História Inverno - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Halo
Exibições 11
Palavras 3.806
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá meus bolinhos de arroz, tudo bem?? ^0^
Mais uma capítulo cheio de amor, doces e chocolates... só que infelizmente não. A vida da nossa Cortana anda tendendo a piorar (pior que meu boletim do trimestre passado não, mas ruim o bastante :v)
Primeiramente, eu sei que eu super atrasei bonito para publicar (normalmente eu não demoro tanto..eu acho) mas tenho bons motivos: Um deles e que eu queria publicar dois capítulos em um só dia... porem, minha mente gosta de me trolar e estou com uma baita bloqueio criativo, talvez por causa disso demore um pouco para sair próximos capítulos (se bem que metade do outro já está escrita, então show)
De qualquer modo, boa leitura!! <3

Capítulo 9 - Estique-me até estourar!


Fanfic / Fanfiction Inverno - Capítulo 9 - Estique-me até estourar!

E mais um vai ao chão
Por que não posso conquistar o amor?
E posso ter pensado que éramos um só

convincente
Queria lutar nessa guerra sem armas

E eu queria, queria muito
Mas havia tantas bandeiras vermelhas
Agora mais um vai ao chão
E sejamos honestos, não confiarei em ninguém

Você não me rompeu
Ainda estou lutando por paz

Bem, eu tenho uma pele grossa e um coração elástico
Mas sua lâmina pode ser muito afiada
Eu sou como um elástico, até que você puxe com muita força
Sim, eu posso estourar quando me aproximar
Mas você não me verá cair
Porque eu tenho um coração de elástico

E ficarei acordada durante a noite
E sejamos honestos, não fecharei meus olhos
E sei que posso sobreviver
Vou andar através fogo para salvar minha vida

E eu quero isso, quero muito a minha vida
Estou fazendo tudo que posso
E então mais um vai ao chão
É difícil perder um escolhido

Mas você não me verá cair
Porque eu tenho um coração de elástico

Eu tenho um coração elástico

 

-Elastc Heart, Sia.

Dezembro, Sábado (10) Horário local: 07:00 .A.M.

    Eu praticamente não dormi de ontem para hoje. Passei a noite toda decodificando milhares (para não dizer trilhares) de códigos. Por mais que eu já tivesse lidado com o tipo de criptografia que a UNSC usa, digamos que isso faz um pouco de tempo, talvez uns quatro anos e alguns bons meses.

    Durante a madrugada, consegui entrar em contato com a Becca através da Web pedindo que ela visse aqui e que trouxesse Atsila e Katsu com ela, se possível.

    Depois de virar a madrugada procurando documentos que provassem que John está vivo, consegui finalmente algumas pistas: A primeira é que John foi visto saindo praticamente ileso dos escombros que teriam o matado(Suspiro satisfeito); Depois, um Ex-repórter da ONI, um tal de Benjamin Giraud*, que havia sido contratado para fazer um documentário sobre a vida do Chief, porém ele havia descoberto mais coisas do que a ONI queria que ele descobrisse... Como o fato de John estar vivo, e que toda a história que a ONI havia passado para a humanidade era mentirosa, para cobrir os testes sombrios da Halsey.

O Final de Benjamin foi trágico, ele foi taxado de mentiroso e foi morto. Essa história foi silenciada e poucas pessoas ficaram sabendo, A ONI havia vencido.

Isso fazia mais ou menos um mês. Nunca antes a ONI havia sido descoberta em alguma das suas mentiras tão rápido! Isso era chocante!

A ONI estaria, agora, claramente fragilizada…. Então por que eles estavam deixando seus documentos assim, de forma tão fácil a ser achados? Será que eles realmente estavam deixando tudo facilmente de propósito? Seria tudo isso uma isca? Afinal, não podemos esquecer que Anee é uma baita pedra no sapato da ONI, eles fariam de tudo para silenciar ela.

É esse pensamento me assusta muito.

Meu corpo e olhos estavam doloridos (resultado das horas sentada na frente do computador). Eu nunca havia sentido algo parecido com dor antes, talvez durante meus ataques de rampancy, quando eu sentia todo meu holograma tremer e morrer aos poucos, mas nada parecido com o que senti hoje. Claro, não era algo que me impedia de agir e fazer o que fosse necessário com meu corpo, mas era um incômodo bem ruim.

