História Isabela e a traição (Sex Fic) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cúmplices de um Resgate
Personagens André Alencar, Isabela Junqueira, Joaquim Vaz, Julia Vaz, Omar Ferraz, Téo Cavichioli
Tags Joabela, Jobela, Marbela, Omarbela, Sexo, Tebela, Teobela
Exibições 222
Palavras 628
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Continuação do sexo

Capítulo 7 - Tchau, tchau, Joaquim


Fanfic / Fanfiction Isabela e a traição (Sex Fic) - Capítulo 7 - Tchau, tchau, Joaquim

 

Téo não aguentou ficar só olhando o Omar me lamber e falou que também queria provar. Então, eles passaram a revezar e um lambia meu buraquinho de forma mais gostosa que o outro.

Vez ou outra sentia um dedinho atrevido entrando, quase como que uma amostra do que viria pela frente, ou melhor, por trás. Eu fechei meus olhos e já não sabia qual dos dois estava me lambendo. Simplesmente delirava com o orgasmo chegando perto, mas me continha para aproveitar mais.

Resolvi abrir os olhos e dar uma espiadinha na janela, e para minha surpresa, o Joaquim estava batendo uma bela punheta! Isso foi demais para mim! Cheguei ao Hotel me sentindo tão pra baixo, sozinha e desprezada, e agora, tinha nada mais que três homens se deliciando com meu corpo. Um deles era meu namorado, que não só estava tomando um belo par de chifres, como estava gostando tanto a ponto de se masturbar, enquanto assistia na surdina os dois caras dando um trato gostoso na namoradinha amada dele.

O pouco de peso na consciência que me restava, sumiu ao vê-lo batendo aquela punheta. Senti um tesão indescritível naquele momento. Era uma pena ele estar escondido. Naquele momento, eu fiquei com uma puta vontade de ver o pau dele também. Eu estava sendo muito bem servida pelo Téo e pelo Omar, mas queria mais... Muito mais!

 

Sem aviso, e aproveitando a língua de um deles na minha bucetinha, enquanto o outro investia no meu rabo, gozei violentamente! Fiquei tendo espasmos da cabeça aos pés, o corpo todo tremia. Puxei a cabeça dos dois, usando os pés, com tudo em direção a minha bucetinha e gemi alto:

-JOAQUIM... CORNO... AAAAAAAAAAAAAAAAAHNNN COR... NO!!!

Eu nem terminei de gozar direito e o Omar me colocou de pé, apoiada na cintura do Téo que enfiou seu pauzão na minha boca, enquanto o Omar enfiava aquela rola grossa na minha buceta de uma vez.

Eu tinha acabado de gozar e minha bucetinha ainda estava pulsando, mas ele não quis saber e entrou rasgando, dando estocadas violentas e enfiando até o talo. Téo me segurava pelos cabelos e empurrava minha cabeça na direção de seu cacete, enquanto gemia que era para retribuir a chupada que ele tinha dado no meu cu. Entre uma bocada e outra, eu gemia:

-Isso... Mostrem como um macho de verdade fode uma fêmea. Hmmm... Isso mete gostoso! Mete mais forte!

Omar ficou louco com as provocações e meteu com mais força. Eu sentia o saco dele batendo na minha bunda e o suor espirrando para todo lado, conforme sua tora entrava e saía da minha bucetinha em brasa.

 

Téo me chamava de putinha gostosa e enchia minha boca com aquela sua rola deliciosa. De repente, ouvimos uma conversa do lado de fora:

-EI! O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO?

-N-nada! E-eu só estava... O-olhando...!

-SEI, BESBILHOTANDO NO QUARTO DOS OUTROS E SE MASTURBANDO! VAI TER QUE SE EXPLICAR NA DIREÇÃO DO HOTEL!

-N-não! Agora não! Por favor, só mais um instante!

-AGORA SIM, COLEGA! E É BOM VOCÊ NÃO RESISTIR PARA NÃO APANHAR.

Isso mesmo. Dois seguranças do hotel haviam pego o Joaquim no flagra espiando pela janela e batendo uma, e acharam que ele era um penetra qualquer e o levaram para a direção.

 

Téo e Omar também acharam que era um tarado qualquer e começaram a rir do fato. Resolvi não falar que era o Joaquim e ri mais do que eles. Por dentro eu não aguentava!

Minha vingança tinha saído melhor que a encomenda. Além de Joaquim não ver a transa até o final para saber se eles iam ou não fuder meu cu, ele ainda ia ter que explicar a situação embaraçosa. O pior é que ele nem desconfiava que eu o tinha visto!


Notas Finais


Joaquim ainda vai voltar...
Comentem sua opinião e se devo continuar a fanfic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...