História Ipês e Porquês - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, V
Tags Jimin, Taehyung, Vmin
Exibições 284
Palavras 1.409
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drabble, Fluffy, Slash, Universo Alternativo, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Primavera


Fanfic / Fanfiction Ipês e Porquês - Capítulo 1 - Primavera

A melodia que tocava no rádio do carro era calma, condizente com a manhã fria de sexta-feira. Yoongi ligara o rádio em uma estação qualquer, deixando uma musica desconhecida invadir o silêncio do trajeto. Sentado no banco de trás, Taehyung observava a vista atrás da janela. O vento frio entrava apenas por uma pequena fresta que deixara aberta, suficientemente grande para fazer o ar circular e disfarçar o cheiro de carro velho.

— Quer que eu feche a janela? — Yoongi perguntou do banco do motorista, olhando levemente para trás. — Está frio.

Taehyung balançou a cabeça, percebendo os olhos do mais velho o observando pelo retrovisor. Sabia que Yoongi provavelmente estava se perguntando por que ele não estava sentado no banco do passageiro, mas não estava com paciência para explicar que seria mais fácil descer na calçada se estivesse ali daquele lado. Fora que estar sentado sozinho no banco de trás o dava uma certa privacidade, um tempo para pensar. Taehyung nunca foi uma pessoa muito ativa pela manhã, então achava mais confortável ficar sentado no banco de trás onde podia se perder em seus pensamentos sem os olhos curiosos de alguém. Claro que os pensamentos que cruzavam sua cabeça àquela hora da manhã geralmente eram descartáveis. Normalmente estava com muito sono para pensar direito, se limitando a apreciar a conhecida paisagem do caminho para a faculdade. Não era sempre que conseguia carona com Yoongi, mas já tinha se acostumado com o trajeto feito de carro. Yoongi conhecia algumas saídas alternativas as que o ônibus fazia, e Taehyung gostava de ficar observando ruas diferentes. Naquela manhã, porém, elas pareciam ainda mais distintas.

Notou melhor a diferença quando viu uma árvore de flores colorida passar rapidamente pelo seu campo de visão, depois outra e outra. Flores brancas, amarelas, rosas e roxas.

Era a primavera enfim dando seus primeiros passos.

Ainda sentia o frio do fim do inferno, mas aquelas árvores eram a prova de que logo a primavera tomaria o lugar do frio. Não que não gostasse de inverno, Taehyung gostava de todas as estações, mas a primavera tinha algo de especial. Não era tão quente quanto o verão, nem tão seca quanto o outono, tampouco era fria como o inverno. Primavera era colorida, fresca, calorosa.

Primavera era de tudo um pouco na medida certa.

Abriu a janela pela metade e deixou o vento bagunçar seus cabelos, na esperança de conseguir sentir o leve aroma das flores nas árvores. Yoongi o lançou um olhar através do retrovisor, mas Taehyung apenas sorriu. Não saberia explicar o que sentia pela primavera nem se Yoongi perguntasse, o que obviamente não o faria.

Porém, aquela estação era muito especial e Taehyung não conseguiria dizer o porquê, por mais que soubesse bem.

Era porque a primavera o lembrava de muitas coisas, muitas situações. Porque era impossível não relacionar primavera aos seus dias de criança, quando ele e Jimin corriam pelos parques, subiam nas árvores, sujavam as roupas de terra, colhiam flores para suas mães, ralavam os joelhos no asfalto e se equilibravam no meio fio. Porque era impossível olhar para as calçadas decoradas de flores sem se lembrar de ser puxado pela mão menor de Jimin, correndo por cima das várias pétalas caídas ao pé das árvores, de contar até dez atrás dos troncos e tropeçar nas raízes expostas. Taehyung era incapaz de separar o colorido das ruas dos sorrisos felizes, das mãos suadas, cadarços desamarrados e cabelos bagunçados. Era como se pudesse ouvir a voz do garoto o chamar docemente, gritar bobagens e rir de piadinhas. Era como se o assovio do vento entrando pela janela fosse o som do vento que o batia no rosto naquelas tardes que brincavam de pega-pega pelas ruas, como se o resto do mundo não existisse, não importasse.

Tinha lembranças com Jimin de todas as estações, mas por algum porquê, as que ocorreram na primavera eram mais vívidas, de cores mais alegres, de sons mais altos e de sentimentos mais puros.

— Pode parar aqui hyung.

— Hm? Mas faltam mais ou menos três quadras para chegarmos lá... — Respondeu o mais velho, já procurando um lugar para estacionar.

— Eu quero andar um pouco, obrigado pela carona. — Taehyung disse, abrindo a porta do carro e pegando sua mochila.

— Okay, nos vemos depois. Boa aula Tae.

