História Isso não é um jogo. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Felipe "Febatista" Batista, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Mike, Pac
Tags Cellps, Escrevi Ano Passado, Gayzisse, Jvtista, Mais Jvtista, Mitw, Talvez Cellps, Viadagem
Exibições 25
Palavras 1.169
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


sim, jotakase na capa do capitulo
acalmeem
*desvia das predas
desculpa pela demora
*leva uma pedra na cabeça e desmaia *

Capítulo 5 - Amigos?


Fanfic / Fanfiction Isso não é um jogo. - Capítulo 5 - Amigos?

Mas em nenhum lugar diz que tudo é um mar de rosas.

 

PoV – Felipe Batista

[06:21]

 

  Ele foi se aproximando devagar, mantendo aquele mesmo sorriso cínico de sempre, dessa vez ninguém o acompanhava, o que particularmente me assustava. Eu estava encolhido no fundo daquele beco próximo a escola, não aguentava mais apanhar deles, então corri até aqui como se fosse adiantar de algo, e como se ele não fosse achar. Mas ele sempre me acha, e ele sempre vem.

- Tentando se esconder novamente, Batatinha? – Não sei como tanto sarcasmo podia se manter naquele ser. – Assim eu fico triste, meu bem. – Ele se aproxima e segura no meu queixo, selando nossos lábios. Claro que eu não retribuí, mas não tinha nada a fazer, fiz o máximo para não ceder, tentei o afastar, mas ele tinha meus pulsos em suas mãos, então...

Beep beep beep beep

  Me levanto ofegante e um tanto quanto assustado, pego o aparelho responsável pelo barulho e cancelo o alarme. Então eu coço os olhos e me sento na cama, ainda atordoado por acordar de repente e...

  Não acredito... eu tive outro sonho com ele. Droga! Justo quando eu tento esquecê-lo... eu não aguente mais isso, sempre é assim, sempre! Ele sempre me ilude, ele sempre me bate! Ele sempre me critica, me xinga, me menospreza, e no final me beija. Como eu posso acreditar nesse tipo de amor? Oh Deus... as férias já estão acabando e olhe só eu pensando nisso. E o pior é que eu terei que aturar ele pelo resto do ano.

- Batista? Você ‘tá chorando? – Só paro com meus pensamentos quando percebo minhas mãos úmidas, a dor insuportável de garganta e uma voz. Espera... uma voz?

- H-hã? – Ainda soluçando, procuro responder, então percebo que era a voz do Mike. Espera, ele me ligou? Não era o alarme? – M-mike? – O soluço ameniza, mas meus olhos continuam embaçados e minha garganta com um grande nó.

- Batista? Você ‘tá bem? O que aconteceu? Quer que eu vá aí? – Sorri minimamente com a preocupação do meu amigo. Pelo menos ele se importa... eu acho.

- Não, ‘tá tudo bem... só foi um pesadelo. – Falo mais para mim mesmo do que para ele, limpo os olhos e me sinto determinado a... quem eu quero enganar? Eu estou péssimo. Eu sou péssimo. O máximo esforço que eu quero fazer hoje é respirar. Se bem que nem isso eu quero ao certo.

- Aah... então... você quer falar sobre? – Eu simplesmente amo a maneira que ele respeita minha privacidade, ainda bem que ele é assim. Eu juro que não poderia desejar um melhor amigo melhor que o Mike.

- Não... agora não, depois nós conversamos, tudo bem? Eu te ligo... – Nem espero sua resposta e desligo a chamada, me afundando novamente na cama e me cobrindo com o cobertor. Assim está tão mais confortável.

   Sinceramente? Pedro Rezende é sim uma história antiga, e eu estou muito cansado disso. Confusão é a palavra que define isso, bom... começou faz um certo tempo, desde que eu ele se mudou pra cá. E aí ele virou o popular, o famosinho, e eu de fato odeio pessoas que ficam se achando. Claro que ter amor próprio é ótimo, mas para tudo há exagero. E eu posso apostar que Rezende é o cúmulo do exagero. Primeiramente ele nem ligava pra mim, o que na época eu ficava mal, já que eu tinha um – pequeno – crush nele. Então eu desapeguei ao perceber o tipo de pessoa que ele realmente é, e aí as coisas pioraram, já que...

