História Into You - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Adriano Ramos, Alícia Gusman, Bibi Smith, Carmen Carrilho, Cirilo Rivera, Daniel Zapata, Davi Rabinovich, Diana Ayala, Jaime Palillo, Jorge Cavalieri, Kokimoto Mishima, Laura Gianolli, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Valéria Ferreira
Tags Alicia, Carrosel, Ciriquina, Kobi, Marilina, Paulicia, Paulo, Stripper
Exibições 408
Palavras 4.980
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Eu sei, eu sei, eu falei em um comentário que eu iria postar so domingo, mas não resistir desculpa hsusjsus

Primeiro: o capítulo é o maior da fic ate agora.

Segundo: não odeiem a Luana, ela ta so fazendo o "trabalho" dela hahahja

Terceiro: na hora que eu pedir coloquem a música "earned it" do the weekend pra tocar, vai dar um climinha legal.

Quarto: NÓS JA TEMOS 50 FAVS E MAIS DE 1.000 VISUALIZAÇÕES, AHHHHJ EU TO PIRANDO, OBRIGADO A VOCÊS QUE ESTÃO FAZENDO DESSA FIC A MELHOR.

agora sem mais delongas, aproveitem! Bjs ❤

Capítulo 7 - Jogo de prazer!


Alicia entrou no apartamento em silêncio, tentando não acordar ninguém, mas a tentativa foi falha quando a luz se acendeu revelando uma Maria Joaquina muito brava.

-A onde você estava? -ela perguntou sentada em uma poltrona preta, com as pernas cruzadas e os braços sobre os da poltrona. Alicia parou no mesmo lugar e tentava falar alguma coisa, mas não saia nenhuma palavra. Ela nunca se imaginou numa situação dessas.

-eu fui esfriar a cabeça depois da nossa conversa e a chuva me pegou no caminho...

-junto com Paulo Guerra? -a patricinha disse arqueando a sobrancelha.

-como sabe que...?

-eu vi você chegando com ele! Alícia... -ela se levantou e foi ate a amiga com uma cara de "ja falamos disso".

-eu sei majo, eu sei... -Alicia se sentou no sofá e colocou o rosto entre as mãos. -mas não consigo, é mais forte do que eu. Quando eu to perto dele majo, é como se houvesse um imã que me junta a ele no momento que ele aparece!

A morena disse sorrindo como boba o que fez majo sorrir também. Ela não podia controlar a amiga, sentia aquela áurea romântica no ar. E ela não poderia impedir a amiga, não de se apaixonar, mesmo que isso trouxesse um risco no qual elas nunca se livrariam.

-se persistir com isso, sabe que teremos que redobrar o cuidado, não é? -majo falou ficando de frente para a amiga que a olhava de forma triste.

-eu sei... Só que eu ja estou envolvida demais, Majo. A próxima vez que Luana for dançar ele vai estar lá, e ela não pode fugir!

Alícia falou e soltou uma lufada de ar seguida por um espirro.

-droga de chuva... -bradou a morena que esperava uma resposta da amiga a sua frente.

Maria Joaquina levantou seu corpo e respirou fundo se dando por vencida.

-Alícia,faça o que seu coração pede! Se te deixa feliz então, vai me deixar feliz também e tenho certeza que a Car e a Bibi concordam, não é meninas! -Majo gritou e logo as outras duas amigas se revelaram de tras da porta fazendo Alícia rir.

-desculpa por isso, quando vi a majo sentar no total escuro eu achei que algo de ruim tivesse acontecido com você, lícia! -a nerd disse sentando no chão perto de Alícia que se encolhia com a jaqueta de Paulo nos braços.

-hoje a majo me provou que ela pode ganhar o Oscar, por que minha filha, que drama, hein? -a ruiva falou rindo e abraçando Alícia.

-gente... Eu amo vocês! -Alícia falou fazendo as amigas soltarem um "own". -é sério, mesmo quando eu faço merda vocês dizem: se te faz feliz, vai em frente! Vocês são minhas irmãs, e eu vou proteger vocês!

As amigas se abraçaram e deram as mãos, majo e Carmen ja tinham lagrimas nos olhos, alias não era todo dia que a marrentinha do grupo falava isso.

