História Interesse! (Imagine Jungkook) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jungkook
Tags Bts, Jungkook
Visualizações 165
Palavras 1.658
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiie.... Voltei! Espero que gostem do cap!

Me digam nos comentários qual o bias/utt de vocês no BTS, e pk ele? Pois gosto de interagir com vocês!

O meu é Jimin... A primeira vez que bati o olho nele, sabia que ele era uma pessoa especial, só não sabia que era tanto assim! O Hope tentou tomar o lugar dele, mas não teve jeito! Rsrsrs'. Jimin tem que ser guardado dentro de um potinho, e trancado debaixo de 7 chave, pois ele é muito valioso!

Espero que aproveitem o cap... Boa leitura minhas florzinhas!

Capítulo 11 - Capítulo 11 - Almoço!


Fanfic / Fanfiction Interesse! (Imagine Jungkook) - Capítulo 11 - Capítulo 11 - Almoço!

Fecho a porta, e me viro para ir para onde minha mãe está. Mas meus pés não conseguem andar, ao ver (s/n) sentada ao lado de minha mãe.

Mãe: Surpresa!- Diz sorrindo.

Eu sorrio sem vontade, a vontade era de sair correndo. Meu peito subia e descia rapidamente. Meu coração queria pular para fora do meu corpo.

Eu: Mas não ia fazer um jantar mamãe?- Pergunto ainda parado no mesmo lugar, meu corpo não quer me obedecer.

Mãe: Não quis esperar muito para conhecer minha nora...- Ela passa o braço ao redor do pescoço de (s/n). E (s/n) parece bastante confortável ao lado dela.- Por quê não me disse que ela estudou com você?- Pergunta séria.

Eu: Vocês já conversaram?- Indago quase que sem voz.

Mãe: Não...- Eu respiro aliviado.- Conheci ela, assim que a vi...- Ela sorri para (s/n).- Não foi ela que veio fazer trabalho da faculdade com você?- Pergunta me olhando, e eu afirmo com a cabeça.- Vou deixar o casal a sós, e vou ver se o almoço está pronto!- Diz contente.

Mamãe se levanta do sofá, e se direciona até a cozinha. Não espero mais nenhum segundo, e apresso os passos, sentando do lado de (s/n).

Eu: O que minha mãe lhe disse?- Pergunto rápido.- Vocês conversaram algo?- Começo a roer as unhas.- Como ela conseguiu o seu número?

(S/n): Respondendo suas perguntas...- Ela dá pause.- Sua mãe só me ligou e pediu para que eu viesse almoçar com vocês... E não, não conversamos algo, ela apenas me ofereceu um chá gelado... E sobre ela conseguir meu número, acho que foi do mesmo jeito que você!- E pela primeira vez, me sinto envergonhado na frente de uma mulher.

Eu: Quero te pedir algo...- Olho para a cozinha tentando ver se mamãe já está vindo.

(S/n): Calma Jungkook...- Ela fala com a voz mansa.- Já percebi que sua mãe não sabe o que acontece entre nós...- Levo a mão até o peito e respiro aliviado.- Não se preocupe, vou fazer com que ela ache que somos um casal perfeito!- Ele sorri sem mostrar os dentes, e eu faço o mesmo.

Percebo que a (s/n) de agora, não é (s/n) de alguns dias atrás. Essa é mais espontânea, e a outra mais tímida.

Saio de meus pensamentos quando escuto a voz de papai.

Pai: Cheguei!- Ele entra e olha para a (s/n) do mesmo jeito que eu havia olhado... Assustado!

Eu: Não se preocupe papai...- Digo simples.- Ela já sabe sobre a mamãe não saber a verdade.- Papai leva uma de suas mãos até o peito, e respira aliviado.

Pai: Bom dia (s/n)...- Ele sorri olhando para seu relógio.- Quer dizer, boa tarde!

(S/n): Boa tarde senhor Jeon!- Ela se levanta, e faz a reverência.

Ela volta a se sentar no sofá, e mamãe chega na sala, já recepcionando papai com um selinho em sua boca.

Eu: Urgh!- Viro o rosto e os dois começam a rir.- Não podia fazer isso em outro lugar?- Pergunto ainda com o rosto virado.

