História Internato- Ghouls and Demons of Darkness - Interativa - - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anime, Demon, Estória, Fanfic Interativa, Ghouls, Hentai, Interativa, Internato, Lemon, Monstros, Original, Romance, Série Youtube, Sobrenatural, Yaoi, Yuka, Yuri
Visualizações 51
Palavras 3.104
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Finalmenteeeeeeeeeee capitulo novo! Eu sei que é tarde (bem tarde) pra postar o cap, era pra ser no dia 2, mas eu estive com um bloqueio criativo e quando eu tentava escrever ficava uma merda :')

Ai como eu tenho o Skype do dono da ficha Frank, eu resolvi falar pra ele e o pk o capitulo dele ainda n chegar :') Depois ele ofereceu ajuda e foi escrever o capitulo, com isso algumas partes (tipo a do começo) foi escrita por ele ^^ E outras partes (tipo o final) foram escritas por mim :v

Bem, é so isso que eu queria avisar mesmo ._. E sobre o que eu decidi... Eu vou postar um capitulo de todos já na escola, mas vai ser so um capitulo mesmo :'v Depois eu vou continuar postando as histórias dos outros personagens! (vou fazer isso para começar logo :v e depois terminar as historias)

Agra fiquem com o capitulo e boa leitura!

Capítulo 5 - "As respostas... Onde elas estão?"


Fanfic / Fanfiction Internato- Ghouls and Demons of Darkness - Interativa - - Capítulo 5 - "As respostas... Onde elas estão?"

“As respostas... Onde elas estão?”

{Franklyn; 12:15_Internato G&D Of Darkness_Localização: Osaka/Tóquio}

 A minha vida é como um doce amargo, eu caminho sem rumo, sem objetivos, apenas com a vontade de voltar pra casa, meu pai disse que minha mãe morreu no parto e por isso sou filho único, eu queria saber mais sobre a minha mãe, mas os minutos que eu tenho pra conversar
com o meu pai equivalem apenas 2 minutos, da cama ao trabalho e do trabalho a cama, a rotina dele é praticamente assim, sem tempo para falar comigo, minha rotina é da escola para casa e assim todos os dias, o mundo é tão grande, mas o tempo é curto e rápido, as pessoas não têm mais tempo para nada, é corre, corre para lá e para cá e minha única vontade é de estar em casa, um lugar onde encontra paz para alguns. Eu não consegui fazer muitas amizades no fundamental, então me considero um cara antissocial em relação à maioria dos adolescentes com a minha idade, mas não me importo muito com isso já que mesmo tendo poucos amigos isso nunca me atrapalhou em meu convívio escolar e também eu meio que já estou acostumado com isto tudo. 

E para piorar ainda mais minha complicada vida, recentemente descobri que possuo poderes que talvez fossem herdados da minha mãe já que praticamente não sei quase nada sobre ela. E esse poder parece ser um tipo de água tóxica ou algo parecido, pois quando encostei com a mão por cima da mesa de jantar a madeira se deteriorou um pouco com o breve contato saindo um pouco de fumaça do local. Contudo o que mais me preocupa nisso tudo é minha falta de conhecimento sobre esse poder me levando a acreditar que se eu me descontrolar posso acabar matando alguém... De novo, assim como aconteceu quando alguns assaltantes asquerosos tentaram invadir minha casa quando eu era mais novo e por conta do nervosismo acabei matando um deles com um corte que havia feito em sua mão, mas o corte em si não tinha matado o assaltante e sim o veneno que tinha entrando por entre suas veias causando uma hemorragia interna levando o homem a falecer caindo duro no chão. E se você acha que eu me orgulho de ter defendido a minha casa por meio dessa morte, está muito enganado, por que eu não aprovo nenhuma morte humana que seja por qualquer meio e por isso tento evitar me aborrecer rápido para que não haja outros casos de mortes súbitas como a que aconteceu.

Outra coisa que eu sempre me pergunto é o porquê do meu pai ter me deixado naquele orfanato... Será que ele meio odeia, será que fez isso para me proteger ou apenas não queria um assassino morando no mesmo teto, comendo a mesma comida e sendo sustentado por ele mesmo? Essas são algumas perguntas que ás vezes me faço mentalmente e tentando entender o motivo por trás de toda minha história desde o meu nascimento; como eu queria que minha mãe estivesse aqui para acariciar minha cabeça dizendo que está tudo bem e sentir como é ter alguém que te ama mais que a si própria, mesmo que as outras pessoas te odeiem e te digam o contrário, mas eu acho que essa é uma das minhas vontades que infelizmente nunca será saciada até quando eu morrer.

