História Irmãs sobreviventes - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Abraham Ford, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Glenn Rhee, Maggie Greene, Michonne, Morgan Jones, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Sasha, Tara Chambler, Tyreese
Tags Carl, Chandler Riggs, Daryl, Norman Reedus
Visualizações 176
Palavras 1.042
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 30 - Eu tenho que esquece-lo.


POV. DARYL DIXON

Acordei um uma mão batendo na minha cara quando fui olhar era Allana, tirei com todo cuidado ou tentei porque isso é uma coisa que eu não tenho mesmo assim ela acordou.

-Bom dia.- falou com uma voz de sono rolando pra cima e mim de novo.

-Oi.- respondi.

-Nossa, só um oi mesmo? Sério?

- Queria o que?

- Um bejinho de bom dia?

- Allana, eu não faço essas viadagens- falei e ele riu.

- Tive uma ideia-falou com um sorriso sacana.

- O que você vai...

Nem terminei de falar, ela pulou da cama e saiu correndo como uma criança no natal só fiquei parado então ela voltou e disse:

-Você não vem?

Bufei e a segui, ela pegou uma bacia e colocou água então subiu com muito cuidado para não derramar uma gota. Começou a andar de vagar para não fazer barulho, entrou no quarto de Sophia e deu uma risadinha baixa se aproximou da cama de Sophia e virou a bacia na menina que praticamente pulou da cama e caiu no chão  e começou a tossir. Allanna começou a rir descontroladamente e logo estava no chão junto com sua irmã,eu acabei rindo da cena, elas juntas fazem até a pessoa mais fechada, mais fria do mundo rir, então foi só nesse momento que eu percebi. Estava construindo minha própria família elas eram minha família. Allana, Sophia, Henrique e esse bebê eram minha família.

Não que o Rick, Abraham todos não eram minha família mas era diferente.

- Vai me acordar com água pra ver o que tu ganha- falou meio rindo meio gritando- Eu falei que teia volta sua vaca!

Assim que Sophia recuperou o folego, puxou Allana para onde estava molhado e começou a rir

- Vingança!- gritou quando Allana fiou com sua blusa e short molhado

A roupa dela estava molhada e um pouco colada em seu corpo, quase transparente. Comecei a ter pensamentos muito impróprios para o momentos. Tudo isso parou quando alguém me pegou pela mão e puxou-me até o chão e quatro braços molhados me rodearem fechei a cara com isso, elas riram.

- Qual é Daryl? um banho não vai te matar- Allana falou brincalhona então roubou um selinho fiquei meio desconfortável por estar perto de Sophia no momento.

- Agora, eu não vou limpar tudo isso- falei já me levantando

-  Nem eu- Allana falou pegou minha mão e saiu me puxando

Passamos na frente do quarto de Henrique e ele estava em pé sorriu quando Allana chegou perto dele

- Oi meu amor, você já acordou?- falou com uma voz fininha e ele deu outro sorrisinho

- O papai vai ficar com você porque eu tenho que me trocar, aquela sua titia chata me molhou toda

- Eu? Não pode pedir pra Sophia não? Eu não sei cuidar dele sempre da merda

- Moço, é só  você não matar o menino nem quebrar nada- falou saindo e eu bufei

Ela saiu e eu fiquei encarando o menino até ele esticar os bracinhos para mim e eu não me movi então ele começou a reclamar e seus olhos começaram a ficar marejados o peguei no colo e o deixei no chão ele correu e pegou um carrinho então mostrou pra mim sentei no canto do quarto para olha-lo então ele pegou outro brinquedo, e outro e mias outro no fim quando percebi que todos os brinquedos que ele tinha estavam espalhados pelo quarto então Allana entra no quarto e ri

POV ALLANA COTTON

Quando estávamos saindo de casa,  Tara estava vindo falar com a gente viu tara vindo em nossa direção, todas nós iriamos nos reunir na casa a Maggie para ficar com ela, mas la para trás tinha uma pessoa com olhos vidrados em trara, era a Chase. Me despedi do Daryl e comecei a andar com Tara e então ela falou

- É impressão minha ou aquela garota nova fica me seguindo?

- EU também reparei nisso, ela ta onde você ta, parece até o Eugene vendo os outros transando, ele sempre ta lá, juro que se eu descobrir que algum dia ele viu as minhas, eu cago no tapete dele- falei e ela riu

Ficamos grande parte do dia na casa dela e quando estava voltando para casa Chase me  alcançou 

- E aquela sua amiga, a Tara?

- Qual a que você fica seguindo a toda hora?

- Essa mesmo, é que ela é muito gostosa- falou

- Deixa eu adivinhar você é lésbica, né?

- Logico se eu não fosse eu não tava falando que ela era gostosa

- Porra Chase, ta pistola.

- To mesmo, mas só falando eu amo velcros e lutas de tesoura-  falou maliciosa, eu ri

- Ta com sorte,ela ta solteira

- Mas e aquele caipira,  seu marido né?

- Meu namorado, fala para aquela sua amiguinha puta, mais rodada que pratinho de micro-ondas parar de dar em cima dele, o caipira é meu não da piranha chamada de Julie.

E foi nesse momento que eu vi ela e Daryl estavam se beijando no meio da rua, aquilo dou no fundo do meu coração, como se alguém rasgasse minha pele e  colocasse álcool, na verdade foi muito pior que aquilo, meus olhos marejaram mas não deixei nem uma lagrima cair por ele, fiquei cega de raiva. Comecei a andar na direção deles e puxei Julie pelo pescoço, não sei de onde essa força veio mas eu joguei-a n chão como se ela  não pesasse nada a prendi e comecei a distribuir vários e vários socos em sua face então alguém me segurou pela cintura, sabia exatamente quem era.

- Me solta filho da puta!- gritei e ele obedeceu- não vai me falar nada?- ele continuou parado não aguentei e também soquei Daryl que continuou parado com um olhar triste, como se quisesse me dizer algo todos já estavam olhando a ''cena'' uma lágima escorreu por minha face então eu simplesmente ai correndo, as meninas me guiaram até a casa da Maggie. Quando eu cheguei não consegui conter chorei tudo o que tinha segurado.

MAS EI TENHO QUE FICAR BEM, POR ESSE BEBÊ. MEU BEBÊ, A PARTIR DE AGORA VOU ESQUECER QUE DARYL DIXON UM DIA  EXISTIU .


Notas Finais


É oficial todos odeiam a Julie, se eu fiz isso foi por um bom motivo, e gente...A Allana não é barraqueira é só se l fico muito puta da vida e com raiva, a única barraqueira aqui é a Julie, puta merda essa sim é barraqueira. em fim espero que tenham gostado beijos de purpurina


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...