História Into You - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui
Tags Camren, Camren G!p, Lauren G!p
Visualizações 524
Palavras 5.416
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey! Olha só quem voltou😅
Como estão?

Queria me desculpar brevemente aqui com vocês, babes. Dessa vez eu sei que acabei demorando para postar, mas eu volto a lhes dizer, esse ano está e estará sendo muito corrido para mim. Do jeito que as coisas têm andado, não tenho tido tanto tempo quanto gostaria para escrever e postar aqui, mas eu tenho tentado, ok? Então me desculpem se demorei demais ou caso aconteça de novo.

Agora vamos ao capítulo, huh?👀

Capítulo 10 - The Talk.


Fanfic / Fanfiction Into You - Capítulo 10 - The Talk.

Receio

Substantivo masculino.

1- Sentimento de apreensão diante do que se julga perigoso;

2- Incerteza acompanhada do medo em relação a resultados;

3- Temor.

- Podemos conversar? - Perguntou Sofia.

Naquele momento, eu não fiz mais nada que não assentir, prendendo a respiração por alguns segundos. Ela indicou o sofá com a cabeça e eu sentei receosamente, com ela vindo logo em seguida.

- Onde estão os nossos pais? - Eu pergunto incomodada com todo o silêncio incomum na casa.

- Foram ao supermercado. - Ela diz objetiva e eu assinto.

- Sobre o que você queria falar? - Questiono apreensiva e olho para as minhas mãos em meu colo, não querendo realmente encará-la.

- Tem certeza que você não sabe? - Ela pergunta e eu olho pra ela, que tinha uma sobrancelha arqueada.

- Tenho uma ideia, mas não tenho certeza. - Dou de ombros e ela suspira.

- Por que você não me falou sobre você e Lauren? - Pergunta dando confirmação do que eu imaginava ser o assunto. Dessa vez eu quem suspirei e fechei os olhos por um momento.

- Talvez porque eu não pudesse sequer tocar no nome dela sem você ter uma crise de ciúmes? - Murmuro e ela desvia o olhar.

- Mas é diferente. Se eu soubesse desde o princípio, eu... - Ela falava, mas parou assim que me viu com uma sobrancelha arqueada - Tudo bem, eu sei que sou ciumenta até demais, mas mesmo assim, pensei que contássemos tudo uma para a outra. - Murmura chateada e sinto meu coração apertar.

- E nós contamos. - Falo segurando sua mão - Eu ia contar, mas estava pensando em como fazer isso sem despertar tanto seu ciúme. Porque não se trata apenas de mim, trata-se de Lauren também, e eu jamais faria nada para prejudicar a amizade de vocês, então queria esperar pelo momento certo para falar. - Explico e ela suspira, logo soltando sua mão da minha.

- Isso não me faz sentir menos chateada com ela também. Eu queria que ela tivesse ao menos tentado, não sei...

- Nós iríamos, ok? Nós duas, juntas, estávamos pensando em como te contar, só... - Ela me interrompe.

- Tudo bem. Eu acho que isso eu consigo entender. - Fala - Desde quando? - Pergunta.

- Nos beijamos pela primeira vez há pouco mais de um mês. - Falo e ela arqueia as sobrancelhas - E você já sabe desde quando?

- Eu não sabia realmente, não podia ter certeza, mas desconfio desde o dia em que você foi passar a tarde na casa dela depois de uma prova. - Respondo e eu assinto, realmente lembrando desse dia, no qual Andrew havia dito muitas besteiras para Lauren.

- Você está chateada? - Pergunto culpada e ela suspira.

- Acho que sim, mais do que queria estar. Mas eu entendo suas razões para não ter contado. Só pensava que pudéssemos passar por cima disso. - Fala dando de ombros, visivelmente aborrecida e eu me senti mal.

- Desculpa. - Murmuro - Eu sempre corri para te contar tudo e ter que esconder isso de você foi péssimo para mim, eu me senti mal, mas eu fiz o que pensei ser melhor para o momento. - Complemento e Sofia assente.