-amiga, eu so te peço uma coisa! -Maria Joaquina disse olhando para Alícia que prestava total atenção. -não misture as duas, em momento algum. Quando o Paulo sair para encontrar a Alícia, seja apenas a Alícia e quando ele sair e encontrar Luana, seja apenas ela!

Majo falou e alicia respirou fundo concordando em seguida.

-vou tomar todo o cuidado possível, gatas. Ninguém vai arruinar nossas vidas, ninguém!

Alícia disse sorrindo e abraçando as amigas.

-quem quer pizza? -Bibi gritou correndo ate o telefone assim que as amigas bradaram.

-eu vou tomar um banho e um remédio!

A morena disse indo para o quarto, enquanto as amigas se ocupavam na cozinha. Alícia entrou no banheiro e tratou de por as roupas no cesto, tomou um banho, se vestiu e pegou a jaqueta de Paulo sentando na cama em seguida. Ela sabia que ia ser difícil tudo isso. Teria que pensar não so nela, mas em todas as amigas fora Adriano e Jaime que também trabalhavam na boate. Ela teria que ser forte e cuidadosa, por todos.

" Ninguém vai arruinar nossas vidas, ninguém! "

Pensou na frase que disse agora a pouco e infelizmente, não teve tanta certeza de que realmente, ninguém, fosse acabar com o futuro dela e de seus amigos.

[…]

No dia seguinte a morena acordou com um humor incrivelmente bom. Levantou da cama e tomou um banho demorado. Vestiu uma calça jeans clara com rasgos na frente, uma regata preta e um all star branco. Arrumou os cabelos, passou rímel e um batom vermelho, chamando atenção para seus labios carnudos. Se olhou no espelho e sorriu ao ver sua imagem extremamente bela. Pegou a bolsa e os materiais e a jaqueta de Paulo. Aspirou o perfume que ali havia e desceu as escadas e pegou uma maçã encontrando Carmen sentada lendo um livro.

-Bom dia! -a morena disse e a amiga a olhou dos pés a cabeça fazendo uma careta engraçada.

-quem é você e o que fez com minha melhor amiga? -a nerd perguntou fazendo Alícia rir.

-Car, ultimamente você anda muito engraçadinha hein?

-desculpa amiga, mas nossa você ta muito bonita e acordou de bom humor.

-tenho meus motivos! -a maior disse sorrindo.

-e esse motivo se chama Paulo guerra?

Alícia balançou a cabeça de forma afirmativa e levantou assim que ouviu o interfone tocar.

-alo?

-senhorita gusman?  Tem um rapaz aqui dizendo que esta a sua espera, mando subir?

Alícia sentiu o coração palpitar com a notícia, mal conhecia Paulo e ja sentia o corpo corresponder rapidamente so de ouvir o nome dele.

-não, diga para ele esperar que eu ja estou descendo!

Alicia desligou e deu um beijo na melhor amiga, que apenas disse para ela tomar cuidado.
A morena pegou o elevador do prédio mais afoita que noiva em dia de casamento. Assim que as portas abriram, alicia saltou de dentro do elevador e saiu tentando não parecer uma maquina de tremedeira. Ela estava nervosa e ansiosa, mas claro que não deixaria isso transparecer. Passou pela portaria desejando bom dia para o porteiro e logo avistou Paulo encostando no capo do carro, fazendo jus a sua imagem de playboy milionário.

Assim que seus olhares se cruzaram Paulo abriu um sorriso aliviado e Alícia se xingou mentalmente por sentir o rosto corar ao ver o moreno sorrir daquele jeito.

-você esta linda!

-obrigado! Você também não esta mal, guerra!

Alicia disse irônica e entrou no carro seguida de Paulo.

-qual é Alícia? Vamos, admita que você me quer!

A morena soltou um riso baixo e colocou o cinto.

-vai sonhando, guerra! -Alícia disse colocando uma mecha do cabelo atras da orelha.

-então senhorita, ja tomou café?

-comi uma maçã, por que?

-ótimo, vamos tomar café juntos!

-e quem disse que eu quero tomar café com você?

-bem você entrou no meu carro, então!