 Logo após esse turbilhão de pensamentos que eventualmente invadem minha cabeça todos os dias, saio do meu devaneio com a sensação do vento gélido batendo em meu rosto por conta do clima frio, mas ainda nublado que se encontra no internato onde fui trazido a fim de aprimorar minhas habilidades e mente, podendo assim ter uma vida comum entre as outras pessoas normais, ou seja, os humanos. Soltei à fumaça do cigarro que estou tragando no momento e observo sua forma gasosa se desfazendo enquanto é levada com a brisa suave do vento e assim que volto a olhar em volta percebo a aproximação de alguém vindo em minha direção e rapidamente largo o cigarro no chão pisando em cima do mesmo, tentando encobrir qualquer sinal do que eu estava fazendo antes. E quando olhei mais atentamente para a forma que vinha diretamente em mim percebo que era uma senhora, com um olhar misterioso de olhos castanhos e cabelos da mesma cor, os mesmos fios eram tão longos e soltos, eu me perguntava como ela consegue cuidar e aguentar esse cabelo de Rapunzel... Mas voltando ao assunto, a mesma se dirigiu a mim e assim que ela se assenta no banco onde eu estou ela me pergunta:

Sr.Lay- Belo, não acha? - Com uma pergunta tão repentina assim eu não sabia se ela se estaria se referindo a bela paisagem do jardim ou ao clima em questão, então decidi arriscar.

Frank- Sim, o jardineiro daqui deve ser muito bom no que faz.

Sr.Lay- Hihi... Estava me referindo ao céu, mas sim o jardim também tem sua beleza. – Droga. Errei! Eu meio que me senti um pouco envergonhado por isso...

Frank- Bem, eu aposto que a senhora não veio aqui para ficar falando de nuvens aqui comigo. – Falei indo direto ao assunto.

Sr.Lay- Certamente Sr.Franlyn, vim aqui para lhe levar ao seu dormitório onde ficará instalado no internato. Gostaria que me acompanhasse, por favor. – E logo depois ela foi andando comigo em sua cola até onde seria meu novo quarto.

Enquanto adentrava ainda mais o internato, vi diversos outros jovens, alguns com aparência normal como a minha e outros com características digamos que bem peculiares como chifres, olhos de cor escarlate e presas afiadas, mas havia uma coisa que todos tinham em comum que era suas expressões como se estivessem preocupados ou atentos a algo que pudesse ocorrer a qualquer momento.  Nada que fosse incomum em lugares assim, então me apressei de seguir a Sr.Lay até ela parar em umas das portas por entre vários corredores.

Sr.Lay- Aqui será seu novo quarto querido. – Disse ela abrindo a porta e me pedindo para entrar na mesma, me deparando com outro garoto que habitava ali. – Espero que se dê bem com seu novo colega de quarto e qualquer pergunta que queira fazer não hesite em me chamar. E mais uma coisa, é proibido fumar aqui dentro então se quiser fazer isso faça lá fora, tudo bem? Adeus! – E assim ela se foi me deixando a sós com o meu novo “colega”.

Frank- Prazer, eu me chamo Franklyn Shimizu Smitch, mas pode me chamar de Frank. – Disse indo em sua direção e estendendo minha mão para um aperto.

???- Prazer Irineu... Você não sabe nem eu... Brinks mano, meu nome é Hiroshi Hyung. – Disse ele apertando minha mão com um sorriso. Tenho que admitir a piada foi boa hahah.

Frank- Ok Hiroshi, vou dormir um pouco já que estou um pouco cansado. – E me dirigi à primeira cama que vi e fui me deitar ou iria se não fosse por alguém...

Hiroshi- Hey pivete, essa é a minha cama e você não quer dormir nela... Ou quer? – Falou comigo com um olhar assassino como se fosse me matar no primeiro dia de convívio.

Frank- Oh c-certo, foi mal aí... – Disse saindo rápido de perto daquela cama e indo para a outra que ficava em cima já que era uma cama de beliche.

Hiroshi- Vou dar uma saída, até mais. – E assim ele saiu do quarto me deixando pensativo, sobre a confusão que vai ser aqui com esse tal de Hiroshi. Ele parecia ser um cara que vai fuder o cu de todo mundo, principalmente o meu, se eu devia tomar cuidado? Devia, mas basicamente eu tenho minhas habilidades e se estou aqui para aprender a como usa-las, ele também vai ter seu risco.

 Após deitar na cama e fechar os olhos, bloqueei os meus pensamentos e cai num profundo sono que está prestes a desenvolver um belo filme...

