História Irresistible - Klaroline - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Vampire Diaries
Personagens Caroline Forbes, Klaus Mikaelson
Tags Klaroline, Romance
Visualizações 166
Palavras 1.245
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 42 - Quarenta e Um


Fanfic / Fanfiction Irresistible - Klaroline - Capítulo 42 - Quarenta e Um

– Você está pronta? – Klaus perguntou no domingo de tarde, entrando em meu quarto e beijando rapidamente meu rosto. A maior parte da manhã foi assim: um beijo escondido num corredor vazio, uma agarração apressada na cozinha.

– Quase. Estou arrumando algumas coisas que minha mãe quer que eu leve.

Senti seus braços envolverem minha cintura com força e me recostei nele. Nunca percebi o quanto Klaus me tocava até ele não poder fazer isso livremente. Ele sempre foi uma pessoa tátil – pequenas carícias com a ponta dos dedos, a mão pousando em meu quadril, seu ombro raspando no meu –, mas eu estava tão acostumada com isso e me sentia tão confortável que praticamente nem notava mais. Neste fim de semana senti falta de cada um desses pequenos momentos, e agora queria cada vez mais. Eu já estava tendo um debate interno sobre quantos quilômetros pela estrada eu deveria esperar passar antes de pedir para ele cumprir sua promessa de me tomar no banco de trás.

Klaus empurrou meu rabo de cavalo para o lado enquanto seus lábios subiam por meu pescoço, parando um pouco abaixo da orelha. Ouvi o tilintar das chaves em sua mão e senti o metal frio contra minha barriga, onde minha camiseta havia subido um pouco.

– Eu não deveria estar fazendo isso – ele disse. – Acho que o Matt está tentando me encurralar desde o café da manhã, e eu não quero morrer tão cedo.

Suas palavras gelaram meu sangue, e então eu me afastei, pegando uma camiseta do outro lado da cama.

– Isso é típico do Matt – murmurei, erguendo os ombros. Eu sabia que seria estranho para meu irmão mais velho. Inferno, também seria estranho para Klaus e eu se a minha família descobrisse –, mas durante toda a manhã eu fiquei relembrando a conversa da noite anterior.

Eu queria perguntar na luz do dia: você estava mesmo falando sério quando disse que queria apenas a mim? Pois eu estava finalmente pronta para cruzar a linha.

Fechei minha mala e comecei a carregá-la para fora da cama.

Klaus esticou o braço ao redor do meu corpo e agarrou a alça.

– Posso cuidar da mala?

Senti seu calor e o perfume de seu xampu. Quando ele se endireitou, Klaus não se afastou, não se moveu para colocar distância entre nós. Fechei meus olhos e comecei a sentir uma tontura com a maneira como sua proximidade sugava todo o ar ao redor. Ele baixou o queixo e pressionou os lábios na minha boca, apenas um toque macio e demorado. Eu me inclinei para frente, perseguindo aquele beijo.

Ele sorriu.

– Vou guardar a mala no carro e então podemos ir embora, certo?

– Certo.

Klaus passou o polegar em meu lábio inferior.

– Logo chegaremos em casa – ele sussurrou. – E não vou para meu apartamento.

– Certo – eu repeti, com as pernas tremendo um pouco.

Ele sorriu maliciosamente, levantou a mala e eu fiquei apenas olhando, mal conseguindo ficar de pé, enquanto ele saía do quarto.

Quando desci as escadas, encontrei minha irmã na cozinha.

– Já está indo embora? – Liv perguntou, circulando o balcão para me abraçar.

Eu me aninhei em seus braços e confirmei.

– Klaus já está lá fora?

Olhei pela janela da cozinha, mas não o vi. Eu estava ansiosa para pegar logo a estrada e dizer tudo que eu queria, durante a luz do dia, onde minhas perguntas não poderiam ser ignoradas.

– Acho que ele foi lá atrás se despedir do Matt – ela disse, voltando para a tigela de cereais que estava limpando. – Vocês dois formam um casal muito fofo.

– O quê? Não.

Havia uma travessa de biscoitos esfriando no balcão e eu enfiei um punhado numa sacola de papel.

