História Is There Any Chance For Hapiness? - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas
Tags Cameron Dallas, Colegial, Drama, Nash Grier, Romance, Suspense
Exibições 46
Palavras 1.157
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Helloo
Espero que estejam gostando
Boa leitura☀❤

Capítulo 30 - Maybe Some People Are Worth It


Me sentei então, no banco de trás do lado direito e Nash do lado esquerdo, fazendo com que tivesse um espaço vazio entre nós, mas mesmo de longe, conseguia sentir os olhos dele me encarando, quase como se estivéssemos frente a frente.

Estava um silencio total e eu decidi quebra-lo.

- Então... Quando vai nascer o bebê? - perguntei, lembrando da vez em que minha mãe havia comentado algo.

- Vai nascer em Janeiro, faltam apenas 2 meses. - Elisabeth me respondeu com um ar angelical.

- Finalmente uma menininha. - Chad respondeu triunfante e depois riu.

- Qual vai ser o nome? - perguntei e vi que Nash estava só ouvindo - Nash, você que escolheu o nome?

- Eu escolhi o dela. O nome é Sky. - ele sorriu - Bom, do meu irmão, Hayes, eu não pude escolher. Eu era muito pequeno.

- Não sabia que tinha um irmão - falei sorrindo

- É que ele está fazendo intercâmbio na França. Vai ficar lá mais 1 ano e meio - a mãe de Nash responde.

[...]

Continuamos conversando e ate comentei de que quando eu tinha 5 anos, minha mãe ficou grávida. Lógico, fiquei super feliz, mas antes mesmo de podermos esperar 1 mês para contar para todos, ela perdeu o bebê.

Nunca havia contado para ninguém até hoje, sobre isso.

Esse assunto estava depressivo, então mudei um pouco.

- Bom, como vocês conheciam a família Dallas? - perguntei, me lembrando que eu não sabia disso.

- Eu estudava na mesma escola que o pai de Cameron. Falando no garoto, como ele está? - Chad respondeu

* Nash se ajusta no banco do carro e fica me olhando, ele queria saber sobre Cameron e eu*

- Me desculpe, eu não posso te dizer isso, pois eu e Cameron não estamos mais juntos - falei, olhando para o chão

Mas pelo canto do olho pude ver um pequeno sorriso surgir no canto da boca de Nash.

Nos mantivemos em silêncio pelo resto do caminho.

Foi uma meia hora bem longa no carro.

Cameron narrando°°°

Eu estava lá no cemitério onde minha mãe será enterrada, olhando para as cadeiras de frente com o buraco no chão, que agora será onde ela ficará para sempre.

Com meu pai e minha irmã, cada um de um lado meu, ficamos de pé esperando as pessoas chegarem e irem nos cumprimentar.

Logo, o cemitério estava cheio de pessoas falsas e hipócritas, filhos da puta que eu nem conhecia, mas sabia que ja haviam ferrado com minha família antes mesmo de eu nascer.

Essas pessoas nem deviam se importar com minha mãe, e eu estava cansada de ver essas coisas então sai de perto e fui ao estacionamento.

Me sentei na calçada e fiquei olhando para o chão, passando a mão em meus cabelos.

Acho que se passou apenas um minuto até um carro estacionar e me chamar a atenção.

- Ei, quer ajuda? Aqui está meio molhado, não quero que se molhe - era um garoto falando. Nash.

* Ele estava esticando a mão para dentro de sua Land Rover ( perdão se estiver errado o nome do carro), falando com alguem lá dentro*

A pessoa responde entre risos que eu conheço muito bem.

- Como você é fresco. Nem eu sou assim. E eu sou uma garota, não normal, mas uma garota. - era exatamente quem eu achava. Elena.

Ela pega na mão de Nash e eles ficam de mãos dadas, mas acho que sem querer, ou pelo menos, espero que sem querer.

- Ei, vamos, vamos...faltam 5 minutos. Elena, seus pais me mandaram uma mensagem e disseram que não vao poder vir. Eles acham melhor você enfrentar isso sozinha. - a mãe de Nash fala

- Mãe, ela não está sozinha - Nash diz balançando a mão deles, e assim Elena percebe que as mãos ainda estavam unidas.

* Ela da então seu sorriso falso e com vergonha, que eu sei que ela faz quando está desconfortável*

-Bom... - pude ver que ela pensava em uma desculpa enquanto falava - Ah, Cameron está ali. Podemos simplesmente ir logo?

Ao me ver, o tom de sua voz foi de a tristeza e nojo ..acho, não sei.

Ela soltou sua mão da de Nash e começou a entrar no local onde seria o velório, enquanto a família Grier, a seguia.

Admito, eu estava chorando no estacionamento, nem tanto pela minha mãe, pois aquilo foi melhor para ela, já que ela devia estar sofrendo muito. Chorei mais pelo fato de Elena ter me trocado. E ainda mais por ter sido pelo Nash.

Entrei pouco tempo depois deles e logo teve o velório.

[...]

No final, eu e meus pais ficaríamos na saída, para recebermos abraços e ouvir mais " meus pêsames", como se aquilo fosse sincero, ou fosse mudar ou melhorar algo.

Faltando apenas algumas pessoas irem embora, chegou quem eu menos queria ver.

- Mrs.Dallas, eu sinto muito - Elena dizia chorando muito, enquanto abraçava meu pai.

* Eu abraçava os pais de Nash, mas por dentro eu estava com o foda-se ligado*

E enfim, Elena parou na minha frente e ficou me olhando. Ela parecia não saber o que fazer.

Reparei então em seu pescoço, tinha o colar que eu havia comprado com minha mãe para dar para Elena no dia que eu ia fazer a surpresa. Como ela o tinha?

- Eu sinto muito - ela falou, ainda parada.

- Sai daqui. E eu quero esse colar de volta,ou vou arrancar do seu pescoço - ela abriu a boca para falar algo mas a interrompo - Eu não falei que não queria você perto de mim? Eu não quero te ver, ouvir falar de você, nada. NADA. Vai embora agora, e leva seu namorado, por que eu não tô afim de bater em ninguém aqui nesse momento, em respeito a minha mãe. - eu queria muito bater em alguém, mas a única bem perto de mim era a Elena e eu nao poderia bater nela, jamais.

- Sua mãe me deu esse colar, nao vou devolver. E cameron agora é um momento delicado..- Elena tenta, mas eu a interrompo.

-  Fica com essa merda desse colar. Agora, sai daquia. E não olha para mim nunca mais. Eu não quero ser seu amigo e a única coisa que eu queria ser, eu estraguei e o cargo ja está ocupado. Agora sai - falei, apontando o caminho - E leva ele.

* Falei puxando Nash pela gola do terno*

- Porra, vai tomar no cú - Nash fala se aproximando de Cameron para provocar.

- Ei, Ei. Se afasta. Vamos - Elena, se afasta puxando Nash pela manga do terno.

Depois de toda essa confusão, um monte de pessoas começam a comentar cochichando entre elas que deve ser pelo fato de minha mãe ter morrido, era só eu reagindo ao luto.
Mas na verdade, eu so estava reagindo ao ciúmes.


Notas Finais


Espero que não tenha ficado confuso.
Boomm, é isso por hoje..quinta tem mais
Bjss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...