História Involontairement Je Vous Aimais - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias B.A.P, Bangtan Boys (BTS), IKON
Personagens B.I, Bobby, Chanwoo, Donghyuk, J-hope, Jimin, Jin, Jinhwan, Jungkook, Junhoe, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Yunhyeong, Zelo
Tags Double B, Junhwan, Namjin, Vkook, Yoonmin, Yundongchan
Exibições 3
Palavras 1.735
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


olaaaaaaaaaaaaaaaaa, eu voltei!!! uushushdush'
Depois de um mês ;-;
me perdoem por isso, estava com bloqueio e tb tem a faculdade. Contém lemon, se não gosta, não leia :3
sem mais delongas, boa leitura!!!

Capítulo 12 - Puis Il Se Rendit à L'amour


Fanfic / Fanfiction Involontairement Je Vous Aimais - Capítulo 12 - Puis Il Se Rendit à L'amour

Ele estava lá, suado, com aquele corpo másculo que qualquer garota no mundo sonharia em ter como namorado. Fazia exercícios para se manter no padrão bosta que a sociedade impão, Kook exibia seu abs pela rua, era irritante ouvir os suspiros, sejam de homens ou de mulheres por onde passavámos. Você deve tá se perguntando, "Está seguindo ele Tae?", na verdade não, acabei esbarrando com ele enquanto voltava para casa e então estamo juntos.

 

Explicar como eu pude me apaixonar por um colega de quarto é estranho, não sei quando isso começou, talvez eu até saiba, mas o fato de como deixei esse sentimento me atingir tanto é inexplicável, só aconteceu e eu sei que não escolhemos por quem nos apaixonamos e tal... mas, talvez, eu possa contar o que já aprontamos ou quase porque não fui corajoso.

 

~Flashback on~

"Cheguei em casa depois de um dia cansativo no trabalho, escutei alguns gemidos vindo da sala, e como a curiosidade me falou mais alto, fui investigar. Percebi que Kook estava vendo pornô e ele notou a minha presença, deu um sorrisinho safado.

- Já tá na hora de assistir isso comigo, hyung.

Era um filme, onde um cara metia forte numa ruivinha, e claro eu não consegui desviar a atenção do cara, tinha certeza que ele me lembrava alguém conhecido.

- Se quiser, pode bater uma, eu não me importo - disse com inocentemente.

- Na...não na sua frente! - meu rosto demonstrava vergonha, pois estava corado.

Mesmo com a minha resposta negativa, ele ainda estava com seu membro para fora, era grande e vermelinho. Possuia várias veias, estava curvado para esquerda e, na minha mente, eu desejava para que ele me fodesse. Sentei ao seu lado e coloquei o meu para fora, ouvi risadinhas.

- Que pau pequeno TaeTae.

- Cala a sua boca! - Repensei se era certo o fazer isso. Fiquei um pouco puto, ele não é pequeno u-u.

JK percebeu que eu não conseguia desviar a minha atenção para outra coisa, se não o membro dele, vários outros pensamentos vinham a minha mente, sabia perfeitamente que era errado, mas não tinha como evitar. Era lindo, meu lado colorido falava mais alto nesses momentos.

 

- Tá me olhando assim porquê Hyung?- Nada... é que... nada não!

- Sem problema, só tô te zoando, sei que é curiosidade. Nunca fez nada né, quer pegar?

- Não, isso é errado Kook! - Fiquei paralisado ao ouvir tal pergunta, meu coração estava a mil por hora.

Sem demora, ele pegou a minha mão, levou até seu membro. Estava quente e pulsante, comecei a bater uma pra ele, devagar para ouvir seus gemidos roucos, logo vi que estava liberando o pré-gozo. Fiquei com vontade de por na boca, porém fui mais forte que essa vontade.

- Pode por na boca, Tae.

