História It Happened ★ JiKook (ABO) - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook Jimin Jungkook
Visualizações 366
Palavras 1.987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei, mas apareci aqui com um especial para o aniversário do nosso bolinho fofo!

Espero que gostem. Boa leitura.

(Coloquei uma foto do Jimin aleatória na mídia do capitulo, mas eu amo ela).

Capítulo 50 - Forty seven


Fanfic / Fanfiction It Happened ★ JiKook (ABO) - Capítulo 50 - Forty seven

P.o.v Jungkook

Os dias se passaram rapidamente e quando me dei conta já faltava menos de uma semana para o aniversário de Jimin, meu marido. Ele estava super animado com a data e, diferente de mim quando meus aniversários estão próximos, não parava de falar disso.

Eu estava querendo fazer algo diferenciado para Jimin. Queria um momento nosso, apenas nosso. Por isso fiz uma lista mental do que poderia fazer:

1°) Cinema - Definitivamente não era o lugar apropriado para leva-lo em uma ocasião especial como esta; eu não poderia ouvir o doce som de sua voz e também não poderia apreciar sua beleza com a pouca luz que o ambiente teria.

2°) Parque - Bonito e um bom lugar para ir. Mas teriam muitas pessoas, barulho e eu não poderia fazer nada só que tenho em mente.

3°) Praia - Era um lugar bonito, sem sombras de duvidas. Além de que Jimin adorava praias e gostava de ver e ouvir as ondas do mar. Mas, assim como no parque, teriam muitas pessoas.

4°) Casa do lago - Meus pais tinham uma casa do lago e lá era o lugar perfeito para irmos. Sem civilização, calmo, lindo, romântico...

Bingo!

Sorri animado com minha escolha e, sem perder tempo, fui para o quarto, encontrando um Jimin dormindo profundamente. Andei até o criado-mudo ao lado da cama e, tomando todo o cuidado possível, peguei meu celular e mandei uma mensagem para meu omma perguntando se poderia usar a casa do lago no aniversário de Jimin. Ele disse que sim.

Agora a segunda parte do plano: um presente.

Jimin gostava bastante de anéis, tanto que tinha vários guardados em uma gaveta em nosso armário. Mas acho que já esperaria um presente assim. Então eu ainda tinha algumas opções como brincos, pulseiras, roupas, livros e até mesmo​ um celular novo. Mas nenhum desses seria tão significante. Eu precisava procurar algo para dar para o ômega, urgentemente!

Beijei a testa do ômega, sorri e acariciei seus cabelos. Escrevi um bilhete avisando que sair e que não demoraria para voltar e sai de casa, rumo ao shopping.

[…]

Os dias se passaram e hoje, finalmente, era o aniversário de Jimin. As coisas já estavam todas organizadas e eu daria início ao meu plano assim que o ômega acordasse.

Agora, nesse exato momento, estou preparando seu café da manhã. Eu fiz algumas coisinhas simples, como um sanduíche e café, mas fiz de coração. Coloquei as coisas sobre uma bandeja e, andando lentamente, fui até o quarto. Deixei o objeto sobre o criado mudo e me sentei ao lado do ômega, começando a acariciar seus cabelos castanhos enquanto que o esperava acordar. O que não demorou muito tempo.

Jimin acordou, se sentou na cama coçando seus olhinhos e sorriu ao me ver. Beijei sua bochecha e, totalmente animado, praticamente gritei:

— Feliz aniversário!

— Obrigado, amor. — Disse sonolento.

— Fiz seu café da manhã. — Avisei e o ômega sorriu docemente, fazendo seu perfeito eye-smile.

— Obrigado novamente. — Riu.

Coloquei a bandeja em seu colo e permiti-me a olha-lo comer animado. Suas bochechas gordinhas estavam cheias de comida, lhe fazendo parecer um esquilo fofo comendo uma noz e seus olhinhos brilhavam como cristais cintilantes.

Jimin é lindo.

Jimin é meu.

Tenho muita sorte de tê-lo ao meu lado. Esse ômega é, sem sombra de dúvidas, especial e eu o amo do jeitinho que é.

Sorri ao ver que o ômega havia terminado de comer e coloquei a bandeja no lugar em que estava anteriormente. Coloquei minha mão sobre sua coxa e comecei a acaricia-lá, fazendo-o manter os olhos sobre aquela parte de seu corpo, enquanto que sorria bobo.

— Meu aniversariante gostaria de algumas surpresas? — Perguntei e ele assentiu, ainda focado em minha mão. Sorri de canto e apertei a carne de sua coxa, fazendo-o morder o lábio inferior. — O que você acha de irmos para uma casa no lago?

