História Into You - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon, Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Exibições 89
Palavras 1.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


TERCEIRA FIC DA PROPOSTA, AEEEEEEEEEEEEE
Eu diria surpresa, mas acho que vocês nem estão mais tão surpresas, mas mesmo assim... SURPRESA HAHAHAHAHA
IY vai ter uma vibe meio Gossip Girl (assim como outra fanfic que deve sair em breve), então, fiquem espertas hu3
Bom, sem mais delongas, vamos que vamos hahaha
Boa leitura o/

Capítulo 1 - Sol


 

New York City

Madness Club

01:20 A.M.


 

— Anda, cara!

E então Aaron Carpenter dá outro empurrão no garoto a sua frente. Shawn Mendes cambaleia por um breve segundo, e logo se volta para o amigo com um sorriso. Ele teria protestado em outro momento, mas o torpor do álcool o impede de raciocinar claramente. Não que ele seja do tipo que sempre acaba bêbado, mas não se faz dezoito anos todos os dias, não? Portanto, o rapaz apenas apoia-se numa parede para recobrar o equilíbrio e então move seu corpo rumo as portas duplas que marcam a entrada da boate.

As luzes coloridas de New York são substituídas por quatro luzes vermelhas, cada qual em um canto do cubo de paredes pretas. Corpos movem-se de um lado a outro no centro, enquanto que uma das paredes é ocupada por um palco onde quatro formas não tão distintas movem-se ao redor de quatro postes prateados. O garoto de pele alva se adianta em meio aos corpos, esbarrando em alguns até finalmente se ver diante do palco. Uma das garotas, o cabelo claro reluzindo com as luzes da boate, desliza seu quadril pelo poste e sobe com a bunda empinada, abrindo um sorrisinho e dando uma piscadela para o rapaz.

— Porra, Mendes, não some desse jeito. — Cameron Dallas puxa o amigo pelo colarinho, mas Shawn mantém o olhar fixo na loira.

— Ele tá muito chapado. — Aaron gargalha, dando um gole em sua garrafinha prateada.

Shawn permanece alheio a conversa dos amigos, observando a loira mexer o corpo com agilidade diante da multidão. O torso da mulher não é nenhum segredo, já que é marcado por um pequeno e apertado maiô de couro. O garoto apoia as mãos sobre o palco, sentindo sua consciência clamar para que ele suba para vê-la de perto.

— Nem fodendo, Mendes. — Cameron torna a puxá-lo, tentando falhamente afastar o maior do palco. — Cara, para de ser otário!

— Você ainda nem viu a melhor parte da surpresa. — Aaron completa, atraindo a atenção do rapaz.

Shawn dá mais uma olhada para a stripper sobre o palco, o que pode ser melhor que aquilo? Aceita de bom grado quando Aaron lhe oferece a pequena garrafinha, entornando o resto da bebida. O fervor do uísque faz sua garganta queimar, mas a sensação já se tornou familiar demais para ser considerada um incômodo.

— Cara, já está quase na hora. — Cameron consulta o rolex em seu pulso, e então faz menção para os outros amigos.

Os três seguem em silêncio em meio a multidão. As pessoas olham para o trio com certa desconfiança, afinal, o que três engravatados fazem em um strip club daquele lado de Manhattan? Era motivo de sobra para desconfiança, mas Cameron, Aaron e Shawn permanecem bêbados demais para notar ou até mesmo se preocupar com o fato. Seguem cambaleantes até a escadaria na lateral do cubo até finalmente darem de cara com um rapaz alto, musculoso. O nome “segurança” pode ser lido em amarelo em sua blusa preta, e apesar da escuridão no andar de baixo, o homem usa óculos escuros.

— Este é Shawn Mendes. — Cameron apresenta o amigo para o segurança, que permanece impassível. — Ele vai comemorar os dezoito anos com a Sol.

Finalmente, os braços do homem se descruzam enquanto ele abaixa o óculos o suficiente para encarar o garoto. Uma vontade de rir enorme cresce dentro do aniversariante, e apesar da embriaguez, Shawn consegue contê-la. Após uma breve avaliação, um sorriso divertido estampa os lábios do segurança, que abre passagem para um corredor pintado de amarelo repleto de portas brancas.

— Ultima sala do corredor. — o olhar do segurança recai sobre Shawn. — Divirta-se, rapaz.

