História Iridescent Third Season - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cassadee Pope, Justin Bieber, Little Mix, Logan Lerman, Miley Cyrus, One Direction, The Vamps, Troye Sivan, Zayn Malik
Personagens Bradley Simpson, Cassadee Pope, Connor Ball, Harry Styles, James McVey, Josh Devine, Justin Bieber, Liam Payne, Logan Lerman, Louis Tomlinson, Miley Cyrus, Niall Horan, Perrie Edwards, Personagens Originais, Tristan Evans, Troye Sivan, Zayn Malik
Tags Drama, Filhos, Fluffy, Larry, Larry Family, Nosh, Nosh Family, Revelaçoes, Romance, Zayn Malik, Ziam, Ziam Family
Exibições 152
Palavras 2.788
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Orange, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hoooooooooy meus queridos, estão todos bem? Eu to bem!
Ta aí mais um capitulo novinho, boa leitura e até lá embaixo
Xx

Capítulo 20 - Can't Believe You've Done This


Fanfic / Fanfiction Iridescent Third Season - Capítulo 20 - Can't Believe You've Done This

 

Dylan POV

No último mês que se passou, eu e Jake – o garoto do bar – nos aproximamos muito e eu já o considerava um de meus melhores amigos, nós já tínhamos intimidade o bastante para conversar sobre qualquer assunto sem qualquer vergonha ou medo, então era em frente ao seu apartamento que eu tinha acabado de estacionar, precisava conversar sobre Katheryn e o bebê.

O porteiro já me conhecia por já ter ido ali inúmeras vezes, então liberou a minha entrada sem precisar de permissão, então entrei no elevador e apertei o botão do terceiro andar, que era onde ficava o apartamento de Jake. Eu estava muito nervoso, ainda não tinha tido tempo suficiente para digerir tudo o que estava acontecendo.

Quando toquei a campainha do 303, não demorou muito para que um Jake descabelado e vestindo apenas um short de algodão abrisse a porta, ele pareceu surpreso ao me ver e me deu passagem para entrar, fui direto para o sofá e me sentei com o rosto entre as mãos, senti Jake se sentar ao meu lado e me olhar.

- Pensei que passaria a tarde com o loirão. – Ele estava se referindo á Alex, já que Luke era o loirinho e Emma a loirona, eles já tinham se conhecido quando fomos todos juntos ao shopping.

- Eu estou fodido, Jake.

- Uh! Você sabe que eu apoio muito você e o loirinho, de verdade, mas eu não preciso saber desses detalhes íntimos que vocês dois ficam...

- Jake! – O interrompi e ele fechou a cara para mim, odiava ser interrompido. – Eu estou falando sério.

- O que houve, irmão? – Ele largou o tom divertido e se mostrou verdadeiramente preocupado e curioso, suspirei.

- Lembra da Katheryn?

- Katheryn? A gostosona do bar? Como esquecer daquele peitos? – Rimos. – O que tem ela?

- Ela passou lá em casa agora pouco. – Jacob franziu a testa. – Queria me dar uma notícia.

- Que notícia? – Demorei responder, pois ao lembrar das palavras de Katheryn, meu corpo inteiro começou a tremer e meus olhos lacrimejaram, Jake percebeu. – Mano, o que foi? Está me deixando preocupado.

- E-ela está... Katheryn está grávida. – Não me atrevi a olhá-lo, sabia o que encontraria em seu olhar.

- De você? – Balancei a cabeça positivamente, sentindo meu coração doer. – Puta merda.

Nós ficamos longos minutos sem dizer nada, Jake esperou que eu me acalmasse antes de dizer qualquer coisa, ele sabia exatamente quanto tempo esperar e o que dizer, talvez por isso eu tinha decidido conta-lo primeiro, sabia que ele não me julgaria e tentaria me ajudar no que pudesse. Ele colocou uma almofada em seu colo e me chamou para deitar ali, não recusei a oferta e me deitei, Jake começou a acariciar meus cabelos e eu fechei os olhos.

- O loirinho já sabe? – Ele perguntou após algum tempo.

- Você é o primeiro que eu conto.

- E ela quer ter o bebê? – Não precisei pensar muito para entender o sentido de sua pergunta, dei de ombros.

- Não chegamos a conversar sobre isso, mas eu creio que sim. – Suspirei. – De qualquer modo, eu não deixaria ela abortar, a culpa foi nossa, não do bebê.

- Eu concordo com você. Já pensou no que vai fazer? – Balancei a cabeça.

