História Irmã de Kim Jeongdae - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Exibições 23
Palavras 2.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um cap amores.
Boa leitura❤

Capítulo 11 - Brinquedinho


Fanfic / Fanfiction Irmã de Kim Jeongdae - Capítulo 11 - Brinquedinho

Depois que ele foi embora fiquei deitada ali por bastante tempo apenas pensando no que havia acontecido. Logo resolvi tomar um banho, liguei o chuveiro e deixei a água morna cair sobre meu copo, depois de alguns minutos sai e festi uma roupa confortável e quentinha.

 Já pasava do meio dia então decidi ligar para Naomi. Nós marcamos de nos encontrarmos em um café.

 

Cheguei no café e vi que Naomi já estava lá, ao me ver ela me lançou um sorriso animado e eu sorri devolta.

 -Oi Bom -Ela disse se levantando para me abraçar.

 

 -Oi, como estão as coisas? -Perguntei sentando-me a sua frente. 

 

 -Está tudo ótimo, e com voce?-Ela diz entre sorisos. 

 

 Eu deveria contar a ela tudo que aconteceu ontem, contar que Suho gosta de mim e que tentou me beijar, contar que fui perseguida por caras bebados, contar que Chanyeol e eu dormimos na mesma cama e cantar também sobre o estranho porém ótimo momento que passamos de manhã. Mas como iria contar tudo isso? Ela iria me encher de perguntas, perguntas que eu nem mesmo saberia responde então resolvi não contar nada disso.

 

 -Está tudo na mesma, sabe...-Falei soltando um suspiro. -E como estão as coisa entre você é Kai? -Ao fazer essa pergunta persebi o quão egoísta estava estava sendo esses últimos dias, pois nunca perguntei a Naomi como ela se sentia sobre Kai.

 

 -Ontem nós saímos, ele foi um fofo. -Ela diz entre um sorriso largo. -Mas não sei se ele quer algo sério, não quero pressionar ele, mas as vezes acho que ele só está brincando -Ela diz soltando um suspiro.

 

 -Talvez você devese perguntar a ele como ele se sente se isso esta te encomodando. -Falo tentando ajuda-la mas confeso que não sou boa nisso.

 

 -Acontece que eu também não quero um relacionamento sério agora, mas também não quero que ele estaja me fazendo de boba -Ele diz desviando o olhar para a janela. -Nao quero que ele pense que porque nos ficamos juntos agora ele pode me descartar como uma qualquer. -Ela diz abaixando a cabeça. 

 Mas oque ela quiz dizer com ficamos? Será que eles tranzaram? 

 

 -Vocês dois tranzaram? -Perguntei com os olhos aregalados. 

 

 -Sim -Ela diz parecendo não dar muita bola, imediatamente coloco minhas mãos sobre minha boca.

 

 -Como foi? Porque não me contou antes? V-você gostou? -Pergunto rápido e logo sinto minhas bochechas corarem por minha perguntas.

 

 -Na verdade isso aconteceu ontem. -Disse meio sem jeito -Foi tudo perfeito, eu já tinha transado com outros caras mas com ele foi diferente, foi incrivel, só espero que ele não pense em me descartar como uma qualquer.

 

 -Bem, eu não o conheço muito bem mas tenho certeza de que ele não será burro de fazer isso. -Disse tentando reconfortala.

 

 Depois disso ficamos canversando por mais um tempo

 

    ***** 

 Eu estava no mercado, precisava compra algumas comidas mais fácil para preparar pois meu pai não estava em casa e digamos que eu seja um desastre na cozinha.

 Estava andando pela seção de masas, comecei a colocar alguns potes de ramen instantâneo até que alguém pechou em meu carinho fazendo um pote que estava em minha mão cair na chão. Nem olhei para a pessoa que tinha feito isso e me abaixei para ajuntar aquele pote de ramen. Senti uma mão tocar na minha enquanto pegava o pote. Aquele toque me faz estremecer, olhei rapidamente para a pessoa que estava a minha frente. Não consegui reconhece-lo, pois estava usando uma máscara e um boné cobrindo praticamente todo seus olhos. Por um instante pareceu que de baixo daquela mascara ele estava sorrindo mas logo lembrei que seu toque estava me deixando desconfortável e retirei minha mão bruscamente de baixo da sua. 

