História Is It Wrong To Love You? (Sonadow) - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sonic Boom, Sonic The Hedgehog, Sonic X
Personagens Amy Rose, Mephiles the Dark, Miles "Tails" Prower, Rouge the Bat, Shadow the Hedgehog, Silver the Hedgehog, Sonic The Hedgehog
Tags Sexo, Shadow, Sonadow, Sonic, Sonic X Shadow, Yaoi
Exibições 37
Palavras 1.981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Reencontro


Tantos sons agradáveis por aí, que poderiam tirar qualquer um de um dia estressante. Mas para Sonic, apenas a voz de Shadow já era suficiente. Virando-se e pondo-se de joelho sob a cama, o azulado estampou um largo sorriso em sua face, como um “seja bem-vindo” para o novo visitante. De primeira, sua felicidade não o fez notar o ferimento do outro ouriço, portanto, apenas desceu da cama e o abraçou, com toda força que podia. Entretanto, ao fazê-lo, Shadow soltou um gemido de dor abafado por seus dentes que mordiam com certa força seu lábio inferior. Com isso, com uma cara devidamente confusa, Sonic o soltou. Foi então que percebeu o grande ferimento que ainda jorrava sangue.


- Shadow, mas o que…? - ele perguntou, preocupado com sua constante perda de sangue. Tentou pôr a mão na ferida para então examiná-la, mas foi barrado por ele ao recuar um passo para atrás.


- E-eu estou bem… - ele tentou falar, sua voz trêmula pela dor constante.


- Não, você não está! Você precisa de ajuda! - Sonic exclamou, pegando o pulso do ouriço negro e o guiando para sua cama. - Deite aí, eu já volto!


Sem muitas escolhas, Shadow obedeceu e deitou-se na cama, um pouco emburrado por ter de seguir ordens. O azulado dirigiu-se à um balcão de madeira, cujas maçanetas eram de um dourado exageradamente brilhante. Na parte superior, havia um pano vermelho de tricô e um vaso com vários tipos de flores diferentes, fazendo tipo um arco-íris de cores. Ele abriu a segunda gaveta - revelando que esta era como uma “gaveta de primeiros socorros” - e retirou uma pinça, curativos, uma bebida que não conseguia identificar o que era - mais suponha que era alguma bebida alcoólica -, entre outras coisas que não conseguia ver muito bem.


Então, retornou à beirada da cama onde Shadow encontrava-se e ajoelhou-se no chão de modo que ficasse a altura da ferida. Começou a examiná-la e então fez uma careta ao encontrar pequenos fragmentos da coisa que o atingira, no caso, a flecha.


- Isso pode doer um bocado… Recomendo que use isso… - o ouriço azulado afirmou, dando a bebida para Shadow.


- O que é isso? - indagou ele, examinando o líquido dentro da garrafa transparente. Era levemente avermelhado e seu cheiro era extremamente forte.


- Não tem nome ainda… mas é uma modificação da bebida alcoólica que usamos em festas aqui… é a única coisa que tem para aliviar um pouco a dor. 


Então, Sonic pegou sua pinça de ferro e começou a cutucar a ferida, tentando pegar um dos três fragmentos ali presentes. Ao fazê-lo, Shadow sentiu ainda mais dor e para não soltar um grito, tratou de beber um gole da bebida que recebera. Quando finalmente conseguiu tirar o primeiro, o analisou cuidadosamente.


- Isso está… envenenado… - o azulado comentou, com o fragmento ainda preso entre a pinça.


- F-faz sentido… - o ouriço negro falava com certa dificuldade, alternando entre isso e caretas de dor. - Ela fez i-isso exatamente para eu não conseguir r-regenerar…


- “Ela”? - Sonic questionou, olhando fixamente para os olhos avermelhados de seu “paciente”.


- Rouge t-the b… - ele começou a formular a resposta quando o outro ouriço puxou com certa força outro fragmento, que, por sua vez, estava mais fincada dentro da carne viva, fazendo-o quase berrar.


- Rouge? Você voltou lá? - ele perguntou, preocupado, colocando o fragmento recém-retirado em um pano acima do criado-mudo ao seu lado.


- Tive meus motivos…


- Ah, é? E quais foram?