Paulo deu partida e Alícia ficou o observando. Ele ficava lindo com aquele olhar concentrado na pista, o sorriso de canto quando a morena falava alguma ironia, ou o jeito que ele respirava fundo quando Alícia mordia os lábios sem perceber.
Depois de um tempo ele estacionou em uma cafeteria que Alícia nunca esteve antes.

-que lugar é esse?

-bem as letras dizem que é uma cafeteria, então creio que aqui é o lugar certo! A não ser que você queira tomar café num açougue!

-vai se catar, guerra! -a morena disse fazendo paulo rir e sem querer pegar a mão da menor e entrelaçar seus dedos. Alícia parou por um momento e ficou observando os tons de suas peles em contraste um com o outro. A menor sentiu aquelas malditas borboletas no estômago e se amaldiçoou por isso, mas era inevitável não se sentir feliz por estar com aquele idiota. Ela estava feliz por simplesmente tocar nele.

-Alícia? Tudo bem?

-ah... Ta, ta sim. Vamos?

Paulo sorriu e guiou Alícia para dentro do local sem soltar sua mão. Sentaram em uma mesa e a morena soltou a mão de Paulo rapidamente, o maior pareceu não se importar e logo estava fazendo o pedido dos dois.

Um silêncio confortável pairou entre os dois e Alícia tratou de quebrá-lo. Alias a última coisa que ela queria era ficar em silêncio na frente de Paulo guerra.

-eu trouxe sua jaqueta! -falou atraindo a atenção de Paulo que sorriu.

-sabe, pode ficar com ela se quiser! Sei que você dormiu agarrada com ela, não?

O moreno disse fazendo Alícia fuzilar ele com o olhar. Irritar a morena estava na sua lista de hobbies agora.

-por que você é tão convencido?

-por que você responde uma pergunta com outra pergunta?

Ficaram se encarando por um bom tempo ate que a voz da garçonete os despertou.
Alícia pegou o pedido em silêncio e começou a degustar do delicioso café expresso e um sanduíche natural.

Paulo parecia não ligar muito pra comida,no momento ele se perdia em cada movimento que a morena fazia.  Ela era linda ate quando não queria.

-Paulo,tem mosca no seu cafe.

Alícia falou rindo e Paulo apenas abanou a xícara degustando do líquido quente.

-gostei da sua calça,teve desconto por conta de todos esses ragos?

A morena sorriu sarcástica e jogou um guardanapo nele fazendo o moreno rir.

-vai dizer que não gostou? Aliás devo dizer que andou reparando mais do que apenas os rasgos,não?

-claro,não posso perder a oportunidade de observar suas lindas pernas!

Paulo disse bebericando seu café fazendo Alícia arquear uma sobrancelha.

-que bom que não sou a unica reparando algo em alguem!

Paulo a olhou de forma maliciosa e deu seu famoso sorriso de canto.

"Guerra,guerra você quer acabar comigo,só pode"

-esta flertando comigo,senhorita Alícia?

-bem se confesar que eu passo maior parte do meu tempo admirando seu sorriso é um flerte....sim!-Alícia disse naturalmente.

Paulo,pela primeira vez,ficou sem resposta. Ele tentou encontrar palavras para responder Alícia,mas não achou. Aquela garota era intrigante,e ele estava começando a gostar disso.

O moreno terminou seu café acompanhado de Alícia,pediu a conta e logo a garçonete estava ali.

-deu 24,60 R$…

Paulo abriu a carteira e Alícia fez o mesmo,causando uma expressão confusa no garoto a sua frente.

-Alícia...deixa que eu pago!

-Guerra,isso não é um encontro!

A morena falou fazendo a garçonete rir e receber um olhar fuzilante do maior. Pagaram a conta e sairam do local.

Seguiram até o carro e entraram no mesmo. Paulo deu partida e o caminho ate a faculdade foi cheio de alfinetadas e cantadas das duas partes,sem falar na enorme tensão sexual.

Paulo parou o carro no estacionamento e Alícia desceu vestida com a jaqueta de paulo.

-ta tão agarrada com minha jaquera,cuidado vai se apaixonar!

-iludido você hein ,guerra? Não estou apaixonada e mesmo que estivesse não seria por você!

-bom não posso dizer o mesmo!

Alícia parou tentando não derrubar sua pasta no chão ao ouvir aquilo,ele estava se confessando apaixonado por ela? Não,Paulo guerra não se apaixona,pelo menos não o Paulo que ela ouviu falar pelos corredores da faculdade.

