História Inzest EM REFORMA - Capítulo 5


Postado
Categorias Justin Bieber, Odeya Rush, Pattie Mallette
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Odeya Rush, Pattie Mallette, Personagens Originais
Tags Drama, Gêmeos, Incesto, Inzest, Justin Bieber, Odeya Rush, Pattie Mallette, Sexo
Visualizações 1.045
Palavras 2.608
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, a Stacie e os irmãos dela estão de férias.
Eu sei que muitos de vocês nem deve estar lendo isso, afinal quem lê né? Mas mesmo assim, quero pedir desculpas pela demora. Estamos com uns projetos aí, então estamos resolvendo bastante coisa, mas fiquem tranquilas, ainda terá capítulos hehe
Quero dizer que não tô bem porque: Teen Wolf vai acabar/Nathan saiu da banda/Férias acabaram semana passada... (muitos de vocês nem devem saber do que eu tô falando sobre o Nathan e Teen Wolf, mas quem sabe, por favor, sofra comigo </3). Quero dizer também que Selena Gomez lacra, e é só isso, boa leitura <3

TROCAMOS A CAPA DA FANFIC <3 DEÊM UMA OLHADA

Nome do capítulo: Verdades

Capítulo 5 - Wahrheiten


Fanfic / Fanfiction Inzest EM REFORMA - Capítulo 5 - Wahrheiten

Acordei com a claridade no meu rosto, sempre esqueço de fechar as cortinas. Virei para o outro lado, para dormir novamente.

— Mamãe está te esperando lá embaixo —Jack cruzou os braços e andou até a porta do meu quarto.

— É... hum... ficou me olhando dormir? — Perguntei e ele olhou para trás.

— Sim — deu um sorriso e saiu pelo quarto.

— Eu enh...

Me levantei e fui até o banheiro. Lavei o rosto, prendi meu cabelo e alcei meus chinelos, saindo do quarto. Desci as escadas calmamente. Ninguém na sala. Andei até a cozinha e estavam todos lá, bom, quase todos, Jeremy não estava.

— Bom dia — Falei baixo. Andei até a mesa e me sentei em um lugar mais afastado.

— Como foi a noite de vocês? — Minha mãe perguntou. Como se ela não soubesse né, ela estava lá...

— Foi legal — Justin respondeu.

— Apenas legal?

— É. Não é o tipo de festa que estamos acostumados a ir, então... foi legal.

— Entendo muito bem esse tipo de festa que vocês gostam de ir — Minha mãe sorriu.

Continuei comendo em silêncio, eu só queria terminar de comer logo e ir embora.

— Você gostou, Stacie? — Patrícia chamou a minha atenção.

— Ah, ela com certeza gostou, né? Christian... — Jack sussurrou a última palavra apenas para eu ouvir, mas a minha mãe escutou.

— Quem é Christian? — Ela fechou a cara.

— Não conheço — Abaixei a cabeça e continuei a comer.

— Eu te fiz uma pergunta, Stacie, e quero uma resposta...

— Já respondi. Eu. Não. Conheço.

— Não falei assim comigo, garota, posso fazer da sua noite um inferno — Prendi a respiração. Irônico, não? Fazer da minha noite um inferno, mal sabe ela que, ela já fez da minha vida um inferno. — Quem é Christian? — Repetiu a pergunta. Senti meus olhos encherem de água. Qualquer coisa que eu falasse agora, ela usaria contra mim. Eu, com certeza, estou em desvantagem.

— Christian é um idiota que ficou em cima da Stacie na festa. Ela tentava o afastar, mas ele continuava em cima dela. Demos um jeito nele — Justin disse simples e eu voltei a respirar normalmente.

— Nesse caso, me desculpe, Stacie — Patrícia se levantou da mesa e saiu da cozinha. Falsa!

Os meninos se levantaram da mesa e eu agradeci o Justin.

