História Isso é amor? - Interativa. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Escolhas, Fanfic, Game, Interativa, Is It Love, Otomegame, Romance
Visualizações 40
Palavras 1.601
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Spoilers
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá leitores, resolvi postar esse capítulo apenas para vocês entenderem como funcionará a fanfic. Espero que gostem.

A cada dia conheceremos um personagem da história, hoje conheceremos a protagonista, Mikaela.
(Imagem abaixo👇)

Boa leitura.😊😊

Capítulo 2 - Partilhando emoções.


Fanfic / Fanfiction Isso é amor? - Interativa. - Capítulo 2 - Partilhando emoções.

"Eu. Vou. Matar. Alguém. Hoje."

Esses eram meus pensamentos, irados com o atraso do meu melhor amigo. Por que ele nunca é pontual?

Começo a bater os pés irritada, bebericando a bebida de sobre o balcão do bar da casa de show, onde uma banda de rock, nova com o sucesso, hoje apresentará.

Minha irritação ultrapassa limites, é como se eu fosse explodir de raiva. Meu pai do céu, dai-me paciência, porque se me der força eu mato um hoje.

Eu estou plantada à mais ou menos uma hora em meio a multidão que começa a chegar, esperando meu amigo, Matt, um rapaz lindo e sem pontualidade alguma, chegar.

Começo, em meio a minha impaciência, roer as unhas, sem me importar com o esmalte ou o batom em meus lábios.

"E pior que foi ele quem mandou eu chegar cedo" comento em pensamento, lembrando-me do momento em que o pateta disse isso "Ah, eu vou mata-lo, concerteza vou".

???: Oi, princesa.

Olho para trás e vejo Matt, com todo seu charme e beleza estonteante. Eu não consigo ficar brava com ele, de início, porém, assim que retribuo seu perfeito sorriso, faço uma carranca de brava.

Matt: Ah, princesa, não fica assim. Eu sinto muito, juro.—ele diz apertando minhas bochechas, eu empurro sua mão, provocando-o, e empino o nariz.

Matt: Ok, Ok.—Matt sorri amplamente, me desarmando com um piscadinha de seus lindos olhos azuis.—Ah, esse aqui é o Adam, ele é meu amigo e o baterista da banda que vai tocar hoje.

Assim que Matt diz eu volto meu olhar para ele, em seguida percebo, pela primeira vez, a presença de um loiro divino ao lado do moreno.

O tal Adam tem uma aparência invejável, com uma chamativa tatuagem de anjo em seu braço direito, músculos definidos e um cabelo rebelde brilhante.
Que Deus grego é esse, senhor?

Adam: É um prazer.—ele me cumprimenta, revelando um perfeito sorriso branco.

Mikaela: É um prazer também. Então você é a causa do atraso do Matt?—pergunto com um sorriso de lado, arqueando as sobrancelhas em questionamento.

Adam solta uma risadinha gostosa, dando leves tapinhas nas costas de Matt. Eu logo percebo que é uma amizade invejável, assim como a minha com a Lisa, uma companheira de trabalho e festas. É uma pena ela não ter vindo hoje...

Adam: Eu não. Matt estava bem ocupado tentando se livrar de uma gata lá fora.

Olho para o Matt surpresa, pois, normalmente, o rapaz não despensa um rabo-de-saia. Matt dá de ombros, com um sorriso sem emoção.

Matt: Ela era muito insistente, além disso, eu costumo ir atrás de mulheres que não se valorizam, para mostrar à elas o quão desejadas são.

Mikaela: Falando assim, parece até uma coisa boa dormir com todas as moças que usam uma calcinha fio-dental.

Matt: Ah, não sei se é uma coisa boa, mas elas gostam. E não é só calcinha fio-dental.—Matt responde, me lançando um olhar sedutor que, só por Deus, me desarmou inteiramente.

Adam: Esse assunto deve estar incomodando sua amiga, Matt.

