História Inverso - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha, Inuyasha Kanketsu-hen
Tags Família, Inukag, Inuyasha, Kagome, Miroku&sango, Sesshyrin, Troca
Visualizações 78
Palavras 905
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heu, hey, hey!!!!

Mais um cap curtinho!!!!

Flw!!!!

Sem mais,
Boa leitura!!!!

Capítulo 4 - Quem adentra a barreira, suscetível ao encanto está! - Pt. 1


Capítulo III

Quem adentra a barreira, suscetível ao encanto está! – Parte I

Kouga e seu agrupamento

 

    Kouga, Ginta, Hagaku e Ayame, se aproximaram da aldeia onde Inuyasha e Kagome viviam. A intenção deles, era saber se foram avistados os youkais felinos naquela região. A outra espécie vinha atormentando alguns grupos, e agora estavam sendo perseguidos. Ao passar pela barreira invisível, todos desmaiaram.

 

.............................................................

 

    Kagome levantou cedo, preparou o desjejum e saiu para o campo. Não é porque estava no corpo de um homem, que não poderia cumprir com suas atividades como de costume. Com um kimono de sacerdote e os cabelos presos em um rabo de cavalo, a Miko homem continuava em sua atividade, quando foi interrompida por alguns gritos vindos da clareira onde ficava a entrada da Vila. Seus poderes espirituais se agitaram, e com certa resistência, se aproximou do local.

    Ela não tivera sido a única a ter essa ideia, pois o homem musculoso que seria Sango, chegou poucos minutos depois, acompanhada de seu Osso Voador.

— Yo, Kagome. — limpou a garganta. — Detesto essa voz de homem!

— Yo, Sango-Chan. — sorriu. — Eu também não gosto...

— Que será isso, hum? — indicou com o queixo, um grupo de youkais.

— Mas o quê? — Kagome abriu sua boca.

    Kouga era a morena delícia sensação do verão carioca. Aquele tipo de beleza, que lembra uma índia de filme americano, uma verdadeira Pocahontas dos olhos azuis. Ayame lhe lembrava um típico nerd, as sardas e o jeito inseguro do moleque lobo, chamaram-lhe a atenção. Ginta e Hagaku pareciam travestis, não perguntem porquê.

— Olha, ela até que é jeitosa... — Kagome sussurrou para Sango, que lhe fez cara feia.

— E daí? — cruzou os braços. — Não está se atraindo por mulheres, não é?

— Não... — revirou os olhos. — Só acho que se Kouga fosse mesmo uma mulher, seria modelo.

    As duas se aproximaram do grupo, que estava em pânico com toda a certeza do mundo.

— Kouga?

— KAGOME! — ele gritou, segurando o corpo masculino da Miko pelos ombros. — Meus cabelos, estão com pontas duplas! O que pode ser isso?

    A exterminadora e a Miko trocaram um olhar. “Algo de errado, não está certo”.

— Desculpe. — a sacerdotisa começou. — Mas eu acho que não ouvi direito... Qual o seu maior problema, agora?

— Estou feio! — disse ele, desfazendo o rabo de cavalo e jogando os cabelos para o lado.

— Tudo bem, então... — Sango se manifestou, estreitando os olhos. — O que fazem por aqui?

— P-perseguíamos os gatos... — Ayame disse, seu rosto completamente ruborizado.

— Olá, Ayame-Chan! — Kagome, com sua voz masculina a cumprimentou.

— Olá.

    O grupo teve a atenção desviada.

— Você que é horrível!

— Não, não sou... — Hagaku dizia, confiante. Sem motivos, era horrível.

— Mas você está careca...

— E quem liga?

    De fato, quem ligaria para isso numa situação dessas? Eles continuaram com as bobagens, até que Miroku e a furiosa Inuyasha, se aproximaram.

— SAI DE PERTO DA KAGOME! — o hanyou entrou na frente de Kouga, a morena invejável, encarando-o de baixo. Ficara alguns centímetros mais baixo que o lobo... — Por que não me acordou? Por acaso sabia que esse maldito estaria aqui? Por isso me encheu de chá ontem, e agora está aqui?

— Chega de paranoia Inu... — Miroku interveio, se enganchando no braço de Sango.

— Que paranoia o quê?! KEH!

— Parem... — Kagome dizia, tentando se localizar na discussão.

    No meio do furdunço, começaram as agressões. O lobo e o hanyou, como meninas, brigavam puxando os cabelos um do outro, enquanto trocavam farpas e ofensas. Ayame se via desesperada, enquanto Kagome revirava os olhos. Queria gritar o carinhoso Oswari, mas com certeza isso machucaria a versão feminina de seu marido, o que não seria legal da parte de Kagome. O melhor a fazer seria ignorar simplesmente.

— Vamos? — a Miko chamou os outros, deixando que os dois continuassem se estapeando.

    Quando se viram sozinhos, se largaram de imediato. Mais uma olhada mortal, e a virada de rosto com desdém.

— Está feio nesse corpo de fêmea híbrida! Cara de cadela! — Kouga soltou a farpa, provocando ao hanyou, que já estava em seu limite, de TPM.

— Pelo menos, eu não me preocupo com isso! Loba biscate, fedorenta!!! — respondeu, rosnando ao youkai.

— Olha só quem fala...

— Ora seu... Sua!!!!

    Poderia ficar pior? Sim. Vieram as regras de Inuyasha.

— KAGOME!!! ESTOU FERIDO! MORRENDO!!! A FERIDA DO VENTO RASGOU MEU CORPO POR DENTRO!!!!!

    Com esse griteiro desesperado, Kagome e Sango voltaram para ver o que estava acontecendo. De imediato, as duas coraram.

— Kah, você nunca contou ao Inu sobre isso? — a exterminadora a olhava curiosa, levando a mão até a nuca.

— Er... Bem... Ele não precisava saber disso! — pigarreou. — O Inuyasha não é como o Miroku, que entende muito de mulheres!

— Aff...

— KAGOME, SUA MALDITA! ME SALVE... — o hanyou jazia deitado ao chão, com a mão na testa, em estado de drama. Uma cólica começou a se pronunciar, levando-o ao desespero. — EU SABIA QUE ESTAVA MORRENDO!

— Inuyasha, chega. — a Miko ergueu o hanyou nos braços, correndo imediatamente para casa.

— O que aconteceu com aquele imbecíl? — Kouga questionou, jogando os cabelos negros para o lado.

— Coisas de mulher. — a exterminadora respondeu seca. Já não bastava estar num corpo de homem, agora teria que explicar esse tipo de coisa para um homem em corpo de mulher, francamente, não estava afim. — Venha, vamos comer alguma coisa.

    Kouga (morena sensual) e Sango (homão da porra), logo alcançaram o restante do grupo de lobos, e todos foram para a casa da exterminadora e do monge, Kagome teria os próprios problemas para lidar.

 


Notas Finais


Kouga é sexy!!!!!

Beijos, tem erros e não deu pra revisar!!! Depois ajeito!

Fui!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...