História Intense (Park Jimin ) - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 359
Palavras 1.828
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ❤️

Capítulo 24 - Maneiras Diferentes de Superar


-Desculpa não ser seu príncipe encantado. -Disse em puro deboche. 

 

-Não precisava ser o príncipe dos sonhos, mas se não fosse esse monstro eu já estaria feliz. 

 

-Não era você que fazia escândalo pra me defender quando me chamavam de monstro ? 

 

-As pessoas estavam certas sobre você...

 

-As pessoas não me conhecem, não sabem nada sobre mim.

 

-Elas olham pra você e antes de ver o Jimin encantador, elas veem o quão ruim e amargo você é.

 

-Se eu sou tão asqueroso, por que não correu pros braços do seu amiguinho ? Ele sim era um príncipe encantado. 

 

-Porque eu te amava, Jimin.Porque toda vez que eu ficava perto de você eu me sentia bem, meu coração disparava quando você falava comigo ou mandava uma mísera mensagem, nem que fosse pra falar besteira. 

 

-Continua amando. 

 

-Continuo, mas eu não vou abaixar a cabeça sabendo que tudo que você quer e me machucar e me controlar. 

 

-Eu não quero te machucar, (s/n). -Ele se aproximou de mim na intenção de me abraçar, mas eu rejeitei. 

 

-Mas está machucando Jimin, tá acabando comigo e com qualquer resquício de esperança que eu possa ter. 

 

-Para com essa vitimização e me deixa te ajudar. -Ele segurou meu rosto e limpou minhas lágrimas com seus dedos. 

 

-Você só pode me ajudar se for uma pessoa melhor e você não quer ser isso.

 

-Eu gosto de você, não tá bom assim ? -Ele colou sua testa com a minha e fez um carinho na minha bochecha. 

 

Fechei meus olhos absorvendo aquele perfume que eu não sentiria nunca mais, aquele toque leve e carinhoso que conseguia me rasgar ao meio. 

 

-Se você esquecer tudo isso...a gente começa de novo.-Ele disse baixo selando nossos lábios levemente. 

 

Uma vez, duas vezes, três vezes até iniciar um beijo mais cálido.Seus lábios estalavam junto ao meu e ele suspirava, sua língua se enrolava com a minha e suas mãos me puxavam pra mais perto já por dentro da blusa do meu pijama.Jimin me apertava pra si e murmurava contra minha boca. 

 

Eu iria sentir saudade disso, desses beijos que nunca chegavam ao fim, dessas mãos quentes e desse corpo que me fazia tão bem.Desse perfume forte que sempre ficava aonde ele estivesse, dessa voz gostosa e desse sorriso que se inovava toda hora com uma expressão diferente.

 

-Eu vou sentir saudade das coisas boas que eu tive com você. -Falei contra seus lábios já avermelhados, Jimin me empurrou pra baixo dele e chupou meu pescoço. 

 

-Já que é uma despedida... me deixa te foder mais uma vez. -Seus olhos estavam intensos com um tom de castanho mais forte. 

 

-Nos despedimos naquela noite na cozinha, pense nisso, porque vai ser a única memória que você terá da gente e ela vai se apagar, e nem isso você vai ter mais. 

 

Empurrei seu corpo pro outro lado da cama e me levantei, peguei aquele colar da cabeceira e joguei do seu lado da cama.Jimin me encarou sem qualquer expressão, ele pegou o colar e o encarou. 

 

-Foi um ótimo presente, obrigada. -Peguei meu celular na cabeceira e sai do quarto. 

 

Fechei a porta atrás de mim com toda a certeza do mundo e entrei no quarto do Jin, ele estava dormindo, mas logo acordou com meus passos meio pesados.Estava difícil sustentar meu próprio corpo.

 

-Posso dormir com você ? -Perguntei e ele assentiu dando um sorriso fraco.

 

Coloquei o celular na cabeceira e puxei a coberta entrando debaixo dela, abracei meu irmão que estava meio sonolento e me aninhei no seu peito.Eu gostava do cheiro do Jimin, mas eu amava esse cheiro de amor recíproco que eu tinha com a minha família, principalmente com meu irmão. 