Mãe: Quer dizer que você não beija a (s/n)?- Rapidamente eu viro o rosto para olhar (s/n), e percebo que estamos com a mesma reação.

(S/n): Claro senhora Jeon!- Sinto os braços de (s/n) rodear meu pescoço, e me assusto minimamente.

Eu: O almoço já está pronto?- Pergunto afrouxando a gravata, pois o clima começou a esquentar do nada.

Mãe: Já sim!- Ela segura a mãe do meu pai.- E (s/n), apartir de hoje pode me chamar de mãe!- (s/n) ficou vermelha... Essa sim é a (s/n) que conheço.

Eu: Vão indo, que já chego lá com a (s/n).- Sorrio falso. E mamãe e papai vão até a cozinha de mãos dadas.- O que foi isso (s/n)?- Indago e ela me olha com a cara de quem não entendeu a pergunta.- Você me abraçando pelo pescoço...- Falo em um sopro.

(S/n): Estou mantendo nosso relacionamento como se fosse verdade.- Ela responde normal.- Ou você quer que sua mãe descubra que nosso relacionamento é uma farsa?- Nego com a cabeça.

Eu: Vamos almoçar!- Me levanto, e ela afirma com a cabeça fazendo a mesma coisa.

Seguimos até a cozinha, e Lucinda já está colocando os pratos em cima da mesa.

Lucinda: Olá menina!- Sorri simpática para (s/n).- Bom ver você denovo!

(S/n): Digo o mesmo!- Ela sorri abertamente. Não vou negar que seu sorriso é lindo.

Mãe: Vocês já se conhecem?- Indaga olhando para as duas.

Lucinda: Sim...- Me lembro do que aconteceu ontem.- (s/n) veio deixa-lo, Pois o menino Kook estava bêbado!- Olha para Lucinda, e a repreendo com os olhos, e a mesma sorri.

Mamãe me olha séria, e já sei que agora vou passar vergonha.

Mãe: Filho...- Ela me chama a atenção.- Ainda bem que você tem uma noiva como (s/n)!- Ela sorri, e (s/n) faz o mesmo.

Que milagre foi esse? Mamãe não me dar uma bronca... O que será que está acontecendo?

Decido não me questionar mais, e me sento. (S/n) logo se senta ao meu lado, e Lucinda começa a servir nosso almoço.

Mãe: Você trabalha em que, querida?- Questiona olhando atenta para (s/n).

(S/n): Gerencio o dinheiro do meu pai.- Ela responde simples.

Mãe: E onde está seu pai?- Questiona novamente.

Eu: Mamãe...- Chamo sua atenção, e ela me olha.- Está fazendo perguntas demais.- Falo para que pare.

Mãe: Desculpe querida, é que as vezes eu me empolgo...- Ela volta sua atenção a (s/n).

(S/n): Não tem problema senhora Jeon...- Ela sorri envergonhada.

Mãe: Como lhe disse para me chamar?- Ela sorri.

(S/n): Ok...- Ela dá pause.- Mamãe!- Minha mãe sorri satisfeita, e eu reviro os olhos.

- Quanta baboseira!- Penso comigo mesmo.

Pai: Agora vamos terminar de comer!- Todos afirmam com a cabeça.

[...]

Eu: Bom mamãe...- Me levanto da mesa.- Já vou indo para a empresa.

Mãe: Faço uma gentileza, e levesua noiva para casa!- Eu a olho sério, mas depois disfarço.

Eu: Ok mamãe...- Falo revirando os olhos.- Vamos (s/n)!

Ela se levanta e me acompanha até o carro. Entramos dentro do carro, e (s/n) parece outra pessoa... Volta a ser aquela garota fechada e vergonhosa.

Eu: Onde fica sua casa?- Pergunto olhando para a pista.

Ela pega o GPS, e ele localiza na mesma hora. Acelero o carro, pois quero deixa-la logo em casa.

O caminho até lá é silencioso, e isso é um pouco constragedor... Pois não sou muito calado, mas também não quero puxar assunto com ela.

Depois de alguns minutos, chegamos na casa dela... E já dá para ver que a casa é maravilhosamente linda... Bem luxuosa!

Eu: Até mais!- Ela afirma com a cabeça.

Dou partida no carro, e acelero até a empresa, que não fica muito longe.

[...]

