História Isabela e a traição (Sex Fic) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cúmplices de um Resgate
Personagens André Alencar, Isabela Junqueira, Joaquim Vaz, Julia Vaz, Omar Ferraz, Téo Cavichioli
Tags Joabela, Jobela, Marbela, Omarbela, Sexo, Tebela, Teobela
Exibições 287
Palavras 1.153
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Continuação

Capítulo 5 - Sexo? Sexo!


Fanfic / Fanfiction Isabela e a traição (Sex Fic) - Capítulo 5 - Sexo? Sexo!

Enquanto caminhávamos, eu pensava tudo que poderia fazer com Téo e Omar. Logo eu estaria dentro do meu quarto com aqueles dois caras gostosos querendo me comer.

 

Apesar do tesão, eu estava tremula, sem o bocó do Joaquim por perto. Começou a me vir em mente todas as mancadas que ele tinha dado comigo ao longo desse tempo de namoro, sempre me deixando sozinha quando queria viajar.

 

E isso ajudou para que eu criasse coragem suficiente para fazer aquilo que eu mais queria na hora. Após uma caminhada, chegamos à porta do meu quarto. Acho que, a essa altura do campeonato, o Joaquim, que ainda espiava, se mancou do que iria rolar, mas mesmo assim continuou olhando tudo de longe.

 

Eu fico imaginando o que se passava na cabeça dele, ao ver a namorada se dirigindo a um quarto afastado dos outros, na companhia de dois machos. Ainda mais eu, que estava com aquele biquíni fio dental escandaloso, e que prometi que jamais usaria longe dele.

 

Cruzei o batente da porta e peguei a chave em minha bolsa, disfarçando um pouco o nervosismo que estava sentindo. Os dois pararam atrás de mim, loucos de vontade de ver aquela porta se abrindo e começar a colocar em prática tudo o que deixavam claro com as trocas de olhares e risinhos.

 

Quem passasse por ali, viria claramente uma garota entrando no quarto afastado de tudo, com dois homens completamente tarados e de pinto duro. O pior é que a única pessoa que estava vendo tudo era o Joaquim. Mas, eu não sabia disso e, após um suspiro profundo, girei a chave...

 

Empurrei a porta, entrei e joguei minha bolsa no canto, sem olhar para trás, disse:

-Entrem, por favor...

 

Antes que eu terminasse a frase, Omar já estava atrás de mim, roçando aquele pau duro na minha bunda. Tomei um susto e dei um gritinho:

-Eeeei! Omar! O que você está pensando? – Dei uns passos para frente, e completei – Estamos aqui para consertar a TV!

 

Quando falei isso, estava trêmula. Só então, reparei no Téo perto da porta. Ele deu duas voltas na chave e falou:

-Isa, você é deliciosa! Tava provocando todo mundo com esse seu fio dental escandaloso, mostrando o rabo e essas tetonas para quem quisesse ver e agora nós vamos nos divertir um pouco com você. Vamos transar bem gostoso e a três.

 

Sabe, fantasiar e ver em filmes pornôs é uma coisa, mas na realidade é bem diferente. Minhas pernas tremiam de medo, embora eu já imaginava que isso fosse acontecer e estivesse morrendo de vontade. Pensei: -Isa, você é uma burra mesmo! Provocou, provocou e agora eles estão aqui, doidinhos para te comer! Onde é que eu estava com a cabeça quando quis traze-los para meu quarto?

 

Ainda tentando me safar dessa enrascada, disse a eles que se não me largassem, eu iria gritar. Omar riu e falou:

-Grita, Isa... Pode gritar. Mas, nesse lugar afastado, quem você acha que vai te ouvir?

 

Téo, para ajudar, completou:

-Você pode até gritar, minha linda. Mas só vai ajudar. Eu vou adorar fuder você bem gostoso enquanto você grita, dá mais tesão ver você assim.