- Essa parte eu já entendi. Agora eu preciso saber o resto : se você tem certeza disso. Até porque Lauren é quarto anos mais velha, Camila; se ela tem te tratado bem; o que ela pretende. Enfim...

- A idade realmente não me parece importar em nada, não muda nada, ok? - Ela assente após um tempo e eu continuo - Além disso, sim, acho que nunca me trataram tão bem quanto Lauren me trata. Ela sempre faz de tudo para que eu me sinta o melhor possível em todas ocasiões, ela ouve meus problemas e sempre me ajuda em tudo, ela me faz rir o tempo todo, adora me encher de elogios sempre, é muito carinhosa, um amor, apenas estar na presença dela já me faz bem, ainda assim ela se esforça para tornar tudo ainda melhor. Enfim, ela nunca fez nada de ruim e acredito que jamais faria. - Falo não podendo evitar um sorriso em alguns momentos e ela assente de novo.

- Eu realmente não achei que fosse possível Lauren tratar alguém mal, principalmente alguém com quem ela esteja se envolvendo já que ela é sempre tão.... gentil. Mas eu tinha que me certificar né? - Ela fala e eu apenas assinto sorrindo fraquinho.

Desde que a conversa começou, eu ainda não havia relaxado, além disso, o fato de minha irmã ainda não ter esboçado um sorriso ou pelo menos a sombra de um só servia para piorar a minha situação. 

- Você gosta dela? - Pergunta direta como sempre.

- Antes de tudo isso, nós criamos uma incrível amizade, algo que eu aprecio bastante. Saímos já há um tempo e eu acredito que realmente esteja gostando dela, mas não há pressa em nenhum dos lados. - Eu falo e ela concorda com a cabeça.

- Entendo. Eu... posso ver que ela tem te feito bem, você exala isso no dia a dia. Eu percebo isso faz tempo. Talvez eu esteja muito bolada ainda com isso, mas nada com o que deva se preocupar, só saiba que... vocês podem contar comigo. - Ela fala e eu sorrio - Mas se Lauren pisar na bola, ela vai se ver comigo. - Diz ainda séria e eu a abraço apertado, sentindo ela retribuir.

- Eu já disse que você é a melhor irmã do mundo? - Pergunto e a ouço rir, relaxando imediatamente.

- Só saiba de uma coisa. - Fala ao separamos o abraço - Assim como eu não vou estar contra vocês, eu também não vou facilitar nada para as duas. - Ela volta a ficar séria - E meu ciúme não diminuiu em nada, é bom que saiba.

- Eu não esperava que fosse, então tudo bem. - Falo com humor e ela apenas ri pelo nariz.

Com apenas um aceno de cabeça, ela levantou e subiu, sem dizer uma palavra a mais. Eu sentia um clima diferente entre nós agora e não havia mudado para melhor, definitivamente. Entretanto, eu daria esse tempo para Sofia poder pensar um pouco e absorver melhor tudo isso. Talvez seja só do que ela precisa.

Subi pouco tempo depois, indo pro meu quarto para então poder falar com Lauren. Antes disso, deixei o meu celular carregando enquanto tomava um banho rápido. Vesti um moletom cinza do Mickey e uma calça de moletom também cinza, decidindo secar meu cabelo só depois de falar com a garota de olhos verdes. Aliás, havia uma mensagem sua ali de meia hora atrás.

Lo : Ei, Camz! Acredito que ainda esteja conversando com sua irmã agora, eu só estou avisando que acabo de chegar em casa c;

Aquela mensagem havia chegado às 10h00PM, cerca de uma hora atrás.

Camila : Lo, ainda está acordada?

Camila : Posso te ligar?

Lo : Estou aqui, Boo. Claro que sim, pode.

Assim que li sua mensagem, o fiz, e Lauren não demorou nada para me atender.

Ei, Camz, está tudo bem? - Ela perguntou assim que atendeu e não pude lutar contra um pequeno sorriso que se instalou em meu rosto pelo seu tom preocupado.

- Está sim, Lo, quis ligar apenas pra poder contar melhor como foi a conversa com Sofia. - Respondo.

- E como foi, Boo?

