História Intended for a Psychopatch - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, One Direction, Zayn Malik
Personagens Zayn Malik
Tags Lennox, Lexy, Psycho, Zayn
Visualizações 3
Palavras 4.299
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opaaaaa, sim, mais um cap, Espero que gostem *-*

Capítulo 2 - Bem-Vindo.


Fanfic / Fanfiction Intended for a Psychopatch - Capítulo 2 - Bem-Vindo.

"O verdadeiro homem quer duas coisas:

Perigo e jogo. Por isso quer a mulher:

O jogo mais perigoso."

 

Lexy P.O.V

 

Estava escuro e frio, as pessoas estavam curiosas atrás as faixas estendidas pela polícia para isolar o local. Sangue. Sangue escorria no chão ao lado de uma maca que continha um plástico preto que ocultava o corpo, uma ambulância estava parada dentro do perímetro das faixas um pouco afastada do corpo e dos carros dos policiais por toda parte, e eu estava nela, sentada com um cobertor sobre meus ombros, desacreditada, aflita e com medo.

- Está pronta? -Uma mulher de cabelos escuros me perguntou.

Levantei meus olhos em sua direção e contra minha vontade assenti para a mesma.

- Ela está pronta, vamos ir agora, preparem o corpo. -pediu para alguém no rádio que murmurou algo depois, mas eu não prestei atenção.

Eu não acreditava que aquele podia ser mesmo meu pai, afinal de contas ele sabia se cuidar e a qualquer momento ia aparecer por ali com mais um filme para assistirmos à noite e perceberiam que tudo foi apenas um mal entendido.

- Podemos? -ela olhou mais uma vez para mim e eu assenti.

Começamos a caminhar devagar em direção ao local, do lado de fora das faixas eu conseguia ver alguns rostos conhecidos, Jane, Liam, Louis, Niall, algumas pessoas da vizinhança, professores, até o Harry estava ali, pareciam tristes, mas não sabiam que era apenas um mal entendido, não ainda, eu ia provar para eles.

- Eles acham que aquele corpo no chão é meu pai? -resmunguei e ela assentiu em silêncio- Você também acha?

- Acho melhor a senhorita se preparar para o pior. -ela disse baixo se calando depois.

Quando chegamos próximo ao corpo um paramédico que estava perto puxou o saco plástico e por um instante o ar faltou. Meu coração começou a acelerar e um nó na minha garganta se formou, era como se eu sentisse o sangue correndo pelas minhas veias, quente e rápido, a sensação era tão intensa que não consegui descrever em palavras, meus olhos sem mandado deixaram lágrimas rolarem pelo meu rosto e quando voltei para mim eu chorava alto como um bebê.

- Você sabe que aquele não pode ser meu pai né? -eu disse alto para a mulher que estava ao meu lado minha visão já estava começando a ficar embaçada- Quero dizer, ele é detetive, e muito esperto, quando minha mãe morreu ele que nos protegeu, sabia? -eu ri desesperada ainda em meio as lágrimas me lembrando. Só podia ser uma piada.

- Senhorita, precisamos que se acalme, você precisa confirmar o corpo.

- Não! - gritei- Eu não vou confirmar nada! Isso não é o meu pai! - eu gritava em meio o meu choro apontando para o corpo sem vida no chão- Mas que merda de brincadeira é essa? -eu olhava desesperada para ela.

- Senhorita, acalme-se por favor. -ela pedia mas meus pensamentos estavam tão altos que eu era incapaz de ouvir sua voz.

Olhei mais uma vez o corpo no chão me lembrando da marca de nascença do meu pai, o pescoço do cadáver estava marcado por ela, e aos poucos minha consciência forçava-me a entender que aquele corpo pertencia ao meu pai.

- Pai? -gritei para ele- Pai levanta! Mostra pra eles que você tá vivo pai! - me ajoelhei ao seu lado o olhando esperando uma reação - Vamos! Não é hora para brincadeira! - chamei de novo chacoalhando.

Quando eu ia puxa-lo para cima senti mãos finas me rodearem e quando me dei conta que era a Jane eu chorei mais ainda.

- Jane, me ajuda aqui! -tentei segurar meu pai no meu colo mas ele estava muito pesado.

- Lexy... - ela me virou para si, seus olhos estavam inchados e eu percebi que ela sofria pela amiga- Lexy você está assustando todo mundo. -ela disse baixo- Ele se foi. -olhou para o corpo sem vida no chão.