— Não temos uma, amor. — Sussurrou.

— Eu sei. Mas meus pais têm e por algum motivo misterioso eu tenho a chave de lá. — Brinquei.

— Mas e a Ji? — Perguntou, agora, olhando-me nos olhos.

— Eu a levei para a casa do Tae, Amor. Ela queria ficar um pouco com seus primos.

— Ah sim. Então vamos?

— Claro, meu amor. Se arrume, hu?

O ômega se levantou da cama, beijou minha bochecha e andou meio sonolento até o banheiro. Sorri, peguei a bandeja, a levei para a cozinha e label a louça suja que Jimin usou para comer. Depois voltei ao cômodo em que estava anteriormente e comecei a arrumar nossa mala.

Quando terminei Jimin saiu do banheiro apenas com uma toalha enrolada em sua cintura e o corpo ainda meio úmido. Céus, ele fica tão sexy assim. Se toca, Jungkook, Jimin fica sexy de qualquer jeito. Mais uma vez repito, tenho muita sorte de tê-lo.

Ele se vestiu com uma camisa branca minha que foi até metade de suas coxas juntamente de uma calça preta com rasgos no joelho e das suas botas também pretas. Por fim, Jimin colocou um moletom azul bebê, ajeitou seus fios e veio até mim, sorrindo de modo fofo.

— Estou bonito? — Perguntou e colocou suas mãozinhas sobre meu peito.

Sorri e concordei com minha cabeça juntando nossos lábios em seguida.

[…]

Quando chegamos Jimin parecia encantado com cada canto do local. Ele falava do lago, da casa, da grama, do canto dos pássaros, de tudo. Acho que eu havia conseguido surpreender o ômega muito bem.

Agora, após terminar de tirar nossas coisas do carro, colocar no quarto onde ficaríamos e de tomar um banho cheio de amassos com o ômega, nós dois nos encontrávamos sentados na grama a beira do lago, conversando enquanto desfrutavamos de um vinho que eu havia trago. Estavamos bebendo pouco, afinal, queríamos estar sóbrios para lembrarmos desse dia.

Eu já havia dado a Jimin dois de seus presentes; uma tiara com orelhas de gato e uma cauda todas brancas e uma camisa azul bebê que ficou um tanto grande em si, juntamente de uma calcinha branca e meias ⅞ também dessa cor. O ômega havia gostado desses e apenas faltava eu lhe entregar um; uma gargantilha preta com um pingente de coração prata não tão grande com as iniciais "JJ" escritas em si. Era lindo e perfeito para meu pequeno.

Jimin reclamou que estava começando a ficar frio e nós entramos na casa. Deitamos no sofá agarradinhos e o ômega ligou a televisão, colocando em um filme qualquer e se distraindo com este. Eu, aproveitando da situação e da posição em que nós encontrávamos - eu estava deitado de barriga para cima e Jimin estava deitado de bruços sobre mim, com sua cabeça virada para a TV - e levei minhas mãos até suas nádegas, apertando-as.

— E-Ei! — Murmurou o ômega e virou sua cabeça para me olhar. — Tarado.

— Que você ama.

— Que eu amo.

Sorri e apertei suas nádegas mais uma vez, fazendo-o morder seu lábio inferior.

— Eu amo quando você faz isso. — Confessou.

— E eu amo fazer isto. — Ri. — Eu te amo, Jiminie.

— Eu também te amo, Kook.

Iniciamos um beijo calmo, mas que, em pouco tempo, se tornou em algo quente e desesperado por ambas as partes.

Me sentei no sofá, levando Jimin a escorregar para minhas coxas e apertei suas nádegas novamente, fazendo-o gemer contra minha boca. O ômega começou a rebolar em cima de minhas mãos e de meu membro, provocando-me. Sorri ao perceber isto e separei nossas bocas, puxando seu lábio inferior com meus dentes.

P.o.v Autora

Em questão de segundos Jimin já se encontrava deitado no sofá gemendo com um Jungkook no meio de suas pernas simulando estocadas por enquanto​ que marcava a pele de seu pescoço branquinho com chupões e mordidas.

Jungkook tirou o moletom e a camisa que o ômega usava lentamente, olhando em seus olhos enquanto sorria de canto. Depois ele tirou os sapatos, as meias, a calça e a calcinha que seu pequeno usava, mordendo seu lábio inferior ao ter a visão completa de seu corpo delicado totalmente nu.

