História Irmão Mais Velho - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Barbara Palvin, Járbara, Justin Bieber
Visualizações 212
Palavras 2.616
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Midnight


Fanfic / Fanfiction Irmão Mais Velho - Capítulo 4 - Midnight

Londres, Inglaterra.

Lorena Bieber ー Point Of View 


Justin me olhava de olhos arregalados, e tentava disfarçar a surpresa de me ver ali. A garota que estava ao seu lado me encarava estranho, mas não falou nada, até que seu amigo de mais cedo se aproximou.


ー Ih, olha lá a garota de mais cedo. ー disse o moreno sorrindo pra mim, apenas dei um sorriso de lado. ー Qual foi Bieber? Só falta os olhos caírem para fora. 


ー Obrigada por indicar esse lugar mais cedo. ー falei para o moreno, mas olhando pra Justin, que olhou pro amigo indignado.


ー Por que você indicou? Eu disse que não! ー Justin disse com raiva e se soltou da outra garota, me pegando pelo braço e me puxando pra longe.


ー Eu sabia que você não era um beato! ー falei rindo e ele me empurrou contra a parede.


ー O que merda tu faz aqui? ー perguntou visivelmente irritado. 


ー Sei lá, apenas vim. Qual o probleminha, maninho? ー perguntei fazendo um bico, tocando seu rosto, mas ele afastou minha mão.


ー Ninguém aqui pode saber que somos irmãos, entendendo? ー perguntou ー e volta pra casa.


ー Eu não vou voltar pra casa, meu querido. Vamos fazer um pequeno acordo, eu vou continuar vindo aqui porque gostei do lugar ー falei olhando mais para o lugares voltando a olhar pra ele, vendo seu cabelo castanho cair para o lado. ー E então eu não conto que sou sua irmã nem nada. 


ー Isso não vai dar certo. Se quiser, eu te pago alguma coisa, não te quero aqui. ー Falou e eu dei risada, me afastando dele.


Fui até o bar que tinha na área VIP mesmo, e pedi um martini, vendo que tocava uma música legal, mas eu não ia descer, ou talvez eu devesse. Pelo menos já sei que esse daí não é um beato. Khalil, o moreno se apresentou assim, me pediu pra se juntar a ele e aquela outros garota. 


Logo Justin voltou, ficando ao meu lado com uma cara nada boa, mas estava calado.


ー Qual foi Bieber? Tu tá muito estranho, não pode ver uma gostosa que já quer pegar, aí tem essa ao teu lado e tu não quer? ー Khalil perguntou ao meu lado olhando pra Justin. 


Olhei desafiadora para Justin, e ele riu pelo nariz, e me puxou de uma vez, juntando seu corpo ao meu e beijando meu lábios ferozmente, eu correspondia é claro, mas eu pensava que ia ser o beijo mais ruim e nojento de minha vida.


Foi totalmente ao contrário. 


O agarrei pela nuca, deixando o copo que eu segurava cair no chão, esbarrando em algumas pessoas, mas eu não conseguia parar, ele apertava minha cintura de uma forma, que eu não queria sair de seus braços mas, ouvi a risada a risada de Khalil, e o DJ trocar de música. Justin se separou de mim, e eu olhei para seu rosto, vendo seus lábios entreabertos manchados por meu batom, e ele piscou pra mim, me soltando.


ー Limpa a boquinha. ー falei tocando seus lábios e seguindo para o banheiro.


Entrei no banheiro, que estava até vazio, o que me fez estranhar na hora, mas continuei ali e fui até o banheiro, procurei por papel, limpei minha boca, e tirei a bolsa de meu ombro, pondo-a em cima da pia, e abrindo a mesma, pegando meu batom e passando em meus lábios.


ー Qual é a tua? ー ouvi uma voz enjoada e olhei pelo espelho vendo que era a pulga de Justin. 


ー O que? ー perguntei com cara de tédio.


ー Você se ligar, não quero ver você relando no Bieber. ー disse e eu gargalhei.


ー Olha fofa, por mim tanto faz, mas se ele quiser, eu não vou negar. ー falei e ela ficou com raiva vindo pra cima de mim.


A peguei pelos ombros e a joguei com tudo para o lado, vendo ela chocar seu corpo na porta de uma cabine e ela se abrir, fazendo ela cair batendo a cabeça no vaso. 


