História Irresistivelmente Nosso (Imagine Kim Taehyung) - Capítulo 59


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtam Boys, Bts, Hot, Imagine, Jeon Jeongguk, Jeon Jungkook, Jhope, Jimin, Jin, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Kpop, Min Yoongi, Park Jimin, Rap Monster, Sexo, Suga
Visualizações 226
Palavras 1.789
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Surpresaaaaa! Vai vcs merecem!!!! Obrigada!!!! 2 no mesmo dia!!! Vcs merecem, vcs merecem!!!!

Espero que gostem!!! Boa LEITURA!!!
Tem outro amanhã de manhã, horário que normalmente eu posto.

❤❤❤

Capítulo 59 - 59


Fanfic / Fanfiction Irresistivelmente Nosso (Imagine Kim Taehyung) - Capítulo 59 - 59

(5 meses depois)

~Yoongi

Passaram-se esses meses desde que a (S/N) foi embora, porém ela ainda mantém contato comigo. Sim, eu escondi o paradeiro da (S/N) esse tempo todo, mas se fosse por mim Tae já saberia a muito tempo, porém ela não deixou eu contar, ela também trocou o número do celular. Isso me machuca muito: não falar nada para o Tae, ele esteve sofrendo esse tempo todo. Todos os dias esse garoto chega bêbado em casa quebrando as coisas e gritando “(S/N)! (S/N) Onde você está?! Eu preciso de você! (S/N)!”. Quase toda noite ele fica assim. As noites que ele não passou assim ele se tranca no quarto colocava uma música bem alta e chorava olhando para as fotos que (S/N) deixou. Às vezes ela manda foto para o meu celular, a barriga dela está muito grande, eu guardo essas imagens a sete chaves, nem para o Jimin eu contei, ele já dizer tipo “Conta pro Tae, ele merece saber”, ou seja ia encher o meu saco. Além disso eu não posso ir contra as ordens da (S/N), mas ela não deveria ter fugido desse jeito. Eu sinto pena dela, mas sinto mais pena do Tae, o coitado está mais magro, ele às vezes tem crises de desespero, ele nunca está alegre, tem febre frequentemente é normal quando está sóbrio, agora está bebendo feito um louco e nem ele nem ninguém consegue dormir, Tae tem uns pesadelos e começa a gritar loucamente como se estivesse sendo possuído.

Até hoje desde o dia em que Eu o fiz voltar para casa dizendo que tínhamos achado (S/N) ele não fala mais comigo, isso me deixa como se…. Sei lá, me deixa triste.

Eu estava pensando no meu quarto então ouço um barulho no andar debaixo. Vou para o corredor e desço as escadas… Tae está tento outra crise.

- Hyung ele está com febre de novo! – JungKook fala para Jimin enquanto Tae está no chão chorando e gritando, como se estivesse louco. Ele está vermelho, possivelmente por causa da febre.

Tae vem se arrastando pelo chão indo contra JungKook e Jimin. Ele para de frente para mim que está na escada.

- Onde está (S/N) Yoongi Hyung? Você sabe! Por favor diga que você sabe! – ele implora a mim de joelhos no pé da escada chorando muito. Eu não falo nada, mas meus olhos se enchem de lágrimas ao ver Taehyung sofrendo assim. – Por favor Hyung – a voz trêmula e falha dele, seus olhos inchados de chorar E prontos para liberarem mais lágrimas. Eu olhei para aquela cena e…

- Ela está em Roma. – falo sem olhar para Taehyung. Um silêncio permanece no ambiente. – Só… me perdoe Taehyung. – falo e vou subindo as escadas sem falar e nem olhar para ninguém.

- Hyung. – ouço a voz de Tae, paro de andar mas não me viro para ver seu rosto, só o escuto. – Obrigado Hyung. – ele fala e eu continuo subindo as escadas.

Chego no corredor e vou para meu quarto. Fecho a porta. (S/N) vai ter uma pequena surpresa lá em Roma. Ela vai ficar tão PUTA! Pelo menos eu falei a verdade para o Tae.

Escuto batidas na porta, eu abro. Era o Tae.

- Só me explique Hyung. Por que? Por que ela está lá? Por que você sabe? Por que não me contou? – ele fala com os olhos cheios de lágrimas.

- Entre Taehyung. – falo e o mesmo se senta na minha cama. – Tae… - sento-me na cama do Jin que é ao lado da minha. – Ela já tinha me falado de tudo. – Tae não demonstra reação – faz cinco meses que eu sei e eu escondi de você.

- Isso eu sei… eu sempre soube que você estava mentindo para mim e nem mesmo me vendo bêbado jogado, chorando, tendo pesadelos quase todas as noites, tendo febre e sofrendo por causa dela você veio me contar.

- Você acha que eu tive escolha?! – eu falo me exaltando – Não foi eu quem fugiu! – falo quase gritando, porém sabendo que eu tive uma parcela de culpa.

- Tudo bem Hyung… só… continua. – ele fala calmamente e baixa a cabeça e me escuta

- Ela está na casa do pai dela em Roma, ela manda muitas fotos quase toda semana… - ele levanta a cabeça e olha para mim - Eu vou te dar o endereço da casa – falo enquanto vejo uma lágrima descer de seus olhos cheios de desespero – e aqui estão as fotos – levanto-me E estendo meu celular para mostrar as fotos. – Vou saindo do quarto e o deixo sozinho com meu celular.

- Hyung… - ele corre até mim e me abraça – Obrigado de verdade! Obrigado. – ele fala chorando.

(Dois dias depois)

~(S/N)

Faz muito tempo que eu estou na casa do meu pai em Roma. Yoongi manteve a promessa de não falar onde eu estava para Taehyung.