Anee acabou dormindo na minha cama, com seu notebook ao seu lado, aberto com várias páginas e códigos já descriptografados. Anee, apesar de eu não ser capaz de admitir publicamente, era inteligente e ágil. As vezes ela me parecia um soldado experiente  em vez de uma adolescente rebelde, ela me lembrava muito o Chief.

Merry dormia logo ao lado da cama da Anee. Merry estava um pouco encolhida nos cobertores, mas sua feição era serena, não parecia assustada, talvez só com frio. Aproximei-me lentamente dela, colocando as costas da minha mão na sua testa, sua temperatura estava O.K, mas ainda assim, coloquei mais um cobertor (não tão quente, mas o suficiente caso ela estivesse com frio) sobre o que ela já estava coberta. Também cobri Anee, que estava descoberta.

Abri a porta do meu quarto lentamente, não queria acordar ninguém da casa, e desci as escadas, Faminta.

Isso era outra coisa que eu nunca havia sentido antes: fome. Meu corpo estava fraco, não o suficiente para me fazer cair, Mas a coisa que eu mais queria era comer e  dormir, é que de preferência,  demorasse muito para acordar.

Preparei (tentei, pelo menos) uma café da manhã reforçado, tinha que estar preparada, hoje choveria navalha**.

Meu suspirou ecoou mais do que eu gostaria naquele cômodo, vazio é o silêncio me fazia pensar mais do que eu gostaria. Nesses momentos, gostaria de ser realmente humana, pensar de forma menos racional e se deixando levar pelo fluxo das coisas. Não que eu esteja reclamando do meu corpo robótico, apenas gostaria de conseguir me deixar levar em pelo menos 90% por meus sentimentos.

Por mais que grande parte da ciência (e dos cientistas) pensavam que os sentimentos de IA’s são de uma certa forma, pré-programados, eu discordo totalmente disso. Eu não sei exatamente como o ser humano sente, mas pelas expressões corporais e faciais que eu andei vendo nesse meus últimos dois meses, penso que nossa forma de sentir não é tão diferente assim.

Sentei-me nos bancos em frente a bancada de mármore enegrecida e como meu café da manhã, nada de mais: ovos mexidos, bacon e pão, junto com um café bem quente, o inverno anda muito rigoroso. Um pouco de frio entrava pela janela da cozinha, apenas o som da rua era ouvido ali.

O silêncio não durou por muito ali, logo ouvi risadas baixas e passos vindo da escada, Não demorou muito para ver Jack e Anna entrarem na cozinha. Anna ficou surpresa em me ver acordando tão cedo, Já Jack pareceu notar que havia algo errado comigo.

Avisei Anna que havia feito café suficiente para todos, e que tinha feito Bacon extra. Anna apenas teve o trabalho de fazer os ovos mexidos, e depois ambos os dois sentaram-se ao meu lado.

-Então....como foi a balada?’ Jack perguntou, depois de colocar uma quantia considerável de comida na boca.

-Legal.’ Respondi simplesmente, comendo o último pedaço de Bacon que ainda tinha no meu prato.

-Isso não soou-me verídico, acertei?’ Anna ergueu uma sobrancelha, curiosa.

-Foi legal, só não voltaria nunca mais na minha vida. ’ Sorri irônica – Digamos, foi divertido, as músicas eram legais e a bêbada nem se fala...’

-Então porque não voltaria lá nunca mais?

-As pessoas. ’houve um silêncio momentâneo, que acabou sendo quebrado pelas risadas da Anna.Jack também acabou rindo,  a se auto-negando com a cabeça. Eu apenas sorri de canto, estava tentando achar as palavras certas para é o momento certo para contá-lhes as minhas descobertas da madrugada, tinha que o fazer de preferência antes que Anee acordasse.

-Ainda assim, aparentemente algo de aflige, o que aconteceu?’ Anna parou de rir aos poucos, olhando-me com um olhar analisador e deixando seu próprio café da manhã de lado. Jack acabou tendo sua atenção também voltada para mim.

-Eu…’ Minha voz falhou um pouco, eu tinha receio da reação deles, tinha muita coisa em jogo nessa guerra.

-Você?’ Jack incentivou-me a falar, deixando de lado seu prato, que ainda tinha uma parte de seu café da manhã... Lá vamos nós.

-Eu Hackiei os sistemas da ONI, peguei dados confidenciais... É os passei para Rebelion, ou melhor, a própria Rebelion me ajudou, eu conheci ela pessoalmente...’ Falei tudo de uma vez, sentindo um gosto amargo na boca, não era da comida.

