História Intense - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Cristiano Ronaldo
Personagens Barbara Palvin, Cristiano Ronaldo
Tags Cr7, Cristiano Ronaldo, Drama, Morte, Romance, Sexo
Visualizações 279
Palavras 2.972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite!!!

Capítulo 18 - Unexpected visit


Fanfic / Fanfiction Intense - Capítulo 18 - Unexpected visit

       Pov. Bárbara Palvin

Um mês se passou e tudo está perfeitamente bem, todos os dias eu vou para a minha faculdade junto com a Lívia e agora que ela sabe que tenho uma irmã, sempre me ajuda a encontrar a Clarice sem que o Ronaldo saiba da sua exigência. Estranhamente a minha irmã fala muito do seu novo amigo, o tal de Cris, eu tentei sondá-la para saber quem é esse cara, mas a Clarice sempre fica exausta depois da quimioterapia. Então, eu prefiro não incomodá-la tanto. A minha relação com o Sr. Mistério é de muita cumplicidade, toda vez que o Cristiano tem um ataque de ciúmes  quando me vê conversando com algum amigo da faculdade, eu me distraído ouvindo as piadas dele. Agora estou na frente do portão da faculdade de Madri esperando o Cristiano Ronaldo me buscar, porque simplesmente ele resolveu bancar o meu motorista particular. Todos os dias após o seu treino ele vem direto me pegar para irmos juntos para a nossa casa.  O seu carro para bem na minha frente, ele está usando uma jaqueta preta por cima da sua camisa branca e uma calça jeans azul clara. Também está de óculos escuro, assim que ele saí do carro a maioria das meninas ficam suspirando por sua beleza, me sentir feliz porque naquele instante ele era somente meu. Cristiano abre a porta do carro para mim passar agradeço e me sento no banco do passageiro, em seguida ele entra no seu Porsche e dirige calmamente.

_  Como foi o seu dia hoje na faculdade? _  Indaga calmo.

_ Normal! _  respondo meio evasiva. _ E o seu treino?

_ Foi a mesma coisa de sempre:  agachamento, treinamento com bola, trabalhando a musculatura na academia, entre outras coisas. _ diz sério.

Cris acelera mais rápido aumentando a velocidade do carro,  ele estar muito quieto o que me assustava o seu silêncio e a calmaria que está nesse carro. Minutos depois já estávamos em frente a sua mansão, os portões se abre e ele dirige até a sua garagem.

_ Algum problema? Você está muito pensativo. _ digo preocupada. Será que a Nathália falou que o Arthur quase me  beijou na clínica ontem a tarde?

_ Sim, minha mãe está vindo com o meu filho passar o final de semana em casa e agora ela.... _ diz nervoso passando a mão no cabelo e parando o carro na sua garagem.

_ O quê? _ indago confusa, saindo do carro.

_ Ela acha que você é a minha nova namorada e está querendo te conhecer pessoalmente. _ diz irritado. _ Ela vai pegar no meu pé, e eu não gosto de ser pressionando por ela.

_ E qual é a solução que você encontrou para o seu problema?  _ pergunto intrigada seguindo o para dentro de casa.

_ Você vai ter que fingir que estamos namorando para a minha mãe. _ diz frustado.

Nossa! Por que o Cristiano se recusa a viver um relacionamento sério? Já estamos juntos a dois meses e cada vem mais eu estou gostando dele e isso é péssimo. Porque sei que vou sofrer quando tudo isso acabar e ele me mandar embora da sua vida.

_ Sim. _ respondo séria e subo as escadas, deixando-o sozinho no sofá da sala.

Entro no nosso quatro, jogo a minha mochila na mesa retangular de vidro e resolvo fazer o meu trabalho de literatura. Eu devo estar maluca, porque também estou gostando do Sr. Mistério, infelizmente eu só sei o seu sobrenome Aveiro. Ele é atencioso, divertido, amigo e nas horas triste me faz sorrir, porém eu sou completamente atraída pelo Ronaldo. O seu jeito sério, decisivo, sexy e atraente me fascina como nenhum outro homem já mais me chamou atenção. 

           No dia seguinte

Assim que saio do quatro vou em direção a cozinha, pego um cacho de uvas para me comer, mas ao passar em  frente a sala de vidro da academia fico parada, observando o Cristiano se exercitar e como ele fica extremamente sexy levantando aqueles pesos pesados, fazendo o seu peitoral sarado ficar todo suado. Ele suspira cansado,  em seguida pega a garrafinha d'água e bebe um  pouco antes de jogar no seu rosto, e quando estou prestes a sair, ele me vê encostada na porta. Seus olhos me fitam da cabeça aos pés, praguejo mentalmente por ainda está de camisola.

