma toalha branca e uma pequena bolsa que parecia com um kit que continha um sabonete, shampoo, condicionador, desodorante, escova de dentes, pasta de dente, fio dental e um pequeno bilhete com o nome dele.

Ele não aguentou de curiosidade e abriu o bilhete que dizia:

Eu disse que te ajudaria só um pouco, mas, não resisti de te dar bem mais do que eu devia. Não consigo evitar vendo que você precisa de minha ajuda, sinto como se fosse sua mãe.

Bem, se cuida. Meu filhinho Neo.

Da sua segunda mamãe, Karine.

–Segunda mamãe? Essa Karine já está passando dos limites –Disse Neo para ele mesmo um pouco revoltado, mas, por dentro estava feliz por ter alguém assim se importando com ele, o que fez com que pensasse onde estaria a mãe dele.

Neo tentou se lembrar sobre a família que tinha, mas, nada vinha a mente dele. Será que tinha mesmo uma família? E se tinha, como eram os pais dele? Era filho único ou tinha irmãos?

Mais perguntas que deixavam a cabeça de Neo confusa. Perguntas que ele queria muito as respostas, porém, ele se lembrou da última que forçou para descobrir alguma coisa e acabou desmaiando e seu instinto lhe dizia para não fazer a mesma coisa de novo para a própria segurança. Para se confortar pensou que com o tempo conseguiria as respostas assim como quando estava querendo saber sobre os alunos chegarem na escola no mesmo horário.

Voltou sua atenção em se arrumar para dormir, então tirou a roupa que estava usando com o colar e tomou um banho rápido, escovou os dentes, colocou o pijama e arrumou suas coisas, guardou o que precisava guardar em um armário destinado a ele. Neo fez tudo muito rápido para se perguntar o que estava fazendo, ele era um gato, como poderia saber como se arrumar para dormir? Mesmo assim o fez e depois deitou para dormir.

A noite foi tranquila, ele não demorou tanto para dormir e a cama era confortável, logo o tempo passou bem rápido.

Neo acabou acordando assustado com um barulho insuportável de um alarme que vinha de um relógio que estava encima de uma das escrivaninhas. Ele não tinha visto aquele relógio antes, o que realmente foi uma surpresa para ele acordar com aquele barulho, mas, já que estava acordado decidiu se arrumar, porém sua atenção foi direcionada para o seu colar que estava brilhando.

O colar tinha o formato de um coração, a pedra parecia ser safira e havia um detalhe de asas feito em algo que parecia ser metal. Depois de um tempo mexendo, acabou apertando um pequeno botão quase que imperceptível na parte de cima do coração que fez com que aparecesse uma tela azul clara holográfica na sua frente, algo que parecia ser muito tecnológico para o país em que estava e até mesmo o mundo, mas, mesmo assim ele não se importava com isso e usava-o para a própria necessidade.

Nessa tela havia os dois conjuntos de roupa que estavam "salvos" no colar: Sua roupa habitual e o uniforme escolar. Do lado direito, 2 botões: Salvar e Deletar.

O botão salvar estava brilhando, como ele não se aguentou de curiosidade, acabou clicando nele. Quando fez isso seu pijama apareceu na tela que estava na sua frente e se tornou selecionável, com isso Neo finalmente tinha entendido como funcionava o colar. Com um total de 75 slots sendo que 3 deles já estavam ocupados.

Depois de saciar a sua curiosidade mexendo em seu colar que sempre esteve contigo, lembrou que tinha que ir para a escola, então resolveu tomar um banho rápido para acordar.

Logo após o banho, ativou o conjunto "uniforme" e sentou-se no sofá pensativo. Viu que ainda faltava 10 minutos para a escola abrir e por ela ser perto, calculou que levaria 5 minutos para chegar, talvez até menos. Então, seu pensamento voltou para o que estava o perturbando: Trabalho de meio-período.

Ele parecia não precisar do trabalho, porém era cauteloso e como Karine havia dito que ele precisava, decidiu fazer. Afinal, tinha muito tempo livre durante o dia.

Como faria para arrumar um trabalho? Ele não sabia e como não achou a resposta para a pergunta, se irritou e olhou novamente para o relógio, faltava 7 minutos para a escola abrir, mas ele acabou ficando impaciente, pegou suas coisas e foi a caminho da escola.

No caminho encontrou uma senhora que estava cuidando de umas flores na frente de uma floricultura, logo deduziu que ela trabalhava lá e até poderia ser a dona do estabelecimento, Neo se aproximou dela e ficou observando-a por alguns segundos, quando ela percebeu que ele estava observando, perguntou:

–Precisa de algo, meu jovem?

