História Inverse? - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Sana, Tzuyu
Tags 2yeon, Dahmo, Jungmo, Michaeng, saida
Visualizações 178
Palavras 1.604
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Me desculpem a demora, não me xinguem por favor. ;-;

Espero que gostem, e me desculpem qualquer erro.

Boa leitura!

Capítulo 24 - Heartbroken


Fanfic / Fanfiction Inverse? - Capítulo 24 - Heartbroken

 

POV Chaeyoung                          

 

Haviam se passado meses, e Mina ainda me tratava de forma estranha. Não conversávamos da mesma forma que antes, e quando conversávamos, ela sempre arrumava uma desculpa pra fugir de mim. Provavelmente ela ainda estava se sentindo mal por ter me beijado, já que a mesma não se lembrava da noite em que ficou bêbada na festa.

Ainda precisava conversar com ela, até porque, aquilo estava me machucando, e tudo o que eu menos queria estava acontecendo.

Não quero me distanciar dela.

 

Estávamos em aula vaga, eu fazia alguns desenhos aleatórios em meu caderno, enquanto Mina, jogava algum jogo no seu celular. Talvez fosse o momento certo pra tentar mais uma vez puxar assunto com ela.

Essa é minha chance!

– Mina, já pensou em qual universidade você vai querer entrar? – Pergunto, sem tirar os olhos do caderno.

– Sana e eu queremos ir juntas pra Hanyang. – Respondeu ainda concentrada em seu jogo.

– Ah, legal... No meu caso, acho que qualquer uma que eu passar está bom. – Sorrio de lado, ainda fazendo riscos aleatórios no caderno. – O que vai querer cursar? – Desvio meu olhar pra ela.

– Dança... Droga, morri. – Sussurrou frustrada, largando o celular sobre a mesa. Suspirou. – E você? – Passou a me dar atenção, o que me deixou surpresa.

Finalmente consegui sua atenção!

Comemoro mentalmente.

– Não sabia que gostava de dançar! – Digo sorridente. Mina deu um pequeno sorriso. – Meu sonho sempre foi fazer Artes Plásticas.

– Já suspeitava que iria dizer isso, sempre vejo você desenhando. – Apontou rapidamente pro meu caderno. – E também reparei nos desenhos colados na parede do seu quarto. São belos desenhos, por sinal. – Coro. O sinal toca, todos da sala se retiram rapidamente, sobrando apenas eu e Mina. Mina guarda suas coisas e se levanta da cadeira com a mochila nas costas. – Vou indo, até mais. – Disse, caminhando até a porta. Passo a observar ela se distanciar.

Não posso deixar ela ir, ainda preciso esclarecer algumas coisas.

Me levanto da cadeira e seguro seu braço, a impedindo de sair porta a fora.

– Espera! Mina, precisamos conversar. – Digo.

– Sobre? – Passou a me fitar.

– S-Sobre aquele dia no parque. – Gaguejo, mas ainda tentando me manter firme.

Mina parecia começar a ficar nervosa.

– M-Me desculpe, Chae, eu realmente preciso ir, por que não conversamos depois? – Ela se solta de mim e volta a andar até a saída.

Não vou deixar ela fugir dessa vez.

Rapidamente, fecho a porta em sua frente e empurro seu corpo até a mesma. Passei a encará-la ainda mais séria, enquanto pressionava seu corpo contra a porta.

– Até quando você vai continuar fugindo de mim? Eu não aguento mais ser ignora por você! – Sinto meus olhos se encherem de lágrimas. – Por favor, vamos esquecer tudo aquilo. Não quero que você continue a me ignorar só por ter me beijado. Se você acha que eu te odeio por isso, você está completamente enganada. – Digo.

– Eu tento fingir que nada aconteceu, mas é difícil pra mim. Você não entenderia...

– Como pode ter certeza? Só vou entender se me contar! – Desviou o olhar. – Mina, preciso que saiba de uma coisa. – Ela ainda permanece com seu rosto virado. Resolvo continuar mesmo assim. – Antes eu estava confusa, mas depois de todos esses meses que eu passei sem falar direito com você, eu só tive a certeza de uma coisa, a certeza que eu amo você. – Voltou a olhar em meus olhos. Ela estava sem reação. – Sempre fui apaixonada por você, Mina, sempre! E só agora me dei conta disso. – Minha voz falha, tento engolir o choro. Olho-a intensamente, enquanto ela, mantinha um olhar assustado sobre mim. – Você me deixa tão estranha. Ultimamente eu só tenho pensado em você, desejado você... Isso é amor, certo?

– Chae... – Uma lágrima cai de seu olho. – Eu ainda tenho sentimentos por outra pessoa.

 

 

POV Mina

 

Tudo o que eu mais queria naquele momento era sumir. Não queria ter dito isso a ela, ela não merecia sofrer.

Não queria que minha Chae sofresse, e por esse motivo, tentei de todas as formas me distanciar dela nesses últimos meses.

Eu estava confusa com meus sentimentos.

– Como assim? – Chaeyoung se afasta de mim. – E-Eu não entendo... Por que me beijou então? – Lágrimas escorrem pelo seu rosto.

– Eu estava confusa. – Abaixo a cabeça, deixando as lágrimas caírem também. – Eu... – Levanto o rosto pra olha-la, mas sou cortada.

– Então você me iludiu por todo esse tempo? – Disse triste.

– Por favor, me ouça... – Tento segurar seu braço, mas Chaeyoung se afasta.

– E-Eu não quero ouvir nada. – Pegou sua mochila que estava sobre a mesa. – Por favor, faça o favor de continuar me ignorando. – Secou as lágrimas na manga do seu casaco e foi em passos largos até a porta, a abrindo. Seguro seu braço.