_ Sexy! Preto é uma das minhas cores preferidas. _ ele diz calmo e caminha em minha direção.

Eu deveria fugir, mas o meu corpo não me obedece está dependente do seu calor, das suas carícias e de todo o seu  magnetismo sexual na cama.

_ Eu estou indo.... _ não consegui concluir o meu raciocínio, pois ele me prensou na parede de vidro. Fazendo o meu corpo todo ficar quente ao sentir o seu membro enrijecido próximo a minha intimidade.

_ Interessante o poder que você tem em me deixar excitado só com esse teu olhar meigo e esse sorriso tímido. _ ele fala baixinho roçando os seus lábios na minha orelha.

_ É... Você está atrasado para o seu treino. _ digo nervosa.

_ Estou de folga. _ responde sorrindo.

_ Você está suado. _falo séria.

_ Eu faço você soar também, quero transar contigo aqui. _ ele revela malicioso, afastando a alça da minha camisola.

_ No corredor? _ indago incrédula. _ Os seus empregados podem ver.

_ A culpa é sua por ter aparecido aqui vestida nesta camisola preta. _ diz excitado e com uma certa agilidade me coloca no seu colo, abraço a sua cintura com as minhas pernas e solto um gemido ao sentir o seu membro tão próximo a intimidade.

_ Você é tão insaciável, só pensa em sexo. _ digo afoita, adorando a sua língua lambendo o meu seio.

_ Eu tenho que aproveitar, nos dias que não jogo. Porque na concentração é proibido transar antes da partida. _ diz frustado.

Sinto a sua mão esquerda acariciando a minha coxa e indo em direção a minha buceta que já está molhadinha, pronta para ser dele. Cristiano afasta a minha calcinha para o lado e toca em minha bucetinha.

_ Awnn...

_ Molhada! Sempre disponível pra mim. Mon Petit! _ diz maravilhado e me penetra com os seus dedos grandes.

_ Talvez porque eu adoro te dá. _   digo excitada, sem me sentir tímida, eu já estava louca de tesão.

_ Eu também adoro enfiar o meu  pau na sua bucetinha apertada, nesse momento estou tão duro que chega a doer o fato de não está dentro de ti. _ diz lascivo e continua me masturbando com os seus dedos.

_ Me fode! _ peço agoniada mordiscando os seus lábios e rebolando por cima do seu pau fazendo um atrito gostoso. Pena que ele ainda está de short fino.

_ Vou te comer! _ diz excitado retirando o seu pênis pra fora e encostando a cabeça na minha entrada.

_ PAPAI! _ uma voz de criança ecoa pela casa.

_ Droga! _ Cris resmunga irritado, me coloca no chão e se veste de volta._ Meu filho chegou na hora errada.

_ E agora? _ indago confusa. _ Estou só de camisola.

_ Ele não pode me ver estou duro. _ diz frustado.

_ Papai! _ a voz do garoto está cada vez mais perto.

_ Distraía ele, vou tomar um banho. _ diz sério e corre para o nosso quarto.

    Pov. Cristiano Ronaldo

Tomo um banho frio para diminuir a minha ereção, e em seguida visto uma cueca box azul, uma calça jeans rasgada no joelho e uma regata preta. Vou  para a sala onde encontro a minha mãe conversando animadamente com a Bárbara.

_ Bom dia! Mãe. _ digo sério abraçando-a. _ A senhora não ia chegar somente no final de semana?

_ Sim! Mas, resolvi vim um dia antes, o Júnior está morrendo de saudades de você. _ diz calma.

_ Cadê ele? _ indago calmo e me sento ao lado da Bárbara.

_ Está brincando no jardim com o John, você demorou no banho e ele desistiu de esperar. _ mamãe fala tranqüila e volta a beber o seu chá.

Aceito uma dose de whisky que a Lúcia me entrega, encaro a minha mãe com uma cara de felicidade ao me ver com o braço apoiado nos ombros da Bárbara. Que por sinal está toda tímida por estar ainda de camisola.

_ A senhora vai ficar por muito tempo? _ indago intrigado.

_ Apenas dois dias, por causa da escola do Júnior. Vim só fazer os primeiros preparativos para o casamento. _ diz animado.

Bebo mais uma dose da minha bebida e digo:

_ Casamento de quem?

_ O seu. _ responde direta me fazendo engasgar com o whisky. _ Você está bem, filho?

Bárbara dá um tapinha nas minhas costas até eu parar de tossir.

_ Eu não vou me casar. _ digo indignado.