 

                                       ...

Acordei na manhã seguinte um pouco melhor, estar com quem gosta mesmo da gente, restaura nossas forças.Fui pro meu quarto e entrei direto no banheiro, mas notei que Jimin estava sentado na cama e sua mala estava ao seu lado.Joguei uma água no rosto e escovei os dentes, voltei pro quarto e passei por ele, fui até minha mala e peguei uma blusa de lã aberta na frente. 

 

Ele não falou nada e saiu antes de mim do quarto, vesti a blusa tampando parte do meu pijama e fui pra cozinha, meu irmão já tinha feito café da manhã e minha família comia normalmente, conversavam e interagiam entre si.Me sentei ao lado deles e Jimin estava 

a minha frente. 

 

Trocamos alguns olhares durante a refeição, mas nada muito alarmante, ele estava com olheiras e parecia um tanto acabado.Não devia 

ter dormido de tanta raiva que sentiu por eu ter deixado ele lá, sozinho.Mas eu não estava diferente, meus olhos continuavam vermelhos e eu também sentia raiva. 

 

Era aquela raiva misturada com amor, no momento mais raiva do que amor, mas eu ainda sentia amor.Acho que eu sou uma daquelas pessoas que acham que podem mudar os outros persistindo no erro.Eu não consigo mudar a mim mesma, como posso dar um jeito em outra pessoa. 

 

Depois de todos terminarem de comer, Jimin se levantou e se despediu da minha família.Todos estavam lá fora junto com ele, eu ainda estava na mesa e comia pausadamente.Não demorou muito até minha mãe voltar pra cozinha e ficar me olhando. 

 

-Jimin tá indo embora. -Ela disse e eu não movi um músculo sequer pra olhá-la, continuei comendo. 

 

-Não quer se despedir ? -Ela tocou meu ombro gentilmente. 

 

-Não. -Falei simples, eu estava tão assustada com isso, estava com raiva, morrendo de amor e de ódio.

 

-Vai deixar as coisas acabarem assim ? 

 

-Acabou, agradeço seus conselhos e sua boa vontade de tentar me motivar.Joguei a toalha, não quero perder meu tempo nisso. 

 

-Tá desistindo assim do seu primeiro amor, pare de ser covarde, (s/n).

 

-Se você soubesse metade do que eu passei não me chamaria de covarde. -Me levantei e a encarei. -Com licença. 

 

Dei as costas e voltei pro meu quarto, tranquei a porta e respirei fundo.Apesar da minha tranquilidade eu estava quebrada por dentro, meu coração estava dilacerado e implorava compaixão.Ja finalizado e acabado, restava se conformar com tudo isso. 

 

Amor é um conto de fadas que nem todos conseguem seu final feliz, nos livros você acha que aquilo pode acontecer com você, nas histórias populares e felizes você encontra um refúgio e crê que isso é a melhor fonte da vida. 

A partir de agora, amor só pela família, chega desse conto de fadas inútil. 

 

Noite de Natal 

 

Eu nunca pensei que pudesse odiar tanto um dia como esse, odiar biscoitos e ceia de natal. Odiar canções e risos alegres, eu estava séria o tempo todo, não via qualquer necessidade de colocar um sorriso falso no rosto.Os últimos dias têm sido assim, eu só fiquei sentada na varanda observando. 

 

Eu segurava o celular com toda a força desse mundo, eu esperava alguma coisa.Esperava Park Jimin me ligar e mais uma vez eu estava me frustrando, até agora Yoongi, Taehyung e até Hoseok haviam me ligado me desejando feliz natal. 

 

(S/n) Off 

 

Jimin On 

 

Estava sentado em frente à lareira, o sofá dos meus pais era confortável, eu devia trocar o sofá de casa, ele está meio velho. 

 

-Jin me contou que você e a (s/n) terminaram. -Hansung disse se sentando ao meu lado. 

 

Dei um gole no copo cheio de Gim e senti minha garganta arder pela primeira vez, eu não estava engolindo só o Gim nesse copo.