Sonic basicamente não deu espaço para Shadow responder. Simplesmente agarrou com o instrumento o último pedaço da flecha, o arrancando de certa forma rápida e fazendo com que o outro ouriço tenha de beber mais um vez para aguentar a dor.


- Pronto, já retirei todos…


O ouriço negro estava com a respiração um pouco ofegante, sua visão estava um pouco embaçada e sentia tontura em sua cabeça, tanto por causa da bebida, quanto por causa da enorme perda de sangue. Sonic não hesitou em começar a enrolar o pedaço de pano na cintura dele e parar logo com o sangramento. A cama onde a operação foi realizada estava toda ensanguentada e o cheiro já havia impregnado no ambiente entre eles.


Dirigindo-se à sua suíte, o ouriço azul recolheu tudo o que foi utilizado, descartou os fragmentos enrolados num pano e colocou na pia a pinça que também estava repleta de sangue. A bebida, por sua vez, fora guardada de volta na gaveta, junto com outras coisas medicinais. Então, retornou à beirada da cama, pegou uma xícara no criado-mudo e a encheu de chá quente, entregando para o ouriço ferido.


- Você ainda não me respondeu seus motivos.


- Você não me deixou…


- Estou deixando agora.


Antes de respondê-lo, Shadow bebeu um gole de chá, sentindo o gosto da bebida alcoólica sumir vagarosamente de sua boca. Foi então que, deixando o outro ouriço surpreso, ele mostrou o cachecol que havia pego da morcego ladra.


- Você o pegou! - ele exclamou, demonstrando certa animação por ter o sua preciosa roupa de volta. Deslizou os dedos no tecido, sentindo o mesmo ser um pouco áspero, comprovando que aquilo era realmente o verdadeiro. - Mas… por que?


- Me contaram que é especial para você… - ele respondeu, com um sorriso de canto. - Quis fazer um favor a um amigo…


- Mas… por que eu? Pensei que me odiasse…


- Pare de chororô! Eu peguei, ok? Isso é o que importa! - comentou Shadow, demonstrando que não era fã de vitimismo. - Mas e aí? Qual é dessa peça de roupa?


- Bem… - Sonic suspirou, deixando que suas lembranças invadissem sua mente. - Este cachecol fora feito por minha mãe, antes de sua morte. É a única lembrança que tenho dela. Ela não fez isso por métodos tradicionais… fez por intermédio das suas habilidades com as Esmeraldas do Caos. Ela era uma mestre neste quesito, era impossível não ficar encantado com as coisas que ela podia fazer com estas pequenas jóias…


- É por isso que estava numa área especial… - Shadow comentou.


- “Área especial”? - ele perguntou curioso, sentando-se na beirada da cama, um pouco a frente dos pés de Shadow.


- É. Você não é a primeira pessoa que é roubada por ela. Rouge é uma ladra profissional e tem uma sala só com as coisas roubadas. Além de celas de torturas, é claro. Cara, ela é doente!


- Deve ser por isso que você a odeia, não é?


- Não exatamente… - e desviou seu olhar.


- Pode me contar?


Shadow hesitou por um longo momento. Não sabia ao certo se confiava em sua majestade e contava sobre o que acontecera consigo. Ele havia se arriscado tanto por alguém que sentia algo a mais e esta mesma pessoa acabara de salvar sua vida… por que não?


- Isso é uma longa história…


- Tenho todo o tempo do mundo. - Sonic comentou, seu rosto estampado com um sorriso.


- Hmpf! - Shadow bufou. Odiava quando alguém dizia coisas óbvias ou idiotas. Respirando fundo, prosseguiu. - Quando eu nasci, fui logo abandonado por meus pais, tanto é que não possuo nenhuma lembrança deles. Com isso, tive de crescer nas ruas, sozinho, aprendendo desde cedo o quão cruel era o mundo.Contudo, um dia, conheci uma garota chamada Maria. Ela não era uma garota de rua, sorte dela, entretanto tinha um coração repleto de bondade. Todas as noites, eu ia à janela de seu quarto e sempre a encontrava lá, com algum prato especial de comida. Ela passava noites sem dormir apenas para ficar comigo, raras vezes ia dormir em sua cama. O problema maior era que seu avô que morava na mesma casa. Ele tinha antipatia com qualquer animal, o que me forçava sair dali o mais rápido possível. Com o passar dos anos, eu cresci e ela também. Continuávamos com as mesmos costumes desde aquela época, até um dia, quando fui em sua moradia, a encontrei morta, seu sangue escorrendo por todo carpete. Gritei pelo avô dela, mas nem ele respondeu. Foi então que, vasculhando a casa, percebi que ele também fora morto. Ambos possuíam rasgos profundos em suas gargantas. Fiquei maluco na época, a insanidade começando a tomar conta de minha mente. Desenvolvi uma série de coisas e uma delas foi a depressão. Fora um tempo difícil para mim. Até que… - o ouriço negro fez uma parada repentina.