Ela me olha com um olhar assassino e diz:

_  A dois meses vejo as notícias que sai de vocês dois no jornal, temos que adiantar o casório. Vocês já estão morando juntos,  daqui a pouco a Bárbara sai grávida, não quero ninguém falando mau da minha nora.

Bárbara me fita assustada, a minha mãe só pode estar louca se acha que vou casar.

_ Ela não está grávida, a gente se cuida. _ digo estressado. _ Pode retirar essa ideia absurda da sua cabeça.

_ Filho! Você precisa casar, formar uma família sólida e além do mais o Júnior  está ficando cada vez mais rapazinho, já está na hora de você me dá mais um netinho. _ diz empolgada.

_ Vá pedir para o Hugo ou para as minhas irmãs te dá mais netinhos. Por que eu não pretendo ter outro filho  tão cedo. _ digo sério.

_ Eu vou te dá um tempinho para pensar, mas já estou avisando final do ano vocês vão casar. _ ela fala séria.

_ Papai! _ meu filho corre para o meu colo e me abraça.

_  Oi! Meu amor. _ digo calmo.

Júnior encara  a Bárbara ao meu lado e diz:

_  Ela é linda. _ diz galanteador. _ Quer namorar comigo? Bárbara! 

_ Que conversa é essa rapaz? _ finjo está bravo.  _ Está querendo roubar a minha mulher.

_ Azar o seu se ela preferir a mim. _ ele dá de ombros fazendo a minha mãe rir.

_ Se você fosse uns 20 anos mais velho, com certeza._ Bárbara pisca para o meu filho e ele sorrir radiante ajeitando a sua camisa azul marinho.

_ Então, tu me espera crescer que a gente se casa.   _ ele diz pensativo.

_ Espero sim. _ ela responde rindo.

_ Daqui que tu cresça. Ela já estará grávida esperando um filho do seu pai. _ minha mãe fala animada.

_ Oh! Eu vou ter um irmãozinho? Que legal! _ ele fala alegre.

_ A sua avô está brincando. _ digo ríspido.

_ É que eles ainda estão praticando, Júnior! _ minha mãe responde maliciosa e a Bárbara fica ruborizada.

_ Ah sim, fábrica logo. Papai! Estou ansioso para conhecê-lo. _ Júnior fala animado e sai correndo da sala.

_ Viu o que a senhora fez? _ digo sério. _ Meu filho agora acha que vai ter um irmãozinho pela casa.

_ Mas, em breve terá um bebê nessa casa. _ mamãe afirma antes de me deixar sozinho na sala com a Bárbara.

_ O que ela lhe perguntou? _ indago intrigado.

_ Onde nos conhecemos. Se estou apaixonada por você e outras coisas. _   Bárbara fala calma.

_ E você disse o quê? _ pergunto curioso.

_ Que nos conhecemos no jantar de caridade. _ responde calma.

_ Meu Deus! E ela acreditou? _ digo rindo.

_ Sim!

_ E você disse que está apaixonada por mim? _ pergunto interessado pela sua resposta.

_ Sim, falei que te amo cada vez mais. _ diz tímida.

Por um instante eu queria que isso fosse verdade. Estou me afeiçoando a essa garota mais do que o normal, eu não devia desejá-la tanto assim.

_ Ótimo!

_ Mas, agora ela só fala que vamos nos casar. _ Bárbara diz baixinho.

_ Relaxa! Daqui a pouco minha mãe esquece essa história. _ falo mais calmo. _ Vá trocar de roupa, eu vou conversar com ela.

         Pov. Bárbara Palvin

Depois do jantar, Dona Dolores foi levar o Júnior na casa do Marcelo para visitar o Enzo. Cristiano está bem estressado, a sua mãe insiste em nos casar em breve e ele está odiando a teimosia da mãe.

_ Eu preciso me acalmar. _ Ronaldo fala irritado. Invadindo o nosso quarto e ficando na frente da TV onde estou assistindo um filme romântico.

_ Dá licença! Tu não está vendo que estou assistindo? _ resmungo chateada. _ Pare de ficar andando de um lado para o outro.

_ Eu não quero me casar, Bárbara! _ diz frustado. _ A minha mãe é louca, meu segurança acaba de mandar uma foto dela olhando os vestidos de noiva.

_ Quê! _ digo incrédula. _ Eu também não quero me casar contigo.

PS: Acho que quero sim, mas como você não me quer. Então, vou fingir que não te quero.

_ Eu estou precisando foder. _ diz sério, me fitando maliciosamente.

_ Ah! Não. Daqui a pouco a sua mãe chega e nos flagra. _ digo amedrontada.