-Bom,acho que é isso!

-é,você é uma bela companhia Senhor Guerra!

-ah confessou que gosta de estar comigo,já é um começo!

A morena revirou os olhos e voltou a caminhar.

-Alícia,Alícia...

-sim?

-você disse que isso não ia ser um encontro,certo?

-é,falei. Por que? -Alícia disse sorrindo de forma angelical. Paulo sentiu o chão sair de seus pés ao ver aquele sorriso. Como podia ser tão linda?

-isso quer dizer que se eu te convidar para sair sábado, vai ser um encontro?-o moreno perguntou de forma ingênua. Alicia deu um risinho e se aproximou do guerra que respirou fundo e fechou os olhos assim que a morena sussurrou em seu ouvido de forma sexy.

-vou pensar no seu caso,Guerra!

Dito isso a morena mordeu o lábio inferior e saiu andando,deixando um guerra sorridente para tras.

"Você ainda vai ser minha perdição,Alícia luana,oh se vai!"

[…]

Assim que as aulas do dia se deram por encerradas, as portas se abriram revelando varios alunos andando pelo campus. Paulo saiu com ao encontro de seus amigos no jardim, sentaram em roda e começaram a fazer planos para o final de semana, no domingo seria o aniversário de Marcelina e o irmão queria dar uma festa, a guerra mais nova insistia que não queria, pois sabia que o irmão so ia fazer isso para receber mulheres e bebida no apartamento, o aniversário era apenas uma desculpa pra tudo isso.

-eu ja falei, não tem necessidade disso, Paulo. Se quer dar uma festa não use meu aniversário como desculpa!

-para de ser chata, eu hein. Vamos lá vai ser legal, alias você vai fazer 19 anos Maninha, temos que comemorar!

Marcelina revirou os olhos e bufou derrotada.

-ta ta, que seja. Mas sem bolo gigante com fogos de artifício, da última vez você quase tacou fogo na casa!

Marce disse fazendo o irmão mostrar a língua pra ela e fazendo os amigos rirem.

-ja falei que amo esses dois?  -Valeria disse se referindo aos irmãos guerra.

-ta eles podem ser bonitinhos, mas irmandade fodastica mesmo é eu e minha Maninha! -Mario disse bagunçando o cabelo de Diana que ria, fazendo margarida olhar a namorada de forma apaixonada.

-limpa a baba ai, marga! -a Ferreira disse passando a mão na boca da amiga que sorriu sem graça.

-vá se foder, val! -marga disse abraçando a namorada arrancando varios "owns" dos amigos.

-" mas irmandade fodastica mesmo é eu e minha Maninha! " Bem menos amor, bem menos. -a guerra mais nova disse imitando a voz do, agora, namorado.

-PARA TUDO! -valeria disse se levantando e assustando a todos. -que papo é esse de "amor"? O ship ta junto e ninguém fala nada?

-bem... É, era pra ser surpresa... -Mario disse coçando a nuca enquanto Paulo o olhava fuzilante.

-Ayala temos que conversar!

-temos que conversar, nada paulo. Não vem com esse Papinho furado de ciúmes, por que eu to encucada com uma coisa aqui... -marcelina disse de forma maliciosa. -Quem é Luana?

A menor falou fazendo o irmão corar ao receber varios comentários dos amigos.

-acreditam que ele falou o nome dessa menina enquanto dormia?  Quero nem saber o que ele tava sonhando! -macelina disse sentando perto do namorado.

-ai, luana, eu te amo!

-isso luana, mais rápido...

Paulo ria alto enquanto os amigos faziam voz de menina com os comentários.

-credo, eu hein... Coitada dessa luana, se soubesse o que estão falando dela! -Diana se manifestou pela primeira vez, causando surpresa nos amigos.

-eita, achei que a baixinha ja estivesse morta, não tava falando nada! -Davi disse rindo.

-ela so fala em outras situações! -Daniel disse com um sorriso malicioso fazendo os amigos rirem.

-céus, dan, que horror! -margarida disse batendo no irmão.

-vai dizer que é mentira?

-isso não é da conta de ninguém! -Diana disse beijando a namorada.