– Chae, não queria que as coisas fossem assim. Não quero perder você. – As lágrimas vem com mais intensidade.

Chaeyoung ficou em silêncio por algum tempo.

Tarde demais, Mina. – Sussurrou, se soltou de mim e saiu.

Saio rapidamente da sala.

– Chaeyoung! – Grito por ela, mas sou ignorada. Chaeyoung vira o corredor, sumindo de minha vista. – Chaeyoung... – Sento no chão aos prantos. – Droga! – Soco o chão.

 

Por que isso tem que doer tanto?

 

 

POV Nayeon

 

Fazia tempo que não via Jeongyeon frequentar a escola, e por mais que eu não quisesse mais saber dela, confesso que estava começando a ficar preocupada.

Jeongyeon e eu nos conhecemos no jardim da infância. Nos tornamos grandes amigas, éramos inseparáveis, eu podia confiar nela e ela, em mim.

Ela era uma boa pessoa, sempre se preocupava com o próximo e era capaz de dar a vida pra ajudar alguém.

Eu a admirava muito, até ela se apaixonar por Sana. Foi aí que tudo nela mudou, mas não só nela, como algo dentro de mim também.

Não entendia o porquê de sempre ser contra essa paixão que Jeongyeon sentia por Sana. Eu deveria apoiar minha melhor amiga, certo? Mas infelizmente, foi ao contrário.

Eu surtava só de imagina-las juntas algum dia.

No final das contas, Sana a rejeitou, e por algum motivo, eu havia me sentido aliviada ao saber de tal fato. Eu tinha medo de perdê-la pra Sana, não queria que Jeongyeon sumisse da minha vida.

Mas por ironia do destino, aqui estou eu, longe da pessoa que eu mais me importava.

Minha felicidade não durou por muito tempo, pois as coisas começaram a mudar depois do ocorrido. Jeongyeon já não era a mesma pessoa, ela havia se tornado obsessiva por Sana e só pensava em uma forma de se vingar da mesma.

E é claro que eu odiei essa sua mudança.

Eu poderia ter me afastado dela antes, mas nunca tive coragem. Não tinha coragem de deixa-la sozinha, até porque, eu era a única amiga que se importava verdadeiramente com ela.

Acho que até demais.

O que me deixou ainda com um pouco de culpa por ter falado aquelas coisas pra ela naquela noite, mas por um lado, ela merecia escutar algumas verdades, e eu já estava cansada de ser tratada como um lixo por ela.

 

Eu estava perdida em meus pensamentos enquanto guardava alguns livros no meu armário, até eu ser tirada deles por Tzuyu.

 – Você está bem, Coelha? Parece meio desanimada hoje. – Tzuyu guardava alguns livros também.

– Ah, estou bem sim, não precisa se preocupar. – Sorrio amarelo, Tzuyu retribui com um sorriso de lado. Fecho o armário. – Tzu, posso te fazer uma pergunta? – Ela assente. – Você tem notícias da Jeongyeon?

– Bom... – Ela coça nuca. – Eu estive na casa dela esses dias... – Disse desanimada.

– E...? Como ela está? – Começo a ficar ainda mais preocupada.

– Fui até a casa dela com a mesma pergunta na cabeça, já que ela não dava sinal de vida a meses. E quando cheguei lá, sua casa se encontrava completamente destruída. Na primeira vez que eu vi, achei que alguém tinha invadido sua casa ou algo do tipo, então rapidamente, entrei nos cômodos a sua procura, e quando entrei no banheiro, encontrei Jeongyeon dentro da banheira. Reparei que havia sangue na sua roupa e por todo banheiro, por fim, parei meus olhos no corte que estava em um dos seus pulsos. Tentei me aproximar na tentativa de ajuda-la, porém, ela estava completamente surtada. Ela começou a gritar e a tacar coisas em mim, me pedindo pra ir embora e nunca mais voltar. De primeira eu não dei ouvidos, mas logo depois, comecei a me assustar de verdade quando ela me ameaçou. – Passo nervosamente as mãos sobre os cabelos.

– Como assim ela te ameaçou, Tzuyu? – Seguro seus ombros. – Jeongyeon está louca, mas ela jamais faria algo desse nível!

– Ela apontou uma faca pra mim, disse que se eu contasse a alguém o que tinha visto, eu seria uma pessoa morta. Ela não parecia estar apenas querendo me assustar, eu podia ver o ódio em seu olhar, e também, nunca vi ela falar tão sério assim antes. Por fim, eu sai correndo de lá, eu estava realmente assustada com tudo aquilo. – Disse.

– O que?! Eu vou lá hoje mesmo! – Digo decidida.

– Não, você não pode! – Tzuyu segura meus braços. – Ela pode fazer algo com você, e comigo também!

– Ela não vai fazer nada comigo, e muito menos com você. Você tem minha palavra, ok? Até porque, a culpa foi minha de deixa-la dessa forma. Eu sou a única que pode ajudá-la em um momento como esse. – Suspirou.

– Tudo bem, mas qualquer coisa, me ligue. – Disse, claramente preocupada. – Boa sorte. 

– Obrigada. – Sorrio.

Confesso que estou com um pouco de medo, porque do jeito que a Tzuyu me contou, a coisa parece ser realmente séria.

Tenho medo de ter perdido Jeongyeon completamente dessa vez. Espero que ainda reste pelo menos um pouco de sanidade nela.

 

 

 


Notas Finais


Eita, Minari.
Eita, Jungão.

Música -> https://www.youtube.com/watch?v=UUY89iPaHNs

Faço parte de uma comunidade no Amino, pra quem quiser conhecer...
http://aminoapps.com/c/OnceBR/
Vamos ser miguinhos lá, garanto que vão ser recebidos com muito amor. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...