Ela fez uma cara de dor, e eu apenas sorri, tirando minha bolsa no chão, ajeitando meu cabelo e saindo do banheiro com um sorriso vitorioso no rosto. Voltei para onde eu estava, mas vi Justin Khalil e mais dois homens. Me aproximei mais deles, e vi que Justin cheirava pó. 


Os caras saíram, e eu cheguei ao seu lado, vendo que ele ainda cheirava as costas de sua mão, onde tinha mais um pouco de pó. Toquei seu ombro, e ele acenou a cabeça como se dissesse, “o que foi?”


ー Não deveria cheirar isso. ー falei e ele deu risada, me puxando pela cintura.


ー Estou muito honrado de estar inaugurando essa boate, obrigada pela chance Bieber! ー o DJ falou fazendo todos aplaudirem, e Justin fez o sinal da paz pra ele.


O que estava acontecendo? 


ー Por que ele falou isso? ー perguntei olhando pra Justin, que apenas apertou minha cintura, olhando o pessoal dançar animado lá em baixo. ー Eu te fiz uma pergunta! 


ー E eu não respondi, não enche o saco caralho. ー falou grosso, e eu me calei, fazendo uma cara feia.


ー Depois nos vemos, falou JB. ー disse Khalil, fazendo um toque com Justin, e me deu um beijo no rosto. 


Peguei minha bolsa, olhando a hora, e vendo que eram duas da manhã, arregalei os olhos vendo as cinco ligações de meu pai. Olhei para Justin vendo ele paquerar uma garota lá de baixo e o cutuquei.


ー Precisamos voltar pra casa. ー falei, e ele negou com a cabeça, beijando meu pescoço.


ー Sabia que você é chata pra caralho, mas é gostosa ao dobro? ー perguntou mordendo meu pescoço e eu me afastei.


ー Justin, por favor, estaremos mais ferrados do que já estamos se não voltarmos. ー falei mas ele negou com a cabeça. 


ー Não podemos voltar agora, tá entendendo? Amanhã voltamos. ー falou e eu fiquei indecisa.


ー Não acho…


ー Cala a boca e aproveita. 



HORAS DEPOIS

Justin Bieber ー Point Of View 


Eram quatro da manhã, e finalmente a boate estava esvaziando, os mandei embora, normalmente fecharia as cinco da manhã, mas como aqui é diferente, fechei as quatro para não dar problemas. Lorena ficou enchendo meu saco pra ir embora, mas caralho, não poderíamos voltar assim, eu daria qualquer desculpa pra aquele velho, ele acreditaria em mim se eu dissesse estar orando. 


Peguei mais um cigarro, o acendendo e pondo na boca, dando uma tragada, enquanto eu olhava para a janela, vendo que ainda estava escuro. Olhei para o lado vendo Lorena dormir, aparentemente cansada.


O lucro subiu bastante aqui, pensei que a inauguração não ia ser isso tudo, mas eu gostei, quanto mais gente, mais dinheiro pra mim. Nem sei o que ainda faço aqui, poderia muito bem estar viajando por aí, mas como esse foi o último desejo de minha mãe, vamos seguir. 


Meu telefone tocou vibrando no meu bolso, e eu o peguei, atendendo. 


Fala aí JB, já posso mandar os caras irem buscar as caixas? 


ー Pode mandar, e andem logo, vai que fica tarde e fode tudo. 


Beleza


Falou pra e eu desliguei. 



ー Que horas são? ー ouvi a voz de Lorena, e tombei a cabeça para o lado, segurando o cigarro, e olhei no meu celular.


ー São quatro e quinze. ー falei calmo, e dei uma tragada.


ー Por que você está acordada a essa hora e fumando? ー perguntou fazendo uma careta se enrolando mais na cama, deixando apenas a cabeça de fora.


ー Insônia. ー dei de ombros, voltando a olhar para a janela dando uma tragada.


ー Existe remédios pra isso. 


ー Cala a boca. ー falei, cansado de ouvir sua voz e apenas ouvi ela bufar.