-hey larga minha irmã, caminhoneira! -Daniel disse jogando uma bolinha de papel e Diana.

-oh, o amor é lindo. Acho que estou excitada! -Valéria disse sorrindo.

-céus, Davi, controla o fogo da sua namorada!-Paulo exclamou rindo.

-eu controlo e muito bem! -davi falou beijando a namorada.

De longe Paulo viu Alícia sentada no gramado do jardim ao lado de suas tres amigas, seguida de um loiro, Cirilo e Jaime. Eles conversavam sobre algo e todos pareciam bem alegres. Alícia estava sentada com Carmen deitada no seu colo. Enquanto os outros amigos comiam um pacote de salgadinhos. Alícia não tirava os olhos da amiga que sempre olhava para a rodinha dos amigos de Paulo.

-ele ta olhando? -Alícia perguntou para Carmen que ria do interesse da amiga.

-ta, ta sim, ele não tira o olho de você! Por que não vai la falar com ele?

-o que? Não, não... Eu não sou nada pra ele, ele vai me achar patética se eu simplesmente chegar la e dizer "oi Paulo, tudo bem? ".

Carmen ficou pensativa por um momento ate que teve uma ideia.

-ja sei o que fazer! Vem comigo. -a nerd disse levantando e puxando Alícia em seguida.

-o que?  Carmen, o que você ta fazendo?

-te ajudando, oras!

Caminharam ate a rodinha dos amigos de Paulo e assim que chegaram todos os olhares se voltaram para elas.

-oi amor, achei que não ia falar comigo hoje! -Daniel disse puxando carmen para seu colo. Alícia ficou ali apenas olhando tudo.

-ah, gente essa aqui é minha melhor amiga, Alícia!

-oi! -a morena falou timidamente e todos sorriram.

-senta ai com a gente! -koki falou de forma sugestiva e recebeu um beliscão do melhor amigo. -eita,ta doidão, Paulo!

-que isso, apenas te dando aviso!

-ah, a amizade! -valeria falou ironicamente.

-então Alícia, você cursa o que? -margarida perguntou para a morena que sorriu.

-estou cursando direito!

-corajosa! -falou Diana rindo.
-e vocês? -Alícia perguntou tentando se enturmar com os amigos de Paulo.

-eu, Dan e Davi fazemos medicina, paulo, marce e Diana administração, Koki e Mario medicina veterinária e Valéria publicidade! -marga disse recebendo um "uau" de Alícia.

A morena tentava se socializar no meio daquelas pessoas, mas era impossível se sentir confortável com o olhar de Paulo sobre si. Era estranho como ela ficava sem jeito ao estar perto dele. Carmen estava com o namorado e praticamente esqueceu da existência da amiga, o que fez Alícia bufa irritada.

-gente, tão afim de uma saidinha hoje? -Valéria dise animada.

-claro, que horas nos vamos? -koki disse arrumando a mochila.

-umas 19:00,por ai!

Todos confirmaram, inclusive Carmen. Paulo cocou a nuca e fingiu um compromisso, não que ele realmente não tivesse um compromissos, aliás estar com sua stripper era uma de suas prioridades.

-e você Alícia? Quer ir? -Diana perguntou sorrindo, margarida ao notar o interesse da namorada para com a morena fechou a cara numa expressão seria.

-ah, eu adoraria, mas fiquei de sair com minha amiga majo! -a morena disse nervosa. Hoje era seu dia de ensaio na dollhouse, não poderia faltar por nada.

-então é isso gente, nos vemos as 19:00. Bjs! -Valéria disse se despedindo dos amigos e saindo com Davi, kokimoto margarida e Diana.
Carmen e Daniel disseram que iam passear um pouco, deixando apenas Mario, Marcelina, Alícia e um Paulo calado para tras.

O guerra mais velho deitou na grama e ficou a observar o céu, enquanto Mario terminava um trabalho qualquer da faculdade. Marcelina vendo o quanto Alícia olhava para paulo, decidiu puxar conversar, talvez saber o por que de o irmão esta tão quieto ultimamente.

-então, Alícia, você conheçe meu irmão a muito tempo? -marce disse pegando Alícia de surpresa.

-bem... É, não. Como sabe que conheço ele?