Ele ficou encantando com a simpatia dela, sentiu que ela seria a fonte de respostas para a suas perguntas e então respondeu:

–Eu preciso de uma ajuda.

Ela deu uma risada baixa e ficou meio constrangida dizendo:

–Eu já sei do que você precisa...

Neo ficou surpreso, porque não havia dito nada e ela já sabia o que ele queria, então perguntou:

–Como sabe?

–Ah, eu sei, porque você é um garoto jovem e bonito, não vejo outro motivo de você me pedir ajuda.

–Então, me diga, o que eu tenho que fazer?

–Hmm, como que é a garota?

–Como assim garota? –Perguntou com uma cara de quem não entendeu o que ela estava falando.

–Você está apaixonado, certo?

Neo ficou um pouco constrangido quando a senhora disse aquilo e pior ainda quando ela continuou.

–Por isso veio me pedir ajuda. Você quer umas flores para a garota que você ama. Toda garota ama receber presentes, ela vai adora...

Ela acabou se empolgando e deixando Neo ainda mais constrangido, porém ele tentou consertar a situação meio desajeitado:

–Não não. Não foi para isso que eu pedi a sua ajuda.

Ela parou e ficou pensativa e respondeu:

–Bem, você não disse que não ama alguém, então quando precisar de ajuda com isso, venha me pedir. –Disse ela com um sorriso.

Neo ficou bem vermelho quando ela disse sobre ele não ter dito que não ama alguém, porém antes que ele pudesse dizer algo, ela continuou:

–Então, o que precisa?

Retomando a postura Neo perguntou:

–Como faço para arrumar um emprego?

–Você quer trabalhar aqui?

–Bem, não sei. Você precisa de ajuda?

–Hmm... Não

Neo ficou um pouco chateado por ele não ter encontrado o que ele procurava, mas a senhora o consolou dizendo:

–Não se preocupe, meu jovem, esse não é o único trabalho que existe no mundo, existem vários outros.

Ele ficou interessado e perguntou:

–E como faço para trabalhar em um deles?

–Olha... Você pode procurar em um jornal, internet ou até no mural da sua escola que talvez tenha. Determinados tipos de trabalhos requerem que você tenha certas habilidades, então se você não tiver essas habilidades, não vai conseguir trabalhar com eficiência e ninguém quer empregados incompetentes.

–Hm... Entendi.

–Bem, eu tenho aqui comigo o jornal de hoje, eu já o li, se quiser pode ficar com você, vai te ajudar.

Neo pegou o jornal e guardou na bolsa, lembrou que estava um pouco atrasado e disse apressado:

–Obrigado, agora eu preciso ir.

–Sim, eu entendo, mas, não se esqueça que se você precisar de ajuda com a garota, venha me pedir, meu nome é Marie –Marie deu uma piscadinha junto com o sorriso quando disse

–Huh! O meu é Neo, obrigado –Disse Neo virando de costas e dando um leve sorriso.

Depois disso ele foi para a escola normalmente, conheceu mais duas professoras, português e química.

A professora de química, uma mulher alta com cabelos loiros, liso, comprido, sempre séria e analista, dificilmente mostrava o seu lado simpático para os alunos pelo o que parecia, mas, vez ou outra podia se ver um leve sorriso que quebrava a imagem fria dela com o nome de Denise, sua aula era bem mais analítica do que qualquer outra.

E também conheceu a professora de português que era irmã gêmea da professora de química chamada Daniele, porém tinha o cabelo escuro e olhos verdes e sua personalidade era o contrário de Denise, todo momento simpática e raramente ficava fria o que fazia as pessoas desconfiarem se ela era falsa com todo mundo, sua aula era bem mais descontraído do que qualquer outra.

Além disso não havia mais nada de interessante que acontecerá na escola, Neo ficou muito concentrado na ideia de arrumar um trabalho de meio período que não conseguiu se concentrar em outra coisa, nem falar com Saya, ela que por sua vez sorria vendo que ele se esforçava tanto para alcançar o que desejava.

Depois da aula, Neo pegou o jornal e saiu em busca daquilo que estava procurando.

Primeiro viu um anuncio de um mercado local que ficava do outro lado da cidade e que estava oferecendo aquilo que ele queria: algo não muito cansativo e que rendesse um pouco de dinheiro. Porém, quando foi falar com os donos do local, pareciam mesmo estar precisando de pessoal, mas, estranhamente não quiseram contrata-lo.

Depois tentou no jornal, mas, a situação se repetiu e ele continuou com a sua busca.

