História (In)tocável. - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Red Velvet
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Irene, Kai, Kris Wu, Lay, Sehun, Seulgi, Suho, Xiumin
Tags Baekhyun, Caçadores, Chanyeol, Exo, Hetero, Morte, Park Yura, Sehun, Sobrenatural, Vampiros
Exibições 85
Palavras 2.421
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EAI SEUS PUTOS? TUDO BELEZA? VAMOS FOCAR AQUI POR FAVOR!

Creio eu que a fic vai ter mais uns 3 ou 4 capítulos, talvez, eu não sei ainda. Mas já está chegando ao fim, eu pensei muito e creio que o final vai surpreender muita, muita gente mesmo. Talvez não seja um final agradável pra alguns, mas creio que é um final que eu iria surtar se acontecesse.

To postando meio cedo esse aqui por mais tarde, umas 15 ou 18h eu to postando outro, uma continuação desse aqui. Quero agradecer também pelo favoritos e sempre a quem comenta, obrigada mesmo <3

Capítulo 10 - Chapter Nine.


Fanfic / Fanfiction (In)tocável. - Capítulo 10 - Chapter Nine.

Intocável

Capítulo Nove.

 

 

As raízes do meu coração,

todas elas estão apodrecendo.

O que está acontecendo com nós?

Algum dia eu olharei para o céu, 

e olhando bem para aquele azul,

eu irei me perguntar:

Houve um nós?

 

 

Frio. Estava frio. Os lábios pequenos e pintados de vermelho estavam maltratados, sua pele continha alguns arranhões e marcas roxas, marcas de mãos estampavam suas coxas e cintura. Os olhos quase que num tom amarelado estavam perdidos, tudo estava indo tão rápido de mais e indo embora rápido de mais também, aquelas memórias que iam e vinham não estavam fazendo o maior sentido mais.

– Você está acabando comigo. – Tragou o cigarro e jogou a fumaça para cima. 

Nada na vida de Park estava fazendo sentido, seu coração e mente estavam tão confusos que separar o real de sonho estava virando uma tarefa difícil. Todas as vezes que ela pensava em Chanyeol, seu coração ficava mais acelerado e o sangue esquentava, o gosto do sangue dele era doce e amargo. 

Chanyeol era exatamente como o gosto do vermelho, era azedo e doce, frio e quente. Talvez ter feito aquela besteira de ontem tenha sido um erro, e um erro dos piores. Se o Alpha descobrisse o que houve, com certeza ela estaria morta, e esse Alpha era Sehun, ele odiava tanto Chanyeol que Park podia sentir seus pelos se arrepiarem só de pensar. 

– Será que um dia eu consigo te largar? – Sorriu e tirou as roupas entrando na banheira.

Quanto tempo fazia que não ficava sozinha e tinha um tempo para si? Os dias tinham tanta confusão que não lembrava a última vez que tomou um banho decente, mal lembrava da última vez que tomou um sangue tão bom quanto o dele.

Tragou o cigarro mais uma vez e o jogou no chão, o copo de vinho estava sempre cheio e em suas mãos, os cabelos negros estavam apenas com as pontas molhadas e Park estava sentada naquela banheira. Olhou em volta e suspirou, as memórias das quais ela queria se lembrar e obter respostas, essas sim ela não conseguia lembrar.

– Por que eu não consigo sozinha? – Mordeu os lábios e apertou o copo em suas mãos.

Apenas quando estava com Chanyeol ou quando Sehun estava perto ela lembrava de algo, não era como lembrar de comprar ovo no mercado ou de comprar roupas novas. Aquilo deixava ela tão cansada, se sentia sempre tonta quando lembrava de algo quando era menor. 

Por que a casa pegou fogo? Por que ela conhecia Sehun desde sempre e Chanyeol também estava lá? Eram tantas perguntas, só uma pessoa podia fazer ela se lembrar de vez, mas ele havia sumido. Park estava tão estressada que sentia que poderia morrer a qualquer hora, Baekhyun e Sehun sempre ficavam diferentes quando Yeol estava por perto, das coisas que ela se lembrava, Baek nunca estava por perto, era sempre aqueles olhos azuis que pareciam a engolir. 