Eu sabia que Kookie estava louco para que pusesse minha boca em seu falo, apenas tirei a minha mão e sai. Eu realmente queria chupá-lo, entretanto era errado. Um tempinho depois a porta se abre revelando um Suga sério, fiquei com vergonha por estarmos colados um no outro, claro que JK percebeu, apenas deu um sorriso safado e Suga nem ligou para nós, pois passou direto para seu quarto.

- Outro dia nós continuamos com isso que aconteceu hyung - piscou e me deixou sozinho na sala."

~Flashback of~

 

Demorei um pouco até me aproximar de novo dele, nada aconteceu depois daquilo, com certeza era apenas brincadeirinha, imaginem como que eu fiquei né, ainda mais sendo virgem nessa idade. Pensei também naquele semana em que ele ficou comigo sendo carinhoso quando descobri sobre o Jimin, nunca consegui imiginar como alguém que age friamente tenha seu lado frágil e carinhoso, passar os dias com o Jeon, era como descobrir milhares de caixinhas escondidas debaixo da terra.

 

- Um real para saber seus pensamentos.

- Ah, nada demais.

- Me diz V.

- Aish, tá. Tava pensando na gente.

- Em nós? - Abre um sorriso malicioso - estamos chegando em casa.

- O que quer dizer com isso?

- Você verá. 

 

Assim que chegamos em casa, eu corri pro meu quarto, Jungkook com esses sorrisos maliciosos não prestam. Passou algumas horas até escurecer totalmente e ele não tentou nada, devia ser apenas coisas da minha mente, fui dormir um pouco mais cedo que o habitual pois estava cansado. No meio da madrugada, sinto um corpo afundando do meu lado, como minha cama era de casal, cabia quem quer que fosse do meu lado. Acordei um pouco assustado, porém logo passou ao escutar a voz do meu dongsaeng.

 

- Hyung?

- Hm?

- Posso dormir aqui? - perguntou manhoso

- O que aconteceu?

- Tive um pesadelo, se um monstro de inseto vier me comer, eu quero que ele te coma também. - Acabei rindo disso.

- Ninguém vai te comer Kookie, monstros não existem e se ele apareceu, eu te protejo.

- Protege mesmo?

- Claro, agora vamos dormir.

- Boa noite.

- Boa.

 

Senti ele tremer, me aproximei de seu corpo frágil, abracei sua cintura puxando para ficar com a cabeça no meu peito. Sua mão parou na minha nuca, logo depois senti ele roçando seus lábios nos meus, porém antes que pudesse sair, grudei os meus nos dele para então iniciarmos um beijo calmo. Com o tempo, ele se tornou necessitado e rápido, tivemos de parar por conta da falta de ar. 

 

Kook passou a beijar meu pescoço e clavícula, enquanto minhas mãos passaeavam entre seu peito por debaixo da camisa, num determinado momento estavámos sem as camisas, com elas jogadas pelo quarto. Apenas com beijos, eu já sentia meu membro duro feito uma pedra, esse garoto tem um poder muito grande em mim, JK sorri e passa a mão sobre a minha ereção por cima da bermuda, massageia carinhosamente. Solto uns suspiros, tento a todo momento conter meus gemidos.

 

- Eu quero de ouvir Hyung.

 

Com delicadeza, ele retira minha bermuda, deixando apenas a minha cueca molhada com o pré-gozo, se levanta e retira a sua calça. Sobe em cima de mim, vem me beijar fazendo nossas ereções se chocarem, quebrei o beijo apenas para gemer baixinho. Inverto nossas posições, agora é minha vez de torturá-lo, começo a distribuir beijinhos por seu pescoço, assim como alguns chupões e mordidas. Sua pele por ser branquinha, logo estaria com coloração, sorri.

 

Chupei seu mamilo direito enquanto brincava com o esquerdo com a mão, às vezes, trocando de um para o outro, queria que ele fosse a loucura com o prazer. Acabei distribuindo beijos por seu abdômen, cheguei até a sua cueca e a retirei, assim liberando o seu membro. Ouvi um suspiro de alívio, massagiei com a mão antes de pôr-lo na boca, assim que o fiz, comecei a torturá-lo. Gradativamente fui aumentando a velocidade do vai e vem, quando senti que iria gozar, tirei da boca e ouvi um gemido de reprovação.