Fiquei esperando alguma reação deles, qualquer uma que fosse, o silêncio que ali estava, começava a me incomodar.

-Você o que?!?! Jack ergueu-se do banco, depois do “choque”. Ele estava  claramente irritado- Mas... porque?’

-Melanie e Chief.’ Respondi simplesmente olhando nos olhos dele. Anna continuava em silêncio, não acho que ela estava chocada ou decepcionada, talvez apenas surpresa por eu ter tomado uma atitude relativamente rápido e ido direto ao ponto.

-Ele morreu, se conforme...’ seu tom saiu rude, não o culpo. Mas o interrompi  da mesma forma.

-Os dados dizem o contrário. Tanto que há uma gravação mostrando o Chief se levantado dos escombros de onde ele supostamente teria morrido, a relatórios de missões que ele fez e ainda iria fazer... se ele não tivesse desobedecido uma ordem, e fosse considerado uma espécie de “herege” pela UNSC, aparentemente pelos relatórios, ele já estaria “voltando a si...”’ Despejei todas as informações de uma só vez, eu já estava ferrada de qualquer forma. Sentia meu corpo tremer levemente, talvez fosse o cansaço junto com a tensão do momento.

    Jack passou uma de suas mão por seu curto cabelo negro, irritado.. ou talvez confuso? Ele andava de um lado para o outro, preocupado e tenso. Seu olhar se encontrou com o de Anna, essa que por sua vez, sorriu para o rapaz na tentativa de acalmá-lo, o que aparenta ter dado certo, pelo menos temporariamente.

-O que você vai fazer agora?’ Anna pronunciou-se pela primeira vez durante aquela conversa ,Atraindo a minha atenção e a atenção de Jack. Seu tom vocal continuou suave, até... despreocupada?

- Eu não vou parar meu trabalho no meio do caminho, comecei vou até o fim. Se quiserem, eu posso ir embora…’ fui interrompida por Jack, que tirou sua atenção que estava em Anna para mim, novamente.

-Não.. sem decisões precipitadas...’ Jack praticamente sussurrou, com um tom cansado – O que você foi capaz de reunir e como?’

- Lá em cima eu serei capaz de mostrar para vocês todos os dados….. Assim que Rebelion acordar.’ Suspirei, senti um peso gigantesco em cima de mim e de minhas palavras, tudo havia ganhado um peso extra- Ela está aqui, ela me trouxe aqui em casa ontem, depois que eu tive uma discussão com uns babacas na boate.’ Anna pareceu finalmente ficar surpresa com minhas palavras.

-Espera ai, quer dizer que aquela amiga da Merry…?’ Seu tom saiu mais extravagante do que eu esperava, O reconhecimento por parte da Anna em relação a Anee foi imediato -A garota de olhos roxo? Que sempre parece está debochando de tudo e todos?’

-Exato.’ Respondi-a sem exitar, mesmo que eu pudesse acrescentar muitas outras informações a essa resposta. Poderia dizer que seu real nome era Anee, que ela ainda estava na adolescência (eu acho, não me recordo ao certo) e que era a mais alta do seu grupo. Podia dizer também o quão corajosa ela foi ao matar quatro Marines em nome da própria sobrevivência, em enfrentar a ONI de frente é olhar tudo ao redor de si mesma por outros ângulos, mas preferi a resposta mais simples e direta.

-Você sabe que ela é uma criminosa, não sabe?’

-Eu também sou agora... e talvez você, não esqueça, a UNSC não me liberou do meu trabalho, fui roubada. Você me salvou, e sou extremamente grata por isso, mas continua sendo roubo.’ Sorri irônica para Jack. Eu odiava jogar o passado das pessoas em suas próprias faces tanto quanto eu odiava quando faziam isso comigo mesma, mas não consegui segurar desta vez.

-Odeio quando está certa.’ Sentou-se ao lado da Anna de novo, colocando sua cabeça no ombro dela, dando-se por vencido.

-Já lidamos com isso antes amor... Sussurrou no ouvido dele, o que o fez sorri minimamente. Não era sempre que Anna falava uma palavra tão forte como amor, principalmente em público. Mesmo que eu fosse uma amiga muito próxima deles, ela nunca havia falado com o rapaz assim, nem mesmo na minha frente – Além do mais... Isso me cheira a vingança feita com estilo.’ Falou alto o suficiente para que eu pudesse ouvir, tenho minha atenção toda para si e não para meus próprios pensamentos, um breve sorriso brotou em seu rosto – Você destrói sua própria criação, e sua criação destrói seu criador. Eles mataram o Chief, sumiram com a sua filha... toda a gasolina necessária para acender o fogo, para não dizer mais do que o necessário.