- Até que…? - Sonic estimulou ele a prosseguir.


- Rouge entrou em minha vida. Por um tempo, apaixonei-me por ela. Pior coisa que já fiz. Ela, percebendo isso, me usou e me convenceu de que fora você que a matou.


- Eu…?


- Sim. Posteriormente, descobri que era mentira e foi naquele dia que quis acertar as contas com ela…


- Você já tentara me matar na época em que estava convencido que eu matei Maria e seu avô? - Sonic perguntou, demonstrando certo medo e um pouco de decepção.


- Já, mas… - ele suspirou antes de prosseguir com sua fala. - Não consegui…


- Então você já invadiu meu castelo atrás de mim!? - o azulado perguntou, seu tom mudando de assustado para de raiva.


- Sim, mas a questão é que eu não pude concluir a missão, porque… - mais uma pausa repentina.


- Porque…?


Shadow já não conseguia mais achar palavras para descrever o sentimento dele pelo rei, explicar a ele que desde a primeira vez que o viu, o mesmo já estava presente, o impedindo de matá-lo. Ele queria muito se abrir para Sonic, mas tinha medo da rejeição ou pior, dele não quiser mais sua presença por ter uma forte influência homofóbica. O azulado continuava a encarar com seus olhos esverdeados o ouriço a sua frente, confuso pelo tamanho suspense que ele estava gerando. Pelo longo período sem um dizer nada ao outro, o azulado abaixou seu olhar, como se esperasse algo a mais de Shadow.


- Tudo bem, Shadow. Não precisa me responder… pode ficar o tempo que quiser aqui, quando sentir necessidade de ir embora, pode ir… - e então levantou-se da cama. - Vou tomar um banho…


- Sonic, espere. - Shadow pediu, sua voz firme, como se aquilo fosse uma ordem. - Tem coisas que eu não sei explicar… talvez seja por ação do medo… o que eu quero dizer é-é que… - respirando fundo, pensou que se soltasse o que queria o mais rápido possível a dor seria menor. - S-Sonic… e-eu… você…


O ouriço negro travou com suas próprias palavras, não conseguindo dizer mais nada. A expressão de uma mistura de medo e preocupação já dizia praticamente todo o resto. Sonic era bom em perceber tipos de comportamentos alterados e entendia a maior parte. Ele entendera perfeitamente a mensagem de amor e insegurança do outro ouriço, embora não tenha dito em palavras.


Se aproximando novamente da beirada da cama, o azulado praticamente se jogou nele, selando seus lábios num beijo doce e calmo. Como o ouriço ferido estava deitado, o máximo que ele pôde fazer para dar apoio ao outro ouriço foi colocar suas mãos em sua cintura. Sonic, por sua vez, colocou cada braço do lado da cabeça de Shadow, dando apoio para que não caísse em cima dele. Repentinamente, o azulado sentiu algo meio gosmento invadir sua boca. Era a língua dele, pedindo uma passagem descaradamente, que foi concedida sem hesitação. Foi então que uma batalha foi travada entre as línguas de ambos os ouriços.


Contudo, no fim, o ar fez-se necessário, separando ambos de uma vez. Os olhos rubis encontraram os olhos verde-fluorescente, ambos demonstrando felicidade por terem um amor correspondido.


- Você não tinha de tomar um banho? - Shadow perguntou, quebrando o silêncio que havia se instalado no ambiente.


- Ia… mas… agora, só se você for também… - Sonic comentou, suas bochechas começando a esquentar pela vergonha que começava a se instalar nele. Era claro o que estava por vir e ele nunca teve uma sequer experiência de sexo com um alguém do gênero masculino anteriormente.


“Sempre há uma primeira vez…”


To be continued...


Notas Finais


Lemon 🍋🍋?
Sei de nada nau 😏


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...