 

 -Sou eu. -O rapaz a minha frente susurou enquanto erquia um pouco a aba de seu bone revelando seus olhos brilhante. Por um segundo não o reconheci mas logo aquele brilho em seu olhar me fez ter certeza de que era ele.

 

 -Channy? -Perguntei baixinho ao perceber que ele estava com aquela mascara e aquele boné para não ser reconhecido pelos paparaziz.

 

 

Ele deu uma piscadinha para mim e levantou-se, logo estendeu sua mão para mim. -Oque está fazendo aqui sozinha? -Ele pergunta f ranzindo o cenho.

 

 -B-bem, eu apenas vim comprar comida, mas já estava voltando para casa. -Disse lembrando-me da promessa que havia feito a ele.

 

 -Você sabe que nao é muito saudável você ficar camendo apenas ramen instantâneo, não é mesmo? -Ele pergunta olhando para o meu carinho onde só havia isso.

 

 -Bem, é que eu não sei fazer outras coisas -Disse abaixando a cabeça um pouco invergonhada.

 

 -Não se preocupe, eu faço para você -Ele diz voltando seus olhos para mim. -Vem, vou te levar para casa. -Ele diz segurando minha mão e me levando até seu carro para irmos para casa.

 

 Chanyeol estava terminando de preparar a comida. 

 

 -Pelo cheiro deve estar deliçioso. -Disse ao sentir o arroma entrar pelo meu nariz.

 

 -Bem, espero que estaja -Ele diz me dando um sorriso de canto.

 

 Logo Chanyeol colocou um prato em minha frente e outro onde ele iria de sentar. Ele havia preparado sopa de masa com carne de porco. 

 

 -Está realmente deliçioso -Disse sem tirar os olhos do meu prato. -Obrigado por cuidar bem de mim, irei comer bem hoje. -Disse olhando para ele e lhe dando um sorriso, ele sorriu e depois terminamos de comer em silêncio.

 

 Depois de um tempo Chanyeol sugeriu que olhasemos um filme de terror e eu concordei pois não estava muito tarde ainda então não ficaria com medo.

 

 Logo quando o filme começou persebi que estava errado, pois quase morri de medo quando levei o primeiro susto. Logo levei outro susto e me encolhi enterando minha cabeça no ombro de Chanyeol e abraçando o mesmo, ele riu com o meu gesto mas logo me abraçou também. Eu estava com vergonha por estar parecendo um bebezinho, mas o medo era maior então continuei olhando o filme praticamente agarada a ele. Quando em levava um susto ele ria mas logo me abraçava forte para me reconfortar e para ser sinsera aquilo funcionava bem, pois quando ele me abraçava forte me sentia segura.

 

 Quando acabou o filme eram quase 10:00 e Chanyeol estava indo embora.

 Acompanhei ele até a porta. -Durma bem Bom, e prometa-me que não irá comer apenas comidas instantâneas - Ele diz ja do lado de fora da porta.

 

 -Prometo que me cuidarei melhor -Disse lhe dando um sorriso. -Durma bem também é descanse bastante. -Disse é ele assentiu e foi em direção ao seu carro e eu fechei a porta me esrando na mesma ao sentir um estranha sensação em meu peito como se faltase algo. Paresia que todo a segurança e conforto que me sercava agora pouco tinha evaporado.

 Abri a porta novamente e antes que ele arancase o carro corri até o mesmo, pati no vidro gentilmente e ele imediatamente o abriu.

 

 -Oque ouve? Você está bem? -Ele pergunta saindo de dentro do carro e indo em minha direção, me sinto um pouco culpada por deixá-lo preocupado por coisas bobas.

 

 -Não aconteceu nada,...e-eu só...só queria que você ficase aqui está noite -Disse olhando para baixo. -Não, me disculpe por pedir isso. -Disse balançando as mãos. -Apenas esqueça, você tem que descansar...desculpe por pedir coisas bobas. -Disse envergonhada pois ele devia estar muito cansado pois logo iriam começar as promoções do novo álbum do exo.