-Como?’ Jack pareceu alarmado, saindo dos braços de sua amada, mas não quebrando o contato das mãos dela com as suas - Você está a apoiando?’ Questionou-a, confuso. Sua expressão era um tanto engraçada .

-Não diria que a palavra certa seria apoiar... e sim não julgar…. Vai soar estranho o que eu vou dizer-te agora, mas eu entendo a dor dela, Jack, você deveria tentar entender também. Como você se sentiria se fizessem isso com você? Se no lugar do Chief fosse eu?

-Eu não deixaria isso acontecer. Senti uma enorme dor no meu peito, ele falava da mesmo forma que o John, como se nada pudesse os abalar.

-Como pode ter certeza? Jack… Isso aconteceu com um espartano é com a IA mais inteligente já criada pela humanidade, só para lhe lembrar. o Que lhe faz pensar que não poderia acontecer conosco?’... Ela ficou frente a frente com ele, seria, mas com seu olhar dócil de sempre - Não me leva a mal, Jack, mas isso pode acontecer com qualquer um aqui, a qualquer momento, basta o ONI ou a UNSC querer.’ Anna pôs uma de suas mão no rosto do rapaz, o acariciando.

- Eu temo que teoricamente já esteja acontecendo… Eu temo que aconteça aquilo de novo.’  Jack fechou seus olhos, apenas aproveitando as carícias de Anna, deixando-se ser envolvido por ela novamente em um abraço carinhoso. Não intervir entre eles, nem com palavras nem com ações, apenas os deixei conversar me ignorando, mas não sai do local.

- estamos sujeitos a isso com ou sem Cortana.’ Ela o apertou mais forte em seus braços, de forma protetora e suave - Os fatos são claros: A Cortana Hackeou a ONI por vingança ou como ela gosta de dizer, “justiça”, é infelizmente eu concordo com as atitudes dela… e no fundo eu sei que você também Jack..’

- Odeio quando você tem razão …’ Ele suspirou, saindo novamente dos braços de Anna, dessa vez, menos tenso e aparentemente entendeu-me - Você vai ter a minha ajuda… e pelo que vejo a Ajuda da Anna também. Eu tenho contas a acertar com a ONI, mesmo que preferisse fazer isso sem iniciar uma guerra digital.

-Eu também gostaria de fazer isso de outra forma, Jack… Mas eu… nós estamos sem escolhas, eles nos deixaram sem escolha.

-O Semear é opcional, mas a colheita é sempre obrigatória***. A Voz de Anee foi ouvida na cozinha, vinda de trás de mim. Ela estava vestida com tons de preto e marrom, seu cabelo preso em um rabo-de-cavalo alto. Sua postura era como a de um militar falando com seu superior : mãos nas costas e ombros retos.

-Você é Rebelion?’ Jack a questionou, já sabendo a resposta.

-Sim, meu nome verdadeiro é Aneellize, mas prefiro ser chamada de Anee.’ Falou polidamente, também resumindo informações sobre si mesma.

-Eles já sabem o necessário, Anee. Aquela bela moça.’ Falei apontando para Anna, a fazendo ficar levemente corada - É Anna, ela também é uma IA como eu, o Rapaz a seu Lado é Jack, seu criador.

-Bom, isso explica os barulho vindos daqui de baixo.’ Anee sorriu um pouco, descontraída.

-Pretendemos ajudar a Cortana, não especificamente você.’ Anna falou em um tom ríspido, quase rude, que deixou-me surpresa.

- Tudo bem, uma escolha de vocês é não pretendo interferir de qualquer modo.’ Anee sorriu, ignorando a tentativa de possível ameaça feita por Anna -Mas de qualquer forma, devemos ter alguma estratégia em mente. Não estamos tentando roubar as respostas da prova de um professor rabugento no jardim de infância, isso é muito maior.

- A melhor estratégia e usar a burrice alheia, ou em outras palavras, fingir que nada está acontecendo, dançar conforme a música.’ Senti minha estratégias muitas vezes usadas em  batalha voltando a todo vapor, me senti no meu território de algum modo. Eu finalmente sabia, pelo menos um pouco, o que ser feito.

-Enganar fingindo ser enganado? Interessante.’ Jack refletiu por alguns segundos, com um sorriso no rosto.

