História Is The Destination? - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 157
Palavras 1.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá pessoas! Essa é a sexta vez que estou tentando postar o capitulo mas a net não deixa (OBS:era para postar ontem).
Eu sinceramente não acho esse capitulo um dos melhores, mas mesmo assim mostrarei a vocês...E vocês devem estar se perguntando: Quando os Sakamaki irão se envolver com Yue de verdade? Breve. Então era isso.
Boa leitura!

Capítulo 3 - Eu te amei.


Fanfic / Fanfiction Is The Destination? - Capítulo 3 - Eu te amei.

Acordei de um sono pesado, ainda com os olhos fechados, abri um e fechei rapidamente pela claridade, abri meus olhos devagar para me acostumar com a luz forte, até me acostumar completamente, bocejei, olhei para os cortes profundos que havia feito 5 dias atrás passei meus dedos por cima e (sim já passou todo esse tempo) já estavam se fechando, mas ainda estavam a mostra, me olhei no espelho que tinha no quarto, pois o do banheiro estava quebrado, e minha tia não descobriu ainda, vou ter de dar uma desculpa qualquer, olhei no espelho, havia olheiras, olhos inchados de tanto chorar, eu ainda me perguntava do por que, e o que ele quis dizer com “Eu não sei se lhe amo”...Mas tudo bem, fiz minhas rotinas matinais desci as escadas e fui para a cozinha, fiz um café e me sentei no sofá da sala para olhar TV, botei um desenho qualquer, o desenho contava uma história de um amor não correspondido, o que me fez lembrar de Haru, outra lágrima caiu, quando percebi balancei a cabeça negativamente e alguém descendo as escadas, olhei para as mesmas e lá encontrava a tia Aiya com um pijama branco de patinhos e toda descabelada bocejando.

– Bom dia. - falou a mesma parando no meio das escadas.

– Bom dia. - soltei um riso nasal. -  tia Aiya ficou desentendida com minha reação e desceu as escadas.

– Do que está rindo? - perguntou ela já na minha frente. Apontei para seu pijama rindo e ela logo tampou-se com suas mãos envergonhada.

– Que infantil. - falei tentando parar de rir.

– Não tem graça. - respondeu-me fazendo biquinho.

– Claro que tem, não é todo dia que se encontra uma tia com pijama de patinhos. – debochei.

– Aish... - reclamou e balançou a cabeça negativamente. – Espera...Eu infantil? Quem é que está vendo desenho agora mesmo? - perguntou sorrindo vitoriosa.

– Ahh...Isso...Abriu sozinho! - ela apenas riu e eu ri junto.

– Mocinha, hoje você vai sair, desde o acidente você fica trancada aqui. - falou ela.

– Aaaah! Não, quero ficar em casa. - reclamei.

– Nem pensar, hoje você vai sair, se não...

– Se não? - levantei uma sobrancelha.

– Se não você vai ver.

– Ver o que?

– Hum...Não interessa! Vá e pronto. -  eu não me segurei e ri, o que fez ela me olhar feio.

– Ta, entendi.

– Mesmo? - perguntou desconfiada.

– Sim - respondi

Ela disse que fiquei trancada, mas era verdade, não queria sair de casa, não queria ver Haru, nem Aoi.Keiko tentou vir aqui, mas eu fingia dormir então não vi ela também, ela não tem culpa de nada, mas mesmo assim, não quero ver ninguém.

~QUEBRA DE TEMPO~

Era mais ou menos 2:00 da tarde, ou seja, hora de eu sair...Fui até meu quarto, e adentrei o banheiro logo em seguida, liguei o chuveiro, me despi e fiz um coque, pois não iria lavar o cabelo, entrei no box, peguei um sabonete de rosas e me ensaboei por completo depois me enxuguei, fiquei refletindo alguns minutos sobre o que ocorreu nesses últimos dias, eu talvez perdoe Haru, ou talvez não...Não sei direito, sai do box me sequei e me enrolei numa toalha azul macia, fui para o quarto e botei um vestidinho branco com várias rendas escrito “I've Loved You” (eu te amei) de mangas longas para não deixar meus cortes amostra, botei uma bota preta que vai até os joelhos, fiz umas maquiagem básica para esconder minhas olheiras e o rosto inchado, soltei meus longos cabelos, pus um colar de coração e por fim peguei uma bolsinha preta que tinha para colocar dinheiro, celular, as coisas que ia levar.

Desci as escadas e avistei tia Aiya.

– Está linda, se fosse homem eu pegava. - falou a mesma mandando um beijo. E eu apenas agradeci e ri.