•••


Eram meio dia, e estávamos voltando pra casa. Eu troquei de roupa, e dei algumas melhores pra Lorena, já tinha tudo em minha cabeça pra contar para aquele velho, claro que ele vai acreditar. Não tem erro, só caso a Lorena ficar nervosa o que caga tudo. 


Chegamos na porta, e batemos na porta, vendo que fazia um bom sol, mas estava um pouco frio mesmo assim. 


ー Então decidiram chegar? ー o velho falou abrindo a porta e nós dois entramos. ー onde estavam?


ー Fazendo um trabalho pra entregar hoje, estávamos na casa do Rubens, amigo da Lorena, que nos ajudou nisso. ー falei tirando a bolsa das costas. Lorena sentou no sofá, e eu ao seu lado, abrindo minha bolsa e tirando um falso trabalho dali de dentro entregando pra ele.


Ele pegou e ficou olhando por alguns segundos, até dar um sorriso. 



ー Vão tirar uma boa nota com isso. Mas por que não voltaram pra casa?


ー Quando terminamos já eram três da manhã, preferimos ficar por lá, do que acontecer algo conosco pela madrugada. ー dei de ombros.


ー Parece que alguém já se acostumou com Justin aqui. ー disse Jeremy rindo e olhando pra Lorena.


ー Ainda continuo odiando esse estrupício! ー disse se levantando do sofá, e saindo do nosso campo de visão. 


ー Bom eu já vou indo, o almoço já está pronto só falta esquentar. ー disse ele dando um beijo na minha cabeça, e eu me segurei para não revirar os olhos. 


Apenas dei um meio sorriso e ele saiu de casa. Me deitei no sofá, começando a ficar com sono, e me agarrei a uma almofada, fechando os olhos, tentando dormir por alguns minutos.


ー Mas você não vai pra aula? ー escutei a voz de Lorena.


ー Não. ー respondi curto, e abri os olhos vendo que ela me encarava. 


ー Não deveria faltar, ele vai investigar sobre esse trabalho. ー disse e eu bufei, jogando a almofada em sua cara. 


Me levantei do sofá mesmo a contragosto, e fui para meu quarto, entrei no mesmo e parei na porta do banheiro encarando seriamente o chuveiro, eu já sentia a água fria, essa merda de lugar nem pra ter um chuveiro quente tem. 


Tirei minhas roupas e tomei um banho, rápido porque eu estava quase congelando, e me vesti penteando o cabelo e depois me perfumando. Peguei minha bolsa e sai do quarto, cheguei na sala e vi Lorena na cozinha. Me abaixei para pegar o trabalho falso do chão e joguei pra ela, que me olhou estranho.


ー O que faço com isso? 


ー Se vira. 


•••



Já era hora do intervalo e eu estava com Khalil e os meninos no refeitório, jogando conversa fora. Dessa vez não preciso ficar fingindo as coisas e gaguejar na frente da Lorena, chegava a ser insuportável receber patadas daquela insuportável.


ー Ih, olha lá. ー um dos meninos chamou atenção, apontando pra uma amiga da Lorena que estava com ela. 


ー A de olhos azuis já tem dono, Ryan. ー disse Khalil e eu dei risada.


ー Não viaja Khalil. ー falei dando risada e fizemos um toque, vendo Ryan ainda olhar pra lá. ー Baba não Ryan. ー falei gargalhando, chamando atenção de algumas pessoas 


ー Licença Bieber, tu é uma merda, mas a tua irmã… ー disse mordendo os lábios pra ela, e eu joguei um pedaço de pão do meu hambúrguer nele.


ー Pera aí, tua irmã? ー Khalil perguntou baixo do meu lado. 


ー É. ー falei dando de ombros, pegando meu guaraná e o bebendo, recebendo um tapa na nuca.


ー Ta doido? Não pode levar parente pra aquela porra o trato é esse. Se o cara descobrir…


ー Relaxa, ninguém vai descobrir. Não sei pra que essa frescura de não levar parentes. ー falei e ele revirou os olhos,bufando em seguida. 


Dizem que aumentou os lucros depois dessa regra idiota, e que se quebrarem isso seriam banidos do lugar. Eu não poderia, eu era um dos donos, o maior do lugar, isso não aconteceria nem se eu levasse minha mãe. 