Aqui é uma Mansão muito bonita, mas não é tão moderna, meu pai sempre gostou muito do tema rural do que do urbano. Hoje ele está com uma mulher, fico feliz que ele tenha se apaixonado. O nome do meu pai é (s/p) e da minha madrasta (s/md), eles são muito felizes. Eu na verdade sempre fui mais próxima do meu pai do que dá minha mãe então por isso que vim a Roma.

Quando meu pai viu que eu estava grávida ele quase teve um ataque.

(Flashback on)

- Como assim?! Eu vou ser vovô?! Quem foi o desgraçado?! Ele veio com você?!

- Não pai! – falava rindo cobrindo todo meu sofrimento com uma máscara de risadas.

- Ele sabe que você está…? – ele pergunta olhando para minha barriga.

- Sim sabe! – falo rindo, ele tem medo até de dizer gravidez – Eu só falei que eu vinha passar os meses da minha gravidez na casa do meu pai. – falo. Eu menti para não preocupar meu pai. – Ele trabalha muito, então não tem muito tempo pra cuidar de mim na gravidez. – minto novamente. Isso me partia o coração, por dentro eu chorava.

(Flashback of)

Só quem sabia de tudo era Yoongi e minha madrasta, ela era uma pessoa de confiança, Yoongi não poderia dizer o mesmo, mas até agora ele guardou segredo e Taehyung ainda não bateu na porta de casa.

Eu passei esses meses todos enfiada no meu quarto chorando, sofrendo, Minha vontade de sair correndo e voltar para Taehyung, mas… não sei porquê minha consciência dizia que não, que ele não merecia ser perdoado, mesmo sem ter pedido desculpa. Eu imagino com está Taehyung agora: talvez ainda confuso porque o Yoongi gritou “O bebê, o bebê” na hora que eu caí no chão do quarto, o dia em que eu quase perdia a Feijãozinha, mas ocorreu tudo bem e ela já está com 8 meses ainda dentro de mim. Todo mês eu vou com o meu pai no melhor hospital e Roma para ver e tirar ultrassom. Mando todas as fotos de tudo para Yoongi. Eu ainda não escolhi o nome da Feijãozinha, mas eu vou escolher futuramente.

Tenho estado com febre frequentemente, a empregada de casa que parece ser uma curandeira/macumbeira disse que pode ser emocional por causa da gravidez, já que bem com banho não passava. Eu sabia que não era a gravidez e sim meu coração se apertando por causa da agonia de não poder sentir o gosto da boca de Tae.

Todas as noites são preenchidas com gritos desesperadores por causa dos meus pesadelos, não consigo mais dormir. Quando eu consigo a bebê começa a chutar e eu começo a conversar com ela ou então coloco uma musiquinha tranquila e calma, muitas vezes os solos de piano das músicas do BTS. Ela vai ter que se acostumar… era o que me fazia feliz… era o que me fazia sentir que ele estava perto, era o que me confortava…

Naquele momento eu estava no meu quarto, então desci para ir até o jardim tomar um pouco de ar, já que minhas lágrima já desciam sem que eu permitisse.

Vesti-me com um vestido longo confortável e leve, bem aqueles de grávida mesmo. Desci as escadas suportando o peso da barriga e fui até a porta da frente que dava para o jardim. Abri.

Fiquei um tempo no Jardim, parecia mais um labirinto mas fui andando, até me cansar. Sentei- me em um dos banquinhos.

- Senhora (S/N)! – a empregada vem a mim correndo. – Até que enfim achei a senhora. – ela fala e para de frente para mim ofegante.

- O que foi Marta?! – falo preocupada o que aconteceu?

- Seu pai lembra hoje é o casamento dele! – ela fala.

É mesmo! Eu tinha esquecido! Eu nunca saio do meu quarto então nem me lembrava do casamento do meu próprio pai.

Saí do Jardim o mais rápido que conseguia suportar, a barriga era muito pesada para mim.

Vesti-me com um vestido mais apropriado branco, soltei meus cabelos e coloquei uma tiara de flores brancas, parecia até que eu que ia casar.

Desço as escadas e vou para o jardim de trás, onde aconteceria o casamento, porém não havia ninguém somente o altar montado de flores, também tinham no chão fazendo um caminho até lá. Um frio na barriga subiu, um nervosismo, já era noite e as estrelas de Roma brilhavam, o caminho também era iluminado por pequena luzinhas, o altar também tinham dentro de algumas flores, as que eram de plástico, talvez umas cinco O resto eram todas verdadeiras.

Eu olhei para o lado ninguém, ninguém no altar, ninguém em lugar nenhum.

Sinto alguém colocando as mãos na minha cintura, mas elas não encaixam por causa do tamanho da barriga. O alguém se aproxima do meu ouvido.

- Quer casar comigo (S/N)? – A voz de Taehyung era clara em meu ouvido. Ele estava aqui mesmo?! Poderia ser um sonho. Isso é um sonho! Sendo ou não eu não contive minhas lágrimas que escorriam em meu rosto.

- Isso é um sonho… - falo sem querer.

“Tae” me vira para que eu fique de frente para ele que estava de paletó, eu olho para aqueles olhos brilhantes que estão direcionados para mim… recebo um beijo desesperado e apaixonado… não era um sonho… era o Tae… era o Tae!

Tae para o beijo e  se ajoelha na minha frente e fica a olhar diretamente para mim. Ele estende o anel que eu havia devolvido antes de ir para o Hospital.

          - Isso só será um sonho para nós  se você aceitar. Então (S/N), por esses 5 meses que eu sofri, que eu fiquei doente, que eu virei um alcoólatra, que eu tive pesadelos… você me aceita? Você… - vejo as lágrimas presas a muito tempo por ele escorrerem sobre seu rosto – Você aceita se casar comigo?


Notas Finais


Obrigada por ler!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...