- Não tão boa, mas melhor, bem melhor do que eu esperava. - Eu falo e ouço seu suspiro, que eu imaginei ser de alívio.

- Isso quer dizer que ela não está chateada conosco? - Lauren pergunta esperançosa.

- Isso quer dizer que ela está bem chateada por nenhuma de nós ter contado, mas ainda assim ela nos apoia. Apenas vou dar um tempo a ela para digerir melhor isso tudo.

- Uh, eu falei que ela nunca iria ficar contra você, Boo. Sabia disso - Ela fala e eu sorrio - Mas ela só está chateada por enquanto, depois ela vai deixando isso de lado. É apenas o impacto. - Diz e eu concordo com um som nasal.

- Espero que sim. Não ter contado para ela desde o início não estava nos meus planos, nós duas sempre contamos tudo uma para a outra e foi péssimo ter que omitir isso. Por isso ela está chateada comigo, ou eu diria magoada. Mas pelo menos ela entendeu o nosso lado.

- Eu ainda vou falar com ela amanhã, ok?

- Uh, eu acho que seria bom para vocês ter essa conversa.

- Só espero que ela não queira me matar ou algo do tipo. - Fala com humor e eu rio.

Passamos o restante da noite entre conversas das mais aleatórias até o momento no qual alguma de nós conseguisse finalmente pegar no sono, tendo Lauren dormido antes de mim, o que eu estranhei já que a mesma sempre dizia ter problemas para dormir. Talvez estivesse muito cansada apenas. Logo depois de desligar a chamada, me obriguei a dormir também.

 

P.O.V. Lauren

O dia havia amanhecido mais frio do que de costume hoje, levando-me a usar roupas mais quentes e pesadas, realidade que não me incomodava realmente. Além disso, havia acordado tão disposta hoje, nunca havia tido uma noite de sono tão boa há anos. Incrivelmente, eu vim a relaxar e, consequentemente, ficar com sono devido a voz da Camila, tão suave e calma. Decidi mandar uma mensagem para ela antes de ir para a faculdade.

Lauren : Bom dia, Boo. Talvez você ainda esteja dormindo, ou pode ser que não também. Só queria deixar registrado que acordei pensando em você ;)

Assim que acabei de tomar o café da manhã - que incluía panquecas com mel, suco de uva e uma maçã -, fui direto para meu carro depois de pegar as chaves, partindo para a escola rapidamente enquanto o trânsito era inexistente ainda. Não levei tanto tempo dessa vez, talvez porque houvesse pisado mais forte no acelerador hoje. Assim que pisei na escola, no entanto, engoli em seco, desejando ter demorado mais para me arrumar, tomar café, ou até mesmo ter pisado não tão forte no pedal de acelerar o carro. No momento em que vi Sofia, meu interior congelou, mas tentei agir o mais naturalmente possível por fora.

- Bom dia, meninas. - Falo beijando a cabeça de Ally e, em seguida, a de Sofia - Podemos conversar mais tarde? - Peço em voz baixa e ela assente sem me dar tanta atenção, o que me fez imaginar o quão difícil aquela conversa poderia ser.

Sentei atrás da Cabello mais velha, que fez questão de não virar para conversar comigo em aula alguma, como de costume fazíamos. Estava começando a considerar que seria sorte se ela me matasse durante a nossa conversa, porque, entre o que se passava pela minha cabeça, era a melhor das opções.

As duas primeiras aulas passaram voando, por mais que as vezes eu me pegasse distraída com alguma coisa que outros alunos distraídos faziam, ou até por causa da blusa do professor, que era chamativa e não deixava eu me concentrar nas coisas que o mesmo dizia. Olhava para o relógio frustrada, notando que ainda faltava meia hora para o fim daquela aula, tempo esse que passou se arrastando até chegar a hora do intervalo, quando Ally disse que iria encontrar um amigo, nos deixando livres para conversar.

- Podemos conversar agora? - Eu pergunto para Sofia quando todos saíram da sala e ela assente - Creio que você saiba o assunto e...

- Eu sei. Você provavelmente sabe que Camila e eu conversamos na noite de ontem e eu vou deixar logo muito claro que eu só não te mato por causa dela. - Sofia diz em disparada e eu arregalo levemente os olhos, engolindo em seco.

