História Intertwined Paths - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo, The Vampire Diaries
Personagens Alice Cullen, Angela Weber, Bella Swan, Benjamin, Carlisle Cullen, Carmen Denali, Charlie Swan, Claire Young, Damon Salvatore, Edward Cullen, Elena Gilbert, Emmett Cullen, Esme Cullen, Jane, Jasper Hale, Jessica Stanley, Katherine Pierce, Personagens Originais, Renée Dwyer, Rosalie Hale, Seth Clearwater, Stefan Salvatore, Sue Clearwater, Tânya Denali
Tags Beward, Personagens Originais, Saga Crepúsculo, The Vampire Diaries
Exibições 37
Palavras 1.273
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Ficção, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Capítulo 2


POV Sophie

Hoje era sexta-feira, eu estava sentada no sofá do escritório do meu avô pensando em como essa semana havia sido estranha, mas de um jeito bom.

Quando acordei na segunda pensei que tudo seria como sempre. Meu pai me levou para escola e lá tudo foi como sempre, eu não tinha amigos da minha idade já que a maioria das pessoas estavam apenas interessadas em ser amigas da filha, sobrinha e netas da importante família Cullen. No final das aulas minha avó me buscou como já era de costume e me deixou no hospital do meu avô onde eu era voluntária três vezes por semana.

Estar no hospital trabalhando era definitivamente a melhor parte do meu dia. Eu simplesmente amava aquele lugar. Minha primeira parada era a ala da terceira idade, eles gostavam que eu lesse alguns clássicos da nossa literatura e depois meu tempo era inteiramente dedicado as crianças, eu visitava cada quarto e logo no final da tarde todas se juntavam para me ouvir ler algum livro infantil.

Eu estava no final de um dos capítulos de “O Pequeno Príncipe” quando eu vi meu avô para do na porta acompanhado de uma moça que eu imaginei ser a nova chefe da UTI pediátrica. Ela era uma das mulheres mais bonitas que eu já tinha visto, ela tinha a pele clara, os cabelos eram cor de mel assim como os olhos e devia ter por volta de 1,70 de altura e ouvia atentamente o que meu avô falava enquanto observava as crianças com sorriso doce no rosto.

Quando acabei a leitura algumas mães vieram conversar antes de voltarem com suas crianças para os quartos, não demorou muito e meu avó me alcançou me apresentando a Drª. Rosalie Hale. Nós duas passamos o resto da tarde juntas e eu lhe apresentei todos os setores do hospital. No final do dia eu estava feliz em poder dizer que tinha feito mais uma amiga.

Naquele dia em especial meu avô estava em reunião então meu tio Emm foi me buscar, mas eu fiquei surpresa em ver a reação dele quando o apresentei a Drª. Rose. Ele a olhou deslumbrado e quando estávamos a caminho da minha casa me encheu de perguntas sobre ela.

Na terça-feira eu passava minhas tardes ajudando minha avó no escritório. Por ser um negócio próprio ela nunca se sentiu na necessidade de ter alguém lhe ajudando, mas nos últimos meses os pedidos por seus serviços estavam se tornando mais frequentes então ela estava fazendo algumas entrevistas.

Eu fique bem surpresa quando uma Alice Hale chegou para sua entrevista e logo descobri que ela era a irmã mais nova da Rose. Elas não eram nenhum pouco parecidas, Alice era baixinha, tinha os cabelos castanhos ondulados até a cintura e olhos no exato tom de azul-safira que meu tio Emmett e enquanto Rose era mais reservada, Alice era extrovertida e tinha uma presença de espírito capaz de alegrar qualquer ambiente.

Na quarta-feira depois da escola eu ia direto para empresa e passava a tarde com meu pai e meus tios, mas como aquela não estava sendo uma semana normal as coisas foram um pouco tensas por lá. Meu tio Jazz havia conseguido uma conta bem importante e as coisas estavam agitadas, então eu fiquei ajudando Angie com a montanha de documentos que ela tinha em sua mesa.