Mikaela: Que nada, já estou acostumada em sair com o Matt e ficar de vela... Ou ele me abandonar sozinha para se divertir.—comento, sorrindo com pouca sinceridade. De certa forma, esta conversa é desanimadora.

Matt: Mas eu nunca deixei você ir embora sozinha.—Matt defendeu-se, indignado.

Mikaela: É verdade. E é sempre agradável ir embora contigo, sem segundas intenções.—dou uma piscadinha cúmplice para ele, o mesmo revira os olhos sorrindo.

Adam: Vocês se conhecem a muito tempo?—Adam quis saber. Antes de responder eu sorri, admirando seus lindos olhos azuis, em um tom quase cinza.

Mikaela: Mais ou menos. Matt é meu companheiro de mesa no trabalho. Acabamos nos tornando amigos muito rápido.—respondi, sorrindo de relance para Matt, que pegava minha bebida para ele próprio tomar.

Adam: Entendo. E então, o Matt te irrita muito?

Mikaela: Muito? Ele é insuportável.—digo sorrindo amplamente, provocando meu companheiro gato. Matt finge uma carranca, mas logo sorri divertido.

Matt: Mas você não viveria sem mim, confessa!

Mikaela: Confesso, minha vida seria muito triste sem suas palhaçadas.—a resposta, aparentemente, agradou o super ego do meu amigo.

Matt: Viu, ela me adora.—Matt passa um braço em torno do meu pescoço e cola sua bochecha a minha. Aquela proximidade com ele é inebriante, seu cheiro másculo invade minhas narinas e a sensação de seu toque me faz arrepiar.

Porém, Matt não é o tipo de homem que se pode ter um relacionamento sério, já que muitas garotas o vê como o príncipe encantado dos contos de fadas. Mas Matt não entende que o príncipe é de uma garota só.

Eu, para provocar, o empurro levemente e volto a empinar o nariz.

Mikaela: Não pense que eu não estou brava com você.—digo brincando. Matt faz um olhar de cachorro abandonado e Adam caí na gargalhada.

Seguro para não rir junto, sem sucesso.

De repente uma curiosidade me invade, sobre a incrível tatuagem no braço de Adam, acabo por olhar discretamente pelo canto dos olhos, mas Adam percebe meu olhar e vira o braço permitindo melhor minha visão do desenho.

Adam: Você gosta?—pergunta com um sorriso de lado.

Mikaela: Sim, ela é muito bonita. Tem algum significado?—pergunto, realmente curiosa. Adam umedece os lábios antes de falar... Um ato que me deixou atordoada.

Adam: Sim... É o tipo de mulher que eu procuro.

Mikaela: Um anjo?

Adam: Uma que se iguale à um.—sua resposta me deixou surpresa, ao mesmo tempo que maravilhada.

Adam sorriu para mim, com um olhar predador, fazendo meu corpo perder as estribeiras.

Matt: Não flerte com a minha garota, Adam.—Matt nos interrompe, com uma mistura de diversão e... Raiva?

Adam: Longe de mim, Matt. Eu sei que você gosta dela, mais do que como amigos.—assim que Adam diz, as bochechas de Matt recebem um tom rosado. Adam ri alto, eu simplesmente continuo calada.

Matt: Não fale besteira, Adam. Eu e a Mikaela é impossível de acontecer, ela age igual minha mãe.—aquelas palavras não me machucaram, mas meu coração deu um leve tranco com o afinco com que Matt disse a palavra IM-POS-SÍ-VEL.

Adam: Uhum, sei.—Adam comentou descaradamente, fazendo Matt ficar com um bico fúria contida. O rapaz loiro em seguida me olha nos olhos e dá uma piscadinha sexy.—Bom, eu preciso ir. Você vai me ajudar, Matt?

Matt: Claro. Mika, eu vou ajudá-lo à descarregar os instrumentos da van, ok!?

Eu hesito por um instante, porém, não estou afim de ficar sozinha. Além de que eu adoraria poder entrar nos bastidores.

