História Irmãs Sakamaki-interativa - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Tags Irmãs Sakamaki
Exibições 42
Palavras 894
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Escolar, Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Adultério, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem, eu realmente gostei do capítulo, mas é isso, vamos logo acabar com o blá blá blá e vamos direto ao ponto.

Boa leitura

Capítulo 16 - Sangue(parte 3, final) e Vamos Brincar (parte 1)


No capítulo anterior de Irmãs Sakamaki

Cap. 15

Shu: se você acabou de molhar sua toalha, como vai se secar?

Kalidya: a culpa é sua!

[…]

Hana: […] você sabe que primeiro deve sair da banheira para depois se secar né?

Kalidya: É CLARO QUE SEI!!

[…]

Subaru: que cheiro é esse? […] quem-fez-isso?

Shu: Eu, por que?

[…]

Cap 16

Na varanda do quarto de Mari, a garota estava sentada na grade com as costas na parede, ela olhava a lua, à admirando.

Kanato: o que está fazendo Mari? Eu e o Teddy estávamos curiosos, não é, Teddy?- diz em frente à garota, que apenas o olhava conversar com o urso à sorrir

Mari: nada de mais- diz descendo da grade- mas por que pergunta?

Kanato: nada de mais, só eu e o Teddy que estávamos curiosos mesmo, pois senti cheiro de sangue e ele vinha daqui- diz ele indo até ela é pegando o seu braço- achei que tinha parado com isso- diz se referindo a seu pulso cortado

Mari: e eu tinha parado, até ter parar de falar com você- diz cabisbaixa

Kanato: mas agora eu estou aqui, você pode parar de fazer isso, por mim- diz se aproximando de seu rosto e a beijando carinhosamente e aos poucos ia baixando a mão pelo seu braço, até chegar ao pulso da mesma e então ele para de beija la e leva o pulso dela a sua boca e suga seu sangue.

No rosto de Mari havia uma expressão de dor, mas a mesma deixa que ele prossiga, pois ao mesmo tempo ela sentia prazer

Kanato: você gosta disso, não é mesmo?- pergunta malicioso e Mari somente vira o rosto, que pela luz da lua, Kanato percebe que ela estava corada- ok, não precisa me responder, tchau, eu e o Teddy, precisamos ir. Não é Teddy?- diz e ele sai do quarto

Amaya: o que o Kanato fazia aqui? Eu o encontrei saindo do quarto- diz indo até a varanda

Mari: nada- diz um pouco avoada

Amaya: hum- murmura e elas ficam em silêncio por um tempo até Amaya ver o pulso da irmã- MARI! Você se cortou de novo?! Achei que tinha parado- diz pegando o pulso da garota

Mari: não se preocupe, eu não farei nais isso- diz sorrindo

Amaya: acho bom mesmo, vem, vamos fazer um curativo- diz ela puxando Mari pelo pulso cortado (idiota, não?), mas estranhamente Mari não sente dor alguma

Mari: Amy, tem algo errado, eu não sinto mais dor no pulso- então Amaya para de andar e olha para o pulso de Mari

Amaya: que incrível, seu pulso está curado- diz (quase) pulando de alegria- mas como isso aconteceu?

Mari: Amy, você ainda não entendeu? Você tem poder de cura, foi assim que o Ayato voltou a "vida"- diz e Amaya arregala os olhos

Amaya: aaaaaaah... Então tá, vamos- diz indiferente e dando de ombros, para logo sair puxando Mari novamente (sou eu na vida)

Reiji: o que estavam fazendo?- pergunta assim que as encontra no corredor- e que cheiro de sangue é esse?- diz e pega a mão de Amaya que ainda estava suja com o sangue de Mari

Amaya: não foi nada, a Mari se cortou de novo- diz e olhou para ela com os olhos semicerrados- e eu peguei no pulso dela, daí eu a curei, daí eu acabei sujando minha mão, daí nós viemos  para cá, para podermos ir para a sala é nós acabamos encontrando um cara mala, que por um acaso não me contou que eu tinha poderes de cura e eu tive que perder meu tempo para explicar a esse cara mala o porque do sangue na minha mão o qual eu deveria ter limpado, mas acabei esquecendo- diz com cara de tédio

Reiji: ok, já entendi a indireta, mas Mari, por que?- pergunta a abraçando (acredito que a palavra certa seria estrangulando)

Mari: Reiji, será que dá pra parar?- diz e ele a solta

Amaya: ok, vamos logo, não temos tempo para ficar perdendo com explicações e blá blá blá

Assim que chegam na sala se deparam com "seres" conversando (ou se pegando)

Ayato: gatinha, estava a onde?- diz se levantando e pondo uma das mãos na cintura dela e a outra em seu rosto e logo ele a beija.

Shu: cof, cof- finge tocir e Ayato e Amaya se separam- obrigado, não preciso presenciar isso, não que eu queira que vocês se beijem em outro lugar, mas... Affs, tô com muita preguiça para continuar falando...- mal termina de falar e acaba dormindo e Amaya, Reiji e Mari põem a mão sobre seu rostos

Amaya/Mari/Reiji: só podia ser o Shu- dizem em um coro perfeito

Ayato: vem My Lady- diz e os dois vão até o safá e ela se senta entre as pernas dele e ficam  os dois ficam conversando ou se namorando (ou simplesmente um olhando para o outro entre carícias em seus rostos e beijos, como se fosse nunca mais fossem se ver daquele dia em diante)

Laito: affs que chato, não aguento mais isso, vocês se pegando, vamos jogar alguma coisa- diz se levantando para se sentar no chão logo em seguida com as pernas em posição de borboleta e com as duas mãos sobre os pés juntos, ele sorri igual uma criança e fala:
VAMOS BRINCAR! Vamos brincar de verdade ou desafio


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...