História Isabela e a traição (Sex Fic) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cúmplices de um Resgate
Personagens André Alencar, Isabela Junqueira, Joaquim Vaz, Julia Vaz, Omar Ferraz, Téo Cavichioli
Tags Joabela, Jobela, Marbela, Omarbela, Sexo, Tebela, Teobela
Exibições 206
Palavras 981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Comentem mais sobre a história, por favor, se está bom ou nao?
Continuo ou nao?

Capítulo 4 - Dois gostosos só pra mim


Fanfic / Fanfiction Isabela e a traição (Sex Fic) - Capítulo 4 - Dois gostosos só pra mim

Dentro da piscina do hotel, Téo arrumava 1001 pretextos para ficar perto de mim e, como tinha muita gente dentro da piscina, bastava alguém esbarrar nele que ele se aproveitava para me encoxar levemente:

-Ah, me perdoe. – fala ele em um tom cínico.

 

 Eu não incentivava isso, mas consentia, fazendo de conta que acreditava que era sem querer e, a cada pedido de desculpas, sorria e respondia:

-Não tem problema. Como a piscina está cheia, fica difícil não esbarrar em ninguém.

 

Chegou uma hora em que ele não pedia mais desculpas e, eu percebi que, se eu não tomasse logo uma atitude, ele ia me comer ali mesmo, dentro d’água e com a geral vendo. Eu queria sair da piscina, mas sempre que sentia aquele pau duro roçando em mim, a vontade era de facilitar logo para que ele entrasse de uma vez, mas olhava em volta e caia na real.

 

Muito bom era quando ele mergulhava e ficava muito tempo debaixo d’água. Era nessa hora que eu dava um jeito de ajeitar o biquíni, deixando ele ver algo mais, puxava as laterais fazendo com que a calcinha entrasse mais, tanto na frente quanto atrás e Téo ali, olhando tão pertinho.

 

Eu não ficava todo o tempo olhando para ele, afinal, eu tinha que vigiar para ver se alguém não ia chegar ali e dá um flagrante, mas era só ele mergulhar que eu puxava o biquíni. Vendo que as coisas iam complicar se eu ficasse na piscina, resolvi sair.

 

Ao me apoiar na beirada da piscina, ele veio perto, com a desculpa de me ajudar e ficou ali debaixo, com a cara quase que enfiada na minha bunda. Claro que, como o fio dental não cobre quase nada, Téo viu boa parte do que queria ver.

 

De propósito, eu sai bem devagar. Voltamos as cadeiras para conversamos mais e, ao sentar, vi a cabeça do pinto dele escapando pela lateral da sunga. Caraca, ele devia estar com um puta tesão.

 

Pouco tempo depois, pra minha surpresa, apareceu outro conhecido, o Omar:

-Isabela? Não acredito no que estou vendo – Ele falou com aquele jeito safado que ele sempre teve.

 

Omar então sentou e veio conversar comigo também. Ele explicou que veio junto com o Téo passar as férias na Itália e se divertir. Agora eles eram sócios nas suas empresas, o Omar tinha herdado a dele do pai, que trabalhava com pecuária.

 

Na época da escola, esses dois não se davam bem, o Omar vivia dando em cima de mim e o Téo não gostava nada disso. Depois da escola, quando eu perdi contato com o Téo, ainda via o Omar algumas vezes na gravadora, mas não era tão próxima dele quanto eu era com Téo.

 

 

Durante a conversa, o Omar se sentou ao meu lado e ficou observando meus seios descaradamente. Nem consigo imaginar a cara do Joaquim ao me ver ali, seminua conversando com esses dois tesudos, ainda mais que ele brigava com o Omar em todas as vezes que eles se falaram,  os dois se odiavam.

 

Na hora, eu comecei a achar a situação engraçada, afinal, o Joaquim tinha me deixado sozinha para ficar trabalhando e eu estava ali, me expondo quase nua para dois antigos conhecidos, que estavam me comendo com os olhos, apenas esperando o momento perfeito para me arregaçarem toda:

 

-Isa, você se hospedou aqui sozinha? – perguntou Omar.

-Bem, eu vim com a Júlia e o André, da banda. Eles estão em outro quarto, mas só vão para lá de noite. Agora eles foram visitar uma Fazenda aqui perto e estou sozinha no meu quarto. É o numero 69.

 

Téo falou:

-Os quartos daqui são bem aconchegantes e o melhor é que são bem afastados. Dá para namorar sossegado sem ninguém pra incomodar. – Ele estava deixando bem claro as intenções dele.

 

E eu concordei:

-Ah, você tem razão Téo. São bem aconchegantes. Só que estou tendo problemas com minha TV. Sei lá porque, há canais que a sintonia está péssima. – Inventei uma historia sem pensar, procurando uma desculpa para leva-los ao meu quarto.

 

-Se você quiser, eu posso olhar sua TV. Conheço um pouco de eletrônica – falava Omar

 

-Ah, eu não tenho pressa. Fora que, ainda quero aproveitar mais o sol..

 

Na verdade, eu estava meio indecisa de leva-los ao meu quarto, mas estava morrendo de vontade e tesão. Para não dar muita bandeira do que queria, falei que era melhor esperar o André e a Júlia voltarem da Fazenda que tinham ido visitar.

 

Eu mal tinha fechado a boca e meu celular tocou. Do outro lado da linha, Júlia me falou que ia ficar o resto do dia com o André, já que iam fazer uma ponta no filme que estavam gravando por lá, e até ganharam um jantar com os atores. Ela perguntou se eu ligava de ficar sozinha e respondi que não tinha nenhum problema.

 

Ao desligar o telefone, pensei: -Caralho! Agora fudeu! Está tudo ao meu favor para que eu apronte com esses dois no meu quarto... – pensei. Enquanto guardava meu telefone na bolsa, fiquei de costas para eles e, dava para ver pelo canto do olho, os dois de pau duro fazendo comentários sacanas entre si.

 

Guardei o telefone, virei para os dois e falei:

-Aqueles dois só voltarão a noite, por isso acho melhor nós olharmos a TV agora. De noite vai ser difícil para ele ver isso.

 

Eu respirei fundo, meu coração estava a mil por hora e meu corpo era pura adrenalina, enquanto pensava no que ia acontecer. Eu estava tremendo, mas o tesão já tinha tomado conta de mim. Juntei minhas coisas, coloquei minha canga e seguimos os três para meu quarto.

 

Joaquim, que olhava tudo escondido (e eu ainda não sabia), não acreditou no que seus olhos estavam vendo e acho que, se tivesse imaginado o que iria acontecer teria me parado naquela mesma hora.


Notas Finais


Comentem o que acham que vai acontecer..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...