 

 -Você não presisa pedir desculpas. -Ele diz acariciando meu rosto com uma de suas mãos. -Se você quer que eu fique aqui então eu fico, isso não é um pedido bobo. -Ele diz olhando em meus olhos.

 

 -Mas eu realmente quero que você descanse bem, pois sei as promoções do novo álbum começarão logo. -Digo enquanto sinto seu toque suave em meu rosto.

 

 -Não se preocupe com isso, eu irei descançar bem se você estiver bem. -Ele diz, e eu sinto como se meu coração tivesse sido espremido, ele se sacrificando para garantir que eu estaja bem e eu nem ao menos sei como retribuir sua procupaçao comigo. -Vem, vamos entra antes que você fique doente. -Ele diz e nós entramos para dentro.

 

 Eu estava tomando água e Chanyeol estava sentado em um Banco a minha frente. Ele não viu que eu estava atrás dele e quando se levantou da cadeira esbarou em mim fazendo com que em deixase o copo cair no chão, ele se quebrou em vários pesadasos espalhados pelo chão todo. Chanyeol e eu nos abaixamos para ajuntar os cacos de vidro. Em um descuido Chanyeol apoiou sua mão em cima de um dos cacos de vidro.

 Ele soltou um gemido ou olhar para sua mão que já está pingando de sangue. 

 Fico assustada ao ver aquela sena e vou correndo até a sala para buscar o kit de emergencia. Ao voltar para cozinha vejo Chanyeol com a mão embaixo d'água da pia da cozinha. 

 

 -Vem, me de sua mão para mim fazer um corativo. -Digo ja pegando sua mão.

 

 -Não, não presisa. -Ele diz puxando sua mão bruscamente. -Eu estou bem. -Ele diz seco.

 

 -Não seja bobo, deixe eu ver pelomenos. -Disse pegando em sua mão denovo.

 

 -Eu já disse que eu estou bem. -Ele diz alterando um pouco a voz e puxando sua mão devolta.

 

  -É claro que você não está bem, você acabou de ter um corte feio. -Disse o encarnado sem entender sua atitude. -Se não limparmos ele direito pode infecsionar...-Disse voltando o olhar para sua mão.

 

 -Eu não presiso da sua ajuda e eu também já dias que em estou bem. -Ele diz voltando de para pia novamente.

 

 -Porque você não pode apenas aceitar minha ajuda? -Pergunto quase gritando e pegando sua mão para ver seu corte e limpalo coretamente.

 

 -Eu ja disse que eu não presiso de sua ajuda! -Quando ele diz isso uma dor enorme toma meu peito, me sinto completamente inútil ao ouvir aquilo. Ele sempre se procupa e cuida de mim, mas quando eu tento ajudar ele, ele simplesmente discarta minha ajuda como se eu não tivesse nada para oferecer para ajudalo. Talvez isso fosse verdade, talvez eu não tivesse nada para oferecer em troca? Minha ajuda era insignificante para ele. Sinto um nó se formar em minha garganta.

 

 -Porque você não pode simplismente aseitar minha ajuda? Você acha que eu sou inútil? Que não tenho nada a fazer para poder ajudar você? Você faz tudo sozinho? Não presisa de ninguém? -Pergunto querendo dar um soco em sua cara. -Eu pedi para você ficar aqui e mesmo cansado presisando muito descansar, você ficou aqui para cuidar de mim, sou muitro grata pelo que você faz por mim, então porque quando eu simplismente tento ajuda-lo com um corativo você se afasta não me deixando ajuda-lo? -Digo e sinto o nó que estava em minha garganta ficar ainda maior. -Isto me mágoa muito, sinto que não tenho nada a te oferecer enquanto você sempre está aqui para me ajudar e cuidar de mim. -Digo olhando para baixo tentando esconder as lágrimas que estavam prestes a rolarem pelo meu rosto. 

 Ele não disse nada e logo um silêncio sufocante se instalou sobre nós. Não levantei meu olhar mas vi que ele saiu da minha frente e foi até o balcão onde estava o kit de emergencia que eu havia buscado. Ele anda até mim novamente e para em minha frente com o kit de emergencia.