-bem, você não tira os olhos dele! Me veio em mente que talvez vocês sei la, ja tenham saido. Enfim.

-bem, nos falamos algumas vezes, nada demais.

-ah, claro. Meu nome é Marcelina!

-prazer, bem o meu você ja sabe! Gostei do seu cabelo!

-obrigado. -a menor disse sorrindo e olhou diretamente para o corpo de Alícia, marcelina sorriu maliciosamente ao ver a morena vestida na jaqueta do irmão.

-gostei dessa jaqueta, como fez pro Paulo te dar? -a guerra mais nova disse sorrindo e Alícia engoliu seco. A morena balbuciou algumas palavras.

-bem... É...ele... Ele me deu. Apenas. Enfim...

Marcelina soltou uma risada fraca e Alícia apenas cruzou os braços.

-você fica engraçada nervosa! -Marcelina disse fazendo Alícia a olhar séria. -então e verdade!

-o que?

-meu irmão. Ele anda bem mais quieto esses dias, sabia que tinha menina no meio!

-mas isso não significa que seja eu!

-sei la, seu nome é Luana?

-como sabe meu nome? -alicia disse confusa.

-eita, você também se chama Luana?

-sim, Alícia luana, o Paulo... Falou de mim? -sabe aquela pontinha de felicidade de saber que alguém fala de você pra familia,amigos? Alícia sentia isso.

-falou, durante um sonho.

Alícia se permitiu sorrir e olhar para paulo que parecia dormir. Ele estava lindo. A camisa jeans, calça bege, os cabelos balançando por conta do vento. Ele era lindo sem nem fazer esforço.

-oh, céus, você realmente gosta dele!

-o que?  Nao, nao, nao. Eu não gosto dele!

-claro que gosta! Por que não fala pra ele?

Alícia olhou fundo nos olhos de Marcelina. Ela não estava apaixonada, ou so não quisesse provar pra si mesma, ou o medo fazia com que ela se guardasse. Pensava em como seria ruim quando Paulo descobrisse o que ela faz. So de imaginar ja sentia vontade de chorar, ser rejeitada por Paulo era a última coisa que queria, mesmo em pouco tempo a morena sentia a necessidade de não magoá-lo.

-não posso...

-Ue, por que não?

-é complicado...

Alícia abaixou a cabeça e sentiu a mão de Marcelina sobre a sua.

- olha, Alícia, eu não sei o por que de você não querer falar, mas acho que não vale a pena criar um muro pra se proteger, você pode se proteger da dor, mas pode impedir também de descobrir um grande amor! Vai por mim, eu ja passei por isso! -a baixinha disse olhando para o namorado que guardava seus livros na mochila.

Alícia respirou fundo e sorriu fraco. Talvez Marcelina tivesse razão, talvez ele devesse tentar.

-vamos, amor? -o menino ao lado de marcelina disse em pé.

-claro, bem ate amanhã Alícia, foi bom te conhecer! -marcelina disse sorrindo e abraçando Alícia que retribuiu.

A morena ficou sozinha no local, com um guerra sonolento ao lado. Decidiu deitar-se ao lado dele e assim o fez. Ficou obsevando cada linha de seu expressivo rosto e se pegou imaginando beijar aqueles lábios carnudos e vermelhos.

-Alícia, para de me encarar, esta me assustando!

-idiota.

A morena disse se assustando e o maior riu da reação de Alícia.

-hey, não vai embora! -Paulo pediu segurando na mão de Alícia. A morena respirou fundo ao olhar naqueles olhos que imploravam que ela ficasse ali. Não tinha como resistir.

A morena deitou mais perto dele e se surpreendeu quando ele passou um braço pela sua cintura. Alícia paralisou ao sentir aquele toque, mas em seguida sorriu, aquilo poderia ser uma última vez e ela aproveitaria. Aproveitaria o que a vida estava lhe proporcionando ao lado de Paulo, mesmo sabendo de sua fama, mesmo sabendo que poderia botar tudo a perder, ela estava se envolvendo demais, tanto como Alícia quanto como Luana, ela estava numa viagem sem volta e aproveitaria cada minuto disso.

-se acha que vai me levar pra cama so por agir assim, esta muito enganado!

-quem disse que to fazendo isso so pra te levar pra cama? -paulo disse olhando nos olhos de Alícia. -eu só quero ficar perto de você, posso?