A porta do banheiro foi aberta bruscamente a assustando, o copo com o vinho havia caído no chão e espalhado todo o líquido como se fosse sangue, aquele azul encontrou seus olhos e estavam assustados. Park mexeu a boca mas nada havia saído, o rosto dele estava com algumas marcas e cortes, a boca com um pouco de sangue e as mãos machucadas e vermelhas.

– O-o que houve? 

– Não dá tempo de explicar, vem. 

Sehun estava nervoso de mais, ele piscava tantas vezes que Park podia jurar que ele realmente estava perdendo o controle. Nunca havia visto ele tão nervoso e confuso ao mesmo tempo, era sempre sério e frio, era sempre o Sehun. 

Vestiu algumas roupas rapidamente e o garoto voltou a segurar as mãos dela com força, vez ou outra ela podia escutar o coração dele parar e logo depois voltar a bater rápido, aquilo tudo estava a assustando, o que estava acontecendo? 

– Vai me explicar ou eu vou ter que descobrir sozinha? – Indagou soltando a mão dele da sua, virou para ele e parou em frente ao carro. – O que está acontecendo Sehun? 

– O contrato foi quebrado, Baekhyun está ferido e vai morrer logo. – Mordeu os lábios e desviou o olhar. – Ele está vindo atrás de você. 

– Ele? Ele quem Sehun? – Perguntou nervosa e passando as mãos nos cabelos. 

– Kris. 

 

♠♦♣♥

 

Havia muito sangue e os gemidos ficavam cada vez mais altos, Sehun correu até o quarto e abriu a porta encontrando o amigo ali. Não se deu conta de quanto tempo ficou ali parado vendo aquela cena, Baekhyun estava tossindo e cuspindo muito sangue, os lençóis estavam com um cheiro horrível de veneno e ele lembrava muito bem daquele cheiro. 

Se não fosse pelo veneno, Sehun com certeza acreditaria que aquilo teria sido algum aviso do conselho, mas era ele, era o dono das dores de Park. Yifan estava a tantos anos de baixo dos panos que Sehun havia esquecido dele, Chanyeol não precisou quebrar o contrato que havia entre caçadores e vampiros, Yifan já havia feito aquilo. 

 

E dá pior forma.

 

O peito esquerdo de Baekhyun estava perfurado, a garganta estava quase a carne viva e ele tinha muitos machucados. Se havia um jeito de matar vampiros, esse jeito era com veneno e balas, mas não era qualquer bala, tinha que ser um metal raro, tinha que ser platina. 

– Foi ele não foi? – Sehun peguntou ajudando o amigo, suas mãos acabaram sujando de sangue e seu rosto também. – Foi o Kris não foi?  

– F-f-foi... E-ele vai atrás dela. 

Baekhyun estava praticamente morto, seu ponto fraco havia sido atingindo e também estava envenenado. Sehun só sabia de uma pessoa que podia ajuda-lo, Park tinha os poderes necessários para aquilo, porém ela não sabia ainda. 

– Eu vou busca-lá.

– E-espere! Eu já e-estou morto, só a p-proteja... 

O amigo já estava fadado a trilhar aquele caminho, Sehun sabia que Yifan teria feito muito esforço para mata-lo, Baekhyun era bom em tudo que fazia, inclusive lutar. O quarto estava com várias coisas quebradas, Sehun deixou Baekhyun descansando na cama e foi até porta para ir atrás dela, algo quebrado ali no chão chamou sua atenção. 

O quadro estava com o vidro quebrado bem no rosto de Park, aquilo era um aviso, ela morreria logo se ele não fosse atrás dela. Correu até seu carro e colocou o quadro no banco ao lado, dirigiu o mais rápido que pode, se tivesse ido correndo chegaria mais rápido do que de carro, mas o desespero estava gritando em seu peito.

– Por favor esteja em casa... 

Estacionou o carro de qualquer jeito e entrou na casa de Park, o cheiro e a sauna que estavam naquele banheiro indicava que ela estava ali, suspirou e tentou se manter calmo, sabia que Baekhyun era praticamente um irmão para ela. 

Abriu a porta do banheiro praticamente aos chutes e socos e entrou, ela estava tão distraída que acabou derrubando o copo com um líquido que parecia sangue no chão, seus olhos não deixou de notar as marcas que haviam no corpo dela, o cheiro de Chanyeol estava impregnado nela. Sentiu o sangue ferver e queria mata-lá ali, queria sugar até a última gota de sangue dela por ter o traído, andou até ela e antes que fizesse isso lembrou-se de Baekhyun. 