Estou em minha sala, quando a porta do escritório é aberta com brutalidade. Eu olho e vejo Minhee com os olhos vermelhos... Não sei se era de choro ou de raiva.

Ela fecha a porta, e caminha até mim. Parando em minha frente.

Minhee: Diz para mim que tudo o que você me falou era mentira!- Sua voz está falha.- Diz Jungkook!- Ela me segura pela gravata, e nada digo.

Queria dizer que a amo, e que tudo não passava de uma mentira. Mas tenho que ter em mente, que se a empresa está nessa situação, é por minha culpa!

Eu: Não Minhee... Não é mentira!- Tiro as mãos dela da minha gravata.- Eu quero ser livre...- Que mentira estou contando?- Eu não aguento mais!

As mãos dela vão até meu rosto, e os seus olhos encontram os meus. E em um momento de fraqueza, a puxo pela cintura, e tomo seus lábios pela última vez.

...: Jungkook...- Escuto a voz de meu pai, que está nos olhando bastante sério, que eu sei o que quer dizer.- Eu volto depois!- Ele bate a porta com força.

Minhee: Seu beijo ainda diz que você me ama!- Eu fecho os olhos.

Jungkook: Não...- Tiro suas mãos do meu rosto.- Isso quer dizer que foi a nossa despedida...- Saio de perto dela.- Agora sai daqui... E não me procura nunca mais!- Eu falo alto.- Agora!- Ela se assusta, e vejo ela derramar algumas lágrimas.

Nunca gostei de ver mulheres chorarem... Principalmente por mim. Mas isso foi preciso.

Ela sai correndo da sala, e eu me permito sentar, e respirar aliviado. Era para eu me sentir mal, mas isso não está acontecendo. Eu tenho certeza que a amo... Por quê não estou sofrendo como ela?- Pergunto mentalmente.

Pai: Você está louco trazendo ela para cá?- Entra furioso na sala.- Se (s/n) pegar vocês dois...- Seu olhar é puro fogo.

Eu: Não se preocupe, pois isso não vai mais acontecer...- Digo sério.- Isso foi apenas uma despedida!- Meu pai leva suas mãos até o rosto, parece indignado com minha resposta.

Pai: Eu não quero mais vê-la perto de você...- Ele abre a porta.- Você entendeu Jeon Jungkook?- Me chamou pelo nome inteiro, está muito zangado.- Entendeu?- Afirmo com a cabeça. Ele sai da sala, batendo a porta bem forte.

Eu: Aiiiigo!- Grito um pouco alto.

Minha vida era perfeita... Por quê fui estragar tudo? Sou só eu o culpado? Me afundo em meus pensamentos.

[...]

Despois de um dia puxado como esse... Nada melhor do que um banho quente, e uma cama macia para se deitar.

Eu: Aaaaa...- Falo fechando os olhos sentindo a maciez da cama.

Lucida: Menino Jungkook?- Abro os olhos, e me espanto ao ver Lucinda olhando para mim.

Eu: Lucinda!- A repreendo colocando a toalha em meu corpo.

Lucinda: Já vi isso desde que você era criança!- Ela fala como se isso fosse normal, me deixando completamente estranho.

Eu: Diga o que veio fazer aqui...- Falo para quebrar o clima.

Lucinda: Vim apenas lhe dar um conselho.- Afirmo com a cabeça.- Pense bem... (S/n) parece ser uma boa garota... Po quê não dá a ela uma chance?

Eu: Porque meu coração já é de outra, Bá!- A respondo simples, e ela sorri sem mostrar os dentes.

Lucinda saí do quarto, e eu volto a me deitar na cama. Fecho os olhos e durmo pelado mesmo!

Bem que poderia ama-la... Mas não... Melhor não!

"Com um chute alto

Um soco, e golpe de gancho

Com alguns golpes

Descontei tudo no meu cobertor

Oh me dê um ferro para que eu passe minha frustração

Você já está em várias

linhas das minhas letras

É o quanto você significa para mim

Mas o meu pobre cobertor que não tem culpa de nada

Eu só queria que você estivesse aqui..."


Notas Finais


Iai o que acharam do cap? Ficou bom? Me digam aí nos comentários meu amores! Me sinto muito feliz quando vocês comentam!

Espero que tenham gostado!

Até o próximo se Deus quiser!

Annyeong!👋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...