- Eu realmente não sei o que eu fazer, Jake, minha cabeça está á mil, eu não sei nem o que pensar... Justo agora que estava dando tudo certo com o Luke. – Senti vontade de chorar novamente, minha garganta queimava.

- Se acalma, mano, se desesperar agora não vai adiantar nada, o estrago já foi feito. – Escutei-o bufar. – Olha só, você vai precisar conversar com o Luke, não adianta esconder isso dele, uma hora ou outra ele vai descobrir e é muito melhor que ele saiba por você. Você precisa explicar tudo direito para ele, tipo, quando aconteceu, o que você se lembra, tudo do tipo... Espera, você não vai largar do loirinho pra ficar com ela não, vai?? – Arregalei os olhos e me sentei.

- O que? Claro que não! – Fui firme em minha voz. – Eu demorei muito para tê-lo, não vai ser isso que vai me fazer deixa-lo.

- Ainda bem, senão eu ia dar na sua cara. – Ele conseguiu me fazer rir. – Então, você agora precisa tomar um rumo na sua vida meu amigo, arrumar um emprego, sair da casa dos seus pais e dessa zona de conforto, porque agora, querendo ou não, você será responsável por mais uma vida, e precisa dar o seu melhor nisso. – Como sempre, Jake só dizia a verdade. – Vamos torcer para o loirinho não te largar e passar por tudo isso com você, mas você precisa estar preparado pra tudo.

- Eu não quero perder ele. – Meu peito doía só de pensar nessa possibilidade.

- Eu sei que não, Dylan, mas você precisa pensar no lado do garoto, ele mal fez 17 anos e está namorando um cara que vai ser pai. É muito pra cabecinha dele, não acha? – Balancei a cabeça, não queria admitir, mas era verdade. – Você não pode desistir dele, mas também precisa entender que talvez ele precise de um tempo para assimilar tudo e decidir o que vai fazer.

- Eu sei... vou dá-lo o tempo que precisar.

- Ótimo! Agora algo mais sério: você precisar estar presente na gravidez da garota, e eu digo sobre acompanhar nos exames, consultas médicas e tudo que ela precisar. Vocês precisam entrar um acordo e já decidirem sobre como serão as coisas daqui pra frente, tudo precisa ser muito bem pensado. – Assenti. – Os pais dela já sabem?

- A mãe sim, mas ela não teve coragem de contar para o pai, ele é evangélico.

- Putz, então você vai ter que ser homem e enfrentar o coroa junto dela. – Tremi só de pensar, porque isso estava acontecendo comigo, senhor? – Sobre seus pais, pelo pouco que eu os conheço já sei que eles não vão te bater nem nada, certeza que vão te ajudar no que você precisar, mas você não pode ficar dependendo deles, sabe disso né?

- Sei, Jake.

- Meu Deus, Dylan, eu não acredito que você fez isso. – Ele se levantou e ficou andando de um lado pro outro. – E agora, mano!? Como você vai fazer faculdade? E os jogos de futebol? Os seus sonhos de viajar pelo mundo com o loirinho? Putz grila, Dylan! Porque não colocou uma capa nessa coisa? – Apontou para o meio das minhas pernas, eu com certeza estaria rindo se não estivesse tremendo todos os membros de meu corpo.

- Eu estava bêbado, Jake! Eu já te contei isso, eu mal me lembro do que aconteceu aquela noite. 

- Tudo bem, tudo bem... agora não adianta mais. – Passou a mão sobre seus cabelos. – Oh céus... vamos jogar um pouco, pra distrair. – Suspirou e ligou seu videogame, a tarde seria longa.

(X)


Depois de passar a tarde inteira com Jake – Alex ligou desmarcando comigo, disse que teria que resolver algumas coisas – eu estava me sentindo um pouco mais calmo, mas ainda não tinha aceitado totalmente a ideia de ser pai, parecia que a qualquer momento eu acordaria desse pesadelo e tudo estaria perfeitamente normal, mas eu sabia que infelizmente isso não iria acontecer.

Agora eu estava sentado no sofá, de frente para os meus pais. Estávamos na sala de estar, Shay tinha ido passar a noite na casa de Emma, eu tinha acabado de contar para eles que eu seria pai, meu corpo inteiro estava tremendo e o meu nervosismo só aumentava a cada segundo que eles passavam sem falar nada.

Meu pai – Harry – estava andando de um lado pro outro na sala, as mãos enfiadas em seus cabelos longos e ele balançava a cabeça negativamente várias vezes, já Louis estava sentado na poltrona com o rosto apoiado nas mãos, olhava para o nada e seus olhos estavam vazios, sem qualquer emoção.

