História Inuyasha uma realidade alternativa. - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha, Inuyasha Kanketsu-hen
Personagens Inu no Taishou, Inuyasha, Izayoi, Jaken, Kaede, Kagome Higurashi, Kagura, Kanna, Kikyou, Kirara, Kohaku, Kouga, Miroku, Myouga, Naraku, Onigumo, Personagens Originais, Rin, Sango, Sesshoumaru, Shippou, Souta Higurashi, Toutousai, Youkai Satori
Tags Drama, Inuyasha, Reencarnação, Romance
Visualizações 21
Palavras 1.189
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Mistério


- O senhor  Sesshoumaru  foi viajar  com o Jaken, então  temos o fim de semana  inteiro só para nós dois, e sem preocupações  com a hora.- sorri. Com o senhor Sesshoumaru  em casa eu tinha horário para tudo, até  mesmo  para  sair com meu namorado. - Kohaku  você  está me ouvindo?  - perguntei  quando ele não me respondeu.

- Hã? - ele parecia  distante. - Me desculpe, eu estava  perdido em meus próprios  pensamentos.

- Percebi.O que aconteceu?  

- Não é  nada. - ele sorriu beijando  minha mão. Dos 10 meses que estávamos  juntos Kohaku  me parecia esconder algo. 

- Sabe que pode confiar em mim, não sabe? 

- Eu sei disso. Mas garanto que estou bem. Só estou triste. Hoje faz 7 anos que meus pais faleceram. 

- Entendo. - falei recordando-me do meu próprio passado.  Perder a Família  é  algo muito  doloroso. - Do que eles morreram. - senti  que minha pergunta  foi como um golpe para ele.

- Foram assassinados. - ele disse  triste. Um incidente  horrível  entre meus pais e meus tios. Uma discussão  que terminou mal para todos, inclusive  para os que ficaram  vivos. 

- Eu sinto muito, de verdade. - sorri tentando  ser solidária a ele. - Caramba  é  difícil  de acreditar, o senhor  Sesshoumaru  é o irmão dele sempre estão brigando, porém nunca chegam ao extremo, ainda que sempre  estejam ameaçando  matar  um ao outro. 

- Mas aconteceu  com a minha família e chegua desse assunto. 

- Ei? Relaxa, foi só uma observação. Não precisa  ficar nervoso. -  falei intrigada, algo dizia-me que  aquela não era toda a verdade. Kohaku  estava escondendo ou encobrindo alguém. 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~♡~~~~~~~~~~~~~~~~

Estava atrasada  para o nosso encontro  de casais. Sorri Inuyasha  provavelmente devia estar imaginando  coisas  pela quantidade  de ligações  perdidas. Meu sorriso  se desfez no momento  que os vi cochichando. 

- E claro que ela está desconfiada, com a cara  que você  fez. - ouvi o Inuyasha  dizer  a Sango.

- Me desculpe  Inuyasha, mais é que ontem eu estava  muito chateada. 

- Sim, mais tente esquecer  essa história. O que passou?!  passou. 

- Nos mentimos perante um tribunal. 

- Fale baixo, quer que alguém escute? - Miroku  disse olhando  para os lados.

- Eu nem  sei mais o que eu quero. 

- Fizemos o que tinha que ser feito. Era isso ou ver seu irmão morto também.

- Isso nunca. 

- Então chega de fescura. Já se passaram  7 anos e ninguém  falou mais nada. 

- Mais também a Sango arrumou a cena do crime inteira, nem o mais experiente  dos  peritos conseguiria provar qualquer  coisa. - Miroku  disse bebendo uma gole da cerveja. 

- Vamos parar  com esse assunto, a Kagome  deve chegar a qualquer momento. - senti como se algo estivesse  entalado na minha garganta. Do que eles estavam falando? Respirei  fundo  tentando  me recompor. Aproximei-me da mesa. Inuyasha  sorriu. Olhei para a expressão  triste  e preocupada  da Sango sem consegui esquecer  o que ouvi. Por mais que eu tentasse  era difícil  fingir que estava tudo bem depois do que escutei. 

- Por que estavá tão calada? - Inuyasha  perguntou-me  assim que saímos do restaurante. - Você não  é  assim. 