{Sonhos- “A morte não espera”}

 E o branco então se formou as cores, como um sonho ou talvez até um pesadelo, parecia estar no espaço, apenas o preto se via e um grande vazio, sem estrelas e nem nada.

Clara- Frank... Como você cresceu... Estou orgulhosa de você... – Disse uma moça que vestia um vestido branco e todo rasgado, a mesma me observava com um brilho nos seus olhos, uma luz brilhante não me permitia ver direito o seu rosto, mas quem fala algo assim só pode ser alguém próximo a você e esse alguém eu já sei quem é. –

Frank- Mãe... É você né? – Perguntei me aproximando da mesma. – Por favor... Deixa eu ver seu rosto...

Clara- Desculpa... Eu não posso... – Respondeu ela com uma expressão triste, mas segurando o sorriso. – Eu preciso avisar logo, os tempos duram pouco...

Frank- Avisar? Algo de ruim vai acontecer comigo? – Perguntei, eu estava confuso, o que poderia acontecer comigo? –

Clara- Filho, eu quero que você viva o máximo que puder! Por isso... Eu preciso que você faça amizade com a Yuka, mesmo que as chances sejam menores agora... É melhor arriscar do que aceitar a derrota! – Respondeu entre as lagrimas. –

Frank- Mamãe...? – Chego perto e tento acariciar o seu rosto, logo em seguida, ela me abraça fortemente. – M-mãe... Não chora, por favor...

Clara- Tudo bem... Eu vou fazer o possível pra entrar nos seus sonhos e filho... Seja um bom garoto e faça o que eu pedi, antes que seja tarde... – Minha mãe se distancia de mim e em alguns segundos antes, a partes do seu corpo como braços e pernas vão sumindo. –

Frank- Mamãe!! – Gritei. – Você não pode ir! M-mamãe!! – Gritei mais uma vez e o preto do espaço foi formando um branco, até desaparecer tudo. – Não!

{Sonhos- “Socorro”- Off}

 Eu dei meu último grito e logo em seguida apareço no meu dormitório, tudo tinha voltado ao normal, eu olhei para a janela para deduzir as horas e uma escuridão se via lá de fora, apenas algumas luzes amarelas que seriam as lanternas de rua, o quarto também estava escuro, não conseguia enxergar muita coisa, apesar da ilumisidade da janela. Eu suspirei e resolvi descer da beliche para tomar um ar e uma aguinha, logo em seguida, depois que eu desci, fui procurar pelo meu chinelo que certamente estaria do lado da cama de baixo, sem perceber eu escorreguei em uma coisa molhada no chão e cai em cima da cama de baixo.

Frank- Ai merda! – Eu fui me mexer e percebi que eu não estava em cima da cama de baixo e sim em cima de alguém, eu pensei em quem poderia ser e acho que já tenho uma ideia. - ...

Yuka- Olá? – Antes de eu tentar sair devagarzinho, alguém entra no quarto e acende as luzes, no mesmo instante eu olhei para a cara do Hiroshi, o mesmo ainda estava dormindo, ele parece estar num sono pesado, já que o meu peso não fez ele acordar. – A-ah....

 Eu quase esquecendo da garota que entrou, olhei para a mesma com uma cara de vergonha, meu rosto deve ta queimando!!

Yuka- D-desculpa pelo incomodo, d-depois a gene se fala! – Ela saiu rapidamente fechando a porta com força e sabe quem acordou após o barulho? Sim... Ele mesmo. –

Hiroshi- Huh... O que esta acontecendo aqu-... – Ele abre os olhos devagarzinho para se acostumar com o clarão, mas logo em seguida após ver o meu rosto, ele arregale os olhos como se tivesse visto um monstro. –

Frank- D-desculpa, F-foi um-... – Antes de eu terminar, logo em seguida eu sou jogado contra a parede, graças a um osso meio gigante que me tacou, como se eu fosse uma bola e o negocio a raquete. – Ai...!!

Hiroshi- Seu idiota desprezível... Como ousa... Fazer isso intimamente comigo... Em? Seu pervertido!! – Eu fiquei assustado rapidamente, eu olhei para trás e por mais que não pareça ser acreditável, a parede não tinha nenhum arranhão quando eu bati na mesma, era como se eu nunca tivesse sido jogado da parede. – Eu vou tirar sua vida e a sua alma será o pagamento do seu pecado!! Mya-ha ha ha ha ha!! – Terminou ele com um olhar assassino sobre mim, havia ossos atrás deles e os mesmos estavam apontados em mim, eu preciso usar os meus poderes antes que eu perca a vida!! –

 Mas... E se eu matar ele também? E-eu... Não...