- C-como isso foi acontecer? – Harry finalmente parou de andar e me olhou, seus olhos estavam vermelhos, abaixei a cabeça. – RESPONDE! – Ele gritou, me assustando.

- E-eu estava bêbado.

- ISSO NÃO É DESCULPA PRA ENGRAVIDAR UMA GAROTA! – Eu nunca tinha visto meu pai daquele jeito.

- Harry! – Louis disse ainda olhando para o nada. – Pare de gritar. – Foi a única coisa que ele disse, Hazza bufou.

- Dylan, me explica como isso foi acontecer. – Ele pareceu se acalmar um pouco, arranhei a garganta e cocei a nuca.

- Eu tinha brigado com Luke sobre algo que tinha descoberto, eu fiquei muito mal, então eu fui pra um bar e acabei bebendo demais, daí a Katheryn apareceu lá e eu só me lembro de acordar no outro dia com ela na cama. – Expliquei exatamente do jeito que lembrava, omitindo alguns detalhes desnecessários, como o motivo da briga com Luke.

- Eu sempre compro camisinhas pra você, sempre! Justamente para evitar isso! – Ele ainda balançava a cabeça negativamente.

- Me desculpe. – Abaixei a cabeça.

- Pedir desculpas não vai fazer aquele feto desaparecer. – O jeito que ele falou a palavra feto me embrulhou o estomago. – O que você acha disso, Louis? – Nós olhamos para meu pai, que finalmente me olhou.

- Eu acho que nunca estive tão decepcionado com você antes, igual eu estou agora. – Suas palavras me acertaram em cheio, ele nunca tinha me dito algo daquele tipo antes e seus olhos estavam completamente sem brilho algum. – Mas agora não há mais nada a fazer, você vai ter que assumir as suas responsabilidades e dar uma vida digna para o seu filho. – Então ele se levantou e saiu da sala, voltei meu olhar para Hazza, que mais uma vez balançou a cabeça e foi atrás de Louis, me deixando sozinho com meus pensamentos.

 

Perrie POV

Eu estava sentada no sofá da sala de estar com o olhar perdido, as luzes da casa inteira estavam apagadas, com exceção de uma luminária no canto da sala. Michael tinha ido dormir na casa de um coleguinha de escola e eu estava a espera de Logan, isso se ele viesse para casa.

Já faz um certo tempo que nós estamos em uma profunda crise em nosso casamento, eu nem me lembro de quando foi que ele começou a me afastar ou de quando foi a última vez que ele me tocou de um jeito amoroso. Tudo o que ele fazia ultimamente era trabalhar e viajar á trabalho, sua vida estava completamente resumida em seu trabalho.

Pelo menos era o que eu pensava.

A coisa que se tornou mais rara nesses meses foi Logan dormir em casa, eu já perdi a conta de quantas foram as vezes que ele chegou de madrugada ou só no outro dia de manhã, sempre com a mesma roupa que saiu para trabalhar, mas nunca com a mesma emoção. Ele sempre saía de casa estressado ou de mau humor, mas quando chegava ele parecia relaxado e completamente diferente.

Eu tentei inúmeras vezes conversar com ele e tentar nos reaproximar, mas era tudo em vão. Logan não permitia que eu tentasse me aproximar, sempre inventava alguma desculpa ou simplesmente saía como se nada estivesse acontecendo, muitas vezes ele apenas me mandava uma mensagem já tarde de noite avisando que chegaria tarde.

Eu andava muito depressiva por causa disso e estava cansada, hoje eu finalmente iria tentar conversar com ele uma última vez e se ele não me escutasse... eu não posso continuar desse jeito.

Quantas noites eu chorei até dormir por não saber o que responder quando Mike me perguntava porque o pai dele não brincava com ele? Não lia histórias para ele dormir, não ensinava a jogar futebol? A pior coisa foi quando ele me perguntou porque Logan não gostava dele. Aquela noite eu fiquei completamente desamparada, e por sorte Logan não veio para casa, porque se eu o tivesse visto, não sei o que teria feito.

Mas hoje era uma situação diferente, hoje era nosso aniversário de casamento, só que eu sabia que a última coisa que faríamos seria comemorar essa data que não era mais tão especial. Era quase 23h da noite quando Logan entrou pela porta da sala, tirou o seu casaco e jogando sobre a poltrona, então ele me viu e franziu a testa, uma chuva forte caía lá fora e por causa disso seu cabelo estava úmido.

- Achei que já estivesse dormindo. – Ele disse e apoiou suas mãos na poltrona, parecia calmo.