- E-eu... desculpa, eu queria ter te dito desde o começo, eu só fiquei com medo de você surtar. - Falo e ela revira os olhos.

- É claro que eu iria surtar, Lauren, adiar isso não muda nada. Ela é a minha irmã mais nova, sabe disso, sabe como as coisas são entre ela e eu. - Sofia diz, eu diria que ela estava indignada, mas eu não via sua razão.

- Eu sei, tenho total consciência de que você faz tudo por ela e para protegê-la, mas pode ter certeza que eu vou agir da mesma forma, nunca farei nada com a intenção de machucá-la e vou sempre fazer de tudo para que ninguém a machuque também. Eu gosto dela, tudo bem? Minhas intenções são as melhores possíveis com a sua irmã. - Falo e ela parecia que iria explodir a qualquer momento.

- É bom mesmo, Lauren, porque ela é importante demais para mim e já passou por mais coisas ruins do que você imagina. Camila já foi machucada antes e eu não deixarei acontecer nada de ruim com ela de novo, então que fique claro que eu estou de olho em você e não vou facilitar para vocês. - Ela fala olhando diretamente em meus olhos como se fosse me matar.

- Sei disso. E o que isso quer dizer para a nossa amizade? - Me atrevo a perguntar e ela suspira passando a mão em seu rosto.

- Eu não sei. Por enquanto, eu ainda tô muito chateada com as duas, eu só estou conversando contigo para ter certeza que minha irmã não fez tanta besteira assim em estar com alguém. Depois nós conversamos sobre como fica a amizade, mas eu digo logo que não vai ser a mesma depois disso. - Diz vacilando com o olhar pela primeira vez - Agora, se já tiver acabado, preciso ir comer algo antes do fim do intervalo. - Ela fala impaciente e eu assinto.

- Tudo bem... - Murmuro, vendo ela levantar e ir embora pela porta da sala, indo para a lanchonete - Mas que droga! - Falo chateada com os rumos que a conversa tomaram, as coisas definitivamente não foram tão bem pra mim quanto foram pra Camila.

Permaneci sentada ali pelo resto do intervalo, logo observando os alunos entrando novamente para então ocuparem os seus lugares, seguidos da Srta. Jolie. Durante todo o restante das aulas, minha mente estava ocupada demais, impossibilitando que eu prestasse atenção até em minhas matérias favoritas. Às 03h15PM, quando o sinal final tocou, Sofia se despediu de Ally rapidamente e nem sequer olhou para mim antes de ir embora, me fazendo suspirar e Ally lançar um sorriso triste.

- Dê um tempo a ela, mais tarde ela se acostuma com a ideia de você estar beijando a irmã dela. - Ela diz bem humorada e eu sorrio. Sofia devia ter contado a ela.

- Acho difícil, mas espero mesmo que sim. - Respondo abraçando Allyson pelos ombros e tendo um de seus braços em minha cintura antes de saíramos andando da sala.

Depois de deixar Allyson em casa já que hoje ela estava sem carro e Josh não poderia buscá-la, fui até a minha, onde, depois de almoçar, tomar banho e colocar uma roupa mais apresentável, troquei algumas mensagens com Camila e logo nós combinamos que ela viria aqui. Eu havia me oferecido para buscá-la, mas a mesma recusou dizendo que não queria arriscar com Sofia hoje e viria de ônibus. Ela diria que ia pra casa de uma amiga e viria para a minha, algo que eu hesitei em concordar, mas acabei cedendo depois de Camila pedir, fazendo uma chantagem emocional. Por sua casa não ser exatamente perto da minha, ela chegou em cerca de meia hora.

- Lolo! - Me abraçou apertado logo que eu abri a porta, passando seus braços por meu pescoço. Nem um segundo se passou até eu retribuir o abraço, rodeando a sua cintura.

- Hey, linda. - Murmuro com a boca próxima ao seu ouvido, recebendo um sorriso quando nos afastamos um pouco, sem separar o abraço ainda - Foi tudo bem no caminho até aqui? - Pergunto.