— Você devia ter deixado ela falar. Adoraria fuder ela de novo — Jack deu um sorriso de lado. Filho da puta.

— Você pode fuder com ela na hora que quiser, Jack, mas se a Patrícia soubesse quem é Christian, ela iria nos xingar, por não termos enfiado a garota dentro do carro ou algo assim. Você não sabe pensar não, mané?

— Vai tomar no cu, seu idiota. Eu não estou nem aí para o que a mamãe faria com a gente, pode ter certeza que com a Stacie seria muito pior — Ele olhou para mim.

— Incesto... é crime... — Falei baixo. Justin se aproximou de mim e se curvou, ficando a centímetros de distância.

— E é por isso, gatinha, que é mais gostoso transar com você — Engoli em seco. Empurrei a cadeira para trás e me levantei. Jack não se encontrava mais na cozinha.

— Devia gostar de transar com a sua namoradinha, e não comigo.

— O que é proibido é mais gostoso. E isso está me parecendo ciúmes...

Encarei seus olhos caramelados e saí da cozinha, dando de cara com Jeremy.

— Tudo bem, meu amor? — Assenti e o abracei.

— Tudo sim. Bom dia — Sorri e continuei meu caminho até meu quarto.

Subi as escadas rapidamente e abri a porta do meu quarto.

— M-m-mãe? O que tá fazendo aqui? —me assustei um pouco com a sua presença.

— Lembro-me desse dia — Ela retirou uma foto do meu quadro e ficou olhando. — Seus irmãos não paravam de pedir para levarmos eles no parque. Estavam com ciúmes de você, pois sempre te dávamos mais atenção. Acabou que eles irritaram demais e Jeremy e eu levamos vocês três para o tal parque — Ela colocou a foto no lugar e só aí eu vi de qual foto ela estava falando. — Você tinha três anos. Os meninos estavam jogando bola e seu pai sempre de olho em você — Ela puxou outra foto do meu quadro, mas não consegui ver qual era, porém, imagino que seja uma de quando eramos pequenos, ela sempre olhava para essas fotografias. — Um dos garotos com quem seus irmãos estavam jogando chutaram a bola para perto de você e Justin foi buscar. Ele, sendo o mais ciumento, desde seus cinco anos de idade, te empurrou do carrinho e depois saiu, como se não tivesse feito nada de errado. Não foi nada muito grave, você cortou o braço e ele ficou um mês sem videogame e sem brincar com seus amiguinhos — Passei a mão no antebraço, onde tinha uma pequena cicatriz. — A ideia do castigo foi do seu pai, porque, por mim, você deveria ter batido a cabeça em uma pedra e morrido. — Ela passou por mim e saiu do quarto. Porra... juro que não entendi o que está acontecendo. — A propósito, Stacie, eu não acreditei nada naquela historinha que o Justin contou sobre esse tal de Christian, e, para mim, vocês dois estão mentindo. Não se esqueça que seu pai vai viajar na semana que vem e vai ficar um bom tempo fora, é melhor não fazer nada que eu não goste — E, por fim, ela bateu a porta do meu quarto. Aquilo me pareceu mais uma ameaça do que um aviso.

♦♦♦

— Você tem que parar de viajar assim, pai, qual foi a última vez que passamos... meu aniversário juntos? — Perguntei chorando.

— Amanhã é seu aniversário?

— Não! Viu... você sempre viaja e... tudo fica um inferno sem você — Falei a última frase para mim mesma.

— Olha, meu amor, eu sinto muito, mas eu realmente preciso ir. É uma viajem de negócios, você sabe que eu não iria se não precisasse.

— Você pode, por favor, parar e conversar olhando nos meus olhos? Como qualquer ser humano?

— Desculpe, anjo — Ele parou de colocar as roupas na mala e veio até mim. — Olha — segurou em meus ombros. — Eu prometo que quando eu voltar, vamos nos divertir bastante.

