História It: A Maldição. - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias It: A Coisa
Personagens Personagens Originais
Tags Bill Skarsgård
Visualizações 46
Palavras 1.084
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Terror e Horror, Violência

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Pra quem estava ansioso pra ver o Bill como palhaço, aqui está um pouquinho dele.
Boa leitura, amores. ♡

Capítulo 3 - Is your night good?


Fanfic / Fanfiction It: A Maldição. - Capítulo 3 - Is your night good?

Senti novamente mãos apertando o meu pescoço, e isso me fazia entrar em pânico. Eu já não conseguia ficar em pé, por isso eu me encontrava no chão me arrastando pra longe dali. Pra longe daquelas pessoas.

Só que eu sabia mais do que ninguém que não adiantava o quanto eu corresse pra longe das pessoas, eu sempre voltava até elas e fazia merda. Comecei à tossir sangue e xinguei todos os palavrões possíveis pois a hora estava chegando. Então apenas desmaiei.




O balão vermelho na mão dele não podia faltar. Em seus lábios tinha o sorriso mais psicopata de todos, seu olhar fixo em seu caminho. Estava faminto, queria medo e ele sabia onde encontrar isso. 

Pennywise conseguiu entrar no brinquedo que tinha algo haver com assombração. Casa assombrada, talvez?

O palhaço encontrou uma estátua de um palhaço ridiculamente falso e revirou os olhos.

ー Esse pessoal não sabe o que é um palhaço de verdade e faz isso. ー o palhaço apontou para a estátua. ー Pois hoje eu vou mostrar o que é um palhaço de verdade. ー e deu uma risada. A risada mas assustadora que alguém podia ouvir.

Ele ouviu vozes e parou de rir, já podia sentir o cheiro de medo ainda fraco. Ele derrubou a estátua e tomou o seu lugar, logo ficou ali parado fingindo ser uma estátua.

Um grupo de pessoas vinha ali, todas elas morrendo de medo.

Morrendo de medo dessas coisas ridículas?, Pennywise se perguntou.

O grupo ia passar direto, mas um casal ficou pra trás.

ー Olha esse palhaço, amor. Parece ser tão real. ー a garota comentou enquanto ia pra trás do namorado.

ー Parece, mas não é. ー o garoto fingiu não está com medo, mas Pennywise sentia muito bem o medo dele.

ー Ele tá segurando um balão, vamos levar. ー a garota sorriu olhando fixamente para o balão vermelho que o palhaço segurava.

No meu balão ninguém mexe.

ー Sabe ー Pennywise começou à falar e o casal se assustou. ー Lá fora com certeza deve vender balões, não são bonitos como o meu mas vende. Mas assim, você quer mesmo o meu? ー o palhaço olhou para a garota e fingiu uma cara triste.

ー Eu posso comprar um pra ela, relaxa aí. ー o garoto falou enquanto começava à se afastar.

Pennywise deixou eles irem, na verdade deixou que eles caminhasse um pouco. Quando o casal já estava um pouco longe, Pennywise foi atrás deles enquanto dançava.

Ao perceber que estavam sendo seguidos o casal tratou de correr.

ー Não corram, eu só quero mostrar um truque. ー o palhaço ainda fingia tristeza em seu rosto. Mas o casal só correu mais ainda.

Pennywise sumiu e só foi aparecer na frente do casal.

ー Vocês vão ver meu truque por bem ou por mal. ー a voz dele agora estava grave e assustadora.

ー Eu não quero ver caralho nenhum. ー o garoto gritou e cometeu o maior erro de sua vida, empurrou Pennywise.

O palhaço encarou ele e seus olhos mudaram de cor. Fodeu pra ti, garoto. E puxou o braços dele, e mordeu em seguida com os seus dentes afiados. A garota gritava pedindo pro palhaço soltar seu namorado, e ele soltou. Mas foi pra cima dela.

Eu vou deixar uma marca nesse teu pescoço, espero que seu namorado de bosta não reclame. 

Pennywise ria enquanto destroçava o pescoço dela, os gritos do casal era como música para ele.

Ele parou e encarou os dois por bastante tempo apenas ouvindo os grito deles.

ー Oh! Vocês estão machucados, quem será que fez isso? ー ele correu até o garoto e fingiu estar preocupado enquanto pegava o braço sangrento. ー Eu vou chamar o médico e tudo ficará bem.

O garoto olhava para o palhaço com a cara mais confusa e assustada do mundo. Mas Pennywise não chamou médico nenhum, ele abriu sua boca toda só pra poder engolir o garoto por inteiro. Quando chegou no pé ele pegou e jogou encima da menina que lutava pra sobreviver. Tadinha.

ー Me diz que diabos você viu nele? Já sentiu o chulé dele? Sente só. ー e esfregou brutalmente o pé no rosto dela. ー Bom, eu tenho que ir. Boa sorte aí. ー ele sorriu e deixou o balão vermelho ao lado dela.

O palhaço não iria matar ela, pois alguém ia encontrar ela e a cidade toda ia ficar assustada. Pensando assim Pennywise caiu na gargalhada mas logo começou à se engasgar.

ー Que caralho tá aconte... ー e desmaiou.



Eu não acredito que hoje vai ser um daqueles dias que eu viro Pennywise e Bill Skarsgård toda hora.

Me levantei sentindo meu estômago roncar, bufei e caminhei com dificuldade até o parque de diversões. Na verdade, eu já estava dentro dele só tinha saído da casa mal assombrada. E eu acho que ela é bem assombrada mesmo porque vi várias pessoas saindo de lá bastante assustadas. Uma até gritava que tinha sangue pra todo lado. Espera. Parei imediatamente e arregalei os olhos. Se eu sai de lá e estão gritando que tem sangue pra todo lado deve ser porque... Ah, não. Por  favor, não. Um cara passou por mim e eu puxei o braço dele, queria saber o que estava acontecendo.

ー Ei, o que houve lá dentro? ー perguntei. Ele parecia bastante assustado.

ー Achamos uma garota com o pescoço todo ferido. Ela diz algo sobre o namorado, mas ninguém entende nada. ー ele disse e saiu dali.

Algumas pessoas chegavam perto curiosas assim como eu pra saber o que porra estava acontecendo, mas o que me chamou atenção foi a mesma garota que entrou na cafeteria mais cedo. E que também tinha deixado cair um lenço vermelho, que por acaso estava no meu bolso. Nem lembro a hora que botei aquele caralho de lenço no bolso.

Tenho que entregar pra ela. Tinha muita gente ali o que dificultava meu trajeto até a garota.

ー Saiam da frente, seus filhos da puta. ー gritei e algumas pessoas se afastaram assustadas.

Quando eu estava alguns centímetros da garota eu senti uma pontada no peito, me fazendo cambelear pra trás. De novo essa porra? 

Senti garras saindo das minhas unhas e essa sensação foi horrível e agonizante, minha testa parecia que estava sendo esticada por algo. Meus dentes cresciam e minha gengiva sangrava. Perdi forças nas pernas e cai de joelho. 

Quando me levantei eu já não era mais o Bill e sim o palhaço Pennywise.


No meio de tanta gente assustada correndo dele, a primeira pessoa que Pennywise olhou foi uma garota.  Lauren o nome dela.

ー Oi, princesinha. Sua noite está sendo boa? ー ele disse enquanto se aproximava dela.


Notas Finais


MUAHAHAHAHA.
Comentem o que acharam?
O que vocês acham que o aterrorizante palhaço Pennywise vai fazer com a doce Lauren?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...