- Foi tranquilo, Lo, eu disse que não precisava se preocupar, huh? - Responde sorrindo de canto antes de selar demoradamente os seus lábios nos meus e eu sorrio contra os seus. Só não aprofundei o beijo porque ainda estávamos na porta de casa, mas estava boba com o seu ato.

- Vem, Boo, vamos entrar. - Eu digo e ela assente. Faço sinal para que ela entre primeiro e ela o faz depois de sorrir sem jeito pra mim, o que eu achei adorável. Por fim entrando depois dela para então fechar a porta.

Foi apenas naquele momento que pude observá-la melhor. Ela vestia um vestido soltinho, rodado da cintura para baixo. A estampa era florida, sendo a peça amarela e as flores coloridas. Meu coração deu um salto ao vê-la dessa forma.

- Uh, você está muito linda, Camz - Eu falo enquanto íamos em direção as escadas e ela sorri de canto um tanto sem graça.

- Obrigada, Lo. - Murmura.

Depois que eu ofereci a ela tudo o que havia na minha cozinha e a mesma recusou educadamente, dizendo ter almoçado tarde hoje, deitamos em minha cama e logo começamos a conversar sobre o tudo e o nada, sobre qualquer coisa que nos permitisse passar tempo uma com a outra e nos conhecer cada vez mais. Camila me contou que iria sair com uns amigos hoje para jogar boliche, mas os mesmos furaram de última hora, deixando-a livre pelo resto do dia para mim. Além disso, contou como sua irmã vinha ignorando-a em casa desde ontem a noite.

- Hoje de manhã ela mal olhou para mim no café, Sofia só comeu e foi embora sem sequer dar bom dia ou um tchau. - Murmura chateada.

Estávamos deitadas lado a lado, eu com a barriga para cima e Camila quase em cima de mim enquanto estávamos abraçadas de modo estranhamente confortável ali. Eu acariciava o seu cabelo enquanto a mesma falava. Deixava que falasse, ela precisava.

- Também não falou comigo quando chegou da faculdade e sequer me olhou quando fui avisar que iria sair ainda há pouco, só assentiu com os olhos pregados em um livro. - Dizia e eu sabia o quanto aquilo era novo e muito ruim para ela.

As duas sempre haviam sido o tipo de irmãs melhores amigas, nunca deixavam de contar nada uma para a outra e sempre estavam lá uma para a outra. Eu já havia falado com Sofia sobre isso há um tempo, ela me dizia que era raro brigar com a Cabello mais nova, pois elas quase sempre estavam do mesmo lado. E eu sabia que Camila estava mesmo achando aquilo a pior coisa do mundo no momento.

- Camz, sabe que ela só está ainda chateada pelo modo como soube, ela teve que vir nos perguntar e foi isso o que a chateou mais no final das contas. Mas isso é algo que ela vai perdoar, então só deixa ela se acalmar um pouco e pensar. Ela vai voltar a falar contigo logo, prometo.

- Promete? - Pergunta olhando para mim e eu sorrio de canto beijando a sua testa.

- Prometo, Boo. - Falo e ela sorri, esticando o pescoço e colando nossos lábios.

Acariciei sua bochecha com o polegar e senti a língua de Camila contornando meus lábios, logo pedindo passagem para aprofundar o beijo e eu facilmente cedi, suspirando quando sua língua entrou em contato com a minha. O seu beijo tinha gosto de creme dental de menta, deixando-o ainda melhor. Senti quando sua mão foi para a minha nuca, suas unhas passeando por ali me causavam arrepios. Suspirei quando fomos mudando de posição. Camila ia se deitando e me trazendo para cima de si enquanto nos beijávamos. Me apoiei com um braço para não soltar meu peso todo em cima dela e levei minha outra mão até a sua cintura, acariciando o local. As vezes separávamos nossos lábios rapidamente para recobrar o ar, mas ficamos nos beijando por um bom tempo naquela cama. Lentos. Rápidos. Eu não sabia o que era melhor com Camila. Eu amava apertar sua cintura e ter os seus suspiros em resposta. Beijar seu pescoço, marcá-lo, sentir o seu corpo reagindo. O jeito como ela arranha a minha nuca e puxa meu cabelo durante o beijo me deixam totalmente entregue e ela sabia disso. Se não fosse pelo toque do seu celular, com certeza mais beijos seriam trocados ali.