- NÃO! -eu gritei- Não, não ,não, não... - meu tom foi abaixando cada vez mais.

O plástico foi removido mais um pouco revelando o ferimento em seu coração, meu corpo vacilou e Jane me segurou mais forte me abraçando contra seu peito. Não podia ser, eu só tinha ele, eu não ia conseguir, eu deixaria de existir sem ele.

- Jane. -eu parei de chorar a olhando, eu estava em choque- Jane -ela me olhava esperando algo- Jane meu pai ele... - olhei mais uma vez para o corpo. - Ele morreu. -a última palavra saiu como um sopro, um suspiro distante.

- Calma Lexy, eu estou aqui. -ela me apertou mais forte- Dá pra alguém cobrir isso aqui? - Ela gritou nervosa para os policiais ao redor me levantando com ela em seguida.

O corpo foi coberto e mesmo contra minha vontade eu segui no abraço de Jane em direção a ambulância de novo, mesmo contra minha vontade, meu corpo não me obedecia, eu queria voltar e ficar com ele até ele acordar, se ele fosse acordar, eu não sabia de mais nada.

- Mas precisamos que ela reconheça o corpo! -Um dos policiais gritou para que ela ouvisse.

- Dane-se! - Ela disse nervosa- Vou te levar pra casa pequena. -ela disse baixinho pra mim e nem assentir eu consegui.

Saímos devagar da área das faixas em direção à minha casa, todas as informações do que acabara de acontecer passaram pela minha cabeça rápido de mais e eu não conseguia nem processar ou ter certeza de que era verdade, me virei uma última vez para o local vendo os rosto familiares com um olhar de pena em minha direção, corri os olhos e encontrei uma pessoa incomum, ele não chorava, não tinha reação, apenas olhava o corpo sem vida no chão escondido em seu capôs preto, mantinha as mãos nos bolsos do moletom e olhava aquilo tudo como uma cena comum, me perdi naquilo quando seus olhos voltaram em minha direção, ele me encarava com o olhar frio que me deu na última vez que o vi, eu só o reconheci por causa da cor âmbar vibrante dos seus olhos, continuava ali, frio sem reação.

- Vamos Lexy, não fique olhando para lá. - Jane me sacudiu e no meio tempo em que olhei para ela e voltei a olhar para trás ele havia sumido.

- E-eu... -ia falar algo mas as palavras faltaram e o sentimento de perda que se fazia presente foi mais intenso quando os pensamentos do corpo vinham em minha mente e eu chorava de novo.

(...)

Sete meses mais tarde

Lexy P.O.V

- Pode pegar essa pra mim? -pedi Harry que estava ao lado da minha caixa de coisas do quarto, era a última.

- Claro. -ele assentiu segurando.

Olhei mais uma vez para a casa vazia me lembrando dos meus pais, agora falecidos andando por ali, meus olhos quiseram se encher de lágrimas, mas eu não me permiti, de novo não. O cheio tão familiar de lar havia ido embora junto com meu pai naquela noite.

- Estamos prontos? -Jhonatan, meu irmão mais velho perguntou quando entrou na casa, virei para ele assentindo. - 

- Essa é a última - Harry disse.

- Ótimo. -Jhonatan concordou- Você vem comigo? -perguntou.

- Vou com o Harry. -dei de ombros- Você pode terminar de fechar a casa para mim por favor? -perguntei e ele assentiu.

 - Claro. -deu de ombros.

Segui Harry até seu carro e entrei no mesmo enquanto ele colocava a caixa no banco de trás. Nesses últimos meses eu frequentei à muitos psicólogos que me ajudaram a lidar com a dor da perda, e sem melhoras constadas meu irmão foi forçado a sair de Seatle onde estudava advocacia e vir morar comigo. Jhonatan havia se mudado dias depois que a mamãe morreu e nunca nos vimos a não ser pelos e-mails que ele deixava para o papai. Eu o vi novamente na noite em que tudo aconteceu, ele ficou durante uma semana e voltou para Seatle para receber o diploma, ele havia se formado, o motivo de sua vinda naquele dia era para dar a grande notícia e tudo que ele encontrou foi mais um corpo sem vida da nossa família; Desde então ele veio morar comigo me ajudando nessa jornada difícil de superar algo insuperável. 