- Filho? Ainda está dormindo? Vamos, o café está na mesa. – Escuto minha mãe falando e me esforço o máximo para reunir toda a coragem existente no meu corpo para levantar. Vamos lá, tenho que ter determinação.

 

PoV – João Vitor

[08:22]

 

- Jv?? – Moonkase chamava do outro lado da linha. Eu me sinto muito mal por ter esquecido da minha namorada esses dias, mas, veja bem, nosso namoro está em decadência, eu não me sinto mais da mesma forma que me sentia antes.

- Sim? – Respondo meio aéreo, ainda pensava na mensagem sobre Batista que Mike tinha me mandado mais cedo.

- Aii, ‘tava com saudade de você! – Ela abraça a Webcam, como se estivesse me abraçando, sorrio de lado, Moonkase consegue ser muita fofa quando quer. – Bom... eu não queria falar disso, mas nós precisamos conversar. – Percebo o tom de nervosismo na sua voz, assim como a maneira que ela coça a nuca.

- Sim, nós precisamos. – Balanço a cabeça lentamente a encarando, que tinha uma expressão aérea. – E então? Pode começar. – Falo a incentivando a começar.

- Sim, sim... bom... Jv, é o seguinte... – Percebo ela parando e voltando a falar. Poxa, ela parece realmente muito nervosa. – Bom, nós passamos muito tempo juntos, grandes lembranças boas que certamente não iremos esquecer, com certeza nossa história não será descartada do nada, mas... Porra, é realmente difícil falar isso. – Ela sorri e eu retribuo o sorriso. Uma coisa é certa: Ou ela vai terminar, ou ela vai me pedir em casamento. – Vou direto ao ponto: Faz um tempo que não estamos mais apaixonados como antes, e eu sei que não é só por causa da distância, já que isso nunca atrapalhou nosso relacionamento. Por falar nele, eu não escolhi, mas eu só te vejo como um amigo, João Vitor, me desculpa... mas eu não posso continuar contigo, eu realmente fui apaixonada por ti, mas agora... desculpa, desculpa mesmo... eu, eu... me desculpa. – Suspiro aliviado. Eu realmente não iria saber lidar com um pedido de casamento... quer dizer, fui precipitado demais, certo? Heh... puxo ar antes de falar, já que ela me encarava com uma expressão confusa – devido ao meu suspiro.

- A verdade é que eu queria tratar esse assunto com você. E eu fico feliz por não ter que te machucar ou algo parecido. Eu que devo me desculpar, eu não te dei atenção, e acabamos assim, certo? Bom, espero que possamos continuar amigos, a tua amizade é importante pra mim. – A cada frase que eu falava com calma (diferente dela), eu observava um pequeno sorriso em seu rosto, ainda bem que ela compreende meu ponto de vista.

- Amigos! – Ela rapidamente responde, alargando o sorriso, mas logo arregala os olhos e olha para algum lugar um pouco abaixo da Webcam. – Meu Deus! Tenho que sair agora, desculpa Jotinha, depois nós nos falamos, falooou. – Ela se despede e logo o lugar onde antes apresentava uma imagem dela, estava preto. A chamada se encerra, então decido dar atenção ao Mike, que me deixou bastante curioso depois da sua última mensagem:

06:47 Moço Nike – Eu não sei se eu deveria te contar isso maaaas

Como vocês já são amigos, acho que é bom você saber

Faz uns 10 minutos que eu liguei pro batata e ele tava chorando

Agora ele não responde minhas chamadas nem ligações

Se tu conseguir conversar com ele, agradeço.

Eu me preocupo com meu amigo, sabe?

O Batista é bem sensível.


Notas Finais


*acorda
amanha/hoje é o ultimo dia de prova
atualização semanal a partir de hoje


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...