- Quem quer que seja, tem um belo timing. - Murmura e eu rio baixinho, selando rapidamente nossos lábios antes de sair de cima dela.

Seu celular estava no criado-mudo e eu peguei para ela, entregando em sua mão e recebendo um lindo sorriso em troca. Enquanto Camila falava com quem quer que fosse ali, eu ficava apenas admirando-a, mal prestando atenção em sua conversa com outrem. Na minha visão, ela estava mais linda a cada segundo, porque cada vez que eu olhava para ela, encontrava algo novo para apreciar. Definitivamente o seu sorriso era o que eu achava mais bonito nela, mas seus olhos não estavam muito atrás, eu poderia passar a vida olhando para eles. Depois de um tempo, ela encerrou a ligação e me olhou sem jeito.

- Lo, você está me olhando há um tempão. - Murmura e eu que fico sem graça dessa vez, sentindo as minhas bochechas corarem.

- Eu estava? Eu nem percebi. - Falo e ela sorri negando com a cabeça.

- Era a minha mãe. Pelo visto vou ter que voltar pra casa às sete e meia no máximo. - Murmura. Meu relógio digital em cima do criado marcava cinco horas - Parece que vou sair com meus pais e Sofia.

- Você vai deixar eu te levar para casa? - Eu pergunto me sentando encostada na cabeceira da cama e trazendo Camila para o meio das minhas pernas, onde ela rapidamente se aconchegou.

- Sofia conhece o seu carro, Lo. - Ela fala e eu afasto o seu cabelo para o lado, beijando sua nuca e sorrindo ao vê-la se encolher.

- Mas eu posso parar uma casa antes da sua ou na esquina até, porque sete horas já vai estar escuro e não quero que você vá sozinha. - Digo.

- Uh, tudo bem, eu deixo. - Ela fala e eu sorrio - Você é adorável demais para o próprio bem, Lo. - Diz virando seu rosto e beijando a minha bochecha demoradamente, fazendo meu sorriso se alargar.

- Até lá você quer fazer o que? Nós podemos ver um filme ou série na Netflix, ou você pode roubar no videogame, ou... - Falava rindo até ela me interromper.

- Ei!  Eu não roubo, você que fica mexendo no meu controle e me fazendo cócegas. - Ela murmura falsamente chateada e eu rio.

- Mas que mentira, Cabello! Que eu me lembre, quem ficava tentando tapar a minha visão era você. - Eu falo e ela me olha culpada.

- Eu não lembro dessa parte. - Fala sorrindo amarelo e eu cutuco sua costela, fazendo-a se contorcer na tentativa de se esquivar - Lo! Não! Por favor, Lolo! - Pede risonha e eu rio.

- Só se você ganhar de mim no futebol. - Falo e ela faz bico.

- Mas você joga igual profissional aquele jogo, Lo! Eu mal sei usar o controle, não é justo! - Diz.

- Se você ganhar, ainda compro uma pizza. - Falo e ela sorri.

- Feito! - Responde de imediato me fazendo rir.

Descemos para jogar na televisão da sala, que era maior. Ensinei pra Camila o que cada botão ali fazia antes de dar play. Sua carinha de frustração sempre que eu roubava a bola era adorável, mas eu sempre deixava ela roubar a bola de volta, fazendo-a sorrir. Estava 0x0 quando faltavam segundos para terminar o jogo e eu peguei a bola dela, logo marcando um gol contra e ela começou a rir.

- Não acredito que você fez isso, Lauren! - Disse rindo e eu rio junto, piscando pra ela.

- E então, qual o sabor da pizza? - Eu pergunto quando o jogo acaba, pegando meu celular.

Pedi uma pizza toda de pepperoni a pedido de Camila, acompanhada de coca-cola. Em seguida, eu, que me encontrava sentada no chão e encostada no sofá em que Camila estava sentada, levantei e beijei a sua bochecha antes de ir até a cozinha pegar copos e uma faca para cortar a pizza em fatias.