 

 -Você pode me ajudar com isso? -Ele pergunta quase com um sussurro e eu logo olho para ele o encarando firmimente, ele só podia estar brincando comigo. Ele se senta ao lado do balcão e paga algo de dentro do kit.

 

 -Você deixou bem claro que não precisa da minha ajuda. -Falo me virando para ir até a sala. Mas logo sinto sua mão segurando meu braço. Me viro para ele que agora está de pé a minha frente. Nós estamos bem proximos e tenho que levantar bastante minha cabeça para conseguir olhar para ele, pois ele é muito alto. 

 

 -Eu realmente não preciso da sua ajuda, mas eu que você me ajude. -Ele diz se aproximando ainda mais de mim.

 

 -E porque você agora quer a minha ajuda? -Pergunto dando uma risada amrga amarga.

 

 -Porque se você não estiver me ajudando, voce ira para o seu quarto ou algo do tipo e não ficará perto de mim e eu não quero que fique longe de mim,e se você me ajudar vou poder tela perto mim. -Ele fala se aproximando mais ainda. -Então na verdade não estou pedindo ajuda com o meu ferimento,e sim ajuda para me sintir bem, pois nos ultimos dias parece que só me sinto realmente bem quando estou com você. -Quando ouso aquelas palavras, sinto meu coração acelerar. Um misto de sentimentos invade meu corpo e não sei oque fazer, não sei se bato nele ou se o abraço. Não consigo distinguir se estou com raiva ou se estou deretemdo como uma margarina no sol. Sem saber oque dizer ou oque fazer apenas faso sinal para ele se sentar e ele se senta, entao pego sua mão ferida, o sangue em sua mão já está praticamente seco passo um produto para tirar as bactérias, passo uma pomada para a cicatrizaçao e começo a enrolar sua mão com o esparadrapo, erolo cuidadosamente para não machuca-lo e enquando estou fazendo isso sinto os olhos de Chanyeol sebre mim, olho para ele e ele permanece me olhando atentamente.

 

 -Porque está me olhando assim? -Pergunto um pouco incomodada. 

 

 -Eu estava olhando para você, porque acho que ninguém deve desperdiçar a chanse de adimirar algo belo que está bem a sua frente. -Ele diz ainda com os olhos cravados em mim. Aquilo me faz ficar constrangida e sinto minha bochechas corarem, eu devia estar igual a um pimentão.

 

 -Está pronto. -Falo soltando sua mão rapido e me virando para guardar as coisas do kit.

 

 Ele levanta-se da cadeira e se aproxima de mim, eu finjo não dar bola para ele então ele se aproxima ainda mais. -Desculpa, não foi minha intenção te deixar envergonhada. -Ele susurra perto do meu ouvido e sinto meu corpo inteiro se arepiar. Eu nao respondo nada, apenas fico ali imóvel esperando ele se afastar. Mas não é isso que ele faz, sinto ele se aproximar ainda mais, ele pasa uma de suas mãos pela minha sintura me virando de frente para ele. Aque toque faz uma onda elétrica percorer meu corpo. Eu tento afastar sua mão mas ele é forte, ele passa a outra mão pelo meu pescoço e eu estremeço, logo ele começa a beijar meu pescoço e eu mordo meu lábio Inferior ao sentir seus lábios quentes sobre a minha pele. Aquilo parecia tão erado mas ao mesmo tempo eu clamava por aquilo. Eu queria deixar que ele continuace. Mas logo lembrei-me do que estava fazendo e o enburei para trás. Ele me olhou confuso com o meu gesto. 

 

 -Eu não vou deixar você brincar comigo desse jeito. -Disse baixo -Eu não quero que você me toque desse jeito nunca mais. -Disse desviando meu olhar de seus olhos.

 

 Antes que ele pudesse falar algo subi as escada rapido até o meu quarto e tranquei a porta me sentando no chão escorada na mesma.


Notas Finais


Se estão gostando da fic comente e favoritem para mim saber se devo continuar ou não.
E obrigado pelos que favoritaram💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...