— Você sempre fala isso, e, sinceramente, cansei de criar falsas esperanças.

— Você gosta de acampar, não é mesmo? — Assenti com a cabeça. — Então, iremos ao... — E o toque do celular dele tinha que acabar com a nossa “conversa”.

— Nem parece que sou sua filha — Bati a porta do quarto dele.

— Stacie! Stacie, volta aqui! — Ele me chamou, mas nem liguei.

Fechei a porta do meu quarto e me joguei na cama de barriga para baixo.

Meu pai, infelizmente, teve que mudar a data de sua viajem para mais cedo, pois houve alguns problemas que, de acordo com ele, ele precisava resolver pessoalmente. Isso, com certeza, vai ser um inferno para mim. Todos os planos da Patrícia de ferrar com a minha vida serão antecipados.

Peguei meu celular e fiquei conversando com Lila e mais algumas pessoas do colégio.

— Ótima bunda, Mallette — Me assustei.

— Bata na porta antes de entrar, Jack, e eu espero que esse comentário tenha sido intencionado para a Patrícia.

— Ah, Stacie, você sabe muito bem pra quem ele foi intencionado.

— Vai se fuder — Revirei os olhos e voltei a minha atenção para o meu celular, agora eu mexia no Instagram.

— Por falar em fuder — Ele se deitou do meu lado. O ignorei. — Quando será que irei te fuder de quatro? — Não o respondi. — Qual é, Tacie... eu sei que você quer isso também, talvez não tanto quanto eu, mas quer — Ele me abraçou e levou sua mão até minhas bochechas, na qual apertou, formando um bico. — Não quer? — Sua voz agora era calma. Me arrepiei e ele sorriu — Eu disse que queria...

Jack se levantou e foi até meu quadro de fotos. Geral cismou em olhar ele hoje.

— Estranho... porque não tem fotos recentes nossas? — Me levantei da cama e andei até ele.

— Porque eu não gosto de olhar para a cara de vocês — Puxei o porta retrato que estava em sua mão. — Até mesmo em fotos — Me virei pra ele. — Pode sair do meu quarto agora.

— Patrícia saiu para o aeroporto com Jeremy e não vai voltar hoje, Justin e eu vamos na casa do Chaz. Mamãe perguntou se não quer ficar na casa da Lila, ela não quer te deixar sozinha.

— E desde quando ela se preocupa comigo? — Ri sem humor.

— Não sei. — Ele riu. — Enfim, quer que a gente te deixe lá?

— Lila está na casa da avó dela.

— Sem problemas, você não pode ficar lá, não? — Jack começou a mexer nas gavetas do meu quarto. Apenas revirei os olhos e deixei ele.

— Ela mora no Texas...

— Nesse caso, você terá que ir com a gente pra casa do Charles — Ele pegou um short curto meu. — Nada de roupas curtas — E jogou a peça na gaveta novamente e saiu do meu quarto.

Entrei no banheiro, tirei a roupa e coloquei uma música para tocar. Entrei no box e comecei a tomar banho.

Enrolei meu corpo em uma toalha e saí do banheiro. Abri meu armário e peguei uma blusa de moletom florida da Adidas e uma calça preta. Joguei as roupas na cama e comecei a secar meu corpo. Peguei as roupas íntimas na gaveta e as vesti, depois coloquei o resto da roupa. Sequei meus chinelos com a toalha e os calcei. Prendi meu cabelo em um rabo de cavalo, peguei meu celular e o carregador e saí do meu quarto.

— Não acho uma boa ideia levarmos ela — Justin começou a falar, parei de andar no mesmo instante e comecei a ouvir a conversa. — Você viu como o Ryan olha para ela.

— Justin, a gente não pode deixar ela aqui.

— Então vamos ficar aqui, ué.

— Eu não vou ficar trancado em casa hoje só porque você não quer levar a Stacie com a gente — Eles ficaram em silencio por um tempo.