- Lo, você assiste Orange Is The New Black? - Camila perguntou quando eu voltei. Ela vagava pela minha conta na Netflix.

- É a melhor série, eu não poderia não assistir. - Falo e ela sorri.

- Talvez seja a melhor depois de Friends. - Diz, eu reviro os olhos com um sorriso de canto.

- Eu nunca assisti mais do que dois episódios de Friends, não posso opinar. - Falo dando de ombros e ela olha pra mim como se eu fosse uma criminosa.

- Sério mesmo? - Pergunte e eu assinto - Você precisa ver! - Ela fala e eu rio assentindo.

- Você vai assistir comigo? - Eu pergunto sentando ao seu lado.

- Eu já assisti mais vezes do que eu possa contar, mas com certeza não me importo de assistir mais uma. - Responde sorrindo com a língua entre os dentes, extremamente fofa.

Acabamos começando a assistir ali mesmo, quando liguei a televisão e busquei pela série. Entretanto, ouvi a campainha no meio do episódio e fui buscar a pizza, pagando a moça que veio entregar e dando uma gorjeta, como de costume fazia com todos os entregadores.

- Lo, toma, pague com isso. - Disse Camila me estendendo dinheiro ao me ver ainda com a porta aberta, mas eu já estava fechando.

- Não precisa, Boo, eu já paguei. - Falo fechando a porta atrás de mim com o pé e vejo Camila franzir o cenho.

- Lo! Por que nunca me deixa pagar também? - Questiona com um bico nos lábios e eu rio pelo nariz.

- Foi uma aposta, Camz, eu perdi e eu paguei. - Falo deixando a pizza na mesa de centro da sala e indo até ela, segurando seu rosto entre as mãos e selando nossos lábios rapidamente - Tudo bem?

- Ugh, não é possível que não dê pra sentir raiva de você. - Ela diz me fazendo rir baixinho e volta a selar nossos lábios longamente.

- Vamos comer? - Pergunto e ela assente rapidamente.

Sentamos no sofá e eu nos servi de refrigerante enquanto ela cortava a pizza em fatias. Depois disso foi só comer, o que fizemos com o maior prazer entre risadas na maior parte do tempo devido a série que ainda passava na tv ou aos assuntos em que engatávamos. Assim que nós acabamos de comer, deitamos no sofá. Eu estava deitada de barriga para cima e Camila deitou em cima de mim, certamente de barriga pra baixo. Nossas mãos estavam entrelaçadas ao lado de nossos corpos.

- Eu estava pensando em comprar um cachorrinho ou um gato. - Eu comento e vejo os olhos de Camila brilharem, ela sorria.

- Eu apoio, Lo! Nunca mais tive um cachorrinho em casa. - Fala com um bico nos lábios - O último que eu tive ficou em Cuba.

- O que eu tenho está em Nova York com meus pais, eles o levaram de mim quando se mudaram. - Digo e dessa vez eu que faço bico.

- Eles moram em Nova York? Você nunca me disse. - Murmura com claro interesse em saber mais.

- Uh, é verdade. Faz pouco tempo que eles se mudaram. Antes nós morávamos no seu bairro aliás, só que eu mudei de casa quando eles se mudaram e aquela está alugada por um casal gay. - Explico e ela assente.

- Por que você mudou? Podíamos morar no mesmo bairro, aí seria mais fácil de fugir para ficar com você. - Diz e eu sorrio beijando a sua mão.

- Não sei, acho que aquela casa me deixava com mais saudades deles do que o normal. Passei a vida lá antes de me mudar pra essa. - Falo e ela assente entendendo - Mas eu deixo você fugir pra ficar comigo sempre, inclusive posso ir te sequestrar de vez em quando. - Eu completo e ela sorri, olhando para os meus lábios e não demorando para beijá-los.