Clara- Frank... Viva o máximo por mim. – Uma voz reconhecida disse, minha mãe estava atrás do Hiroshi e a mesma brilhava como nunca, eu mal conseguia ver o rosto dela, mas antes que eu pudesse, ela desaparece do nada. –

Frank- Ma-mã-... E – Disse eu lentamente pela surpresa. –

Hiroshi- Sua mãe não vai te defender seu idiota, ela nem esta aqui bebezão! – Riu o mesmo. -

 Hiroshi estava pronto para me atacar, mas... Eu não irei deixar isso acontecer!

Frank- Só nos seus sonhos que eu irei deixar você pegar a minha alma, seu idiota!! – Olhei o mesmo confiante enquanto já preparava uma defesa e um ataque. –

 E quando nos íamos atacar/se defender, um escudo roxo transparente aparece na minha frente e o ataque de Hiroshi foi um fracasso, os ossos quebraram após tocar no escudo e que certamente não era meu.

Yuka- Meninos... – Disse a mesma garota que tinha entrado no quarto, estava de olhos fechados, mas sua expressão era de decepção. – São tão idiotas... Uma hora estão de viadice e outra hora estão brigando, qual é a de vocês hein? – Perguntou ela brava. –

Hiroshi- Por que você não pergunta pra esse viado ai?! Esse pervertido deitou-se sobre mim na maior cara de pal!! – Respondeu o Hiroshi. –

Frank- N-na verdade, eu escorreguei no piso molhado enquanto procurava pelo meu chinelo!

Hiroshi- Ata e você acha que eu vou cair nessas suas desculpas esfarrapadas?! Angel-Chan!! Eu quero mudar de quarto agora! Vai saber o que ele pode ser capaz nas próximas horas de sonos... – Disse ele enfurecido. –

 “Próximas horas de sono”?! Como ele ousa dizer isso sobre mim?! Eu nunca faria isso com ninguém!

Yuka- Aiai... Hiroshi para de ser hipócrita, nos anos atrás você ficava dando em cima de todos os alunos, os seus ex-colegas de quarto não paravam de reclamar e ah, lembra daquela vez que você pegou a cueca do seu cole-... – Antes que Angel terminasse de contar os momentos constrangedores de Hiroshi, o mesmo tampou a boca da garota rapidamente com uma expressão completamente envergonhado. –

Hiroshi- Você não precisava falar isso na frente dele! – Disse ele ainda constrangido. - ...

 Eu no começo fiquei espantando, mas logo em seguida eu comecei a rir, não podia aguentar, aquilo era hilário demais.

Yuka- ... – A Angel olhou sem expressão para mim. –

Hiroshi- Argh... – Já o Hiroshi, ele corou violentamente e podia sentir o seu nervosismo de longe. –

 Eu botei a mão na barriga e em alguns minutos eu fui parando de rir, e voltei a olhar para Hiroshi, o mesmo estava com a cabeça baixada pensando no que tinha acontecido, talvez ele esteja tão envergonhado, mas tão que eu acho que isso deixou o mesmo mal, eu resolvi brincar também pra ver se melhorava o humor do mesmo.

Frank- Hey mano... – Do lado de mim tinha uma cômoda, a mesma estava com um buraco grande, certamente por causa daquele ataque, as roupas que estavam dentro estavam tudo jogadas, até que eu avistei uma cueca cinza e preta nas bordas, eu deduzi que essa seria uma das cuecas dele, eu resolvi pegar a mesma. – Se importa em eu roubar sua cueca também? – Terminei o que eu queria falar com um sorriso audacioso no rosto. –

Hiroshi- Ã... – Quando observou a situação atentamente, corou mais ainda e seus olhos se arregalaram, mas... Dessa vez, minha dedução estava finalmente certa. –

Yuka- *Puf* ha ha ha ha... ‘My gosh’ (Meu Deus) – Angel soltou varias gargalhadas até que ouvimos um barulho. – Eita! – Eu me assustei também, pois Hiroshi caiu no chão durinho, certamente desmalhou de nervoso. –

Frank- E-eu não queria que isso a-acontecesse! – Disse eu nervoso e correndo para perto do Hiroshi. –

Yuka- Hihi, tudo bem... Ele vai ficar bem, só desmalhou por causa do nervosismo! – Disse ela sorrindo. – Vocês dois são parecidos e ao mesmo tempo são completamente opostos, é hilário ha ha.. – Terminou ela enquanto levantava o Hiroshi, eu obviamente fui ajudar. – Vamos levar ele para a enfermaria, mesmo que seja bem tarde, tipo, são 2 horas da madrugada... Eu acho que ela deve está acordada.