-isso pode dar muito certo.’ Concluiu Anna pelo rapaz,  Aparentemente animada com a ideia.

- Temos um plano.’ Sorriu Anee, cúmplice para mim, a retribui o sorriso. Anna ficou claramente enciumada com o ato, o que fez até Jack sorrir um pouco.

-No que podemos ajudar, Cortana?’ Anna escondeu seus ciúmes em um falso sorriso amigável em direção a mim - Não que eu tenha um grande conhecimento em criptografia e hack, mas talvez possa ajudar em algo.’ Ergue-se do banco, e ficou de frente para mim, deixei Anee de lado um pouco.

    Anee poderia ter me mostrado a verdade sobre a ONI e a UNSc, mas Anna havia me amparado quando ninguém mais sequer tentou, quando ninguém mais  sequer se importou. Anna era uma verdadeira amiga, alguém o qual você pode confiar até seus segredos obscuros, seus pensamentos mais patéticos e seus momentos de desespero.

-Bom, não vejo não que você possa ser útil…’ Interrompi Anee.

- Você já está ajudando muito desde o início, Anna. É eu realmente não ligo se você não sabe Hackear ou criptografar, basta continuar sendo a verdadeira amiga que você sempre demonstrou ser.’ Sorri para minha amiga, a abraçando em seguida, sentindo uma paz tão forte dentro de mim, só por tê-la ali, perto de mim.

-”Era alguém igual a cem mil outras. Mas, eu fiz dela uma amiga, agora ela é única no mundo****” Anna sorriu, abraçando-me ainda mais forte.

-Nhá, que viadagem.’ Desfiz-me do abraço de Anna, sentindo-me nova. Olhei para Anee, que estava escorada no arco da cozinha, revirando os olhos diante da cena, tive que alfinetar:

- Isso me soou tão irônico saindo da sua boca.’

-Seria ciúmes?’ Anna alfinetou-a também, sorrindo um pouco e trocando um olhar cúmplice comigo.

-Eita, flor. É essa intimidade que eu não te dei em?’

-Peguei emprestada da Cortana.’ Acabei rindo, Sério mesmo que Anee pensa que vai ganhar de uma “discussão” da Anna?

-Não sabia que estava falando com uma ladra.’ Anee respondeu com acidez, sem notar que isso acaba valendo para ela também.

-Hó! O espelho da Cortana estava sujo ontem?’ A discussão teria seguido manhã adentro se a campainha não tivesse tocado, por tudo que é sagrado, que seja Becca.

- Dever ser a Becca, eu chamei ela para vir aqui ontem, espero que não se importem.’

-Sem problemas,Aqui já é a casa da mãe Joana mesmo.’ Murmurou jack, antes que eu me retirasse da cozinha é fosse até a porta da frente, andava a passos largos e rápidos.

    Abri a porta, encontrando do outro lado uma Becca Mal-humorada, com roupas de inverno, E Atsila e Katsu aparentemente bem, vestidas como a amiga.

- O que cê quer, porra?’ o Mau-humor da becca ficou claro em seu tom de voz, o que apenas fez eu ter que me controlar para não rir.

-Entrem, o papo é longo.’ Dei espaço para que elas passassem para dentro, saído do frio e da neve.

    As expliquei meu plano, minhas motivações, meus objetivos. As apresentei para Anee (elas também não foram muito com a cara da Anee). Estávamos agora todos em frente a lareira que existia embaixo da televisão, essa que por sua vez, estava ligada, mas sem som.

-Resumindo: Tu virou a casaca contra a ONI e quer os derrubar por vingança.’ pronunciou Becca, após minhas explicações - Olha, eu tava com muita raiva de ter que acordar cedo em pleno sábado, mas valeu a pena! Se quiser mais alguém para virar a casaca contigo, só chamar que eu vou!’

- Isso não é brincadeira, Becca. Isso provavelmente vai iniciar uma guerra digital, Com a ONI tentando evitar que seus dados vazam e com a Cortana tentando fazê-los vazar.’ Katsu pronunciou, alertando Becca.

-Sem esquecer que a ONI tem seu exército próprio. A qualquer momento, eles podem simplesmente nos apagar definitivamente.’

-Mas até lá, não sobrará pedra sobre pedra.’

    Houve um tempo de silêncio, Becca parecia totalmente disposta a ajudar, por outro lado, Katsu é Atsila estavam relativamente relutantes em relação ao assunto.