Sua presença foi algo notável e logo ele havia conseguido um emprego na cidade, mas recebera uma oferta irrecusável a pouco tempo em Londres, depois de muitos estudos e sessões meu psicólogo chegou à conclusão que a casa era a responsável pelas minhas incansáveis memórias e choros incessáveis durante as longas noites sem dormir. Fizemos um teste e eu dormi durante um mês na casa dos meninos, Jhon também estava lá comigo, além disso, não era tão solitário quando todos eles saíam para trabalhar porque Els sempre estava presente, o que foi motivo para nossa aproximação repentina. O resultado foi o melhor possível e com pouco tempo minha recuperação foi notavelmente melhorada.

Consegui fazer um acordo com Jhon mesmo contra sua vontade para que ele aceitasse o emprego em Londres, afinal a cidade não era tão longe quanto Seatle e ele poderia me visitar quando quisesse. Ele concordou mas preferiu comprar uma casa perto da dos meninos, que eu viria me mudar somente quando recebesse autorização do meu psicólogo para morar sozinha, estávamos levando as últimas caixas nesse momento, o restante do pessoas já estava lá arrumando as coisas com uma decoradora divertida que Jane arrumou para mim, eu sabia que mesmo depois de tanto tempo depois da tragédia eles ainda se esforçavam muito para me ver bem.

- Está tudo bem? - Harry murmurou enquanto dirigia calmo.

- Pela primeira vez posso dizer que sim. - respirei fundo tentando espantar os maus pensamentos.

- Isso é bom. -ele sorriu e eu concordei com a cabeça. Sim, é muito bom.

Minha nova casa era duas casas ao lado da casa dos meninos, na rua das mansões, Jhon se deu muito bem no emprego novo e já estava para estudando para ser promotor, mas ele queria mesmo era ser juiz, consequência que resultou na compra de uma casa linda e bem grande na rua Rhode Island, ou também conhecida como rua dos casarões, onde os meninos moravam. Eu não tinha entrando na minha casa pronta até hoje, Jane fazia questão de fazer surpresa enquanto tudo não estivesse no lugar, ela disse que tinha trocado os móveis mas que tudo ia continuar a minha cara, tudo que me restava era confiar nela.

- Os Dashwood mandaram lembranças. - Harry comentou- Judy disse que sente sua falta e que planeja uma visita logo.

- Eu também sinto falta dela. -ri me lembrando- Sinto falta de todos, até da Fanny e Ellinor. -completei- Elas ainda estão por lá certo? -olhei para ele esperando uma resposta.

- Sim. -ele assentiu e depois abriu um sorriso divertido- Uma delas a´te me chamou para sair. -se gabou.

- Jura? - Eu ri- Qual?

- Ellinor, mas o Louis não deixou, ele disse que ia confundir com a Els. -ele riu.

- Mas elas nem se parecem, só o nome! -eu disse e ele assentiu rindo.

- Você conhece nosso Louis. -me olhou rápido antes de voltar os olhos para a estrada.

- Tem razão. -eu ri.

- Jane já te disse quando vai poder ver sua nova casa por dentro?

- Ela disse que só quando eu for morar. -reclamei cruzando os braços como uma criança- A casa é minha!

- Nós sabemos que não adianta ir contra a vontade dela. - O Styles riu e eu o segui.

- Tem razão. -concordei- Por outro lado, Jhon se muda amanhã. -falei mais chateada, nós dois nos aproximamos muito nesses últimos meses, ele até me deu um carro para não precisar me levar para a escola por causa do trabalho.

- Verdade, as coisas dele já foram para o apartamento em Londres hoje de manhã. - Harry informou pelo fato de eu estar no psicólogo.

- Acho que ele comentou algo comigo à respeito. 

- Ah olha só, chegamos. -Harry sorriu desligando o carro.

Me levantei depressa para pegar a caixa tendo minha primeira oportunidade de espiar a casa por dentro.

- Nem pense nisso! - Harry foi mais rápido tomando ela da minha mão.

- Hazz! Nem para me ajudar! - resmunguei.

- Não senhora, se eu fizer isso Jane não vai ficar brava só com você, nós dois sabemos disso. -se defendeu.

 -Tá! - suspirei emburrada.

- Vou lá deixar suas coisas, e você mocinha, vá para casa Niall me ligou dizendo que era para eu te trazer o mais rápido possível que tinha uma emergência. -já estava indo para a minha casa e eu assenti seguindo o caminho oposto para a casa dos meninos.

Abri a porta devagar um pouco cansada pelo dia agitado.

- AHHH! NÃO AGUENTO MAIS!! VEM AQUI SEU DEMONIOZINHO PRETO E BRANCO! -Louis gritava descabelado enquanto corria atrás da Atenas.