Jimin, mesmo envergonhado, repetiu o processo que Jungkook fez e logo os dois já se encontravam com os lábios unidos mais uma vez. Mas, dessa vez, nus.

O alfa deslizou seus beijos pelo corpo do ômega abaixo de si, começando por seu maxilar, passando por seu pescoço, clavícula, peito, abdômen, virilha, coxas até chegar nos pequenos e delicados pés do ômega. Depois ele subiu novamente até as coxas fartas de seu marido e as arranhou, levando-o a gemer baixo.

Em um movimento rápido Jungkook levou sua mão para o membro​ de Jimin, que gemeu surpreso com a ação de seu marido. O alfa sorriu ao ver as expressões de prazer que seu ômega fazia e abocanhou o pênis do mesmo, mantendo contato visual.

Jimin achava que iria derreter a qualquer momento. Ele estava tão entregue a Jungkook que a única coisa que conseguia fazer era gemer seu nome de modo manhoso e se contorcer na cama, sentindo o prazer que seu marido estava lhe causando. Mas o ômega não se arrependia de se submeter a seu alfa rapidamente, afinal, sabia que em suas mãos sentiria o mais puro prazer. E era osso isso o que Jimin queria naquele momento; prazer.

Quando o ápice de Jimin estava próximo Jungkook afastou-se do ômega e foi até o quarto, deixando-o confuso. Logo o alfa voltou para sala com uma camisinha em seu membro já duro e sorriu para o pequeno, que também sorriu e mordeu seu lábio inferior.

Jungkook voltou a se encaixar no meio das pernas de Jimin e tomou seus lábios carnudos e agora avermelhados para si novamente, enquanto que o preparava com dois dedos e ouvia-o gemer contra sua boca. Fazia um bom tempo em que o casal não tinha relações tão íntimas como está devido a sua amada filha Jiyoon, então o alfa queria ser o mais cuidadoso o possível para que aquela não fosse uma lembrança dolorosa e sim prazerosa.

— E-Estou… Ah… P-Pronto! — Jimin falou com dificuldade, já que sempre que tentava falar acabava gemendo.

O alfa, entendendo o recado, tirou seus dedos do interior apertado do ômega e posicionou seu membro na entrada do mesmo, que sorriu murmurando um "pode ir". Jungkook então o penetrou lentamente, fazendo-o gemer alto em dor e agarrar os ombros fortes do maior, arranhando-os. Assim que sua extensão já estava toda dentro de Jimin, sendo esmagada por suas paredes quentes e apertadas, ele parou de se mexer e ficou parado, esperando seu marido se acostumar com a dor, o que não demorou muito para acontecer.

Em questão de segundos Jungkook já penetrava Jimin, fazendo movimentos rápidos e precisos com seu quadril, levando o seu ômega a gemer o mais alto que conseguia em puro prazer enquanto que se masturbava rapidamente.

Jimin tomou os lábios do alfa para si e iniciou um beijo um tanto desesperado por ambas as partes e logo afastou-se da boca de seu marido e passou a marcar o pescoço do mesmo, que fez questão de abaixar-se um pouco apenas para ser marcado cm mais facilidade.

Eles mudaram de posições diversas vezes, beijaram-se mais vezes ainda, gemeram e aproveitaram de tudo do melhor jeito que conseguiam. Até que, depois de algum tempo, chegaram em seus ápices juntos, gemendo alto.

Jungkook saiu do interior do ômega, levantou, pegou-o no colo e seguiu para o banheiro. Eles tomaram um banho rápido e depois deitaram juntos na cama, sorrindo bobos e trocando alguns beijos e carícias.

— Eu estava com saudades disso. Desses momentos assim. — Jimin confessou e se agarrou ao tronco de Jungkook sonolento. — Mas não me arrependo da nossa filha e a amo tanto quando te amo.

— Eu também estava com saudades disso. — Jungkook falou e sorriu. — Eu também amo vocês.

Os dois sorriram e juntaram seus lábios mais uma vez em um simples, porém demorado selar. Jimin sorriu abobalhado e escondeu seu rosto no peito de Jungkook, sentindo-o acariciar sua cintura.

O coraçãozinho do ômega estava aquecido e mais uma vez, como sempre que estava ao lado de seu alfa, ele se sentia feliz e, principalmente, amado.

E Jungkook o amava muito. 


Notas Finais


Desculpa se tiverem muitos erros, meu corretor anda maluco e eu não revisei o capitulo muito bem antes de postar, pois estou cansada. Depois eu o arrumo.

~ Chu 🐥♠


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...