Já estava começando a escurecer, então Neo decidiu voltar para o seu quarto, dormir e tentar novamente no outro dia.

No outro dia, Neo estava decidido a encontrar um emprego, então se arrumou rapidamente e foi para a escola.

Neo queria que o tempo passasse rápido, porém as aulas não ajudaram muito com isso.

Teve inglês, biologia e educação física naquele dia, portanto acabou conhecendo mais três professores

A professora de inglês sempre simpática e entusiasmada, enturmada com os alunos, uma mulher morena que sempre misturava inglês no meio de suas frases

O professor de biologia com uma voz mais máscula, tinha uma personalidade que todos achavam grosso, mas, no fundo sabiam que ele era gentil

A aula de educação física foi diferente, o professor um cara musculoso que obrigava os alunos a se exercitarem demais, acabou fazendo com que Neo ficasse com várias dores musculares, mas, em cada intervalo de cada exercício ele olhava para Saya que apesar de delicada era esforçada, além de que com roupa de ginastica ficava ainda mais bonita.

Depois da escola, Neo voltou a sua busca pelo emprego que tanto queria.

E depois de várias tentativas, Neo finalmente achou um emprego em uma rádio, porém eles quiseram ver se ele tinha habilidade com isso, acabou se atrapalhando inteiro e viram que ele não tinha jeito para coisa, o que acabou fazendo com que ele cansasse muito e no fim não tendo disposição para continuar pela busca.

Decidiu ir para o dormitório, descansar um pouco e acabou dormindo.

No outro dia Neo já tinha perdido as esperanças e decidiu desistir de procurar, porém foi para a escola normalmente.

O dia foi normal e Neo já estava indo para casa quando no corredor ele avista um garoto bem parecido com ele, porém um pouco mais baixo e mais jovem com um olhar fixo para ele e sorrindo.

Neo estranhou um pouco pela incrível semelhança e pelo olhar fixo, mas, simplesmente ignorou e continuou reto como se fosse uma extrema coincidência aquele garoto estar ali parado na frente dele, foi quando ele passou do lado do garoto que acabou falando:

–Neo Landcaster... Não me reconhece? Que estranho...

Quando disse isso ele assustou e automaticamente se virou e entrou no que seria posição de "combate" e perguntou:

–Como sabe meu nome e como assim não te reconheço?

–Depois de tantos anos juntos, de você cuidando de mim e agora me esqueceu?

–Realmente não lembro quem é você.

O garoto fica um pouco decepcionado, mas, algo que dura milésimos de segundos, como se ele já soubesse que essa seria a reação de Neo, então ele resolve mudar de "tática" falando:

–Você sempre foi ingrato assim, depois de eu te dar aquela ajudinha naquele dia –Disse o garoto rindo –Achei que me reconheceria só de olhar para mim, irmão.

Foi quando Neo lembrou do momento em que pegou a carta na mão e estava escrito o nome Leo Landcaster e o mais estranho ainda foi lembrar de quando era criança e do momento em que passou o natal com ele, só que a cabeça dele ficou confusa com uma série de momentos diferentes e as memórias não foram tão claras.

Com tantas memórias passando pela cabeça de Neo, ele acaba ficando fraco e cambaleando um pouco, quase que caindo no chão, Leo o segura e diz:

–Você está bem? Eu não devia ter exagerado tanto, deve ter sido um choque, mas, não tive outra escolha.

–Leo, Irmão... Eu me lembro de você, mas, como é possível?

–Deixe isso pra lá por enquanto você tem outras coisas mais importantes para pensar agora, uma delas é: Por que não consegue voltar a ser "gato"?

–Eu não sei exatamente o motivo, mas, estava tudo normal, até que...

Houve uma pausa e Leo perguntou:

–Até que?

Neo não havia percebido, só que Saya ainda estava na classe e quando saiu foi indo em direção aos dois, acenou para Neo e foi embora, um simples ato que fez com que ele despencasse e derretesse praticamente e só pode continuar depois que ela foi embora:

–Até que aquele anjo apareceu...

Houve um pequeno silencio entre os dois, até que Leo começa a rir sem controle e diz:

–SÉRIO, IRMÃO!? TODO ESSE PROBLEMA POR CAUSA DE UMA GAROTA? HAHAAHHA

–É sério... –Respondeu Neo encarando ele de uma forma séria.

–É que você nunca foi de se apaixonar por alguém, o que fez você mudar assim?

–Não sei, agora tenho que resolver esse "problema".

–Acha que se parar de gostar dela vai poder voltar a ser como era antes?

–Não sei...

–E você já pensou se existe outra alternativa?

–Não sei...