 

Fiquei calada. Poxa, eles tinham razão. Não havia ninguém por perto, exceto o Joaquim, assistindo tudo escondido, pela janela. Mas o filha da puta não fez nada, mesmo vendo tudo.

 

Como eu estava com cara de assustada, o Omar disse:

-Calma Isa. Não queremos te machucar. Só estamos a fim de transar bem gostoso a três e, do jeito que você estava na piscina, é claro que você também quer.

 

Em seguida, Omar tirou o pau enorme e duro de dentro da sunga e completou:

 – Olha o que eu tenho aqui para você... Por que não aproveita?

 

O cacete dele era tão lindo. Eu nunca tinha visto outro pau a não ser o do Joaquim. E o do Omar era bem grosso, com uma cabeça grande e rosada. Além do mais, era muito grande.

 

Uma vez, quando eu a Júlia e a Priscila fomos viajar sozinhas, a Priscila havia me falado que bastava um homem mostrar o cacete duro a uma mulher que ela perdia a compostura e ficava completamente louca. Naquele momento, comprovei que o que ela tinha dito era verdade.

 

Era muito maior que o do Joaquim. Foi só pensar nele que à vontade de dar foi ao limite. Abocanhei aquele pauzão com gosto. Chupei como se eu estivesse desesperada. A minha boca estava cheia d’água e escorria pelo canto da minha boca. Aquilo sim era um caralho de verdade: grande, bem reto e grosso... Muito grosso. Enchia minha mão e mal conseguia segura-lo.

 

Ali começava minha vingança contra o Joaquim por ele dar tanta mancada. Passei quatro anos aguentando aquilo e agora me vingava chupando o cacetão do Omar, um cara que o Joaquim sempre odiava e já tinha brigado várias vezes.

 

Naquele momento eu desejei ter uma filmadora para registrar tudo e mostrar para o Joaquim. Mal sabia eu que ele estava vendo tudo. Depois de alguns gemidos, o Omar sussurrou:

-Ah, eu sabia que você ia adora-lo...

-Ele é muito gostoso. E muito maior que o pau do meu namorado. – respondi.

 

Os dois caíram na gargalhada, e depois Téo disse:

-Sério que você ainda tá com aquele Joaquim?

 

Eu apenas ri, como que entregando a resposta. Os dois riram mais ainda e Téo terminou:

-Pois agora, além dele ter o pinto pequeno, tem um belo par de chifres.

 

-Sim, ele não passa de um corno! – confirmei com minha boca cheia com aquela rola dura e grossa do Omar. Meu coração gelou quando, de relance, vi alguém espiando pela janela.

 

Tentei me posicionar de um modo com que pudesse ver melhor e, para minha surpresa, era o Joaquim! Minha nossa, fiquei confusa na hora. Omar não sacou nada e continuou empurrando aquele cacete duro na minha boca.

Passado o primeiro susto, pensei: -Por que será que ele está só olhando e não faz nada? Será que...? Pelo amor de Deus, não creio. Ele tá é gostando de me ver aqui chupando outro cara! Pra dois na verdade, porque ainda tinha o Téo, que ainda esperava o Omar terminar pra entrar na brincadeira.

 

Vou aproveitar que Joaquim não percebeu que eu o vi, e continuar para ver até onde ele aguenta. Dito e feito! Fiz de conta que não tinha visto nada e continuei a babar no cacete do Omar, só que agora de forma diferente.

 

O simples fato de saber que o Joaquim estava olhando, fez meu tesão aumentar mais ainda e passei a engolir aquela rola com muito mais vontade. Mesmo não podendo olhar diretamente para ele, percebia que ele reagia com espanto e tesão, quando eu tentei engolir aquele pau grosso do Omar de uma só vez e, como não consegui, passei a chupar as bolas molhadas e enormes, eu gemia alto e gritava: -JOAQUIM, VOCÊ É MESMO UM CORNO!


Notas Finais


Deixem comentários pessoal.. >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...