- Eu que vou reabrir o caso dos pais da Sango. - falei seca.

- Por que deseja fazer isso? - Eu podia sentir a preocupação  na voz dele. 

- Tem algo que não está batendo. Como é  que dois irmãos  que sempre foram amigos terminam mortos pelas mãos um do outro. Não faz muito sentido. 

- A bebida  faz você  fazer coisas  insanas. 

- Sim. Mais ainda assim vou reabrir  o caso. 

- Você  não pode fazer isso. Esse é um caso encerrado.

- Vou fazer a menos que você me diga o que realmente aconteceu. - Inuyasha  olhou-me  surpreso. 

- como você...?

- Eu faço as perguntas. Por que o irmão  da Sango  iria morrer? Se ele até onde sei estava longe da casa. 

- Isso é  algo que não gosto de falar.

- Nesse  caso terei que reabri  todo o caso  e desvendar  esse  mistério. 

-  Está bem eu vou lhe contar. Mais prometa que não ficará  com raiva. 

- Isso eu decido depois que ouvi você. Pode começar.

- os vizinhos  chamaram a polícia  por que ouviram  tiros vindo da casa da Sango. Ao chegarem  os policiais notaram que todos estavam mortos e apenas a Sango estava com vida. A perícia  foi chamada e fizemos o nosso trabalho chegando a conclusão que foi um crime passional, e a Sango  foi absorvida  pelo juri que levou em consideração  o fato dela ter atirado apenas para se defender. 

- Mais não foi o que aconteceu.

- Não. Embora  tenhamos provado que o tio dela quem começou a matar a todos  e para não morrer  a Sango atirou no seu tio, não foi isso que aconteceu. Na verdade  a nossa história  encaixou-se perfeitamente  com os depoimentos  dos vizinhos que apenas ouviram gritos e tiros sem conseguir dizer muito mais que isso. 

- Mas...

- Sango garantiu-me que o irmão  é  uma boa pessoa, mas que estava sendo controlado  pelo efeito  de drogas  que o maldito  do naraku  lhe obrigou a usar. Estava havendo  uma reunião  famíliar e realmente  as pessoas  começaram a perder o controle e brigar uns com os outros.  Kohaku  já estava fora de si, a discussão  só serviu como um gatilho  para ele. Kohaku  matou um por um, o tio conseguiu desarmar-lo porém Kohaku  pegou a arma da Sango  e atirou  no tio. Atordoado ele fugiu pelos fundo evitando que os vizinhos  o visse. Por medo de perder  o irmão  Sango reorganizou a cena do crime.  Como o tio foi morto com  a sua arma, ela disse que ele havia cometido  a chacina e para parar-lo teve que atirar também.  Com as provas  e os testemunhos  dos vizinhos  o tribunal considerou  sua versão, arquivado  o caso.

- Vocês  mentiram  para encobrir  um assassino. - falei  enojada com o que acabara de ouvir. 

- Sango garantiu-me  que o garoto  era tão  vítima  quanto ela é os parentes. Garanto que a Sango  carrega essa culpa consigo, mas ela não podia deixar o irmão ser condenado  a morte também. 

- Inuyasha  isso não tem explicação  esse Kohaku  devia ter pagado  por seu terrível crime.

- AcreditE a dor e a consciência  pesada pelo resto de sua vida já é castigo pesado para ele. Tente entender  Kagome, tudo o que a Sango fez foi por amor ao irmão, ela não  queria perder mais ninguém  da sua família. Ninguém  levou a culpa. 

- E os mortos não tiveram justiça e ainda pior ganhou a fama de assassino. Isso não me parece  justo. 

- E não é  vendo por esse lado que você  está olhando. Só espero que você consiga  compreender. 

- Não sei. Preciso pensar. Nos vemos amanhã. - falei saindo do carro sem me despedir. Por mais que eu tentasse, eu não conseguia  ver essa razão que o Inuyasha  dava a Sango. Ela encobriu um criminoso  e ainda jogou a culpa na vítima. Bom ou não Kohaku  havia matado toda sua família  e estava por aí andando como se não tivesse  feito nada.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...