_ Eles vão demorar. _ ele fala irredutível e se senta no sofá, desce a sua calça moletom cinza e se masturba em minha frente deixando o seu membro bem duro. _ Porra! Isso é bom, mas eu prefiro quando você está em cima dele.

_ Não vou transar contigo. _ digo séria e me cubro com a minha coberta quentinha. Mas, os meus olhos não estão focados no filme e sim naquele pau grande e convidativo na minha frente.

_ Eu sei que você está molhadinha só de me vê assim brincando com o meu membro. _ diz excitado fazendo movimento de vai e vem no seu pau. _ Então, deixe de drama e transa comigo.

_ Só um pouco! Não quero que a sua família me veja pelada. _ digo séria.

_ Retira só a  calcinha, e fique de vestido mesmo. _ ele da de ombros. _ Se senta de costas pra mim.

Faço o que ele me pede e desço devagarinho no seu pau, Cris me abraça por trás, afasta o meu cabelo de lado e sussurra no meu ouvido.

_ Eu disse que a sua buceta já está molhada.

Essa voz rouca me excita tanto, eu adoro ouvir as palavras sujas que o Ronaldo fala na hora da transa.

_ Como tu sabia? _ indago ofegante, sentindo o calor percorrer em meu corpo quando o seu membro se movimenta rápido e forte na minha intimidade.

_ Seu olhar te denúncia quando está excitada e as suas bochechas rosadas demonstrando a sua timidez só confirma o que suponho sobre ti. _ ele diz firme, apertando os meus seios enquanto seu membro rígido me fode. _ Conheço cada parte do seu corpo, Bárbara! Sei a hora certa que você vai gozar.

_ Awnn... _ Gemi excitado.

_ Eu nunca me canso de te comer. _ ele fala calmo e morde as minhas costas.

_ E eu adoro lhe dá. _ digo no fio de voz. Sentindo o meu corpo suar fácil.

_ Rebola essa bunda gostosa pra mim. _ ele ordena mandão, segurando na minha cintura, descendo os seus dedos para o meu clitóris e masturbando-me.

_ Hum! Mas, forte... _ falo excitada.

Ele me penetra mais rápido me levando a loucura. Eu estou quase alcançando o meu orgasmo quando ouço passos vindo na direção da escada.

_ Merda! Eles já voltaram. _ Cristiano diz frustado. _ Vamos ter que gozar agora.

Ele continua me fodendo mais forte, aumentando as estocadas até alcançarmos o clímax. Mordir o lábio inferior com força impedindo-me de gritar alto.

_ Papai! _ Júnior bate na porta pedindo para entrar.

_ Continua sentada no meu colo, encobre só as nossas cinturas com a coberta. _ ele fala baixinho. Merda! O seu pau já está ficando duro novamente. _ Porra! Bárbara! Não se mexa, fica difícil me concentrar em outras coisas.

_ Entre! _ falo para o Júnior entrar no nosso quarto. Ele entra todo animado trazendo um buquê de rosas nas mãos.

_ Pra você, Bárbara! _ diz simpático.

_ São lindas! Obrigada! _ digo pegando as rosas das suas mãos e dando um beijinho no seu rosto. Sinto as mãos do Cristiano me apertando forte na cintura.

_ Não tem de quê, gata! _ Júnior tenta dá uma piscadela, mas acaba piscando os dois olhos de uma só vez.

_ Está querendo roubar a minha namorada, filho? _ Cris indaga sério, enquanto sua mão esquerda acaricia a minha coxa por debaixo da coberta.

_ Estou! _ confessa firme e nos fita atentamente. _ Mas, por que você está suado, papai?

_ Eu? _ Cris fala  gaguejando. _ É... Estou com.... Calor.

_ Então, por que vocês não tiram essa coberta? _ indaga intrigado cruzando os braços.

_ Não! _ Cris fala rápido. _ A Bárbara sente frio.

Júnior me fita por alguns segundos e diz:

_ Por que as suas bochechas estão vermelhas, Bárbara?

_ É culpa da maquiagem. _ digo apressada e belisco o braço do Ronaldo ao sentir o seu membro se movimentar lentamente.

_ Eu hein! Vocês estão muito estranhos. _ Júnior fala desconfiado.

_ Vá para o seu quarto. Depois, eu vou lá te colocar para dormir. _ Cristiano fala carinhosamente com o filho.

_ Pai! Assim a Bárbara vai pensar que sou um bebê. _ ele fala decepcionado.

_ Mas, tu és meu bebê! _ Cristiano gargalha.

_ Aff! Chato. _ Júnior sai do quarto irritado.

_ Onde paramos? _ Cris fala baixinho mordiscando a minha orelha e voltando a me penetrar forte. 

PS: Esse homem é insaciável.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...