Angela Weber era minha melhor amiga e entrou na minha família de um jeito bem turbulento. Ela tinha acabado de se mudar para Los Angeles para cursar a faculdade contra a vontade de seus pais que queriam que ela ficasse em sua cidade natal. Ela estava voltando do mercado a noite quando foi atacada por seu ex-namorado que tinha vindo da Luisiana na intenção de leva-la de volta a força já que não aceitava o término da relação.

Meu tio Emm estava no mesmo mercado e viu quando o garoto bateu nela e a jogou no chão, ele não ia simplesmente virar as costas então foi até eles e deu uma surra bem merecida no cara e o arrastou até a delegacia. Depois daquele dia ele adotou Angela como a imã que não teve, meu pai e o tio Jazz fizeram o mesmo, principalmente depois que os pais dela ficaram ao lado do tal Erick ao saber do ocorrido. Meu tio a contratou como sua assistente pessoal e desde então ela faz parte da nossa família.

Ela era responsável pelas secretárias da diretoria: Jessica Stanley, secretária do tio Jazz e Victoria Sawyer, secretária do meu pai. Eu não gostava de nenhuma das duas, Jessica era uma fofoqueira que não se dava ao respeito e vivia se insinuando para os donos e Victoria era uma louca obcecada pelo meu pai que vivia tentando tomar o lugar da Angie. Naquele dia ela provou a todos que era completamente louca quando tentou agredir minha amiga alegando que ela estava tentando roubar o meu pai dela. É claro que meu pai não deixou que ela fizesse o que queria e a demitiu na mesma hora. Eu fiquei uns bons minutos rindo da cara da doida que precisou ser arrastada pelos seguranças da empresa. Meu pai ficou sem secretária, mas pelo menos se livrou da louca.

Os dois dias seguintes eu fique no hospital o que só me deixou mais próxima da Rose que disse que Alice havia ficado apaixonado por mim e queria que eu fosse com elas ao shopping no fim de semana. Eu não estava acostumada a sai assim então fiquei animada com a possibilidade. Quando meu pai foi me buscar eu disse a ele sobre o convite mais ele ficou um pouco receoso, eu o entendia afinal ele não conhecia nenhuma das duas, mas eu realmente queria ir então comecei a pensar em um jeito de conseguir a permissão dele enquanto arrumava a mesa do jantar.

- Pai e se eu chamar a Angie para ir junto? – Eu perguntei enquanto ele terminava de fazer sua maravilhosa macarronada.

- Ir aonde? – Ele perguntou de volta distraído.

- Ao shopping. – Eu respondi me colocando ao seu lado. – Lembra que a Rose e a Allie me convidaram.

- Ainda insistindo nisso filha. – Ele disse meio inconformado. – Não entendo por que quer tanto sair com essas moças sendo que acabou de conhece-las.

- Eu gosto delas papai e você sempre diz que tenho que fazer mais amigos.

- Amigos da sua idade. – Ele disse colocando a travessa com a macarronada na mesa. – Todos os seus amigos são da minha idade ou algo próximo e isso não é bom Sophie, isso não é bom filha.

- Eu sou feliz com os amigos que eu tenho. – E disse o lhano para que ele soubesse que eu estava sendo sincera. – Só quero sair para me divertir um pouco papai, por favor.

- Tudo bem. – Ele cedeu depois de um tempo me observando. – Mas só se a Angie for junto, entendeu mocinha?

- Sim, muito obrigada. – Eu quase pulei encima dele só para demostra minha felicidade.

Depois do jantar e de lavar a louça liguei para Angie que não demorou em aceitar o convite. Antes de dormir eu ainda recebi uma mensagem da Allie me perguntando se estava tudo certo, quando eu respondi que sim ela me disse que estava ansiosa pois queria me apresentar duas pessoas muito importantes pra ele e ainda afirmou que tinha certeza que eu ia adorá-las.

Eu demorei a pegar no sono naquele dia, estava se possível ainda mais ansiosa, o que era bem engraçado, afinal era somente um passeio no shopping. Mas ainda sim algo dentro de mim me dizia que as coisas estavam começando a mudar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...