- LOUIS VAI DEVAGAR! TÁ ASSUSTANDO ELA! -Niall disse com uma tigela de leite na mão- Vem aqui gatinha! Vem aqui no tio Niall. -ele chamou baixinho enquanto Louis parou de correr pois Atenas caminhava devagar em direção ao Niall. - Isso mesmo, isso mesmo - Niall assentia para meu animal de estimação enquanto ela se aproximava.

- VOLTEI! -Liam entrou batendo a porta com força atrás de mim e Atenas se assustou cravando as unhas nos braços de Niall.

- SOCORRO! ELA VAI ME MATAR!! -Niall gritou desesperado e Liam me olhou sem entender nada.

- É CULPA SUA LIAM SEU BURRO! -Louis xingou tentando puxar Atenas.

- NÃO PUXA! AI, AI! TÁ DOENDO MAIS SEU IDIOTA! - Niall disse com os olhos fechados de dor e eu só conseguia rir.

- LEXY FAZ ALGUMA COISA! -Louis me olhou desesperado, eu ri por uma última vez em fim me abaixando.

- Psiu! Vem aqui meu amorzinho, vem aqui na mamãe. - chamei Atenas calmamente e ela soltou Niall caminhando levemente em minha direção, passou suas costas em minhas mãos e ronronava enquanto eu a pegava no colo. - Pronto, isso mesmo. -sorri para ela que me olhava ocm os olhinhos verdes satisfeitos.

- O QUE? -Niall e Louis gritaram juntos indignados- Não é justo! Estou tentando domar essa fera desde cedo! -Louis reclamou-

- É verdade!. Ela não acostumava com a casa de jeito nenhum. -Niall disse como se acrescentasse fatos à uma investigação.

- Claro gente, é tudo novo pra ela, trouxe ela só hoje porque eu sabia que seria difícil para ela. -olhei para minha gatinha que tinha os olhos fechados aproveitando o carinho que eu dava- Não é meu amor? -sorri e ela abriu os olhinhos miando como se concordasse.

- Não tem condições. -Liam disse do meu lado- Essa coisa entende o que você fala de verdade. Me assusta. -ele disse nos encarando.

- Parem com isso seus idiotas. - eu ri deles colocando minha gatinha no chão- 

- Niall, coloca essa tigela na cozinha perto da ração, ela não come e nem toma nada se estiver na mão de alguém, ensinei ela a não roubar nada. -expliquei.

Ele foi até lá deixando no chão e Atenas calmamente o seguiu tomando um pouco do leite.

- Viu? - resmunguei- Nem é tãi difícil assim, vocês que complicam tudo. -eu ri deles.

- Certo, eu vou tomar um banho. - Louis bufou subindo.

- Depois de você sou eu. -Niall disse o seguindo.

- Idiotas. -Liam disse baixo e nós rimos.

Liam e eu conseguimos normalizar nossa relação depois de um tempo morando juntos, ele não trazia muito a Emma para casa depois que eu me mudei porque  me deixava desconfortável, e mesmo na escola ela não mexia comigo, pelo ao menos não verbalmente, mas eu ainda sentia seu olhar pesado de ódio sobre mim pelo fato de eu e Liam nos aproximarmos.

- Como foi hoje cedo? -Liam perguntou interessado depois que se sentou em uma cadeira próxima à bancada que separava a cozinha da sala de jantar.

- Melhor, eu acho. -dei de ombros.- 

- Isso é bom. -ele sorriu- 

- Sim - concordei - Você está no comitê de decoração não está? -perguntei enquanto pegava um pouco de água na geladeira.

-Estou. - ele assentiu concordando.

- E como vão as coisas lá? -perguntei dando um gole em minha bebida me escorando na bancada para o encarar mais de perto.

- Você sabe, Emma está fazendo de tudo para ficar perfeito, tem sido muito trabalhoso, mas estamos quase acabando. -deu de ombros.

- Festas de Halloween sempre são difíceis de organizar -eu disse- Me lembro de quando ajudei à organizar uma, foi um custo.

- Eu também me lembro- Ele riu - Nós namorávamos na época. -disse como quem não quer nada e eu assenti, aquele clima tenso não pesava mais, e isso me tranquilizava.

- Sim, nunca mais me candidatei para ajudar. -eu ri.

- Tem razão, é bem puxado, mas até o próximo sábado conseguiremos terminar com certeza.

- Isso é bom. -repeti sua fala e ele riu.