– Já disse, as coisas não são assim, Liv.

– Diga o que quiser, Caroline. Aquele cara está apaixonado. Francamente, duvido que eu seja a única que reparou.

Começando a sentir um calor subir pela garganta, eu balancei a cabeça. Tirando dois copos de isopor do armário, eu os enchi de café, adicionei açúcar e creme para o meu e apenas creme para o de Klaus.

– Acho que a gravidez afetou seu cérebro. Não é nada disso.

Minha irmã não é idiota; tenho certeza de que ela ouviu a mentira em minha voz tão bem quanto eu.

– Talvez não seja para você – ela disse, com um gesto cético. – Embora eu ache que também não é o caso.

Fiquei olhando fixamente para a janela. Eu sabia em que pé estávamos… pelo menos, achava que sabia. As coisas mudaram nos últimos dias, e agora eu estava ansiosa para definir essa relação. Antes, eu tinha medo de definir limites porque achava que queria espaço para respirar. Achava que eu ficaria magoada em saber como ele me encaixou em sua rotina igual fazia com as outras mulheres. Ultimamente, meu desejo de evitar essa conversa tinha mais a ver com manter meu coração preservado do que com a liberdade que ele sentia sobre isso.

Mas era um exercício inútil. Eu sabia que dessa vez precisávamos ter a conversa até o fim – a mesma que ele tentou antes. A mesma que apenas arranhamos na noite passada. Eu teria que me expor e me arriscar. Já era hora.

Uma porta se fechou com força em algum lugar e eu me assustei, piscando de volta para o café que eu estava mexendo. Liv tocou meu ombro.

– Mas eu tenho que bancar a irmã mais velha por um momento. Tenha cuidado, certo? – ela disse. – Afinal, estamos falando do infame Klaus Mikaelson.

E era exatamente por isso que eu estava morrendo de medo de estar cometendo um grande erro.

Com café e biscoitos para a viagem, comecei a me despedir de todo mundo. Minha família estava espalhada por toda a casa, mas os únicos que eu não conseguia encontrar eram meu irmão mais velho e minha carona.

Fui até a frente da casa para checar o carro, esmagando o cascalho debaixo dos meus pés.

Cheguei perto da garagem e parei quando ouvi vozes carregadas pelo ar frio da manhã se juntarem ao canto dos pássaros e ao estalar das árvores acima.

– Estou apenas querendo saber o que se passa entre vocês dois – ouvi meu irmão dizer.

– Nada – Klaus disse. – Estamos apenas passando um tempo juntos. Aliás, exatamente como você queria.

Franzi as sobrancelhas, lembrando-me daquele ditado que diz que você não deve escutar a conversa dos outros porque pode não gostar do que vai ouvir.

– Por acaso “passar um tempo” é um código para alguma coisa? – Matt perguntou. –

Vocês parecem muito íntimos.

Klaus começou a falar, mas parou. Eu dei um passo para trás para ter certeza de que minha longa sombra não estava entrando na garagem.

– Estou saindo com algumas garotas – Klaus voltou a dizer, e eu podia praticamente ver sua mão coçando o queixo. – Mas não, a Care não é uma delas. Ela é apenas uma boa amiga.

Senti como se tivesse mergulhado num balde de gelo, com arrepios se espalhando por minha pele. Embora eu soubesse que ele estava apenas seguindo as regras que combinamos, meu estômago se embrulhou.

Klaus continuou:

– Na verdade, estou… interessado em explorar algo mais com uma das mulheres com quem estou saindo.

Meu coração começou a martelar e pensei em entrar lá para impedi-lo de falar demais. Mas então, ele acrescentou:

– Então acho que eu deveria terminar com as outras mulheres. Acho que pela primeira vez na vida eu realmente quero ir além… mas essa garota é arisca, e está sendo difícil dar o próximo passo e acabar com a velha rotina, entende?

Meus braços amoleceram, e eu me encostei no portão, tentando me equilibrar. Meu irmão respondeu alguma coisa, mas eu já não estava mais escutando.


Notas Finais


Nem tudo são flores, não me matem até o próximo capítulo e obrigado pelos comentários anteriores 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...