– O-o que houve?

– Não dá tempo de explicar, vem.

 

♠♦♣♥

 

Park e Oh chegaram a mansão e quase bateram o carro um monte de vez, Sehun estava tão desesperado para salvar Baekhyun que nem lembrava que Park não sabia que tinha poderes. Quando ele contaria a ela aquele segredo? Talvez nunca. 

– Onde ele está? – Indagou saindo do carro e seguindo Sehun, que praticamente teleportava de tão rápido que andava. – Sehun onde ele está, droga! 

Yura estava tremendo de medo, não queria ver seu irmão ao ponto de partir na sua frente, os machucados de Sehun só provavam que ele também estava nervoso e que fez algo para se machucar por não perceber aquilo. Quando Sehun ficou tão distraído que não notou a presença de um humano na mansão? 

– Saí da frente Jongdae. – Sehun disse tentando empurrar o amigo dali. – Chen deixa ela ver o que ele fez, droga! 

– N-não! Baekhyun... Ele... – Jongdae tremia e sua voz estava embargada de mais para entender algo. – Não entre lá, por favor... 

– E-eu preciso ve-lo. – Park disse empurrando Jongdae timidamente.

O contato que Yura tinha com os outros amigos de Sehun era pouco, toda vez que estava perto dos outros vampiros Alphas, ficava envergonhada de olha-los. Eram belos e despertava na mais nova um desejo estranho, mas aquilo não importava agora, ela estava com tanto medo que não se importou em tocar Jongdae. 

– Por favor, eu preciso entrar... – Sussurrou e pegou a mão de Sehun a apertando. 

Gentilmente Jongdae foi saindo da frente, ela podia ouvir cada coração batendo ali, menos o de seu irmão. Suas pernas tremiam e seu coração ameaçava parar de bater quando pensava em abrir aquela porta, Baekhyun estava ali, ou só o que restou de Baekhyun. Por que os humanos tinham que ser sem coração? Por que o irmão de Chanyeol tinha que ser assim? As mãos tremulas giraram a maçaneta e lentamente ela foi abrindo a porta, seus olhos estavam fechados e ela não abriria até ter a certeza de que ele estaria vivo. 

 

Flashback Yura on.

 

Ela estava nervosa e não parava de arrumar a franja, a maldita decidia cair sobre seus olhos toda hora, assim que conseguiu aquietar um pouco seus cabelos, suspirou e finalmente entrou naquela sala fria. 

Vários pares de olhos a encararam perplexos, o único que sorria ali era Sehun, ela se sentia vermelha de mais e não conseguia sequer esboçar um sorriso para as pessoas que estavam ali. Um garoto um pouco mais alto que ela levantou da cadeira e estava com um sorriso tão grande nos lábios, Yura jurou que aquele era o maior e o mais bonito sorriso que ela já havia visto, ele era tão belo e tão diferente das pessoas ali, principalmente de Sehun.

O garoto sorria cada vez mais que se aproximava dela, a mão direita dele foi parar nos cabelos rebeldes dela e os bagunçou mais ainda. O coração pequeno de Yura estava acelerado de mais, ele era gentil e um tanto engraçado.

– Sou Baekhyun, irei cuidar de você a partir de hoje. 

 

Flashback Yura of.

 

Aquele fragmento que invadiu suas lembranças só fez com que seu coração acelerasse mais, ela estava com medo de abrir os olhos, ela não queria ver aquela cena horrível. Os únicos corações que ela escutava bater tirando o dela, eram os de Sehun e Jongdae, Baekhyun não estava mais ali. 

 

Seu chão havia caído.

 

Baekhyun era seu irmão, era seu protetor e acima de tudo, seu melhor amigo. Sabia que estava a semanas sem ve-lo, mas mesmo assim o amor que sentia por ele não diminuía. Mesmo que ele fosse o responsável pela perca de suas memórias, ela não conseguia odia-lo, pelo contrário, Yura só conseguia ama-lo mais e mais. 