    Eu não podia ler as mentes delas, nem saber o que estavam sentindo. Porém, ficou notável que elas estavam relativamente confusas, tentando decidir o que fazer, como agir daqui para frente.

-Só para avisar, eu tó dentro. Quero que a ONI vá para a casa do caramba.’ Becca sorriu para mim, fazendo-me retribui-la com o mesmo gesto.

-A ONI está me devendo algumas coisas, essa seria uma ótima forma de cobrar.’ Katsu se deu por vencida, deixando-se escorregar pelo sofá, escorando sua cabeça nas costas do mesmo.

-Faço as palavras da katsu as minhas, eu quero a minha aguardada vingança.’ O tom sombrio da Atsila arrepiou-me. Fazendo-me pensar o que a ONI havia lhe feito de tão grave, ele não era do tipo de guardar remorso, mas ao mesmo tempo, ela nunca escondeu que tinha algo contra a ONI… Só nunca falou-me o que.

    Anee ficou claramente animada, chamando-nos para cima para mostrá-los às nossas descobertas. Perguntei se Merry já tinha acordado, ela falou-me que sim, e disse-me também que ela já tinha arrumado sua cama e a si mesma.

    Subimos as escadas com grande dificuldade, o corredor era estreito para todos nós e para entrar no meu quarto foi pior ainda. Mas conseguimos entrar todos e nos organizamos da melhor forma possível. Merry ficou bem no canto do quarto, ela vestia roupas casuais em tons claros, e havia arrumado toda sua própria bagunça, exatamente como Anee havia me dito.

    Lhes mostrei dados comprovando que John ainda estava vivo, mostrei também dados de missões feitas (com excelência, por sinal) dele junto com o Blue Team desde o início, quando ele era apenas uma criança até os dias atuais, mostrei o que aconteceu com Benjamin e seu trágico final, mostrei a filmagem de John levantado dos escombros que teriam teoricamente o matado, tudo devidamente retirado dos servidores da ONI. O material bruto e sem manipulação.

    Isso foi o suficiente para convencer os incrédulos e as dúvidas que ainda existiam ali, Eu sabia que Atsila, Katsu e principalmente Jack ainda estavam meio duvidosos em relação a tudo isso. Não os julguei, até para mim isso ainda era muito estranho. Mesmo que as informações viessem da fonte mais confiável no momento, isso ainda era muito estranho.

    Tínhamos um plano é muitas motivações.Nós mostraremos a verdade através dos dados digitais, relatórios de guerra e se necessário, sangue.

    É sim, se fosse necessário derramar sangue, eu o faria. Essa possibilidade assusta-me um pouco, não sou como John, que mata com a mesma facilidade que troca de roupa. Mas eu sabia como fazê-lo, e estava disposta a isso, mas evitaria derramar sangue inocente, estou lutando justamente para que isso pare.

    Eu quero minha filha de volta...que John e Melanie comigo de novo, e lutarei até o fim para concretizar isso…. Eu Juro.


Notas Finais


Benjamin Giraud*= http://www.halopedia.org/Benjamin_Giraud (tá em inglês, mas deve ter algo sobre isso Na HPB também. Quem não conhece a sigla HPB é igual a ‘Halo Project Brasil’ :v)
hoje choveria navalha**= Referência A Girls in the House, terceira temporada, fala da rainha Pricilão ("Acho melhor você sair de guarda-chuva, porque hoje vai chover navalha").
O Semear é opcional, mas a colheita é sempre obrigatória***= Referência a Fanfic Santuário, da Malagueta paper
”Era alguém igual a cem mil outras. Mas, eu fiz dela uma amiga, agora ela é única no mundo”****= Frase do livro O pequeno Príncipe.
Haaá, eu crie uma playlist com as músicas da fic, tem umas outras músicas que combinam com a Fic também, mas que não necessariamente são da história, aqui vai o Link:https://www.youtube.com/playlist?list=PLgwB9XZy-2tFQwrJWFADOhdaA2iaSERiL
link da música tema do cap show:https://www.youtube.com/watch?v=DArFXiuNE3U&list=PLgwB9XZy-2tFQwrJWFADOhdaA2iaSERiL&index=9
Nunca teve tanta referência de fic e livro aqui em? Acho que to tendo pouca criatividade recentemente (o que explica a falta de capítulos, fazé o que né :v ) Então acabo indo procurar em outros lugares ;--;
De qualquer modo, espero mesmo que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...