- Onde está o Styles? -olhou para trás.

- Foi levar as últimas caixas para a Jane, Jhonatan vem logo atrás. -expliquei.

- Ah, ele se muda amanhã? 

- Infelizmente. -resmunguei.

- Bom, fico feliz de saber que a carreira dele está crescendo.

- Eu mais ainda. -ri.

Eu e Jhonatan éramos pessoas completamente diferentes, enquanto eu me isolava e chorava pelo luto, Jhon lidava com isso de uma outra forma, ele estudava, mas estudava muito mesmo, acabou de se formar em direito e já estava indo para promotor, eu percebia a tristeza nos olhos dele, mas ele conseguia esconder com todo o seu estudo bem elaborado. Quem não o conhecesse diria até que era um cara normal. Passamos mais um pouco de tempo jogando conversa fora e Louis e Niall desceram participando da conversa, nos sentamos no sofá e algo sem sentido passava na TV.

- Gente? - Harry abriu a porta do nada me fazendo levar um susto.

- Cruzes Harold. -Louis disse- Parece até que viu um fantasma.

- Quase isso. -respondeu se sentado do meu lado ofegante.

- O que é afinal? -Liam disse impaciente.

- Vamos ter um novo hóspede.

- Acho que já tem gente de mais morando nessa casa. -Niall disse.

- Ele vai ficar no quarto do Jhonatan. -Harry- 

- Pelo ao menos dá pra falar quem é? -Eu perguntei curiosa enquanto Louis e Niall voltaram com o assunto e Liam assistia TV.

- Zayn Malik. - no momento em que Harry pronunciou seu nome todos os meninos ficaram calados, olhei curiosa para eles e pareciam até que estavam com medo.

- Ele te ligou? -Liam disse parecendo preocupado.

- Sim, hoje ainda. -Harry.

- Quando ele vem? - Louis perguntou.

- Essa noite. 

- Ah. -Louis disse e o silêncio reinou mais uma vez.

- Eu também moro aqui, então não acho ruim saber quem é Zayn Malik, certo? - olhei curiosa para eles.

- Um cara que o Harry conheceu na Itália, depois que fomos morar juntos em Londres ele apareceu por lá, ele é bem de boa, você vai ver. -Louis abriu um sorriso e eu tranquilizei.

Todos eles assentiram sorrindo também, suspeito.

No fim acabamos por assistir TV, Els chegou cerca de 17:00h da instituição e Louis saiu com ela para comer algo fora, Liam foi para a casa da Emma. Nesse meio tempo eu tomei um banho, vesti meu pijama

(1)

 e depois eu, Niall e Harry decidimos por assistir um filme de super-heróis que passava na TV.

- Alguém quer mais pipoca? -perguntei enquanto pegava um pouco mais de suco na geladeira.

- Eu aceito! - Niall gritou de volta.

- Tá bom! -respondi já começando a fazer mais, me encostei na pia esperando elas ficarem prontas, quando acabou coloquei tudo em uma bacia e voltei para a sala.

- Eu não sei se ficou muito bom mas eu acho que... -Eu andava olhando para a pipoca e quando voltei meu olhos para cima encontrei uma figura pálida na porta e Harry parado em sua frente. Apesar da palidez de sua pele e o cabelo desajeitado ele não deixava de ser um dos homens mais bonitos que eu já vi, os lábios rubros destacavam-se, o cabelo era preto e estava em um tamanho bom o suficiente para criar um topete, seu corpo não era musculoso, mas era definido, impecável.

- Lexy, esse é o Zayn. -Harry disse o apresentando.

Quando encarei seu rosto e aqueles olhos âmbars me fusilaram meu coração começou a bater forte, eles me eram familiares.

- Malik. -completou. Sua voz soou fria e rouca.

- É um prazer conhecê-lo. -eu sorri deixando a pipoca em cima do sofá enquanto estendia a outra mão.

Ele olhou para a mesma e depois para mim. Eu comecei a pensar que ele não apertaria quando ele o fez.

- Lexy? - ele disse.

- Apelido. -eu ri fraco enquanto ele soltava minha mão- Alexandra Lennox. -expliquei.

Ele apenas assentiu sem dizer mais nada, eu me sentia desconfortável por ele me ver de pijama, mais ainda porque seus olhos não desviavam um momento sequer de mim o que me deixava desconfortável.

- Essa é a última. -Niall passou pela porta trazendo uma mala preta que eu diria ser de Zayn.