Após o sinal tocar, voltamos para as aulas. Eu estava no último ano, cursando para ser um engenheiro, embora eu não precise de mais nada. Mas isso é um sonho meu de longa data, não posso desistir assim tão facilmente. 


Sentei na última cadeira da sala, junto com os meninos e uma professora provavelmente de uns 40 anos entrou na sala, olhando feio pra nós, que falávamos sem parar, então nos calamos soltando algumas risadas por sua cara.


ー Qual é a graça Bieber? ー ela perguntou pra mim, e todos olharam pra mim.


ー Nenhuma. Por que? 


ー Não sei do que ri.


ー Nem eu. ー falei rindo e todos riram. 


Ela reclamou comigo e começou a aula logo, mas estava tão chato que preferi dormir a aula inteira, estava cansado e precisando dormir. 


Flashbackmos lá. Você não pode se atrasar pra escola. ー minha mãe dizia me chamando. 


ー Só mais cinco minutos! 


ー Nem um minuto a mais. Ande, levante logo menino! ー falou batendo em minha perna. 


Bufei coçando os olhos, e levantei da cama vendo minha mãe sentada na cama, sorrindo enquanto me olhava.


ー A senhora estar tão estranha. Meu aniversário de 13 anos está chegando, é por causa disso? ー perguntei, indo até o banheiro e escovando os dentes.


ー Estou planejando algo especial pra você! ー falou e eu a olhei desconfiado do banheiro, e enxuguei meu rosto. 


 ー O que está aprontando? 


ー Você vai gostar, prometo. ー disse e eu assenti levantando as mãos em rendição. 


ー Pode me dizer, se o meu pai vai vim dessa vez? ー falei e ela desviou o olhar ー Mãe?

ー Não, ele não vai vim. Já te expliquei, eu e ele estamos separados. ー disse, e eu revirei os olhos.

ー Mas eu só quero ver ele, é meu pai. Eu quero ve-lo, a última vez que o vi, eu tinha quatro anos! ー me exaltei, me sentando ao seu lado.


ー Ele não nos quer com ele Justin. ー disse e eu fiquei confuso. 


ー Mas por que? 


ー Não sei, eu apenas queria explicações do por que dele chegar tarde em casa e ele se irritou completamente, dizendo que não aguentava mais isso e que me queria fora! A casa era dele afinal, então eu sai e ele mandou eu te levar. 


ー E por que não trouxe minha irmã? 


ー Ele não queria ficar dividindo guarda, então fizemos um trato, ele ficava com a Lorena, e eu com você. ー disse sem olhar pra mim, e eu mordi a boca.


ー Eu não posso ir visitar eles? 


ー Não, é melhor não. Pra não causar algum problema. ー disse e eu neguei.


ー Não! Eu quero ver ele e minha irmã! Eu preciso! Eu tenho o direito! ー falei com raiva, e ela suspirou, abaixando a cabeça.


ー Se é isso que você quer…

ー Eu preciso, nem que seja uma última vez.


Flashback Off


ー Ei cara, acorda. ー Ryan me cutucou.


Levantei meu rosto com sono, e coçei os olhos, bocejando, vendo que todos já saiam. Mordi os lábios lembrando do que tinha vindo em minha mente, neguei com a cabeça e levantei pegando minhas coisas e saindo com Ryan da sala.

ー Você vai hoje? ー Ryan perguntou em relação a boate.

ー Hunrum, te encontro lá. ー falei e fizemos um toque, vi ele se afastar e ir embora.

Segui para fora da universidade, e vi um cutuque do meu ombro. Olhei pro lado e vi Lorena, me olhar com um ponto de interrogação na cara.

ー O que foi? ー perguntei, enquanto andávamos pela calçada, voltando pra casa.

ー A boate abre hoje? 

ー Abre, por que? Você não vai mais, ontem foi uma loucura. ー falei, dando risada em seguida. 

ー O mais estranho é que seu beijo não foi nojento. ー disse fazendo uma careta e eu dei de ombros.

ー Meu beijo nunca vai ser nojento. ー falei e ela revirou os olhos.

ー Então hoje a meia noite, saímos? 

ー Meia noite. 




 


Notas Finais


Desculpem-me pela demora para postar, estou com problemas pessoais e por isso não estou conseguindo escrever muita coisa.



Até breve.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...