Alícia não sabia se era ilusão, mas sentiu total sinceridade naquelas palavras. A morena sorriu e colocou seu braço por cima do de Paulo, acariciando sua mão.

-posso te levar em casa?

-Paulo...

-so hoje, por favor? -Alícia sorriu, tem como não se apaixonar por aqueles olhos brilhantes cheios de esperança? Aquele garoto estava sendo o fim de Alícia.

-tudo bem, mas vamos logo. Eu preciso fazer umas coisas em casa.

-certo! -Paulo levantou e puxou Alícia, segurou em sua mão e caminhou com ela ate o estacionamento, ao passar perto das amigas Alícia disse que iria embora mais cedo, recebeu um olhar temeroso de majo e um malicioso de Bibi, como sempre uma grande pervertida.

Alícia entrou no carro seguida de Paulo, o moreno deu partida no veículo e alguns minutos depois ja estavam na frente do prédio de Alícia.

-bem, esta entregue, senhorita!

-obrigado, tem que parar de me dar carona, to começando a me acostumar. Ainda mais esse seu carro que é todo luxuoso. Céus, so a capa desse banco deve custar meus rins! -Alícia disse rindo e Paulo a acompanhou.

-bem dramática você, mas não é tudo isso, qualquer dia te levo na minha casa e te mostro os outros dois!

A morena ficou boquiaberta e sorriu.

-céus  você tem outros carros? Meu deus, tudo o que tive na vida foi uma bicicleta e ela foi roubada! -a menor falou fazendo o garoto rir. Estar com Alícia era bom, e Paulo ja de sentia dividido entre a companhia e bom humor de Alícia, e a sensualidade de Luana, aquilo estava acabando com ele.

-então, tenho que ir. Obrigado por me trazer aqui!

-mais uma vez, eu que agradeço, gosto de estar com você.

-guerra e suas cantadas! -Alícia disse sorrindo e revirando os olhos.

-então pensou na minha proposta do encontro? -o maior perguntou ansioso.

-ainda to pensando, posso te dar a resposta amanhã? -Alícia disse mordendo os lábios e instintivamente Paulo olhou para a boca de Alícia desejando poder sentir a textura dos mesmos.

-é... Claro. Eu espero. Até... Ate amanha!

-até, guerra!

Alícia falou e saiu do carro indo para dentro de seu prédio. Paulo ficou alguns minutos ali, apenas pensando no quanto ele seria feliz se pudesse ter luana e Alícia na mesma pessoas. As coisas seriam mais fáceis e ele não estaria enlouquecendo sobre com quem realmente querer estar, ou gostar. Estava dividido entre o desejo por Luana e a leve paixão por Alícia. As duas mulheres estavam acabando com ele. E ele não sabia o que fazer, no momento ele so sabia que queria as duas, de alguma forma, mas queria.

[…]

Depois de deixar Alícia em casa, paulo foi para o apartamento, tomou um banho, se vestiu impecavelmente e saiu pelas ruas de SP ate a dollhouse, minutos depois ele estacionou o carro preto e luxuoso na frente do estabelecimento.
Ficou alguns minutos a espera do horário certo. Olhou no relógio e o mesmo marcava 19:30. Sorriu. Desceu do carro e seguiu até dentro do estabelecimento após apresentar seu convite. Andou e olhou por todos os lugares. Não havia ninguém.

[Dêem play na música]