- Estava te esperando. – Desviei meu olhar dele.

- Cadê o Michael?

- Foi dormir na casa de um colega da escola.

- Hm. – Ele foi se virar para sair da sala, criei coragem e o chamei.

- Logan! – Voltou seu olhar para mim. – Precisamos conversar. – Balançou a cabeça e se sentou na poltrona. – Aonde você estava?

- Trabalhando. – Suspirei.

- Logan, eu já estou cansada disso. – Passei a mão pelo meu rosto. – Eu realmente não estou mais aguentando isso tudo. Você mal fica em casa, não me dá atenção, não dá atenção para o seu próprio filho, só fica trabalhando e trabalhando cada vez mais, eu nem me lembro da ultima vez que você me tocou! – Falei tudo de uma vez antes que me arrependesse, Logan arregalou os olhos.

- Eu preciso trabalhar, Perrie! Ou você quer que nós vivamos debaixo da ponte?

- Esse é seu único argumento? – Não consegui segurar uma risada de dor, Logan me olhou sem entender. – Você ao menos sabe que dia é hoje?

- Domingo? – Aquilo doeu mais do que eu imaginava, realmente não tinha mais volta.

- Uau. – Só notei que estava chorando quando uma lágrima escorreu por minha bochecha, tratei de limpá-la imediatamente. – Eu não sei se você se lembra, provavelmente não, mas quando nós nos casamos, nós prometemos nos amar na pobreza ou na riqueza, então eu preferia mil vezes que você trabalhasse em uma padaria tendo apenas o necessário para sobreviver, mas passando tempo com sua família, do que ter um marido rico e bem sucedido que mal para em casa. Dinheiro é algo material, algo que não tem tanta importância, mas o amor... depois de tudo o que passamos, eu nunca pensei que um dia chegaríamos nesse ponto. – Desabafei, Logan não atreveu me olhar. – Eu já liguei inúmeras vezes para a empresa em dias que você disse estar trabalhando, mas adivinha só, Logan? Você nunca esteve lá. – Revelei e meu marido me olhou assustado.

- Você o que? – Ele abriu a boca surpreso, soltei um riso sem vida.

- Eu vou te fazer uma pergunta, e eu te juro que se você mentir mais uma vez para mim, você nunca mais vai ver a mim ou aos nossos filhos novamente. – Fui firme em minhas palavras, minha garganta queimava. – Você está me traindo? – Finalmente perguntei o que eu queria saber há sei lá quanto tempo, mas o medo da resposta estava me consumindo.

Logan não me olhou, ele se manteve em silencio e com a cabeça baixa, e aquela foi a resposta que eu tanto temia. Logan tinha outra pessoa em sua vida. Todo esse tempo que ele dizia estar trabalhando até tarde da noite, o tempo que eu passei tentando consertar as coisas entre nós, ele sempre esteve sendo feliz com uma outra mulher. Eu não sabia o que pensar ou o que fazer, mas se tinha uma coisa que eu nunca perdoaria, essa coisa era traição. De todos os erros que Logan poderia ter cometido, esse era o único que não teria como reparar.

- Desde quando?

- Alguns meses.

- Meses... uau. – Me levantei, meu corpo estava tremendo. – Eu tentei evitar isso ao máximo, mas não dá mais. Arrume suas coisas e saia dessa casa, meu advogado vai entrar em contato com você para falar sobre o divórcio. – Falei com o pouco de coragem que ainda me restava, Logan se levantou assustado, seus olhos estavam marejados e ele tentou me segurar, mas eu empurrei seu braço. – Não me toque!

- Perrie, você não pode estar falando sério! – Ele disse com a voz alterada.

- Eu nunca falei tão sério em toda a minha vida. – Fui firme. – Não se preocupe, eu não vou impedir que você veja o Michael, eu não sou o tipo de mãe que impede o filho de ver o pai... mesmo que você não tenha feito muito por ele ultimamente, né? – O fuzilei com o olhar, ele engoliu em seco. – Quanto á mim, não me procure novamente, nossa história acaba aqui. – Vi uma lágrima solitária escorrer pelo seu rosto, mas não me comovi. – Ah, hoje era pra ter sido nosso aniversário de casamento, só pra você saber. – Logan pareceu ter caído na real e abriu a boca para dizer algo, mas nada saiu, então eu apenas balancei a cabeça e fui para o quarto.

As coisas agora seriam muito diferentes.

 

 

Notas Finais


Então né......... cof cof
I won't say anything.
Deixem suas sugestões, opiniões etc etc etc
Até a próxima Xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...