História Into You - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Exibições 73
Palavras 782
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi oi gente.

Sim, mais uma fic para vocês.

Essa idéia estava vagando pela mente desde o início desse ano, quando eu assisti outra vez Defensores de Berk.

Essa fanfic se situa logo no início de "Exilado parte 1".

Prontos para a Astrid mais açucarada da vida de vocês? Hahahahaha.

Espero que gostem.

Boa leitura meus amores ♡.

Capítulo 1 - Prólogo


 

Quando Soluço, Perna-de-Peixe e os gêmeos viram o corte na cabeça de Astrid, logo depois que a garota caiu da Tempestade por culpa do Melequento, o desespero foi coletivo. 

Para completar, Melequento se gabava de seu "tiro perfeito", irritando o próprio Soluço, que nunca havia perdido a paciência. 

-Cale a boca, Melequento! - Ele gritou, assustando os outros adolescentes. - A Astrid pode morrer por sua culpa, e se ela morrer, eu juro que te mando para a estaca! - Ele ameaçou. Melequento engoliu a seco, mas não desfez a pose corriqueira. - Banguela, vamos. 

Os dois alçaram vôo, indo o mais rápido que conseguiam para a casa de Gothi. Uma fila de vikings doentes esperavam pelo atendimento da curandeira, normalmente Soluço esperaria, mas ele não tinha tempo, cada minuto seria importante para evitar algo fatal. 

Ele não precisou se desculpar ou dar explicações para os vikings que estavam ali, todos tinham visto o sangue e essa visão era tudo o que precisavam para compreender que algo sério tinha acontecido com a garota. 

Ele a deu para a curandeira, que a colocou em uma cama e limpou o machucado com algumas ervas. Soluço estava inquieto, andando de um lado para o outro, impaciente e atento a tudo o que a idosa fazia.

Bocão chegou logo em seguida e, logo que chegou, Gothi começou a rabiscar algumas coisas e Soluço ficou apreensivo.

-Ela disse que a garota está bem. - Bocão traduziu e Soluço soltou a respiração que prendia. - Mas a pancada foi forte e precisa esperar que a garota acorde para ver se não teve nenhum efeito colateral.

Soluço engoliu a seco, mas assentiu. 

-Obrigado, Gothi. - A curandeira assentiu e logo saiu. Bocão saiu alguns minutos depois, deixando Soluço sozinho com a garota inconsciente. 

Ele pegou uma cadeira que estava no canto e a colocou ao lado da cama, ficando ali a observando dormir. Ela estava pacífica e se não fosse pela faixa de pano na cabeça dela, ele juraria que ela estava apenas dormindo e não desmaiada por culpa da imprudência do Melequento. 

Ele ficou ali durante toda a noite, com a esperança de que ela acordasse. Os pais dela haviam vindo e dito para que ele fosse descansar, que eles ficariam com ela, mas ele recusou. Ele queria estar ali, queria esrar ao lado dela como ela havia feito quando ele estava inconsciente pelo Morte Rubra - isso foi o que seu pai o disse -, ele queria ver aquele par de olhos azuis se abrirem e olharem para ele, ele a queria ver com raiva do Melequento por tê-la feito cair. Queria ouvi-la dizer que pegaria seu machado e mataria o Melequento e queria dizê-la para não fazer isso, queria segura-la e impedi-la de ir atrás dele. Mas não podia ter nada disso enquanto ela estivesse inconsciente. 

Era por volta das três da manhã quando Soluço finalmente adormeceu, ainda na cadeira ao lado dela. Banguela entrou na casa, ele não pôde ficar lá dentro enquanto Gothi examinava a garota, então havia voltado para a casa, esperando por seu melhor amigo. Quando ele percebeu que seu amigo não voltaria naquela noite, ele decidiu sair e vê-lo.

E lá estava o Fúria da Noite, silenciosamente entrando na casa da anciã. Ele viu Soluço adormecido em uma cadeira e a loira inconsciente na cama. Ele se aproximou da cama, não podendo evitar e voltando aos dias após a batalha contra o Morte Rubra, quando Soluço estava inconsciente e Astrid passava a maior parte do tempo ao lado dele, agora o inverso havia acontecido, quanta ironia. 

Ele olhou para ela e grunhiu baixinho, bufando logo em seguida, tentando acordá-la. Ele a cutucou com o focinho algumas vezes, parando apenas quando a viu franzir a testa e a escutou começar a murmurar alguma coisa que ele não conseguiu entender. O dragão se afastou um pouco da cama, olhando para ela com expectativa e excitação. 

Quando a garota acordou, a primeira coisa que viu foi uma enorme critura negra escamosa, com olhos verdes enormes e penetrantes... Sorrindo para ela? A criatura se aproximou e ela não pôde evitar o medo que a invadiu. O que era aquela criatura? 

Sem saber o que fazer, ela gritou. 

Banguela se assustou com o grito da loira, ela parecia... Com medo dele. Ele viu a garota se encolher na cama e Soluço acordar assustado. 

O adolescente olhou para os lados e sorriu quando percebeu que a... Namorada? Bom... Que a Hofferson havia acordado.

-Astrid, graças a Thor você acordou. Como se sente? - Ele tentou se aproximar dela, mas ela se afastou dele, o olhando assustada. Soluço franziu a testa.

-Onde eu estou e quem é você? 


Notas Finais


Então amores, gostaram?
Comentem expectativas.

See Ya 😘.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...