 

Kook me virou na cama, ficou por cima de mim, ele estava cedento, podia ver isso pelos seus olhos. Retirou rapidamente a minha cueca, perguntou onde eu guardava o lubricante, respondi que ficava na cabiceira da cama. Assim que o pegou, distribuiu uma boa quantidade em seu membro e se posicionou na minha entrada.

 

- Está pronto?

- Kook é a minha primeira vez... então, não.

- Vou com cuidado. - sorri

 

Ele começa a enfiar devagar, senti um incomodo vindo de uma dor insuportável, lágrimas começaram a cair do meus olhos.

 

- Você quer que eu tire hyung?

- Na...não, po..pode continuar.

- Relaxa - com isso, meu dongsaeng beija meu rosto enquanto termina de enfiar seu falo, fazia de tudo para não me preocupar com a dor. Claro, ela não sumiu totalmente, mas era uma dor agradável, rebolei para lhe dar o sinal de que podia se mexer.

 

Seus movimentos eram lentos, afinal, ele queria ser ao máximo cuidadoso para não me machucar, gemi arrastado e pedi para que aumentasse o ritmo. Aos poucos, ele foi aumentando, até acertar meu ponto de prazer. Foi nesse momento, em que ele ia mais fundo me fazendo gritar de prazer, fez uma masturbação no meu membro afim de me dar mais prazer, acabei gozando em nossos corpos e um minuto depois, gozou dentro de mim.

 

Esperamos nossas respirações voltarem ao normal, ele esperou seu falo amolecer para sair de dentro de mim, admito que senti um pouquinho de nojo ao sentir aquele líquido descendo pelas minhas pernas. Estava com muito sono, cheguei a fechar meus olhos, mas logo senti braços me pegando no colo.

 

- Vamos tomar um banho uh?

- Claro - bocejo

- Tá doendo muito hyung? - me encara preocupado.

- Só um pouco.

- Vou pegar um remédio pra você.

 

Assim que colocou a banheira para encher, sai do banheiro em busca de um remédio para dor, tão fofo. Depois de uns dois minutos ele voltou com um comprimido e uma garrafa de água, me pôs dentro da banheira e em seguida sentou atrás de mim, foi um banho sem malícias. Trocamos algumas carícias e uns beijos, fora isso, nada demais. Nos vestimos com nossas roupas que estavam espalhadas pelo quarto, deitamos na cama prontos para dormir.

 

- Você gostou?

- Claro que sim, Kook.

- Eu meio que gosto de você... tem um tempinho, nunca tive coragem de falar. - ele vira o rosto

- Ei, olha pra mim.

- Não.. - pus meus dedos em seu rosto e o virei para mim.

- Eu também gosto de você, não precisa ter medo.

- É estranho eu ficar com vergonha?

- Vergonha de que?

- Eu te ataquei hyung.

- Se arrepende? - meu coração fica pesado, mesmo sem saber qual será a resposta dele.

- Claro que não, mas podia ter sido diferente.

- Discordo, pra mim foi perfeito. 

- Hyung?

- Hm?!

- Eu...t..te 

- Você o que?

- Eu te amo. - ele cora.

- Também te amo Kookie. - beijo a testa dele.

 

Após o término das nossas confissões, ele continua um pouco envergonhado e, talvez inseguro, o abracei fazendo nossos corpos colarem como se fossem apenas um. Sussurrei que o amava mais uma vez e lhe dei um beijo demorado, queria provar que nada daquilo era uma brincadeiro, afinal, eu não sou de distruir sentimentos dos outros. Com isso, senti ele sorrir relaxando nos meus braços, assim dormimos profundamente, sem pesadelos ou desilusões.

 

Notas Finais


Até algum dia ><
assim, lembrando que a fic vai ter apenas dois pontos de vistas!! Mas quando for necessário, haverá outros. Afinal, todos são importantes.
bjs pra vcs terráqueos :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...