Aaron toma a dianteira, guardando a garrafa vazia em um bolso interno do paletó. Os passos dos três ecoam no corredor, e a música no andar de baixo agora é apenas um ruído ao longe. Shawn cambaleia, apoiando-se nas paredes enquanto via as portas duplicadas. Logo, os dois mais sóbrios param diante da única porta preta do corredor e então se voltam para o amigo embriagado.

O garoto precisa estreitar os olhos por alguns minutos até se dar conta de que há um sol dourado e brilhante no topo da porta.

— Cara… — Aaron pega o amigo pelos ombros. — Isso vai mudar sua vida.

— Aproveite pra caralho. — Cameron sorri e abre a porta, empurrando o mais novo para dentro.

Mais uma vez, o garoto precisa piscar várias vezes para se adaptar não a luz do lugar, e sim a falta dela. Há apenas um feixe vindo de uma pequena luminária no teto, o suficiente para que ele enxergue uma poltrona vermelha encostada na parede. Não é um quarto, diferente do que ele imaginava. Para ele, a tal Sol deveria ser uma prostituta ou algo do tipo, mas não há nenhuma cama no lugar. Senta-se na poltrona e sente sua cabeça girar, onde os dois amigos haviam lhe enfiado?

Olha seu relógio a tempo de ver o ponteiro mover-se até o número seis, marcando 01:30. No mesmo instante, um holofote de luz vermelha se acende a sua frente, revelando o que ele jamais imaginara.

Um cubo de vidro.

Um quê de curiosidade crescia cada vez mais no rapaz, e ele não demorou a se levantar. Cambaleou na direção do cubo, tocando as paredes grossas. Não era muito pequeno, era do seu tamanho e ocupava boa parte da parede, sem contar o poste dourado no meio. Olha para o alto e é cegado pela luz vermelha, o que faz sua cabeça latejar. O que isso significa?

A parede vermelha atrás do cubo revela um retângulo de claridade. Estreita os olhos para poder visualizar melhor, e enxerga uma silhueta pequena adentrar no cubículo. A primeira coisa que focaliza são os olhos castanhos; pequenos, brilhantes e atentos. Sente-se exposto e desarmado diante do olhar inquisitivo da mulher a sua frente, mas a sensação não lhe é tão ruim quanto deveria.

A pele dela possuí o mesmo tom, assim como os cabelos. Analisa-a de cima a baixo, reparando que, apesar de baixa, ela ganha alguns notáveis centímetros com o salto na mesma cor do poste. Poucas partes de seu corpo são cobertas pela lingerie vermelha, expondo assim a pele brilhante. Apoia as mãos sobre as paredes de vidro e um sorrisinho surge nos lábios perfeitamente pintados da morena, que apoia a longa unha do indicador sobre o próprio lábio inferior e o puxa.

Shawn assiste as mãos ágeis da menina envolverem o poste enquanto ela o rodeia devagar, um passo de cada vez, um pé após o outro. Em momento nenhum os olhos de algum dos dois se desviam, e em um movimento rápido, Sol agarra o poste e pendura-se nele, uma perna de cada lado enquanto roda. Pego de surpresa, o garoto dá dois passos para trás enquanto ouve uma batida baixa começar a ecoar na sala. Em poucos segundos, ele reconhece o início da música de Ariana Grande.

Sol sorriu enquanto firma seus pés no chão, deslizando seu tronco pelo poste. Vira-se de costas, mantendo as mãos para trás enquanto sua bunda desliza no mesmo. O garoto engole em seco, sentindo suas pernas baterem contra a poltrona. Senta-se sem ao menos piscar, fazendo de tudo para não desviar o olhar da mulher no cubo. Quer tocá-la, quer estar ali, e só então entendee o porquê do nome Sol: jamais poderia tocá-la, e teria que se contentar apenas com o brilho e o calor que ela lhe transmitia.


Notas Finais


Será que ele não vai tocar mesmo? HAHAHAHAHA vamos ver né!

Grupo do face: https://www.facebook.com/groups/546395568895604/
Grupo do WhatsApp: Nome e DDD+Número por MP!
E onde mais me achar haha: http://ask.fm/AtriaGrey ou https://twitter.com/sickeningmendes

Nos vemos em breve, amores!
Xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...