— Ainda não concordo com isso, mas...

Continuei a andar e alguns segundos depois, eu já estava perto deles.

— Então, vamos? — Perguntei.

— Pelo menos não é curto — Justin disse rabugento, se referindo às minhas roupas. Revirei os olhos e mordi o lábio.

— Vamos logo - Jack falou. Apagamos tudo e trancamos a porta.

— Eu vou na frente — Falei.

— Eu dirijo.

— Droga — Justin reclamou.

Entramos no carro e Jack foi dirigindo até a casa do Chaz. Os dois não paravam de conversar, mas eu não prestava muita atenção.

Finalmente chegamos ao nosso destino. Descemos do carro, meu irmão o trancou e entramos na casa, sem bater na porta nem nada.

— Às vezes me questiono sobre a existência dos interfones... — Chaz veio de encontro a nós.

Meus irmãos fizeram um toque com ele, com Ryan e com Christian.

— Pequena Stacie — Charles me cumprimentou.

— Tenho 1,63, pequeno é o seu pau, Somers — Disse brava. Ele já cansou de saber que eu odeio que me chamem assim.

— Ui — Revirei os olhos e fui até seu quarto.

Os pais de Charles eram bem ricos e não moravam com ele, por isso, ele morava sozinho. Os mesmos pagavam basicamente tudo, a escola, a casa, etc.

Procurei uma tomada e achei uma do lado da cama. Perfeição! Coloquei meu celular para carregar e tomei a liberdade de deitar em sua cama. Ninguém de interessante estava online, então liguei a música e fiquei mexendo em outros aplicativos.

— I ain't gon' be cookin' all day/I ain't your mama/I ain't gon' do your laundry/I ain't your mama — Cantei.

Fui deslizando o dedo pela tela do celular, observando as fotos passarem. Até que uma me chamou atenção, Cara, a namorada de Drew, havia postado uma foto dos dois se beijando.

— Nojo! — Afirmei. — Nem parece que ele irá terminar com ela daqui alguns dias, como ele faz com todas as namoradinhas dele.

Curti a foto e comentei “melhor casal <3”. Continuei deslizando meu dedo pela tela, até meu corpo chegar ao nível máximo de tédio. Bloqueei meu celular e o deixei de tela para baixa em cima da mesinha. Levantei da cama, calcei meus chinelos novamente, saí do quarto e fui até a sala. Os meninos estavam jogando videogame. Andei até a cozinha e procurei o que comer nos armários.

— Você tá achando que a casa é sua, né? — Christian chamou a minha atenção. Ele estava sério.

— Não estou, não, só estou me sentindo “a vontade” — Voltei a minha atenção para os armários e achei uma pipoca. A tirei do embrulho e coloquei no micro-ondas.

— Sabe Stacie, tem alguma coisa em você que...

— É melhor nem continuar — Peguei uma vasilha e coloquei sobre a mesa. Fiquei esperando o micro-ondas apitar.

— Ah, mas eu vou continuar, sim — Ele andou até mim. Seu rosto continuava sério.

Ele era sempre assim, quase não sorria, pelo menos não quando eu estava perto. Christian era bem — muito — estranho. Ele me lembra o Christian Grey, mas só no jeito mesmo, porque na aparência, passa longe.

O apito soou em meus ouvidos, avisando que a minha pipoca estava pronta. Saí de perto dele e tirei o pacote de dentro do micro-ondas. Abri com cuidado e despejei na vasilha. Christian deu um meio sorriso e saiu da cozinha. Garoto estranho. Peguei uma garrafa de refrigerante e derramei o líquido em um copo.

Saí da cozinha e me sentei no sofá da sala, com a vasilha em meu colo e o copo na minha mão. Os idiotas nem perceberam que eu estava ali, o que é bom, pois assim eles não iriam pedir minha comida. Ryan se sentou do meu lado e enfiou a mão na vasilha. Semicerrei os olhos.