–E se não existir outra alternativa?

–OLHA LEO, EU NÃO SEI... PARE DE SER INSISTENTE, SE EU SOUBESSE JÁ TERIA RESOLVIDO.

–Tudo bem, tudo bem. Não precisa se irritar também, eu só queria ajudar.

–Ficar perguntando o que eu não sei, não vai me ajudar, se você não percebeu...

Leo ficou sem graça e tentou resolver a situação falando:

–Fiquei sabendo que você estava querendo arrumar um emprego de meio-período.

–Como descobriu? –Perguntou Neo um pouco irritado.

Leo fez um sinal para que se acalmasse.

–Digamos que eu tenha minhas fontes...

Neo olhou desconfiado, mas, fez um sinal para que continuasse

–Como sabia que você não iria conseguir encontrar um lugar bom para trabalhar logo de primeira, então, pensei que precisaria de ajuda, então procurei pra você.

Leo revirando o bolso tirou uma carta e deu pra ele e continuou:

–É um velho amigo da família, pode ter certeza que ele vai ajudá-lo com o que precisar, tenho que ir, talvez a gente se vê mais tarde, se você continuar precisando de ajuda, hahaha.

Leo foi embora tão rápido quanto apareceu, ele se transformou em gato e em dois segundos sumiu, deixando duvidas na mente de Neo.

Será que realmente ele poderia contar com esse amigo? Só vendo para crer.

Se apressou e abriu a carta, lá estava um mapa e algumas instruções atrás que diziam:

Você já pensou em ser um garçom? HAHAHAHA

O amigo da família de que falei se chama Marcos, altura mediana, idade de 44 anos, cabelos castanhos, um pouco acima do peso, porém forte como touro, tem uma cafeteria e está precisando de um garçom, acho que não tem problema se você trabalhar lá, você parece que tem habilidade para isso, vai se impressionar quando começar, ele vai te ajudar caso precise, só que tenho certeza que você não vai precisar hahaha.

Do seu irmãozinho ♥ –Leo Landcaster

Neo ficou abismado lendo a carta, pensou se precisava realmente ter descrevido o Marcos? E a mensagem no final deixava as coisas ainda pior, será que meu irmão é gay? Seja como for ele já estava me irritando.

Decidiu seguir o mapa e acabar logo com a sua ansiedade.

Neo depois de um tempo andando conseguiu chegar ao local descrito na carta de Leo, porém era completamente diferente do que ele tinha imaginado pela descrição do seu dono, a fachada do local era muito sofisticada com o nome de Coffe with Cats e duas portas duplas grandes, por causa disso fez com que ficasse um pouco nervoso de entrar só que não poderia ficar ali parado, esperando por algo cair do céu, então girou a maçaneta e entrou.

A porta fez um barulho de sino e um senhor da forma como Leo havia descrito em sua carta que estava atrás de um balcão, logo focou sua atenção para a fonte do som e não demorou muito para reagir a entrada de Neo, primeiro com uma cara de surpresa e depois dizendo:

–Você deve ser o Neo! Seja bem-vindo! –Disse Marcos todo animado.

–E você deve ser o Marcos –Retrucou mais seriamente.

–Bela observação, seu irmão disse que você viria, então, vou ser direto, vai trabalhar conosco?

Neo pensou em responder direto, porém precisava checar se tinha capacidade de trabalhar no lugar:

–Acha que eu sou qualificado? O que eu tenho que fazer?

–É muito simples, você tem que me ajudar sendo um garçom.

–E o que um garçom faz?

–Ele anota os pedidos das pessoas, entrega para a cozinha e entrega aquilo que a pessoa pediu para ela, não é difícil.

–Realmente, é o que parece. Vou aceitar, quando eu começo?

–Você começa segunda, Segunda, Quarta e Sexta das 15:00 até 19:00, chegue um pouco mais cedo no primeiro dia pra eu te instruir melhor.

–Ok, obrigado, vou indo então. A gente se vê segunda.

–Tudo bem, Força sempre! –Falou com força.

–Tá –Respondeu sem jeito.

Neo voltava para casa e se sentia realizado por ter conseguido o que queria, um emprego de meio-período, agora podia entender melhor como funcionava o mundo dos humanos e estava muito feliz por isso.

Voltando para o dormitório, ele simplesmente entrou em seu quarto, trocou de roupa, escovou os dentes e foi dormir se esquecendo completamente do baile que teria no dia seguinte, será que se daria bem com as outras pessoas? E o ambiente? Eram coisas que ele tinha esquecido de pensar e planejar. Só pensou em descansar que era o que ele mais queria e precisava



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...