Tia Aiya é uma pessoa adulta com mentalidade de criança, tipo, ela tem 33 anos e tem mentalidade de 13 anos, eu gosto de seu jeito de ser, ela tenta animar quem está triste, e sempre está ao lado de todos, eu a amo, e confio muito nela.

Saí de casa a pé, por que a tia Aiya tinha alguns compromissos, perguntei o que era, mas ela mudou de assunto, então imaginei que não quisesse falar sobre esse tal compromisso e não voltei ao assunto, andava observando as pessoas que avistava. Uma hora um idoso olhou para os lados, parecendo se preocupar com algo, eu o observei, e ele coçou sua bunda e logo ficou com cara de aliviado, eu me segurei muito para não rir que nem uma escandalosa ali mesmo, andei mais um pouco, ainda estava decidindo a qual lugar iria, então escolhi uma sorveteria que ficava ali perto, havia lembranças de momentos bons com Haru, me segurei para não chorar, decidi ir em outro lugar, mas teria que ser forte e acabei indo até lá mesmo, quando cheguei sentei em uma das mesas e fiz meu pedido enquanto esperava me lembrava dos tais momentos.

Flashback on

Haru e eu estávamos indo numa sorveteria ali perto, já tive vontade ir várias vezes, mas sempre tive preguiça (risos), mas com Haru é diferente, é como se meu amor por ele atravessasse barreiras como a preguiça. Quando chegamos sentamos numa mesa do fundo e uma atendente veio até nós se esfregando no Haru.

– O que vão querer? - perguntou ela mastigando chiclete, não acreditei que fosse humana, estava mais para uma vaca comendo capim...Credo.

– Eu vou querer um de creme, e você Yue? - perguntou Haru olhando para mim e sorrindo, me perdi naquele sorriso me perdendo em outra dimensões, depois de alguns segundos ele me encarou com uma cara confusa e logo acordei e voltei para a realidade.

– Hã? Aah...Chocolate. - o respondi envergonhada, a puta da atendente continuava a se esfregar em Haru, eu explodi ciúmes e não aguentei.

– Moça, que tal você ir logo pegar os sorvetes, e parar de se esfregar no MEU namorado? -  destaquei o “meu” e ela me olhou constrangida e em seguida indo pegar os sorvetes.

– Isso tudo é ciúmes? - perguntou Haru com uma cara maliciosa.

– Não, imagina. - sorri de um jeito “não é obvio?”, ele riu também e logo os sorvetes chegaram.

Eu fiquei viajando nos meus pensamentos por um tempo e fui comer sorvete, mas ele já estava quase terminando, eu fiquei desentendida e olhei para Haru que fez cara de inocente.

– Haru... - semicerrei os olhos.

– Hum?- fez cara de inocente de novo.

– Por que roubou meu sorvete? - perguntei.

– Do que está falando? Sou inocente.

– Sei...Admita...Se não vou te fazer cócegas... - ameacei.

– Ta, fui eu. - fez biquinho.

– Não roube mais nada meu, humpf! – fingir estar decepcionada e brava.

– Nada mesmo?

– Nada.

– Nem mesmo isso? – virei em sua direção com a intensão de perguntar “isso o que?” , mas fui surpreendida por Haru, que colou os lábios nos meus pedindo passagem, que logo cedi, era um beijo doce, sem malicia, era como se existisse apenas nós dois, logo nos separamos ela falta de ar e todos nos olhavam, fiquei envergonhada, e Haru riu...

– Aah...Haru.

– Que fofa Yue.

Flashback off

Fui tirada dos meus pensamentos pela atendente que chegou com meu sorvete de chocolate e isso me fez ter mais e mais lembranças, logo depois de ter tomado o sorvete saí da sorveteria indo em direção ao parque ali perto. Avistei de longe um casal se beijando, o menino se parecia muito o Haru, cheguei mais perto para não ser notada, e os dois se separaram e pude ter certeza que era Haru, meus olhos marejaram ao ver Aoi sorrindo igualmente a Haru que sorria timidamente. Pude ouvir um “eu te amo” de Haru, o que fez meu coração se quebrar em milhares de pedaços pequenininhos, como se fosse impossível concerta-lo.

Lágrimas e mais lágrimas saiam dos meus olhos.

“Não sei se lhe amo”

“Não sei se lhe amo”

“Não sei se lhe amo”

“Não sei se lhe amo”

“Não sei se lhe amo”

 

Essa frase ecoava em minha mente...Sim, ele nunca falou que me amava.

Ele apenas falava “Eu também”...

Mas eu também o que?

Chorava ainda encarando a cena a minha frente, me imaginando no lugar de Aoi.

Chorava...

– Eu te amei Haru. 

 

Continua...


Notas Finais


Obrigada por ler até aqui! Comentem o que acharam, aceito criticas também. Bom, até o próximo capitulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...