Seus olhos finalmente abriram e ela o viu ali, as lágrimas já caíam descontroladas e ela correu até a cama. Ajoelhou ao lado dele e pegou uma de suas mãos, apertou tão forte que sentiu que iria arranca-lá de Baekhyun, Park estava sentindo seu sangue ferver ao ver Baekhyun ali naquela cama sem expressão alguma, sem vida e mais pálido que o normal.

Já estava quase numa coloração roxa seus lábios e pele, conseguiu lembrar de algumas coisas com Baekhyun, eram as melhores lembranças com certeza. Jongdae e Sehun estavam na porta de coração tão quebrado quanto o dela, Baekhyun era o mais querido de todos eles para ela, era ele que fazia ela sorrir quando estava triste.

– Eu te amo tanto Baekhyun... Volta pra mim por favor! – Pediu com a voz baixa e embargada, estava se sentindo tão fraca e o nó na garganta só aumentava.

 

♠♦♣♥

 

Algum tempo havia passado e Yura ainda estava jogada aos pés daquela cama, o corpo de Baekhyun estava tão horrível que ela desejou estar em seu lugar. Ela sabia que Kris estava mais próximo dela do que pensou, ela iria mata-lo e fazer com ele o que ele fez com Baek.

Assim como ele, Yura também não tinha mais coração, no momento em que Kris arrancou o coração de Baek, arrancou o de Park também. Não estava sendo dramática, era apenas a verdade. Sehun entrou no quarto e logo se juntou a ela no chão, pegou uma de suas mãos e depositou algo ali. 

– Ele guardava isso em um local secreto, sabia? – Disse baixo fazendo carinho nos cabelos dela.

Seus olhos ameaçaram virar duas cachoeiras de novo, ela também tinha aquela foto que estava no quadro, fazia tanto tempo que haviam tirado aquilo que a memória daquele dia invadiu sua mente logo em seguida. Baek estava tão feliz, estava tão cheio de vida e animado que queria tirar uma foto com ela para guardar para sempre aquele momento.

– Ele estava tão bonito aqui... – Suspirou e fechou os olhos sentindo as mãos de Sehun em seus cabelos.

– Eu lembro desse dia, foi quando ele comprou um cachorrinho, certo? 

– Sim... E uma semana depois eu o matei por que estava faminta. – Riu lembrando da cara de Baekhyun. – Ele ficou tão bravo comigo que quase me matou. 

– Verdade. – Riu baixo também. – Eu nem me lembrava mais daquele cachorro. 

– Eu gostava tanto dos cabelos dele dessa cor, pena que ele sempre discordou. – Sussurrou passando a mão no rosto de Baekhyun na foto. 

– Eu sempre gostei dele com o cabelo escuro. – Falou. – Mas ele realmente ficava bem com os fios claros.

Lembrar dos momentos que teve com Baekhyun era algo bom, lembrar dele era algo bom, pensar que ele não sorriria mais para ela, retalhava seu coração mais e mais. Yura ainda não acreditava que o garoto morto naquela cama, era ele, era seu irmão, Park queria chorar, queria correr e gritar aos céus que o trouxessem de volta, mas nada adiantaria.

– Sehun! Sehun! – Minseok adentrou o quarto. – Ele está aqui, e trouxe alguém... 

– Kris? Kris está aqui? – Sehun levantou. – Quem está com ele? 

Minseok ficou alguns segundos em silêncio, sabia que Sehun o odiava e o mataria ali mesmo sem nem conversar, olhou para Park e de Park para Sehun, respirou fundo e disse: – Chanyeol está com ele, e estão armados.

 

 

Eu estou aqui com meus olhos fechados,

perdido entre o oceano e o deserto.

Eu ainda estou vagando,

para onde devo ir?

Está tudo bem, vamos lá, quando

eu disser um, dois, três, esqueça.

Apague todas as memórias tristes,

segura a minha mão e sorria.

 

 


Notas Finais


Sei que vocês já estão cansados de Flashback, creio que esse vai ser o último e o próximo capítulo vem sangue, morte e destruição, talvez depois do capítulo seguinte, eu acho que acaba, não sei ainda, pode ser que tenha mais uns 3 ou 4 e aí sim vem o fim. ENFIM PUTOS E PUTAS, coloquei algumas capinhas nos capítulos, mas logo vou muda-las. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...