Fechou a porta do carro e sentiu o vento entrar pela sua camisa xadrez aberta, que usava por cima de uma camiseta qualquer que achara na gaveta. Haviam algumas árvores floridas pelo caminho. Taehyung rumou para a faculdade andando devagar até parar debaixo de um ipê roxo. Olhou para cima e se deixou perder nas várias flores, que junto com os galhos da árvore e o acinzentado do céu, criavam uma composição digna de foto.

Piscou por reflexo quando uma flor se despendeu de um dos galhos, caindo sobre seu nariz. Segurou-a com delicadeza ao sentir o vento balançar a árvore novamente, quase levando para longe sua flor. Avistou outras flores caindo e se apressou para pegar mais uma. Não sabia bem o que faria com aquilo, mas não tinha muito tempo para pensar. Estava atrasado e se fosse andando provavelmente pegaria fila na cafeteria onde tomava seu chá e comia seu salgado pela manhã.

Então Taehyung correu. Correu como um desesperado. Correu como se fosse a criança de anos atrás. Correu sentindo o vento no rosto, o impacto da calçada debaixo dos pés e o barulho dos carros a sua volta. Correu como se visse as costas de Jimin a sua frente, brincando de pega-pega.

Como se o resto do mundo não existisse, não importasse.

Havia perdido as energias assim que colocou os pés na quadra da faculdade, avisando ao longe os grupos de alunos perto da porta. Andou devagar até ver mais uma árvore, nesse caso enfeitada por flores cor-de-rosa. Debaixo dela estava um garoto de cabelos claros, moletom aparentemente grande demais, calças rasgadas e tênis sujos. Olhava para cima como quem pensa em algo, admirando a cor das flores contra o cinza do céu nublado.

— Jiminnie. — Disse respirando ainda meio pesado, ganhando a atenção do mais baixo.

— Bom dia, Taetae. — Aquele sorriso se abriu no rosto de Jimin, e Taehyung abriu o seu próprio.

— Estava me esperando?

— Pensando em você. — Jimin respondeu, olhando novamente para cima. — Estou meio nostálgico hoje.

— É.

Sabia o porquê.

Jimin abaixou a cabeça e deu alguns passos, procurando alguma coisa pelo chão. Quando se levantou, Taehyung viu uma flor entre seus dedos pequenos. Sentiu uma das mãos do garoto se apoiar em seu ombro e depois sentiu o contato da pele de Jimin com sua orelha. Levou a mão à cabeça e sentiu a delicada maciez da flor cor-de-rosa, perdida em suas mechas castanhas.

— Ficou bonito, não tire. — Jimin disse sorriso pequeno, analisando sua obra no cabelo de Taehyung.

Taehyung apalpou o próprio corpo até que se lembrou de onde tinha colocado as flores. Porém, havia apenas uma no bolso da camisa. Tirou-a de lá e a colocou atrás da orelha de Jimin, fazendo um som de aprovação ao ver o lilás da flor contra o loiro dos cabelos de Jimin.

— Só se você não tirar.

— Fechado. — Jimin riu, dando um pequeno tapinha no braço de Taehyung e depois segurando sua mão. — Vamos entrar, Jeongguk deve estar guardando lugar na fila da cafeteria.

Taehyung seguiu andando atrás de Jimin, sentindo a mão do outro contra a sua, o cheiro da flor em seu cabelo, o gosto de saudades em sua boca e o vento batendo em seu rosto. Ignorou o peso dos olhares que caiam por cima de si, prestando atenção apenas no pequeno sorriso que Jimin lhe mostrou quando olhou para trás por poucos segundos.

Como se o resto do mundo não existisse, não importasse.

Quando chegaram até a fila da cafeteria, o moreno mais novo estava parado, impaciente. Tirou sua atenção de seu celular trincado em mãos e soltou um longo suspiro quando viu o par, ainda de mãos dadas. Jeongguk levantou o celular, e Taehyung podia jurar que viu o reflexo do snapchat nos olhos escuros do garoto.

— Parece que a primavera chegou mais cedo esse ano. — Jeongguk sorriu de canto, tirando a foto e enviando para todos seus amigos em comum do snapchat. — Por que vocês ainda não namoram mesmo?

Taehyung olhou para Jimin e encontrou os olhos pequenos já atentos aos seus. Trocaram sorrisos e mil palavras criptografadas em seu próprio código.

— São muitos ipês e porquês para quem ainda nem tomou café da manhã.


Notas Finais


Essa é a vmin prometida no meu projeto de aniversário que (está explicado nos jornais no meu perfil) consistia em postar 3 one-shots de 3 casais pouco populares, escolhidos por votação. Essas três one-shots seriam presentes para vocês leitores que me acompanham sempre e me dão carinho <3

Ela ficou bem simples e pequena por conta da minha falta de tempo e também por que estar escrevendo uma fanfic maior sobre vmin, um dia (não sei quando) eu a termino aksbdkjasd

É isso, espero que tenham gostado !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...