Mikaela: Eu posso ajudar também?—pergunto, pedindo interiormente por um "sim".

Adam: Isso não é trabalho para uma garota, principalmente uma tão linda.—o loiro diz, aparentemente para provocar o coitado do Matt.

Eu sei o quão protetor Matt é, ele, assim como minha relação invertida, me considera muito amiga e, quase, uma irmã.

Mikaela: Essa garota linda aqui, pode muito bem lhe dar um chute certeiro e ainda segurar uma caixa de 40kg.—comentei e, por pior que pareça acreditar, era verdade. Eu tenho aulas de luta com o Matt, onde o mesmo é meu parceiro no box. Eu não sou a melhor, mas pelo menos sei me defender.

Matt confirma com a cabeça para Adam, o mesmo sorri amplamente para mim.

Adam: Eu adoraria ver essa cena, contanto que não seja eu à levar o chute.—ambos sorrimos, com uma cumplicidade admirável para pessoas que acabaram de se conhecer.

Por fim, eu os acompanhei até os bastidores.

Adam e Matt carregavam os mais pesados, em quanto eu ficava no bem bom com os objetos menores.
Contudo, quando sobrou apenas os matérias pesados, fiquei encarregada de segurar a porta para eles passarem.

Eu estava sozinha, apreciando a sensação maravilhosa que os bastidores me trazia... Eu realmente sinto falta da sensação de ansiedade e emoção quando se está em um palco, com a multidão aplaudindo seu talento.

Mas esse tempo passou e hoje, meu único instrumento, é o teclado de um computador na empresa em que trabalho, a Carter Corp.

Em um canto do local, próximo à algumas caixas, há uma guitarra, aparentemente vermelha, tão linda que chama minha atenção logo de cara.

Mesmo que minha paixão seja o piano, guitarras sempre foi um instrumento que fazia sentimentos deliciosos aflorarem em minha pele. Como arrepios de um toque masculino.

Inconscientemente eu caminhei até o instrumento, encantada com os desenhos que começava a se formar na pouca luz do cômodo. Eu daria tudo para tocar apenas um acorde.

Assim que eu estava prestes a toca-la, fui empurrada com tudo contra a parede dos bastidores, sendo presa pelos pulsos.

Um grito agudo escapou da minha garganta com o impacto e a surpresa, fazendo eu vacilar sobre meus próprios pés e gemer com a dor de duas mãos à me apertar.

A pouca luz dos bastidores revelam um rapaz belíssimo, de cabelos negros, estilo emo, e um olhar furioso, com um sorriso de pura malícia.

Mikaela: O-O quê?—fico confusa, tentando me soltar de seu aperto.

O rapaz simplesmente me aperta mais e mais, colando seu corpo no meu... Aí papai, ele está sem camisa.

Seu físico é incrível, com músculos bem definidos e ombros largos. Por um momento eu me deixo influênciar por sua beleza exorbitante, me afogando naquele olhar de fúria.

???: Não se deve tocar nas coisas que não são suas, gatinha.—sua voz é como música, transferindo arrepios deliciosos pelo meu corpo.

Isso está errado, como um desconhecido mal-educado pode causar tantas sensações deliciosas em mim?

(Recomponha-se, Mikaela)

Quando percebo o quão dolorido meus pulsos estão ficando, acabo acordando de meu transe... O que fazer?

(  ) Empurra-lo com força, sentindo a raiva crescer.

(   ) Tentar se soltar, sem ser indelicada.


Notas Finais


Pergunta bônus:

Que nome você escolheria para uma banda de rock?
Responda e diga o significado.

Irei postar capítulo sempre que possível, normalmente às 20:00. Encerro o quiz às 14:00, pois é uma momento em que posso escrever tranquilamente.
Não posto capítulo na segunda-feira ou na quarta-feira, pois tenho curso.
Bom... É isso.

O que acharam do capítulo?
Alguma dúvida?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...