Parou onde estava e ouviu ao longe uma batida lenta e totalmente sensual. Andou mais alguns metros e viu a silhueta morena bailar de forma sexy, a luz vermelha dava a Luana um ar sensual. Coisa da qual não precisava. Suas mãos passeavam pelo corpo indo de seus seios ate o meio de suas pernas, ao ver isso Paulo engoliu seco, nunca em momento algum uma mulher fez ele se sentir tão quente so em dançar. O moreno foi ate perto do palco e sentou em uma das cadeiras. Luana mantinha os olhos fechados, virou de frente e Paulo quase sentiu seu coração errar uma batida, mas a morena estava de máscara. Não foi dessa vez.
Luana segurou na barra prateada e brilhante que havia no meio do palco. A mulher rebolou o corpo lentamente indo ate o chão, subiu e prendeu as pernas na barra subindo praticamente ate o topo, desceu somente o tronco e jogou os braços dando visão de seus seios firmes cobertos apenas pelo top preto, o pescoço brilhante por conta do suor e a barriga definida. Parecia um anjo. A stripper desceu do pole dance e caminhou lentamente ate uma cadeira preta no palco. Ela sentou, abriu as pernas e deslizou as mãos pela barriga, indo até as pernas e parando em sua intimidade. Seus movimentos eram puramente sexuais e faziam o Guerra soltar supiros. O morena se sentia quente, queria poder tocar naquele corpo esculpido por deuses, poder selar seus labios nos labios carnudos de Luana. Mas como ela disse, aquilo era um desafio, e ele faria de tudo para ganhar. A música acabou dando fim a dança da sua stripper. Luana ainda estava sentada quando se assustou com o barulho das palmas de ninguém menos que Paulo Guerra.

-Como deixaram você entrar aqui? -a mulata perguntou ofegante.

-oi para você também, Luana! -Paulo disse ironicamente, ainda sentado na poltrona.

Luana pegou sua toalha e a garrafinha de água descendo as escadas do palco em seguida.

-você não deveria estar aqui, o ensaio é privado!

Luana bebeu sua água e colocou as mãos na cintura, olhando para o Guerra em busca de resposta.

-aliás como entrou aqui?

Paulo levantou e foi ate Luana que recuava para tras conforme o homem ia se aproximando, não era muito inteligente ficar perto de guerra, não com aqueles olhos sobre si, quase a comendo.

-vamos dizer que eu tenho fontes! -o maior disse sorrindo de canto. Aquele sorriso que fazia a mulher perder o fôlego.

-vá embora!

-por que?

Paulo perguntou e colou seu corpo no de luana que automaticamente suspirou com a proximidade. Paulo chegou perto da orelha da morena soltando um suspiro, Luana, involuntáriamente, soltou um gemido fraco. Paulo sorriu.

-quer que eu vá embora por que eu causo em você aquilo que ninguém consegue?

-bem convencido você, hein?
Luana disse e com um pouco de esforço afastou Paulo. A morena ja tinha a calcinha num estado deplorável.

"Valeu guerra!" pensou assim que o mais velho sorriu de canto.

-quando vai se convencer de que você me quer tanto quanto eu quero você? -o moreno perguntou fazendo Luana rir sarcasticamente.

-e quem disse que eu quero você? Sabe como eu sou conhecida aqui? -a morena perguntou com as mãos na cintura e um ar superior. -Eles me chamam de intocável!

Ao ouvir aquilo Paulo sorriu ainda mais e de certa forma aquilo deixou Luana com medo. Ele ia fazer de tudo para conseguir ela. E no fundo, Luana queria que ele conseguisse.

-vamos ver ate quando você se chamará assim! -Paulo disse imprensando a menor na parede. Luana fechou os olhos e respirou fundo. Precisava tirar forças de onde não tinha para não atacar aqueles labios carnudos de Paulo.

-Guerra, vai embora! Eu não vou ceder tão fácil!

-assim como eu não vou desistir tão facil!

-eu so vou entregar isso aqui... -a menor falou apontando para o próprio corpo. -Para quem realmente merece!

Paulo analisou o rosto de Luana e a soltou, arrumou a camisa no corpo e se afastou da morena que o fitava com um sorriso cínico.

-tudo bem, você venceu hoje! Mas eu vou mostrar que mereço isso mais do que qualquer pessoa!

Dito isso Paulo sorriu e saiu dali com uma única certeza: Ele teria Luana, custe o que custar!


Notas Finais


Gente do céu, que fogo é esse desses dois? To amandoooooo e o Paulo todo fofo com a alícia, que lindos cara. E ai amores? O que acharam, comentem, surtem, hsusuus eu amo ver vocês surtando nós comentários, até mais e eu tenho um comunicado para vocês: ESTOU COMEÇANDO A ESCREVER UMA FIC LEOTHER HSUSUSUS SIM EU SHIPPO MUITO ELES TAMBÉM. não sei quando vou postar, acho que depois que eu terminar "into you",por que eu não quero ficar com tanta fic atrasada. E é isso, até o próximo, beijos de rapha ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...