Suspirei com o contato. Nós duas trocávamos demorados selinhos enquanto minhas mãos, já soltas das suas, desciam pelas suas costas e pousaram na base da sua coluna, próximas a sua bunda. Já sem paciência, Camila aprofundou o beijo, invadindo minha boca com a sua língua sem sequer pedir passagem, me fazendo sorrir contra seus lábios. Quando nossas línguas se encontraram, apertei o seu quadril, colando ainda mais os nossos corpos se possível e ouvi o seu suspiro com o ato. Suas mãos revezavam entre puxar meu cabelo e arranhar minha nuca, ambas as coisas não ajudavam o meu estado atual. Deslizei uma mão pela lateral do seu corpo até sua coxa, apertando-a com cuidado e tendo altos suspiros em resposta.

Quando separamos o beijo para respirar, Camila sentou em mim, pondo uma perna em cada lado do meu corpo, deixando suas coxas ainda mais visíveis já que o seu vestido havia subido um pouco. Seus beijos foram para o meu pescoço enquanto minhas mãos migraram diretamente para suas coxas, fazendo questão de apertar aquela região e acariciá-la em seguida. Depois de Camila beijar toda a extensão do meu pescoço, também deixando uma provável marca por ali, seus lábios voltaram a se chocar contra os meus em um beijo ainda mais desesperado, minha língua invadiu sua boca sedenta, explorando todos os já conhecidos cantos. Antes de separar o beijo, mordi seu lábio inferior, puxando-o até que ele se soltasse sozinho.

- Cada vez menos eu quero ter que ir embora. - Camila disse fazendo uma carícia delicada em meu rosto, me levando a fechar os olhos em apreciação.

- Nem preciso dizer o quanto eu concordo, huh? - Murmuro.

Eu estava tentando pensar em algo que me desanimasse no momento, porque os últimos amassos que trocamos haviam me animado um pouco - se é que me entendem. E eu torcia para Camila não notar, apesar de estar sentada no meu colo, tornando minha situação mais ainda difícil naquele momento.

Depois de um tempo ali, quando o relógio marcava 07h15PM, percebemos que tínhamos que correr para chegar na casa de Camila no horário estabelecido por sua mãe. Fomos para o carro e o caminho foi repleto de conversas, como Camila me dizendo que já nomeou um cachorro de Cachorro por não ter ideias de nomes.

- É, acho que vou ter que escolher sozinha o nome do cachorro que vou comprar. - Murmuro e ela me olha fazendo bico.

- Não vai deixar eu te ajudar, Lo? - Ela pergunta.

- Se você pensar em nomes um pouco melhores que Cachorro, deixo. - Falo rindo e ela assente sorrindo de canto.

- E qual raça você quer comprar? - Ela pergunta.

- Queria um maltês ou um pug, a princípio pelo menos. - Eu falo e sorrio imaginando quanta fofura.

- São raças tão fofas! - Camila diz animada e eu assinto também já me animando.

Passamos o resto do caminho no tópico cachorros, descobrindo mais uma paixão em comum. Em uns vinte minutos, chegamos na esquina da casa dos Cabello, onde eu parei.

- Dessa vez não posso demorar no carro, Lo. - Ela fala com um bico se formando. 

Eram 07h35PM, realmente estava um pouquinho atrasada.

- Tudo bem, Boo, não queremos que a sua mãe brigue com você. - Falo e ela assente.

- Manda mensagem quando chegar lá? - Pede e eu assinto.

- Mando sim, linda. - Falo antes de sentir seus lábios nos meus em um selinho demorado.

- Tchau, Lo. - Ela disse num suspiro antes de sair.

- Tchau, Camz. - Murmurei vendo-a se afastar do carro.

Esperei que ela entrasse em sua casa para poder sair dali. Vendo que Sinuhe abriu a porta para ela, liguei o carro novamente e pude sair dali tranquilamente já que a mesma não conhecia meu carro.

Cheguei em casa e apenas fiquei trocado mensagens com Camila, Allyson, Verônica e Zayn antes de dormir, às 11h30PM.


Notas Finais


E ENTÃO? Quando será que a Sofia vai voltar a falar com as meninasss?

Caso sugestões, palpites, ideias, notícias, por favor, deixem nos comentários e farei questão de ler e responder todos!

Boa noite, anjos!
Love only🌹


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...