- Vou te mostrar o seu quarto. -Harry disse, Zayn continuou me encarando enquanto assentia.

- Certo, vamos lá. -disse e o moreno finalmente o seguiu levando a mala que Niall havia trazido.

Voltei para o sofá me jogando no mesmo pensando naqueles olhos profundos, eu já os vi em algum lugar, eu sabia disso, Niall veio logo atrás se sentando do meu lado.

- Ele é muito reservado, não é? -perguntei me referindo a Zayn.

- Para se dar bem com o Malik é simples, não falei, não pense, não olhe, e ele vai deixar você em paz. -deu de ombros.

- Nossa. -resmunguei.

- Não comecem sem mim! - Harry gritou enqaunto descia as escadas.

Eu ri. Continuamos com o filme. Niall foi o primeiro que respirava profundamente enquanto apoiava sua cabeça na parte alta do sofá, Louis chegou com Els mas não fizeram nada além de nos dar uma boa noite e ir para o quarto, Harry explicou que Zayn havia chegado mas os dois não se preocuparam muito, estavam muito felizes para meu gosto. 

Jhonatan veio se despedir, mas prometeu que voltaria ainda na próxima semana para ter certeza que eu estava bem, não achei necessário, mas também não discordei dele. Quando ele se foi eu e Harry voltamos para o sofá onde Niall ainda dormia, eu dormi em seguida no peito do Harry ouvindo as batidas do seu coração.

Abri os olhos com preguiça notando que a TV ainda estava ligada, o peito de Harry subia e descia calmamente e do seu lado Niall babava no sofá, ri fraco me levantando preguiçosamente me livrando do abraço de Harry, procurei o guia da TV constando a hora: três e vinte e cinco da madrugada, esfreguei meus olhos apoiando minha cabeça de novo no Harry pela preguiça. Ouvi a porta se abrir e Zayn passou por ela já indo em direção a escada. Onde ele estava a essa hora?

- Hazz?... -Chaqualhei ele devagar esperando-o abrir os olhos.

- Hum? 

- Está tarde. -sussurrei- Vai dormir na sua cama. 

- Já vou. -murmurou de volta.

Esse não tem jeito.

- Niall? -cutuquei o loiro e ele nem se moveu.

Respirei fundo negando com a cabeça me levantando, segui a escada até o andar superior, estava vazio, a sala estava escura, procurei o apagador acendendo o mesmo, segui pelo tão conhecido corredor do meu quarto, no fim dele no lado esquerdo ficava o quarto do Jhonatan, o meu do seu lado, o do Louis na frente e no fim do corredor um lavabo comum. A casa era imensa, possuía outros corredores com quartos, uma sala de jogos, sala de estar e outros. Me lembrei que o mais novo hóspede ficava ao lado do meu quarto e por algum motivo um calafrio percorreu meu corpo ,eu teria que me acostumar com isso. Quando toquei a maçaneta para abri-la uma sombra se moveu atrás de mim me fazendo virar para encará-la.

 

Zayn P.O.V

- Ah meu Deus! - ela colocou a mão no coração-  Você me assustou Zayn.

Continuei a encarando estudando aquela garota, ela desviou seus olhos para o chão deixando de me encarar.

- Não pensei que estivesse acordada. -falei ainda bem próximo dela.

- Ah, é porque eu e os meninos estávamos assistindo um filme e... -disse colocando uma mecha de seu cabelo atrás da orelha, eu a deixava desconfortável, vergonhosa, com medo. Eu sabia, e gostava.

- Hum. -resmunguei ainda a encarando esperando uma reação.

- Bom... - ela riu fraco- Eu... Vou dormir agora, boa noite. -assentiu para mim abrindo a porta.

- Até amanhã. - murmurei baixo, ela fechou a porta e eu segui em direção ao meu novo quarto. Entrei no mesmo fechando a porta em seguida tendo o critério de guardar minhas coisas no guarda roupas.

Tomei um banho quente e me deitei respondendo uma mensagem à pouco enviada.

" Feito"

Fechei os olhos pensando em Las Vegas, o lugar onde eu morava, não senti saudades, mas também não estava satisfeito de voltar para mim terra Natal, de qualquer forma eu estava preso aqui. Alexandra veio em minha cabeça e eu pensei em como ela era bonita, uma beleza como a dela deveria ser aproveitada, pensei, diversos modos de persuadi-la vieram em minha mente e eu sorri com o último pensamento, eu teria-a para mim, não demoraria muito, mais um jogo para me divertir.

 

Continua...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...