— Palhaço — Falei enquanto comia.

♦♦♦

Os meninos já deviam ter jogado uns trinta jogos. Mas parecia que eles não se cansavam. Eu me encontrava deitada no sofá com o celular nas mãos e os pés no colo do Justin, ele reclamou de dor na bunda e se sentou no sofá, e passou a jogar sentado aqui, enquanto o resto ficou no chão.

 

Lila’s Chat

 

“Você devia pedir para eles deixarem você jogar” — Lila 2:25AM

“Amiga, entenda, eu não quero jogar” — Stacie 2:25AM

“Só quero fazer alguma coisa, que não seja jogar” — Stacie 2:25AM

“Eu tô tipo, com muito tédio” — Stacie 2:26AM

“Ah Stacie, então vai se fuder, né” — Lila 2:26AM

“hahaha” — Lila 2:26AM

“Pode deixar eu vou, sim” — Stacie 2:27AM

“Com o Charles, ainda!” — Stacie 2:27AM

“Sei que você é caidinha por ele” — Stacie 2:27AM

“STACIE, SUA PIRANHA, NEM OUSE” — Lila 2:27AM

“Como será que ele é na cama, enh...?” —Stacie 2:28AM

“ME DESCULPA” — Lila 2:28AM

“HAHAHA” — Stacie 2:29AM

“Sou uma menininha má” — Stacie 2:29AM

“Essa frase é minha!” — Lila 2:29AM

“Além de querer roubar meu homem, quer roubar as minhas frases de efeito agora também?” — Lila 2:29AM

“V-A-D-I-A” — Lila 2:30AM

 “Seu homem? Acho que ele não está sabendo disso” — Stacie 2:30AM

“Mas vai saber... Um dia” — Lila 2:31AM

“Se você quiser, eu falo para ele” — Stacie 2:31AM

“Ele está bem aqui na minha frente...” — Stacie 2:31AM

“Eu só...” — Stacie 2:31AM

“Preciso...” — Stacie 2:32AM

“CALAR  A BOCA” — Lila 2:32AM

“VOCÊ SÓ PRECISA CALAR A BOCA” — Lila 2:33AM

“Parei hahah" — Stacie 2:33AM

“Mano, a minha avó não dorme, não?” — Lila 2:34AM

“HAHAH” — Stacie 2:34AM

“Amiga, juro para você” — Lila 2:34AM

“Que ela está varrendo a casa ahaha” — Lila 2:34AM

“Queria ter essa disposição que a sua avó tem” — Stacie 2:35AM

“Queríamos!” — Lila 2:36AM

“Vou ajudar ela lá” — Lila 2:36AM

 

— Vocês não se cansam, não? — Perguntei para eles.

— Não — responderam em uníssono.

— Okay — Ri. — Quero dormir e estou cogitando a ideia de dormir na cama do Chaz.

— Opa — Charles disse rindo.

— Mas sem você lá, é claro — Ele fingiu estar triste. — Não me leve a mal — Ri.

Os meninos ficaram até umas cinco da manhã jogando videogame e eu acabei dormindo no sofá mesmo.


Notas Finais


Vocês podiam criar um shippe da Stacie com o Jack/Stacie com o Justin/Stacie com o Jack e Justin sei lá, escolham aí.
Esse capítulo foi bem “light”, exceto pelo fato da Pattie dizer — indiretamente — que odeia a filha dela :) fora isso, tudo tranquilo
O que será que vai acontecer enh? Nesse tempo que o Jeremy não estará em casa. Sexo? Brigas? Festas? Vão fazer miojo? Quem sabe né? Me contem aí nos comentários o que acham...


E leiam as nossas outras fanfics outras fanfics *u*
https://socialspirit.com.br/perfil/barbara_machado/fanfics
https://www.wattpad.com/user/katrianeMoreira


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...