 

-Se sente feliz agora ? -Questionei sem muito interesse na sua resposta. 

 

-Não estou feliz com isso. -Soltei um riso debochado.

 

-É claro que está, aposto que quando SeokJin te ligou pra contar você teve um orgasmo de tanta felicidade. 

 

-Tá na defensiva, pelo visto isso mexeu com você. 

 

-Não tem clientes pra atender em alguma esquina ? -A encarei irritado, eu estava a ponto de apertar seu pescoço. 

 

-Eu não me afeto com suas piadinhas, não sou mais uma prostituta, Jimin. 

 

-Quer um presente pelo seu grande mérito ? -Ela sorriu fraco. 

 

-Eu me concertei, Jimin.Eu e Jin vamos casar e se eu consegui mudar, você também consegue.

 

-Engula suas frases de auto-ajuda e morra engasgada. -Me levantei do sofá e fui pra fora da casa, peguei meu carro e comecei a dirigir. 

 

Eu nunca gostei do Natal e nem das datas familiares, consigo odiar ainda mais quando penso em (s/n).

 

Flashback On 

 

-O que você faz no Natal ? -Ela perguntou animada enquanto brincava com as pontas do meu cabelo. 

 

-Fico em casa. -Respondi sem muito interesse de continuar a conversa, eu odiava datas familiares. 

 

-Não faz mais nada ? -Ela perguntou travessa, suas mãos desceram pra minha nuca acompanhando meu cabelo recentemente cortado. 

 

-Eu também costumo beber. -Ela sorriu fraco e abraçou meu pescoço, deitando sua cabeça no meu ombro. 

 

Abracei suas pernas as mantendo no meu colo e passei a desenhar círculos nas suas coxas. 

 

-Se você quiser e não se importar, eu gostaria de ficar com você.-Ela falou baixo no meu ouvido me abraçando ainda mais. 

 

Flashback Off 

 

Não teria sido uma má ideia passar o Natal com ela, do jeito que era determinada, não me deixaria ficar um minuto parado.Mas se não pode com Kim (s/n), pode com outra pessoa.Estacionei o carro e peguei algumas camisinhas no porta luvas, desci e me anunciei na portaria. 

 

Jimin Off 

 

(S/n) On 

 

Deitei na cama espaçosa e afundei meu rosto no travesseiro, ele tinha o cheiro dele e isso me trazia uma imensa vontade de chorar.Minha cabeça estava doendo tanto que acabei vindo dormir, meu estômago também doia, mas deviam ser aquelas malditas borboletas enfurecidas.Não tinha muito o que fazer com elas, era só deitar e tentar dormir em plena noite de natal. 

 

                                    ...

 

Não demorou muito e eu acabei voltando pra Seul, estava sendo horrível ficar naquela casa e dormir naquela quarto.Jin voltou comigo e meus pais acabaram fazendo da viajam uma quase lua de mel, há poucos dias para o Ano novo eu estava sentada no sofá com um pote de sorvete assistindo um filme de terror.

 

O filme era uma merda, o sorvete também, o sofá também era uma merda e tudo era uma merda.Depois de uma ilusão amorosa você vê o mundo com outros olhos, o cheiro dele muda e a visão de qualquer coisa boa consegue ser terrível, na ultima vez que eu sai de casa, passei por uma floricultura e ela tinha um cheiro horrível. 

 

Ouvi o barulho da campainha e me levantei do mesmo jeito que eu estava, abri a porta e Yoongi me encarou com aquela típica cara de pena.

 

-Posso entrar ? -Ele questionou meio receoso. 

 

-Não. -Respondi calma. -Já viu que estou bem, pode voltar pro seu apartamento. -Ameacei fechar a porta e ele a segurou com o pé. 

 

-Eu quero ajudar. 

 

-Então fique longe de mim, eu quero ficar sozinha. 

 

Fechei a porta e girei a chave a trancando, voltei pro sofá sem um pingo qualquer de remorso.A última coisa que eu preciso agora, é um monte de gente sentindo pena de mim.


Notas Finais


Todo mundo já teve aquele estado de foça absoluta


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...