Frank- Certo... Pera, 2 horas? – Por quanto tempo eu fiquei dormindo e sonhando? – Eu achava que era umas 8 ou 7 da noite...

Yuka- Hihi, okey né.

{Pulando o tempo... – 20Min depois}

Dra.Bia- Ele está dormindo agora, então vocês já podem ir tranquilos para cama! – Disse uma moça mais velha, não é por nada não, mas... Ela é toda peituda e tem uma bunda grande, isso me faz lembrar-se da Médica de Yandere Simulator. –

Yuka- Que bom, então estamos de saída, de manhã eu volto para ver se ele esta bem então! – Respondeu a Angel enquanto acenava, logo em seguida saímos juntos do quarto. –

Frank- Hey... Érr...

Yuka- Srta.Angel – Respondeu a Angel. –

Frank- Srta.Angel... – Eu sei que minha mãe me pediu pra falar com ela, mas eu não posso chegar nela e disser “eu tive um sonho com a minha mãe e ela me disse para eu ser seu amigo”, isso seria meio... Coisa de uma pessoa doida e doente. – Você entrou no dormitório dos meninos, acredito que isso é contra as regras... Mas-...

Yuka- Eu entrei por que eu queria pedir um favor, mas agora eu não posso falar, de tarde, depois das aulas eu te chamo. – Disse ela virando as costas e certamente indo para o seu dormitório. – E me desculpa por ter entrado nessas horas, eu ouvi um “não” vindo do seu quarto e fui ver o que estava acontecendo. – Terminou a mesma de dizer. –

Frank- Certo, entendo... Até depois então... – Sai do local e fui para o meu dormitório, já que o Hiroshi vai dormir lá na enfermaria, eu terei que ficar sozinho, mas bem... Esse dia foi cheio até, espero consegui dormir novamente. –

Frank- E o que será que aquele sonho queria dizer? Talvez eu esteja alucinando demais... Mas eu nunca tive um sonho igual a esse e muito menos sonhei com a minha mãe e o mais estranho ainda é que ela meio que apareceu na minha “briga” com o Hiroshi dizendo “Frank... Viva o máximo por mim.”, por que isso aconteceu justamente hoje que eu cheguei no Internato? Será que aqui é um perigo? Mas se for, por que meu pai mandaria pra cá? Essas perguntas... Eu tenho que achar as respostas...

{As respostas estão no fim da linha... Da sua vida}


Notas Finais


O que acharam dessa última frase? Hehe 'u'
Acho q na proxima semana eu vou decidir os horarios que eu vou postar os capitulos :v (por enquanto, eu to testando até aonde minha criatividade pode durar :'v
Nesse tempo tive bloqueio por conta eu não conseguia ter uma ideia boa ;-; Mas o proximo vai ser todos chegando na escola e é isso que eu estava esperando a muito tempo pra fazer a fanfic ^^ Então ja tenho as ideias guardadas e tals :v)

Personagens/Aparências>

Frank> https://vignette1.wikia.nocookie.net/rezero/images/c/c9/Natsuki_Subaru_Character_Art.png/revision/latest?cb=20160408205225

Hiroshi> https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/fb/74/ee/fb74ee0c8daa2b4eb164c685d3779db3.jpg

(Eu dei uma modificada nas personalidade dos dois personagens, simplesmente para haver uma relação bonitinha e engraçada do jeito que eu queria na fanfic =>.<= Espero que entendam :')

Sra.Lay> https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/50/da/21/50da21fe08219c0aa739d047bfc8a42d--manga-girl-drawing-anime-art-girl.jpg (Bonita n?)

Clara(Mãe do Frank)> https://vignette2.wikia.nocookie.net/rezero/images/3/33/Re_Zero_Volume_10_17.jpg/revision/latest?cb=20170505190827

Nicolas(Pai de Frank)> https://rei.animecharactersdatabase.com/uploads/chars/11498-1016738170.png



Bem, também quero avisar o por que tem toda hora uma nova "Sra.***" em cada cap da historia dos personagens... Bem, essas senhoras são "empregadas" dos alunos, ou seja, cada uma delas fazem o serviço de tal aluno, algumas como a Sra.Lay fazem o serviço de 2 alunos :v (Por exemplo, a Sra.Lay cuida do Hiroshi e do Frank ^^)

Só isso que eu queria falar, espero que tenha lido as notas finais e as notas de autor ^^"

o proximo cap pode sair na proxima semana...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...